Billingsley culpa estúdio pelo fim de Enterprise

Temos assistido ao longo de seis anos, desde que a série Enterprise foi cancelada, o ator John Billingsley emitindo algumas opiniões francas sobre o fim da série e o modo como a Paramount trata a franquia de Jornada. Em uma nova entrevista ao Indystar.com, Dr. Phlox não faz rodeios. Veja abaixo os trechos mais importantes.

O que torna Jornada tão popular?

“Para mim, o seu sucesso veio originalmente da idéia de que estava postulando a esperança e o futuro para a humanidade, e (Gene) Roddenberry tinha certamente em mente que Jornada foi projetada para dizer em primeiro lugar, “Sim, nós podemos”. Havrá um momento em que diferentes culturas e raças poderão fazer as pazes e poderemos encontrar um caminho através de nossos problemas, prosperar e crescer. … Quando a série estreou na década de 60, estávamos passando por um período tulmultuado de nossa história e não diferente do período que estamos passando agora. Havia uma quantidade enorme de divisões em nosso país … tumultos raciais, divisões sobre a Guerra do Vietnã, havíamos perdido um presidente, nós estávamos em uma enorme turbulência social. E eu acho que Jornada sugeriu que era possível obter esperança e futuro no meio daquilo.”

“Acho que pelo mesmo ponto que fez sucesso … também foi o ponto onde Jornada se perdeu um pouco, porque eu acho que o desafio foi começar a fazer as perguntas, “Mas como?”, “Como você deixa todos os problemas para traz?” Isso é o que me foi dito que Enterprise seria, que era um flashback, uma série que antecederia a série original e tentaria sugerir que foi aqui onde começou, este processo exploratório.”

“Eu teria gostado de ter visto isso, ir um pouco mais longe e fazer algumas das perguntas que sempre imploravam a Roddenberry desde o início: “Bem como as diferentes raças e credos e culturas e pessoas com opiniões políticas conseguem encontrar uma forma de enterrar o passado? “… Embora eu admire a presunção de Jornada, e o otimismo dela, eu não compartilho necessariamente essa opinião. Sou muito mais sarcástico sobre a humanidade.”

Para mim, Jornada – e percebo que estou agora mais confrontando Jornada do que antes, porque eu acho que há muita coisa sobre isso que é louvável – exceto as armadilhas de Jornada .. foi que tornou-se um pouco auto-congratulada. Éramos sempre a mais inteligente das espécies, sempre tivemos a resposta, estávamos sempre lá fora, ensinando no universo como levar uma vida melhor. Mas muitas vezes Jornada transformou-se em algo um pouco mais hipócrita e um pouco mais piedoso do que deveria ter sido.”

Eu apoio e celebro a longa história de Jornada, e penso que certamente tem um lugar maravilhoso em nossa cultura, mas eu provavelmente não sou tão apoiador como alguns.”

Depois de seis séries (incluindo o desenho animado) e 11 filmes, era hora de dar um descanso a franquia?

“Os filmes vão se dar bem. Eu certamente acho que era hora de dar a franquia de TV um descanso, e talvez apenas colocar um fim a isso. A realidade é que você não pode escrever um romance com uma comissão. Qualquer grande obra de arte é o produto da visão de um homem. (A série inicial) foi de Roddenberry. …”

“Mas o que aconteceu com Voyager e nossa série Enterprise, e eu não quero dizer isso de forma alguma como uma crítica aos nossos produtores executivos, … mas a Paramount estava dizendo mais, mais, mais, mais, mais, porque eles viam isto como um produto comercial. Nada (na televisão) funciona se não for trazido à existência pelo departamento de marketing. A Paramount fez um tipo de sabotagem a si mesma. Eu acho que eles ficaram gananciosos, e é isso que os estúdios fazem, infelizmente, porque eles são executados em grande parte por contabilistas de meia-tijela.”

“Te digo um coisa, e soa áspero aos meus ouvidos:  – Todo mundo está no negócio para ganhar um dinheirinho – Mas a idéia é que você tem que ter um produto que tenha alguma viabilidade artística, que não seja apenas o dinheiro, às vezes ilude as pessoas que estão olhando para a performance financeira.”

