Gary Graham fala sobre o Vulcano Soval

O ator Gary Graham teve duas participações em Jornada, como o Ocampa Tanis num episódio de Voyager e como o embaixador Vulcano Soval na série Enterprise. Como Soval teve atuação destacada, sendo um dos personagens, fora do elenco principal, a aparecer em todas as quatro temporadas da série. Graham falou ao Star Trek Vulcanology sobre sua preparação como Vulcano e revelando que ele chegou a sugerir um parentesco com T´Pol.

Como você se preparou para fazer um Vulcano? Foi muita pesquisa envolvida? Você pediu a todos os outros atores que dessem dicas sobre os Vulcanos?

“Eu perguntei a Rick Berman como os vulcanos são. Eu tinha conseguido o papel, então eu tive uma idéia. Mas Rick me disse – eles não são seres sem emoção, pelo contrário, eles são muito apaixonados, eles perceberam que precisavam aprender a suprimir essas emoções na sua sociedade para sobreviver. Essa foi a minha chave para a compreensão dos vulcanos. Além disso, para a minha interpretação do embaixador, dei uma sugestão para o texto do Archer, no piloto, quando eu reagia emocionalmente às suas palavras: “Quando sua lógica não resolve, você levanta a sua voz? Está há muito tempo na Terra.”

Você ou os escritores chegaram a algum elemento de bastidor interessante para Soval que nunca vimos na tela?

“Eu vim com a idéia de que T’Pol era minha filha há muito perdida (apenas com base no fato de que Jolene é a cara da minha irmã mais nova quando ela era muito jovem, que todo mundo me dizia que parecia comigo). Eu pensei que fosse passar fácil quando eu sugeri, mas nunca foi adiante.”

Você teve um pouco de história com Jornada. É verdade que você foi um dos atores considerados finalistas para fazer tanto Sisko quanto Janeway? Se for verdade, como foi o processo de teste?

“Isso foi o que eu ouvi do meu agente e também de outra fonte da Paramount. Eu nunca ouvi a partir do Berman ou do Braga, por isso não posso dar-lhe plena veracidade. Você terá que perguntar a eles. E o teste por qualquer papel é sempre muito exaustivo. Acho que me lembro do teste inicial e dois retornos subseqüentes.”

Você também teve uma chamaa para o Ocampa Tanis no episódio Voyager “Cold Fire”. Trabalhar em Voyager difere de trabalhar em Enterprise?

“Embora eu gostasse mais dos membros do elenco de Voyager, o tom no set foi tenso. Não era como um cenário descontraído e alegre criativo que eu tinha utilizado para a Alien Nation. O set de Enterprise foi também um cenário muito relaxado. O pessoal se dava bem, o DP tocava música de rock, enquanto eles estavam mudando as luzes, o clima era leve e brincalhão e Scott Bakula foi extremamente acolhedor e fazia a experiência ser divertida e maravilhosa. Scott é muito trabalhador, mas também manteve o ambiente leve e divertido.”

Em 2007, você fez um combatente da liberdade chamado Ragnar no fanfilm independente Star Trek Of Gods and Men. Como você chegou a ficar envolvido no projeto e se você tem quaisquer planos para trabalhar em filmes de fãs no futuro?

“Fui abordado por um cara chamado Sky Conway, que me enviou um script e disse que tinha Walter (Koenig) e Nichelle (Nichols) e (Tim) Russ e J.G. e Ruck; Todos os atores que eu respeito. Eu gostei do roteiro … e tem mais … eles me pagaram o que eu pedi! As condições de trabalho eram abismais, mas quando a câmera rodou, foi encantador. Eu adorei fazer o filme quando estávamos trabalhando. Uma vez que diziam “corta”, voltava para o inferno. Legal.”

Fora de seu trabalho em Jornada, você teve uma carreira longa e variada como ator. Você também escreveu um livro sobre como se tornar um ator. Há algum destaques na carreira que você gostaria de discutir?

“Sim, leia o livro: Acting & Other Flying Lessons. Eu discuto sobre tudo”.

Quais os novos projetos ou futuros que os seus fãs devem prestar atenção?

“Agora eu estou trabalhando em ser uma estrela do rock! Hahaha … Estou brincando, mas a música absorve a maior parte do meu tempo. O Gary Graham Band estará aparecendo no Whiskey a Go Go em 29 de março. Além de que eu co-escrevo e gravo dez canções originais (disponível no iTunes e Amazon) chamadas  American Rebel Part One com meu parceiro Lisle Engle. Elas balançam!”

“Além disso, eu fiz um filme em Dakota do Sul no verão passado que deve sair na primavera ou no verão deste ano. É chamado Dust of War. Quando o diretor descreve como … “O Guerreiro das Estradas chutando o rabo de Terrence Malick.” Hehehe … não precisa falar muito realmente.”

12 Comments on "Gary Graham fala sobre o Vulcano Soval"

  1. GILSON P. DE FARIAS | 22 de março de 2012 at 11:24 am |

    Adorei a matéria!!!

  2. Aquela frase do Archer foi realmente contundente. Ótimo personagem, muito bem interpretado pelo Grahan. Pena que no final acabou morendo.

  3. Já repararam como os atores americanos são versáteis: escrevem, dirigem, atuam, cantam, dançam, etc…? Caiu na rede é peixe.

  4. Quando ele toca na sua banda e “elas balançam”, ele tá querendo dizer que “as mina pira” no seu som ?

  5. Me chamou a atenção de que o ambiente das filmagens de voyager era tenso enguanto o de enterprise era muito cordial

  6. VERDE. O Soval que morreu foi o do Universo Espelho, no universo de ENT ele apareceu até o penultimo episódio.

  7. Ralph
    O Soval não morre na explosão daquele prédio na Terra?

  8. Verde,

    Quem morre é o chefão da frota, o terráqueo…esqueci o nome dele.

  9. Quem morre em “The Forge” foi o almirante Forrest num atentado a bomba na embaixada da Terra em Vulcano. Soval escapa ileso.

  10. Gostei, muito sincero este cavalheiro! Muito bom ator também!

  11. Me confundi. Obrigado !!!!!!!!!!

  12. Pra mim só existe A Série Classica e a Nova Geração, o resto são franquias caça níqueis no embalo do sucesso da marca e atores querendo aparecer.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*