VOY 1×03: Time and Again

História de viagem no tempo dribla enrolação e se firma como uma das melhores da temporada

Sinopse

Data estelar: desconhecida

Durante a exploração de um planeta que recentemente sofreu uma catástrofe global responsável por eliminar toda a sua população, Janeway e Paris são separados do seu grupo avançado e de algum modo se encontram no mesmo local, mas algumas horas antes do cataclismo que consumiu toda a civilização local.

Suas tentativas de retornar a seu próprio tempo os levam ao centro de um protesto da população do planeta contra uma usina de energia polárica, que pode ter sido a causa da destruição.

No início, a capitão proíbe Paris de alertar o povo da catástrofe que estava por vir, alegando que a Primeira Diretriz deveria ser cumprida. Mas então ela descobre que sua própria presença pode ter causado o desastre e decide deixar de lado a principal norma da Frota Estelar, com o objetivo de evitar a tragédia.

Ela acaba descobrindo que o evento foi causado por uma tentativa de resgate feita pela tripulação da Voyager. Conseguindo evitar o resgate, ela salva o planeta e elimina da existência todos os eventos que ocorreram após a chegada da Voyager àquele mundo.

Comentários

“Time and Again” consegue driblar um dos problemas crônicos de Voyager ao longo de suas sete temporadas – o excesso de termos técnicos sem sentido para explicar a história – e resiste como um dos melhores episódios do primeiro ano.

Não que ele não possua um certo excesso de tecnobaboseira comum à maioria dos segmentos da série, mas o segredo aqui é que a “forçada de barra” fica ofuscada pelo brilhantismo do enredo, bem costurado e ao mesmo tempo socialmente relevante.

Além de conter uma trama interessante, com um final surpreendente, o episódio toca em uma questão contemporânea também atual. É óbvia a analogia das usinas de energia polárica do planeta alienígena com as atuais instalações nucleares da Terra. Até um grupo de revoltados membros de um “Greenpeace” extraterrestre marca sua presença.

Essa história mostra a ênfase imposta pelos produtores no início da série em tratar de questões contemporâneas. No piloto, “Caretaker”, aborda-se o desastre ambiental e a falta de água. Em “Time and Again”, a inspiração é a produção de energia em detrimento da segurança. Fica evidente o desejo dos criadores da série de seguir os passos de suas predecessoras na franquia como promotora de reflexões e críticas sociais inspiradas por temas contemporâneos, ainda que com um sabor que dê mais ênfase a ação e aventura.

Outro recurso utilizado no episódio que tem resultados interessantes é o famoso botão “reset”: ao final, descobrimos que tudo se trata de uma linha temporal alternativa que foi excluída da existência. Nada do que vimos realmente aconteceu, e a única pessoa que parece ter alguma percepção, ainda que em nível subconsciente, da bifurcação no tempo é Kes.

Essa estratégia já apareceu em grandes episódios anteriores a este, notadamente em “Yesterday’s Enterprise”, da terceira temporada de A Nova Geração, e voltaria a ser aplicada a futuras empreitadas de sucesso, como “Year of Hell”, um episódio duplo do quarto ano de Voyager. É um recurso válido, mas precisa ser usado com moderação – muitos resets podem acabar tornando fúteis as histórias. Fica fácil escrever qualquer coisa se no fim tudo o que se precisa para resolver o enredo é fazer com que nada tivesse acontecido. Em alguns momentos, a série abusou desse recurso. Mas não foi o caso aqui.

Tom Paris tem neste episódio a chance de desfilar um pouco de seu carisma, como um bom contraponto para a capitão Janeway, que mostra total seriedade durante a crise. E Kes começa a se mostrar como a Deanna Troi de Voyager – a personagem sensitiva que dá dicas de como prosseguir quando ninguém mais tem ideia do que está acontecendo. Aqui vai bem, mas não há dúvida de que trata de um caminho perigoso para desenvolver em uma personagem, pois seus poderes extrassensoriais podem ser convenientemente “calibrados” de acordo com as necessidades de cada roteiro.

Avaliação

Citações

“Seems I’ve found myself on the voyage of the damned.”
(Parece que eu acabei caindo na viagem dos condenados.)
Doutor

Trivia

  • Este episódio teve filmagens em locação, na Tillman Water Reclamation Plant, uma estação de tratamento de água em Los Angeles que já foi usada diversas vezes em Star Trek, notadamente como cenário para a Academia da Frota Estelar.
  • O diretor Les Landau, contudo, não teve vida fácil. Choveu durante boa parte do tempo alocado para as filmagens fora do estúdio e os resultados desapontaram os produtores.
  • A trama nasceu inspirada no controverso bombardeio de Dresden, na Segunda Guerra Mundial, um dos ataques mais furiosos dos Aliados contra um alvo civil na Alemanha Nazista, realizado em fevereiro de 1945. “A premissa original era: e se você estivesse em Dresden 24 horas antes do bombardeio e soubesse que estava vindo? O que você faria?”, explicou a cocriadora Jeri Taylor.
  • ‘Time and Again’ teve uma premissa fascinante”, disse Taylor, “e também deu a Paris e Janeway sequências que permitiram que os personagens dessem mais um passo em seu relacionamento. Também foi possível apresentar ao público alguns dos poderes mentais emergentes de Kes. Ela ainda não sabe de quanto seu maravilhoso cérebro é capaz. Porém, é claro que, ao final da história, como nada do que vimos realmente aconteceu, ela ainda não foi capaz de perceber nada disso, mas logo, logo ela terá momentos bem interessantes e estará plenamente consciente disso.”
  • Segundo Michael Piller, cocriador da série, a ideia de impor o dilema a Janeway era intencional, a fim de estabelecer rapidamente a personagem na série. “Fizemos de propósito. Foi outro experimento de Deep Space Nine em que acho que aprendemos. Era muito importante para nós estabelecer a posição ancorada desta capitão, e não fizemos isso tão bem [para Sisko] na primeira temporada de Deep Space Nine.”

Ficha Técnica

História de David Kemper
Roteiro de David Kemper e Michael Piller
Dirigido por Les Landau

Exibido em 30 de janeiro de 1995

Título em português: “Mais uma Vez”

Elenco

Kate Mulgrew como Kathryn Janeway
Robert Beltran como Chakotay
Roxann Biggs-Dawson como B’Elanna Torres
Robert Duncan McNeill como Tom Paris
Jennifer Lien como Kes
Ethan Phillips como Neelix
Robert Picardo como Doutor
Tim Russ como Tuvok
Garret Wang como Harry Kim

Elenco convidado

Brady Bluhm como Latika
Ryan McDonald como atendente da loja
Joel Polis como Terla
Jerry Spicer como um guarda
Nicholas Surovy como Makull
Steve Vaught como um oficial

Enquete

Edição de Stéphanie Cristina
Revisão de Roberta Manaa

Episódio anterior | Próximo episódio