“É um milagre que tivemos quatro temporadas. Qualquer outro programa de TV teria sido cancelado depois de uma temporada. Nossas avaliações foram abismais. Abrimos bem, tivemos uma grande audiência para o primeiro episódio, e as pessoas assistiram e disseram: “Isso não é novidade. É a mesmo Jornada eu tenho assistido por anos e anos. É uma recauchutagem. E eles fugiram.”

Conte-nos sobre as convenções de hoje.

“Naquela época, eu acho, eles estavam consideravelmente mais envolvidos. Mas agora com a economia, e alguns filmes Star Trek … Eu não quero dizer que o apelo diminuiu … Eu acho que os filmes, provavelmente, vão percorrer um longo caminho para trazer um novo público de volta. Depois de 15 anos de programa de TV e todas as várias encarnações eu acho que a base de fãs perdeu um pouco de sua paixão, por isso não é como antes. Naquela época, havia uma convenção em qualquer fim de semana, em algum lugar. Eu realmente não preciso do dinheiro e eu realmente não quero necessariamente estar muito nessa estrada.”

Fonte: TrekWeb.

22 Comments on "Billingsley culpa estúdio pelo fim de Enterprise"

  1. Concordo com ele… a coisa se tornou comercial de mais!!!

  2. O cara é um putza ator…E, na minha opinião, o que fizeram com ENT foi uma sacanagem sem igual. Mas é inútil discutir isso agora. Acho que ST, como conhecemos, não existe mais.

  3. Nunca vi Dr. Who, mas me parece surpreendente como essa série tem o poder de se reinventar na tv há décadas. Nesse sentido, acho que a tv americana tem algo a aprender com a tv inglesa. ST foi, ao longo dos anos, devorando a si mesma, incapaz de seguir adiante com novas ideias. Talvez tenha a ver com isto: o setor de marketing desempenhando o papel de “tubarão”, quando deveria ser apenas uma “rêmora”… Os “contabilistas de meia-tigela”, morrendo de medo de arriscar o dinheiro da empresa, dizendo o que pode e o que não pode… Que situação.

    Não por acaso, os atores de Voyager e de Enterprise costumam ser os mais insatisfeitos e frustrados nas entrevistas, e às vezes fica até chato – mas dessa entrevista aí eu gostei.

  4. GILSON P. DE FARIAS | 10 de dezembro de 2011 at 4:05 pm |

    Adorei!!! concordo com tudo que ele falou!!!

  5. O único prolema é que quem deveria ler esse tipo de reportagem são justamente os produtores e executivos de estúdios. Parece até que são imunes à inteligência.

  6. Concordo com o ator John Billingsley, a série Star Trek se perdeu em algum momento. Os executivos da Paramount viram que poderiam ganhar dinheiro com isso, mas ignoraram os ideais que Star Trek pregavam e esse foi o tiro no pé que eles deram.
    Com essa nova canon tentando ganhar novos fãs, ao qual já vejo fracassado desde do 1º momento pois ignora os principios do Gene Rodeberry, é uma nova tentativa de tornar a franquia lucrativa, mas sinceramente eu não vejo muito futuro além do 2º filme.

  7. Na minha opinião Star Trek passou por momentos de pura arrecadação de Grana deixando assim a qualidade totalmente para o segundo plano, e isso muito tempo antes dessas “novas” series.

    Um exemplo disso é o filme Insurrection, falando serio alguém gostou daquilo? Alias quantos episódios da NG tinham estórias muito melhores que esse filme? na minha visão foi algo totalmente desprezível e que não somou em nada a Star Trek… o importante era o dinheiro.

  8. excelente atro e personagem… honrando a linhagem dos grandes doutores de star trek….!!!

  9. Gosto do ator e do personagem, mas ele me parece muito mais recauchutado do que a série, colocando a culpa do cancelamento de ENT mais na franquia em si do que na baixa qualidade do programa.

    O problema de ENT foi que as duas primeiras temporadas foram uma sucessão de reciclagem de episódios de TNG e VOY, enquanto a terceira temporada tentou imitar DS9.

    Mas aquilo que esperávamos de ENT, nós vimos na 4ª temporada, se aquela tivesse sido a primeira temporada e não a ultima, certamente a série teria sido bem mais longa.

