Variety aprova o novo Star Trek [Atualizado: críticas da imprensa britânica]

varietyA Variety, uma das mais antigas publicações da indústria cinematográfica nos EUA, já publicou sua crítica do novo filme da franquia, Star Trek, e seu autor, Todd McCarthy, considera que o filme tem grande sucesso em revitalizar a franquia de Jornada nas Estrelas para o cinema da mesma forma que Cassino Royale fez isto para a franquia de James Bond. Acompanhe a seguir a introdução do artigo da Variety.

O novo Star Trek chega em velocidade de dobra na tela de cinema e fica lá por duas horas — o filme vai transportar fãs para o nirvana da ficção-científica. Fiel o bastante ao espírito e peças-chave da concepção original por Gene Roddenberry para manter seus seguidores felizes, mas ainda mais importante, é excitante em seus próprios termos de um modo que torna prévia familiaridade com a franquia irrelevante. A nova aventura espacial por J.J. Abrams é esperta e de tirar o fôlego, e é claramente um blockbuster de verão que não poderia ficar de fora dos cinema por sequer mais um mês. A Paramount não vai precisar de nenhum pacote econômico com todo o dinheiro que este aqui pode render globalmente, e uma sequencia tem que chegar o mais rápido possível.

McCarthy também destaca que a fita tem boa interação dos personagens e suas interpretações, e elogia os valores de produção do filme, citando em particular a trilha sonora composta por Michael Giacchino. Você pode ler a crítica completa no site da Variety.

Entrementes, a página do filme no Meta Critic também já está ativa, ainda que sem média ativada, já que o MC precisa de no mínimo quatro críticas para começar a marcar. No Rotten Tomatoes, até meados do dia 22, o filme continua com sete críticas, mas a da Variety deve ser adicionada em breve na listagem.

Jornais e sites da Grã-Bretanha já disponibilizaram várias críticas sobre o filme:

Lewis Bazley, para o In the News UK

Com inúmeras sequencias de ação, uma perfeita recriação de Vulcan e um roteiro cheio de referências a suas prévias incarnações, Abrams fez das contínuas missões da nave Enterprise algo que milhões vão estar ansiosos para acompanhar. Há um perfeito gancho para uma sequencia e no que a legendária narração que marca a série e o tema surgem, você fica ansioso por se teleportar nisto novamente.

Nick Curtis, para o Evening Standard

A visão de Abrams do idealista faroeste espacial de Gene Roddenberry não é perfeita. Mas é confiante, esperta e acima de tudo espetacular o bastante para agradar tanto a fãs dedicados como a novatos.

Debra Craine, para o The Times

O empreendedor retorno de Star Trek indica que ela está viva, Jim — e está tão bem quanto você jamais a viu.

Kev Geoghegan, para a BBC

Abrams consegue ressucitar Star Trek? Bem, a resposta é simples. Sim. Star Trek é um bom filme que faz exatamente aquilo que promete. É grandioso, movimentado e cheio de ação com impressionantes efeitos visuais. Garotos vão o adorar e o diálogo ferino pode render boas risadas para os pais.

Chris Tookey, para o Daily Mail

Um jovem e dinâmico elenco de atores estão preparados para irem audaciosamente até onde nenhuma outra série de filmes jamais esteve: em uma nova sequencia de histórias de Jornada nas Estrelas com uma revitalizada nova dose de vida. Bem vindo de volta, Trekkers.

45 Comments on "Variety aprova o novo Star Trek [Atualizado: críticas da imprensa britânica]"

  1. Enquanto isso na Paramount do Brasil parece que para eles Star Trek nem vai passar aqui. Há menos de duas semanas da estréia aqui… só um trailer no cinema em Watchmam… poucos cartazes, ou seja, ‘marketing’ zero!
    Depois vão dizer que Star Trek não faz sucesso no Brasil. Se eles querem novos fãs devem mostrar ao público o que vem por aí e cativar o interesse do mesmo pelo filme…

    saudações…

  2. Eu não sei por que tanta gente está reclamando sobre o marketing da Paramount no Brasil.

    Nós “tupinquins” temos mania de se achar vítima, coitadinhos. Ou achar que o nosso países mais importante para a comunidade internacional do que realmente é. Tá na cara que a Paramount não quer gastar $$$ nos países latino-americanos (o Brasil é o maior representante).

