Bryan Fuller quer Jornada de volta a TV

bryan-fuller.jpgO veterano escritor das séries Deep Space Nine e Voyager, Bryan Fuller, durante a promoção da segunda temporada de sua nova série, Pushing Daises, falou para o site MTV sobre Jornada nas Estrelas. O candidato ao Emmy de 2008 fez uma avaliação do estado da franquia e disse que adoraria ver outra série na TV.

Bryan Fuller entrou para a franquia escrevendo alguns episódios na série Deep Space Nine, depois tornou-se parte integrante da equipe de criação da série Voyager, a partir da quinta temporada. Também foi escritor e co-produtor da série Heroes, em seu primeiro ano. Atualmente é o criador da comédia romântica Pushing Daises, recebendo três indicações ao Globo de Ouro.

Fuller se diz um fã da ficção científica e principalmente de Jornada. Ele comentou sobre as quatro séries anteriores a Voyager e sente que é hora de começar um novo projeto para a TV, “Eu adoraria fazer outra série de Jornada“, disse o escritor, “Uma vez que você poderia voltar para o espírito e a cor da série original, porque de alguma maneira, ela esfriou, ao longo dos anos. Eu adoro A Nova Geração, mas é um pouco mais fria e calma do que a dos anos 60, que foi tão dinâmica e apaixonada. Deep Space Nine foi a melhor das (séries) novas, porque ela era tão emocionalmente complicada. Enterprise foi a mais estéril de todas, quando deveria ter sido a mais divertida”.

Segundo a reportagem, Fuller apreciaria uma nova série que voltasse a explorar os tempos da Série Clássica, mas não com Kirk, Spock e a Enterprise. Em sua opinião, deveria ser uma série que quebrasse o modelo usado, tornando-se mais divertida. “Não precisaria ser a mesma nave, ou ter os mesmos personagens que a original”, explicou Fuller, “Você poderia estar na mesma linha de tempo e universo”.

Já sobre a nova versão de J. J. Abrams, Fuller acredita que ele está no caminho certo e ficou impressionado com o visual das fotos mostradas na internet, “Meu Deus, ele abusou do vestuário!” disse o escritor, “Mas acredito que, por enquanto, é melhor manter Kirk, Spock e McCoy no filme”.

No entanto, na opnião do escritor, a franquia precisa se renovar, “Jornada tem de recriar a si mesma. Caso contrário, todos os personagens começam a sentir o mesmo. Você sempre tem um capitão, um médico, um oficial de segurança, e você tem os mesmos argumentos com base em tais perspectivas. Aí começa a sentir-se muito familiar. Desse modo, (com novos personagens) todos os paradigmas que acontecem na nave têm de ser reestruturados”, finalizou.

Fonte: TrekToday e Trek Movie.

22 Comments on "Bryan Fuller quer Jornada de volta a TV"

  1. É uma idéia a dele, eu já tinha pensado em numa série dentro da Academia da Frota, feito histórias de West Point.
    No entanto ele fala de mudanças mas no fundo não mudaria muito, mas é bem melhor que uma séria ambientada bo século XXVI, onde os romulanos venceram uma guerra contra a federação e o que sobrou da frota serve apenas para defender um pequeno espaço que sobrou, isto é as novas fronteiras.

  2. Cara! Seria bom se a série voltasse a TV…

  3. Alguém levantou em um post norte-americano um tema interessante para uma série. Poderíamos acompanhar a vida de um jovem alferes, até sua ascensão como capitão. A série seria centrada nas relações interpessoais desse, e sob um ponto de vista do “Lower Decks” (quem sabe “Star Trek REDSHIRT” hehehehe). Acho que ficaria interessante, pois ele poderia ser transferido para vários lugares, por exemplo, quebrando a dinâmica “capitão, nave estelar, ameaça da semana”.

    Talvez eu seja otimista demais, mas tenho quase certeza que se der certo o novo filme, vem uma nova série por ai, principalmente por que J.J. é um produtor de televisão….

  4. Não sei se ele está a mando de alguém, mas:

    1. Ele diz que a TV precisa de outra Jornada – nos tempos da clássica. Ora se está sendo feito outro filme no tempo da clássica (rebotado), é razoável aceitar que uma nova série partirá da premissa desta linha. Nenhuma novidade aqui.

    2. Ele diz que não precisa ser necessariamente a mesma nave e a mesma tripulação. Por quê será que J.J. está inserindo o Robau? Seria uma abertura para daí derivar uma nova série, na mesma época, com tripulação nova? Eu acredito nisso desde que o filme se torne um sucesso.

    3. Finalmente “é melhor manter Kirk, Spock e McCoy no filme”. Ué! Quem disse que não era necessário? A série não é sobre a Enterprise? Como não falar da trinca? Será que o filme 2 ou 3 são sobre a nova série e nova tripulação?

  5. Esta idéia do Bryan Fuller é bem legal, porque se faria uma abordagem completamente diferente do que se fez até hoje, e isso daria um gaz novo.

    Agora, se o filme for bem, o céu é o limite, senão enterra com toda e qualquer pretenção de Jornada seja no cinema ou na tv. Eu só fico preocupado, que o futuro de uma franquia como Jornada fique na dependência de um único filme, mas fazer o que? são as regras do jogo, e só me resta torcer muito para que tudo de certo.