  10. Concordo 100% com o sr. Madruga. O cara está muito “magoado” e sua opinião fica parcial.
    Claro que os caras da Paramount eram (e continuam) loucos por dinheiro, mas a quarta temporada foi a melhor de ST.
    Quanto a pergunta de como resolvemos nossos problemas é difícil responder. Na verdade ninguém sabe a resposta, nem Roddenberry sabia.

  11. Marcelo Ferreira | 10 de dezembro de 2011 at 10:54 pm |

    As series, inclusive ST só existem ‘ou existiram’ em razão do investimento destes executivos, é obvio que a principal motivação deles é financeira, existem alguns fãs neste contexto, mas certamente a paixão fica em segundo plano, ou será que o cara vai deixar de torrar alguns milhões em Las Vegas pra financiar mais um episódio.

    Phlox é um de meus personagens preferidos, Billingsley como sempre foi lúcido em mais esta entrevista, mas acho que a decisão de encerrar Enterprise na 4ª temporada, tinha mais relação com a saturação da franquia naquele periodo, do que propriamente com falta de audiência ou qualidade dos episódios.

    Quando Enterprise foi ao ar, vi poucos episódios, Consegui ver na íntegra somente em 2010, como em Voyager, o Session Finale, deu a impressão de improvisso, parece que foi definido de um dia pro outro… “O produtor mor deve ter perdido alguns milhões nas noites anteriores em Las Vegas”…

  12. Enterprise já começou errada no NOME… acho que isso diz tudo o que penso sobre a série…

  13. Não pude acompanhar todas as séries de Jornada em tempo real, mas revendo em DVD hoje por exemplo Enterprise, o que tem de errado com a 1 temporada? Achei fantástico os primeiros passos da frota estelar, o jeiro ingênuo do Archer com o universo, a nave se adaptando aos inimigos, os personagens são incriveis, adoro a T´Pol e por incrível que pareça a questão da tecnologia não atrapalhou em comparação com a série clássica.

    Eu acompanhei a 3 temporada inteira no AXN e não me arrependo de nada, a guerra contra os Xindi foi muito legal. Quem derá ter hoje na tv, algo igual pra mim ver agora neste domingo a noite.

    Sobre a quantidade de temporadas, pra mim, hoje avaliando, 4 temporadas é o ideal de uma série, BSG está ai como prova e Enterprise acabou ficando enxuta.

    Hoje em dia por exemplo Fringe pena, sofre pra estar na 4 temporada e 3 séries de Jornada tiveram todas 7 temporadas. Enterprise não ter chegado lá não é motivo para a frustração do caro dr.

  14. Billingsley -> ótimo ator e personagem. Muito lúcido em suas falas. Concordo com quase tudo…

  15. Em tempo: para explicar melhor minha “ojeriza” ao nome da série, vejam aqui:

    http://www.trekbrasilis.org/classico/ent/coluna/coluna2.htm

    Eu sempre achei a escolha do nome “Enterprise” uma espécie de “golpe sujo de marketing”… por que então não ser simplesmente… “Star Trek: Pioneer”, por exemplo?

  16. Estou vendo Enterprise pela primeira vez só agora. O dr. Plhox é um dos meus personagens preferidos e o episódio Dear Doctor foi excelente!

  17. VR5 -> concordo.

    Alex Ricardo -> Plohox tem uma visão aguçada “da alma” da tripulação. Ele sabe cutucar as pessoas….

  18. Eu imagino que motivos ele tem, desde o cancelamento de TOS que há esse tipo de reclamação, mas que explicação justifica que TNG, DS9 e VOY tenha tido 7 temporadas??? A ganancia dos estudios é lendária, mas bom roteiros nem sempre é regra!

    Se for só nessa de faturar e baixo-orçamento com lucratividade alta, então o futuro é que vão se multiplicar essas “Series de Zumbis” igual á novela com capitulos…

    Porque?: Os figurantes são de graça, O guarda-roupa acha no lixo, O enredo é sempre o mesmo!: – Um virus ou uma doença que infectou a humanidade e todo mundo foi pro vinagre…

    Eu continuo a dizer que não existe franquia com mais riqueza que o universo de ST, nada bate a diversidade de conteúdo, mas não é material que se vende no “verão” ou coisa pra modismo, é algo com alma e pra gente “smart”.