    Trailers, cartazes, propaganda. Tudo custa dinheiro. Será que vale investir na “terrae brasilis” nessas situações? Vejamos:

    1. Não sei qual são os números, mas não sei se proporcionalmente a nossa população, somos um povo que vai muito ao cinema, principalmente que hoje o valor do cinema toma proporções absurdas, levando-se em consideração o salário mínimo.

    2. O índice de pirataria é absurdo. Por que investir em um filme, sabendo que grande parte da população (especialmente pelo poder aquisiitvo) irá comprar uma cópia pirata do camelô.

    3. Fraco apelo de Sci-Fi no Brasil: Com as novelas dominando o mercado e filmes como “Xuxa não sei o que” e “Se eu fosse você 3456” sendo campeões de bilheteria, dá para tirar uma base.

    4. Mesmo que investissem massivamente em ST, o que corresponderia a renda mundial hein? 1%, 2%, no máximo 5%? Será que o investimento não seria demais para um retorno baixo??

    Vamos deixar de ser coitadinhos, e deixarmos de ser trekkers bairristas. Vamos ao cinema, felizes, sem importar com o marketing ou popularização de ST em terras brasileiras.

  3. Daví Nacario | 22 de abril de 2009 at 3:01 pm |

    E aqui onde moro, nem trailer no Watchmam passou. A Paramount do Brasil não tá nem aí para os fãs de Jornada aqui no interior. Nem cartazes no cinema tem…que lástima…

  4. Rá Rá Rá

    Pois é…tem muita gente que vai rezar para o “Cãnon Perdido” hoje à noite. Mas como o São Tomé também é padroeiro dos xiitas, a desculpa do “eu só acredito vendo” vai ser o mote.

    Bom, como a esperança, depois do cânon, é a última que morre, quem sabe ST XII saia só em DVD ou BlueRay por aqui. Afinal, pelo jeito, lá na Cinêlandia o pessoal só pensa em “currrtir uma práaia merrrmão.”

  5. Rodrigo Bruno | 22 de abril de 2009 at 3:09 pm |

    ^2 – Mas ai é que tá companheiro Tomalak, a um certo tempo atrás eu descobri q o braZil -sil-sil-sil, NÃO EXISTE !!! a gente paga imposto que o só a [email protected]&&@, mais q um canadense, um australiano, e recebemos serviços e tratamento de cidadões da Somália ! sinceramente se a “gringolândia” resolvessem invadir a Banânia (como sonhão os ditos partido Che Guevara – para vencer e fazer la revolución) – eu era o 1º a receber os gringo com bandeirinha numa mão e foto do Obaminha na outra…, pode parecer ingenuidade, mas não é !

    salvem a Amazônia ! de quem ? dos gringo ? dos franceses ? Ué eu nunca vi vi um europeu devastar floresta pra criar gado por aqui – salvem a Amazônia dos braZileiros, Isso Sim !!!

    Abs.

    Moderação, Sorry Off Topic.

  6. Rodrigo Bruno | 22 de abril de 2009 at 3:12 pm |

    ricardão Grande companheiro ! poís é tem xiita que ainda tapa o sol com a peneira, o filme vai ser um estouro ! Blockbuster total ! Salvem os Aiatolás da seita do canon perdido. Good Bye So long Cap Careca, La Forge, Cap Katrina Janeuái kkkkkkk –

    Somos Românticos da Resistencia: STAR TREK FREE !!!

    Allons-y !

    abs

  7. Bom, pelo menos o filme já estréia com boa repercussão da mídia especializada. Vamos ver se isso reflete nas bilheterias.

    Sobre a publicidade do filme aqui no Brasil, é comum os estúdios só entrarem forte com a divulgação duas (ou mesmo uma) semanas antes do filme estrear.