  6. Luiz Castanheira | 21 de setembro de 2008 at 1:53 pm |

    Se tiver Jornada de novo na TV, Fuller provavelmente é a bola da vez. Como eu eu gostei de tudo que ele criou depois que se livrou do Braga, eu acho que fica em boas mãos.

    Abraço
    Castanheira

  7. Ah… sei não. Discordo de vocês.

    Primeiro: não é hora para isso. Concentremo-nos no filme que está por vir.

    Segundo: o orçamento de séries de ficção científica nunca é o suficiente para SEMPRE gerar bons episódios.

    Deixemos a franquia no cinema! Lá, se tudo der certo, orçamento não faltará! Por tudo que disse J. J. Abrams sobre o novo filme, parece-me que a Paramount está injetando um bom dinheiro.

  8. A franquia no cinema já seria ótima, mas um novo seriado é mais dinâmico, apesar de sempre haver boas e más estórias.
    De qualquer forma, já temos episódios para um vida interiro, como já foi dito por alguém.

  9. Luiz Castanheira | 21 de setembro de 2008 at 2:25 pm |

    Jornada é basicamente um animal televisivo. Notícias sobre uma série nova de TV me fazem mais sentido. Mesmo universo do filme, mas com outro enfoque totalmente, é uma interessante opção.

    Castanha

    P.S.: O que orçamento tem a ver com qualidade de roteiro?

  10. Luiz
    Os antigos (década de 60) provaram que nao precisa de grandes orçmentos para que sejam filmadas grandes estórias, temos: ALÉM DA IMAGINAÇAO, THE OUTER LIMITS, o próprio ST e muitos outros exemplos. Infelizmente estamos na época do “fast food”, onde efeitos prevalecem sobre a estória, interpretaçao e até o senso de realidade.
    Respondendo sua pergunta entao: antigamente nao, mas hoje as pessoas teriam que ser reeducadas, os produtores também deveriam reaprender assim como, muitos diretores, portanto, hoje, se o show nao for pirotécnico nao vai ter sucesso, infelizmente…

  11. Sep 20 | Actress Diora Baird Confirmed as Orion Slave Girl in New Star Trek Movie
    Deu ontem, 20 de Setembro, no Trekweb: “(…) atriz Diora Baird confirmada como uma garota escrava de Orion* no novo filme de Jornada.”

    Aliás, quem é Diora Baird?

    * é verdinha mas não é dolar, mas se você tiver uma verdinha no bolso…”

  12. Acho que uma nova série não precisaria necessariamente ter vinte e tantos episódios e sete temporadas. O exemplo disso foram alguns episódios arrastados para fazerem número.

    Poderia-se fazer uma série com poucos episódios (12 a 18 talvez), mas com substância, de modo que a história ficasse bem dinâmica. Ou talvez dividir em duas partes com um intervalo maior entre elas, como está sendo feito com Galática.

  13. Concordo com o Ralph. Uma série pode ser ótima com poucos episódios por temporada. Olhem por exemplo as novelas da globo (fazendo uma comparaçao bem porca) não tem como serem boas pois são exibidas diariamente (tá, entre outros motivos que não vem ao caso). O excesso leva a repetição e enrolação. Taí nBSG que nao me deixa mentir: era bem melhor com poucos episódios.

  14. Post 3:

    É uma ótima premissa.

    O que me preocupa é que no momento que cair a audiência, os caras comecem a colocar Borgs, Ferenguis, holodecks, camuflagem e oum monte de outras coisas….
    Já vimos esse filme, ou melhor, essa série!!!

  15. Flávio Fernandes | 22 de setembro de 2008 at 9:46 am |

    Será que alguém vai ter a coragem de criar o Design antigo da Enterprise??

    Isto seria retrô demais ou um ato de coragem??

  16. Seria uma boa Star Trek voltar para a telinha.

    Mas rumar para onde? Qual seria o melhor caminho a ser fixado na tv? O futuro, passado…

    A onipresença da série na tv talvez tenha “cansado” o valor da marca na mídia:
    -Ah, mais uma nave indo para o espaço…”

    A qualidade tinha caido e já não estava mais deixando aquele gostinho de “quero mais”.

    Essa de voltar a tv terá de ser fruto de muita estratégia, baseado nas experiências ainda bem recentes.

  17. Pushing Daises é muito ruim, espero que esse Bryan Fuller fique longe de Jornada

  18. Luís Henrique Campos Braune | 22 de setembro de 2008 at 11:55 am |

    Tantas opções…

  19. Alguém sabe em quais episódios marcantes Fuller esteve envolvido?

  20. Existem tantas possibilidades… Eles poderiam pegar a Série Animada, utilizar os roteiros e as vozes gravadas pelos nossos queridos atores e recriar tudo em computação gráfica. Que tal?

  21. Não gostei de Pushing daises, mesmo ganhando prêmio, mas isto não significa que o cara não possa escrever coisa boa.
    Agora, refilmar a série animada, por favor: NÃO ME TORTUREM!!!!!!!!!!!!!!!

  22. Luiz Castanheira | 22 de setembro de 2008 at 3:04 pm |

    É só dar uma olhada em:

    http://www.imdb.com/name/nm0298188/

    Rapidamente ele desenvolveu um estilo característico de trabalhar. Hoje inconfundível na indústria. Gosto um bocado.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*