    O auge atual de bilheteria é Vampiro romântico, que salva mocinha de lobisomens, (isso eu nunca vou entender…) onde já se viu vampiro ter amor??? Vampiro é coisaruim!!! “Principe das Trevas!”

    Ou como eu disse zumbis a perder de vista, isso dá dinheiro e audiência, mas afinal o mundo não vai acabar ano que vem?…

    Eu tenho saudades do “Mojica” “Zé do Caixão!, ele sim sabia mostrar que terror é uma “melda” e é pra por medo!!! rsrsrs

    Hahaha… Saude e vida longa amigos!

  19. É isso aí: no meu tempo, vampiro usava gola alta, capa preta e gostava de chupar o sangue da mulherada e de quem passasse pela frente. Era do mal e ponto.

    Agora, fica essa mariquisse que tá por aí…

  20. *** Concordo Plenamente, acho também que seria muito bom se os roteiristas dos longas paracem de abordar coisas totalmente impossíveis, Ex. uma nave Emergir de um buraco negro “ridiculo”.
    O cara que desenhou aquela nave romulana de ST XI também deveria receber o prémio “SEM NOÇÂO”, a nave mais parecia um porco espinho.

  21. Boa noite a todos os fãs.
    Creio que o Bingsley deva ter razão em comentários que fez pois viveu de perto junto com os produtores as situações relatadas, mas eu como fã admiro muito todas as franquias e temporadas já escritas, filmadas, e os todos os filmes já produzidos, incluindo os novos do jjabrahams.
    Assisti praticamente tudo que existe, e lhes digo que em matéria de ficção há poucos que possuem o espírito e a alma artística quanto Star trek, considerando todas as franquias. Até hoje não consegui perceber em nenhum episódio ou longa, atores que não encarnassem os personagens, alguns mais outros menos, mas me parece, que invariavelmente, há realmente interpretações que parecem reais mesmo, e sempre invariavelmente me emociono somente ao presenciar diante de mim algo que gostaria que fosse o mundo real.
    Apenas para refletir, quem não gostaria que fossem criadas novas franquias do mesmo nível das que existem, e que perpetuassem para as novas gerações as mesmas emoções que os fãs vivem.
    Eu sempre vivo intensamente as emoções dos episódios, creio talvez ser um fã mesmo, e peço desculpas, mas se há uma notícia que sempre me deixa feliz e ansioso é saber que alguma coisa de star trek será feita, pois é uma oportunidade de novamente viver momentos de prazer e real felicidade na minha vida.
    quando revejo os filmes e séries me sinto na NEXUS e sinceramente não quero voltar à realidade…
    Abr a tds.

  22. Não pude assistir a todas as temporadas de enterprise, so as duas primeiras e em DVD. Eu particularmente achei muito boas.
    O grande problema é consciliar anos e anos de produção com uma boa historia. Muitas vezes a coisa fica repetitiva. Eu acho que ate mesmos a TNG E DS9, poderiam ir mais longe ainda, desde que houvesse uam renovação de elenco por exemplo, e pq não? o tempo passa para a serie e para os atores. Eles viveriam situaçoes diveras e novas tripulações, novas equipes dentro de uma mesma nave ou estação. E com situaçoes politicas e sociais diferentes, afinal é o que acontece no mundo real. Infelizmente hoje não se mede o sucesso pelo talento ou pela qualidade do programa e sim pela audiencia maxima para ter retorno economico. Assim, determinado personagem ou seriado permanece anos a mais para dar aquela espichadinha e lucrar um pouco mais com a aceitação do publico. Vejam o seriado Supernatural, eu gosto de assistir, mas convenhamos, ate o quinto ano a historia foi muito boa, no sexto anos, se salvou por alguns episodios excelentes e o esforço dos atores e equipe, mas a historia geral decaiu, nem falar nessa 7 temporada. Acho que algum momento jornada vai se renovar e tomar novo folego. Pelo menos torço muito por isso.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*