  8. Pelo que vejo, os ânimos estão acirrados. Espero que não haja pancadaria no cinema.
    Falando sério: as críticas estão alviçareiras e, tendo ou não repercussão no Brasil, teremos novos filmes com certeza. O negócio é comemorar e se divertir.
    Só vejo dia 8 na minha frente, aliás, do jeito que está o dia 9 chega antes do 8, mas tudo bem, dia 9 também passa.
    Aos xiitas do cânon perdido e aos outros fans, recomendações trekkers.

  9. Rodrigão! É nóis! A dupla “certa-neja”!! Eu tava pensando cá com meus botões: pôxa, bem que os caras tão certos. A franquia podia fazer um filme DEPOIS dos eventos de Nêmesis…BEM depois, tipo uns 8.000 anos no futuro.

    Seria mais ou menos assim: Durante uma entrevista para a televisão, Picard seria convidado pelo Cap. Data para ajudá-lo, em uma situação de emergência, a salvar uma nave que vai ser engolida pelo Nexus. Em uma manobra, Picard salva a Enterprise e a nave, mas fica preso no Nexus e só consegue sair dali 8.000 anos, de onde começa uma promissora carreira de guitarrista espacial. Seria mais ou menos assim:

    http://www.youtube.com/watch?v=dDwFgSAOBLA&feature=related

    Ops! filme errado.

    VIVA ST 2.O!

  10. Tomalak:

    critiquei a Paramount porque:

    1o) Existe um escritório central representante da paramount no brasil;
    2o) Em outros lançamentos de Star trek no passado a mesma coisa ocorreu, sendo que atores vieram para o brasil para promover o filme, para ficar enfornados em hoteis (Ex: Brent Spinner em First Contact);
    3o) Outros filmes da paramount no brasil (ex: transformers 2) estão tendo muito mais atenção do que Star Trek;
    4o) A paramount americana destina uma verba para promoção dos filmes em todos os países (inclusive os tupiniquins – apesar de eu achar esse termo ofensivo);
    5o) Não sei porque com Star trek é asim! Será que alguem da Paramount daqui não gosta de Star Trek?…

    essa era a minha crítica… Então essa estória de que a paramount não dá a mínima para o Brasil é furada! O problema me parece ser com Star trek.

    saudações.

  11. Flávio Fernandes | 22 de abril de 2009 at 4:00 pm |

    Prezados Colegas Trekkers:

    Esta é minha última participação nesta tribuna antes do lançamento do filme. Ficarei agora 100% na expectativa (Concentração) de assisti-lo. Não quero nem sequer ver mais notícias.
    Porém, sem maiores bla-bla-blas seguem alguns pontos finais prévios a serem ditos (em minha opinião, é claro):

    1) Não confio no filme. Acho que JJ. Abrahams não está nem aí com Gene Rodenberry e com a gente. Somente se procupa com a grana. Os roteiristas também não são tudo isto não;

    2) Não engulo a história: “Este não é o Jornada de seus Pais!” – Quer maior “bobeira” que um negócio destes??;

    3) Não engulo – também – que a missão de 5 anos, e ST de I até VII não existiram. Não aceito esta quebra de Canon;

    4) Não gosto dos artistas dizendo que não “copiaram” os atores originais. Porém, neste particular, não acredito é neles. Deve ser pura arrogância! Tenho certeza que copiaram tudinho;

    5) A priore acho a estória rídicula e uma baboseira, além do disperdício de fazerem um filme com os fatos que uniram a tripulação tão fora de foco. Eles poderiam fazer uma grande estória, citando sim a academia e etc… mas de uma forma que fosse um fantástico “pano de fundo” para a missão de 5 anos. Destruir Vulcano, Destruir Romulus, Spock e Kirk inimigos, Kirk “cantando” Uhura, quanta bobagem!!

    6) Finalmente, vou assistir o filme sim!! E mais de uma vez. Tenho somente uma grande esperança: Que tudo que falei acima eu me arrependa!

    Um grande Abraço e até após o filme.

  12. Marco:

    Pensando desse lado, tu tens razão. Mas acho que a estratégia é muito mais “corporativa” (o que lucra mais) que preconceito.

  13. Rodrigo Bruno | 22 de abril de 2009 at 4:11 pm |

    O ricardão ! e o melhor é que como essa é uma nova linha alternativa, O Zuretado First Contact não vai acontecer ! Picard bipolar não vai voltar com os Borgs Zuretas pra interfirir no 1º contato de Zefram Cochrane, sendo assim [email protected] nunca vai existir, Neelix, Tuvok, Katrina (todos os pers de [email protected]) e o melhor ninguém vai virar largatixa !!! kkkkkkkkk

    Nesse momentos a “seita do canon” perdido tá fazendo até macumba pro filme dar errado !!!rsrsrs

    Os Paranóicos Star Wars tão dizendo, que Jornada 2.0 não pode passar no espaço (Star wars), nem debaixo d’agua (os Gugans de Star Wars) e sim debaixo da terra – kkkkkkk

    Abs.

    Dupra Certa Neja Rodrigão & Ricardão em breve na esquina o 1º CD pirata a trei reau !

  14. A visão de Abrams do idealista faroeste espacial de Gene Roddenberry não é perfeita. Mas é confiante, esperta e acima de tudo espetacular o bastante para agradar tanto a fãs dedicados como a novatos.

    Nick Curtis fez uma crítica construtiva e não deixou-se levar pela empolgação do monento, no entanto ele se deixa levar pelo otimismo e pela infantilidade ao alegar que fãs dedicados irão aceitar normalmente a destruição de Vulcano.
    A “Ira dos Fãs” a meu ver será acendida ou se é que já não está acesa.

    Os novatos com certeza gostarão desta nova realidade, mas $j$j$ terá que fazer um esforço sobrehumano para agradar os trekkers de carteirinha no STXII devido a ausência de Vulcano.

    Aliás eram eles que sempre estavam nos observando desde o lançamento do Sputnik (satélite russo) (cena demonstrada em ENTERPRISE), isso é um duro golpe para o legado de Gene.

    🙁

  15. Alexandre Madruga | 22 de abril de 2009 at 5:20 pm |

    Profissionalmente, a Paramount comete o erro de não divulgar o filme em massa aqui no Brasil. Se querem dinheiro, renda, publicidade é tudo. Ou o ditado “A Propaganda é Alma do Negócio” não existe lá no EUZ também? Claro que sim. O que falta é profissionalismo no Brasil para cobrar da Paramount investimento aqui. Talvez esses “profissionais” daqui sequer tenham visto ou gostem de ST. E esses mesmos “profissionais” não analisam o mercado e percebem que boas divulgações, podem persuadir sim, a novas pessoas irem ao cinema. Dizer que o custo de vida, salário mínimo, etc. é motivo para não ter bilheteria… bobagem!!! Muitos outros filmes (Os da Globo Filmes então), tem boas bilheterias porque? Propaganda massiva da Globo na TV. Propaganda mexe com desejo, persuasão. Bem feita, vende. Então, o que falta é PROFISSIONALISMO. Chamem um Washington Olivetto ou um Nizan Guanaes para fazer uma divulgação, e vamos ver se não terá retorno. A Idéia de “Essa não é a jornada de seus pais” é bom, dependendo da aplicabilidade. Nesse ponto querem novos trekkers. Mas, apenas essa afirmação, sem mais nada, cai no descrédito, como do rapaz que fez um post acima.
    Enfim, nossos MARKETEIROS daqui precisam pensam em ST XI como um produto, e como tal, devem saber vendê-lo. Como não sabem, não gostam ou não conhecem ST, ficam parados vendo a banda passar.
    OBS.: Tudo isso independe se o filme é bom ou ruim. Se quebra o kanon ou não.
    Desculpem o tamanho do POST, mas era necessário fundamentar essa revolta com a Paramount do Brasil.
    Vida longa e próspera a todos.

  16. Concordo contigo Madruga.

    A boa propaganda é a alma do negócio.

    Tenho como exemplo a minha pessoa. Comecei assistir LOST pois a AXN começou a investir pesado em chamadas ao público, da mesma forma a Sky.
    Comecei assisitir Heroes pois antes de estreiar a Universal investiu pesado nos comerciais da mesma forma com The 4400.

    Se a Paramount Brasil não faz isso, e nem na sua rede de cinemas UIP, é por quê sua equipe não tem planejamento e visão, pois com certeza muita gente seria atraida as telonas ou posteriormente as locadoras se as chamadas fossem cativantes e constantes.

    Aqui no Brasil eles realmente vão ter o retorno $$ que pensam, pois quem não arrisca não petisca.

  17. Concordo também com o madruga e observador.

    Nenhuma crítica por melhor que seja, vai aumentar tão significativamente a quantidade de espectadores quanto uma boa propaganda. Quantos filmes ruins tiveram boas críticas e más bilheterias e vice versa?
    Sabemos que a Paramount americana está investindo pesado no filme no mundo inteiro… mas até agora no Brasil… quase nada.

    Assim se quiserem um blockbuster para o Brasil terão de tratá-lo como tal aqui, com propaganda pesada sim!
    E independente da quebra do Canon, estou ansioso por assistí-lo, com ou sem propaganda!

    Saudações.

  18. Eu assisti Velozes e Furiosos 4 (sem comentários, por favor!) aqui em BH no dia 10/04, e meu dinheiro foi bem gasto, já que assisti ao 2º trailer de ST na telona…
    Vários trailers passaram antes de ST (inclusive Wolverine), e o pessoal continuou comendo pipoca e falando sem parar, mas no de ST houve um silêncio cada vez maior, principalmente na hora em que o Kirk senta na cadeira da Enterprise.
    Ou seja, o filme tem potencial para buscar novos fãs sim, já que fez sucesso entre um público bem jovem.

  19. Neste feriado estive em Joinville SC, no Shopping Mueller Joinville, nada de Star Trek, em Curitiba não tem propaganda nenhuma em três dos grandes shoppings da cidade, o Estação o Mueller Curitiba e o Parque Shopping Barigui, falta ver nos outros 4 grandes shoppings, existe um no shopping Jardim das Américas, aquele mesmo que terá a exposição sobre Jornada no mês que vem.

  20. Post 18: Renzo

    Qual é a rede de cinemas ai em BH ?

    Pois aqui na baixada santista tá dificil, pipocar um trailler.

  21. OBSERVADOR, vi o trailer na rede Cinemark do Pátio Savassi.

  22. Renzo, bora armar da galera Trek Brasilis de BH marcar num cinema pra ver todo mundo junto?

  23. Vi no Patio também e o povo gostou muito, do tipo: Esse filme é bom e coisa e tal… era o publico do Watchman, um pouco mais adulto… mas dá pra ver que se tiver propaganda vai ser bacana!

  24. POST 15

    Se a patota da Paramount Brasil-sil-sil precisa “gostar” de ST para divulgá-la, então o nível lá está mais baixo do que eu pensava. Argumentos do tipo “brasileiro não gosta disso”, “Ficção Cientifica não vende”, etc, etc e tal não convence. O cara tá lá empregado para vender o produto, não para avaliá-lo caramba! Duvido que ST XI não tenha verba de divulgação…TODOS OS FILMES TEM UMA VERBA DE DIVULGAÇÃO, SÓ É PRECISO BOTAR A MÃO NA MASSA E GASTÁ-LA.

  25. Concordo que o filme é super apelativo e não tem comprometimento com nada além de dinheiro (percebam que eu disse absolutamente nada).

    Já houveram algumas critícas com itens negativos e estas sempre foram completas e analiticas. Estás critícas positivas são curtas e diretas em dizer só se recomendam ver ou não o filme. E são vindas de organizações claramente ligadas as indústrias cinematograficas, e nunca chamam um filme de ruim.

    Por último eu concordo com Flávio Fernandes. Já sabemos que o filme terá história furada, chata e mau escrita. Eu até perguntaria aos defensores do $J$J$ se eles preferem um filme cheio de efeitos ou um filme com boa história.

    Por isso eu ainda não sei se filme será interessante. E ainda em consideração a Paramount do Brasil, eu também a considero uma tremenda inconpetente. Mas também sei que filme no Brasil só se vende na semana da estréia, por isso pode até ser que ela tenha uma bom plano para ST, só falta chegar a tal semana.

  26. No MOVIECOM (blergh!) aqui da minha cidade nem cartazes de STAR TREK apareceram ainda.

    Mas ao menos já passaram o trailer final com a cópia do filme WATCHMEN.

    Vou ver o filme (se chegar aqui), curtir muito, comprar uma Edselprise da Playmates e até a Narada quando sair no fim do ano. E o DVD Duplo também, claro!

  27. Com todo respeito Padô, mas “história furada, chata e mau escrita”, nos já tivemos em ST.

    Tá lembrado daquele negócio horrível de procurar deus e encontrar um fantasminha brabinho? aquilo foi o Graal hein?!!!

    Tomara que funcione essa propaganda Blitzkrieg da Paramount/Brasil.

  28. Passou no Velozes e Furiosos 4 no BH Shopping tb, o segundo trailer, meu irmão q odiava ST mas gosta de LOST gostou do trailer…

  29. A crítica da Variety – ou, pelo menos, a parte reproduzida aqui, é a opinião mais coerente e sólida que já li sobre o filme. Tudo indica que, de fato, Abrams & Cia. conseguirão levar a franquia aonde nunca esteve: no topo das bilheterias, ao mesmo tempo em que agradará boa parcela de seus velhos fãs.

  30. HAHAHAHAHAHA!

    Só crítica boa!

    Deve ser uma “porcaria” de filme para ter essa unanimidade!!!

    VIVA ST 2.O!

  31. Tabela seguida, inclusive, pela Paramount Brasil:

    1- Filme mediano (ruim?) + Ótima bilheteria = SUCESSO.

    2 – Filme mediano (ruim?) + Bilheteria ruim = FRACASSO.

    3- Filme bacana (“cabeça”) + Ótima bilheteria = MILAGRE ?

    4- Filme bacana (“cabeça”) + Bilheteria ruim = CULT

    Star Trek + J.J. “SW” Abrams + Trekkers Xiitas = INCÓGNITA

    E agora, Jim Kirk? 🙁

  32. Desculpem se estou postando esse comentário no local errado, mas acho que é de interesse geral:

    – A edição de abril/2009 da revista Sci-Fi News, que chegou as bancas ontem (22/04), traz uma boa matéria sobre o filme Jornada nas Estrelas, incluíndo uma entrevista com J. J. Abrams. A matéria conta, também, com uma linha do tempo de Jornada, que começa em 2063 (Primeiro Contato) e vai até 2379 (Nêmesis).

    – A Revista traz, também uma entrevista com Zachary Quinto falando de Sylar e Spock. Além de uma página falando sobre o Box da Tos remasterizada. No Momento Sci-Fi, última página da revista, vem um poster colorido de The Cage.

    – Tem ainda uma promoção onde o vencedor ganha um box da Tos remasterizada e uma mochila com o delta federado.

    Acho que vale a pena conferir.

  33. Gente, eu vou assistir ao filme. Se não gostar, eu ignoro, muito simples. Já ignorei Voyager, Enterprise, etc.

    “Não engulo – também – que a missão de 5 anos, e ST de I até VII não existiram.”

    Ué, eu fui agora mesmo olhar na minha prateleira de DVDs e eles ainda existem sim, estão todos lá!

  34. Quem disse que o vleho canon esta perdido?!
    Os acontecimentos futuros poderão acorrer ainda so que sob uma nova perspectiva, com a agregação de elementos novos para alimentar o contéudo da franquia. Ex: O exílio de Kirk em vulcano (Star Trek IV) poderá ser em outro lugar habitados por vulcanos – o morte de spock em star trek II poderá ser mais dramatica para tripulação – Como será o enfretamento Borg no século XXIV com essa alternância temporal, já que eles estão à caminho do quadrante alfa?.
    Tudo isso apenas esta servindo para dar mais conteúdo ao já existente – imagine por exemplo uma regravação de Star Trek II nos dias de hoje, baseado nesta linha alternativa…

    PS – Aqui na região oeste de São Paulo não vi nada de Jornadas nas Estrelas – desconfio que o filme nem esta na programação das salas aqui existentes ou se estiver vai acontecer como aconteceu com Nemesis e seu antecessor passava uma sessão as 10:30 da manhã por apenas duas semanas.
    Fui…

  35. O trailer estava pasando com aas cópias de Watchmen, e agora está passando com as cópias de Monstros vs. Alienígenas e Velozes e furiosos 4, que estão no topo dos mais vistos aqui no brasil por duas semanas concutivas, ou seja, muita gente já tá sabendo do filme, e aqui no Rio em todos os Shoppings já tem poster e hoje eu vi um comercial passando na Record.

    Toda hora tb o meu celular recebe informações sobre o filme.

  36. E sim, quando passou o trailer na exibição de velozes e furiosos 4 não teve uma pessoa qua não mandou um “WOW” na sala de cinema, mas tb teve gente dizendo: “Star Wars não tinha sabre de luz?” e também um pessoal que conheica a série dizendo: “E alá, é Str trek, se lembra?”, e tb teve trekkers quemandaram um uhuuu, e outros que ficaram emocionados com o trailer, inclusive eu, quando reparei que todo mundo ali gostou do trailer.

  37. “SABRE DE LUZ”

    Como o Robin dizia.

    “Santa ignorância”

  38. Aqui na baixada santista, a rede Cinemark não está nem ai.

    Nada em Watchmem e nada em Monstros vs. Alienígenas, mas estou aguardando ver os anuncios na telinha.

    A Record parece que saiu na frente.

    Acredito eu que o negócio vai pegar fogo nas cópias de Wolverine.

  39. Alvaro Monteiro | 23 de abril de 2009 at 8:59 am |

    Estou cada vez mais confiante no filme.
    Acho que nunca houve tantas criticas favoraveis a um filme de Jornada nas Estrelas.
    A Franquia está em otimas mãos. Só gostaria de ver Many Cotto na equipe nas sequencias…

  40. César Michelin Jr. | 23 de abril de 2009 at 9:31 am |

    Concordo com o “post 34”!
    O canon não está totalmente perdido, apenas vai (ou pode) ser contado de maneira diferente. E pra falar a verdade, pode ser interessante ver Balance of terror, The city on the edge of forever, ou Space seed contadas de outra maneira.

  41. Concordo como antiderrapante Michelin (post 40):

    O pessoal do DS9 voltou ao passado de Kirk na época das tretas com os pingos e os klingoms na estação kaSete.

    Os heróis de DS9 participaram do episódio mas a história em si não foi alterada a ponto de estragar o tal do canon.

    O mesmo acontece com este novo filme.
    No fundo não há nenhuma alteração grave, de qualquer maneira o staff original da Enterprise acaba se reunindo.

    Esse destino, nem Nero pode alterar.

    Quanto às críticas… Bom, críticos estão sendo os trekkers mesmos, não conseguem simplesmente se divertir com mais esta festa de arromba que é o novo filme.

  42. Eu vou ver o filme de qualquer forma, mas nos últimos 10 anos, toda vez que fui assistir a um filme elogiado pela critica saí do cinema bem zangado.
    Tomara que desta vez seja diferente.

  43. Santa heresia Robin!!!

    Certas obras NUNCA, MAIS NUNCA, devem ser refilmadas.

    Os filmes de Jornada nas Estrelas e Guerra nas Estrelas, jamais!!!!!

  44. Concordo com o César mas de outra maneira. Não há interesse em recontar estórias. Neste reboot serão contadas estórias novas. Esse pensamento de que as estórias velhas não aconteceram é bobagem, pois, em verdade, não aconteceram mesmo. É TUDO FICÇÃO !!!!!!!!!!!!
    Portanto, vamos ver o que vem de novo sem esquecer as velhas mas entendendo que segue uma nova linha temporal ou universo paralelo ou seja-lá-o-que-for. contanto que seja divertido.

  45. Destruir Vulcan? Como assim? =O

Leave a comment

Your email address will not be published.


*