DS9 1×02: Past Prologue

Conflito para testar lealdades de Kira discute violência versus diplomacia

Sinopse

Data estelar: Desconhecida

O espaço bajoriano é invadido por uma nave cardassiana que persegue Tahna Los, membro de um grupo terrorista conhecido por seus atos de violência contra Cardássia, durante e após a ocupação.

O foragido pede asilo político a Sisko. Kira resolve interceder junto ao governo provisório para garantir a segurança do terrorista, após ele ter revelado suas intenções de abandonar os métodos violentos.

No entanto, mais tarde, a major descobre que Tahna Los pretende construir uma bomba poderosíssima, com propósito desconhecido. Kira encontra-se, então, dividida entre suas lealdades para com a “velha Bajor da época da resistência frente à ocupação cardassiana” e para com a “nova Bajor do volátil governo provisório e seu pedido de cooperação junto à Federação”.

Por fim, ela decide apoiar Sisko e evitar a ação terrorista de Tahna, que pretendia explodir a Fenda Espacial.

Tahna é levado de volta a bordo da estação e encarcerado por Odo. Embora Kira tenha perdido a amizade de Tahna e sido rotulada de traidora por ele, a major começa uma nova amizade com o comandante Sisko.

Comentários

Engraçado como o primeiro veículo destinado ao desenvolvimento de Kira seja mais lembrado pela sua introdução do personagem Garak. Um episódio no estilo “lealdades divididas” é, sim, uma encomenda óbvia para uma ex-terrorista e uma mera constatação de mudança por contraste com outro “ex” seria o desenvolvimento suficiente nessa altura do jogo. Mas é óbvio que a curiosidade sobre aquele tal “alfaiate” cardassiano, nada ordinário e nada simples, parece ofuscar o restante dos trabalhos.

Garak nasce já incrivelmente pronto da pena do falecido Peter Allan Fields, um fã assumido do gênero espionagem. Somente o seu jogo de sedução mirando os afetos de Bashir já seria digno de nota, mas é impossível não perceber o latente potencial em juntar o personagem mais inocente do grupo (algo vendido de maneira ainda bem atabalhoada aqui) com o seu (como então já apostávamos) mais cinzento. O flerte (brincando com o absurdo estereótipo do “costureiro gay”, aqui escondido em plena vista) foi apenas a ponta (e emblema) de todo esse iceberg relacional potencial.

Por que Garak teria ficado para trás na estação? Ele foi exilado? Ele estava em alguma missão (de espionagem)? Quem o exilou e por quê? Se estava ainda em missão, que missão era essa e quem era o seu chefe? Essas e outras questões brotam sem licença da caracterização e da atuação absolutamente primorosas. O episódio oferece algumas respostas suficientes apenas para a sua resolução, sem explicar demais. Garak é muito bem-informado sobre quem entra e quem sai da estação, ele é um astuto observador dessas pessoas e das suas interações, está claramente acostumado a trocar informações via canais alternativos (para dizer o mínimo), entende de certos “itens de interesse” como dispositivos táticos e possui ainda contatos em Cardássia (cuja real natureza permanece no ar).

Kira acredita na independência democrática de Bajor e pensa na presença federada como uma necessidade temporária, especialmente considerando o boom de interesse no setor, provocado pela descoberta do wormhole. Kira já mudou e age como uma hábil política sem se dar conta do fato. Basta apenas ficar em paz com isso. Seu erro foi acreditar muito fácil e muito rápido em Tahna (que poucos tons de cinza demonstrou, aliás). Sua tese de acolher todos os ex-terroristas era sólida e foi aceita por Sisko até certo ponto (afinal, ela também o foi). Mas, para ela, a guerra já havia terminado e ela tinha clareza de propósito no presente bajoriano, enquanto para Tahna a guerra simplesmente não havia terminado e talvez só terminasse (se tanto) com a instalação de outra ditadura (agora de nacionais) em sua terra natal. Kira entende/aceita toda a situação progressivamente (o ritmo de todo o episódio é muito bom), com o clímax ocorrendo numa ótima cena com um não menos ótimo Odo… “O importante é nunca trair a si mesma”. De fato, comissário. De fato.

Castanhadas:

(*) A atitude de Sisko, sobre a quebra da cadeia de comando por parte de Kira ao se comunicar diretamente com a almirante, é perfeita, 100% Sisko e definitiva quanto a qualquer questão futura correlata.

(*) A falta de menção ao emissário e aos profetas é um pouco estranha devido às circunstâncias do episódio.

(*) A noção de Tahna de “Bajor para os bajorianos” seria explorada na série na trilogia do Círculo, que abre a sua segunda temporada.

BÔNUS (DS9 Reboot Anime): O episódio introdutório de Kira se chama (obviamente) “Kira” e envolve flashbacks com a trama do presente sendo baseada em uma audiência de extradição de Tahna (ele é, ao final, enviado para a morte certa em Cardássia). Nos flashbacks, conhecemos: a primeira vez que Kira usou um feiser, sobre as missões do seu grupo terrorista Shakaar, sobre a libertação de Galitep, sobre a queda do regime de ocupação e as suas dificuldades em aceitar o cargo de primeira oficial da DS9. Em uma cena pós-créditos no futuro em Cardássia (em torno da época do episódio “Tacking Into The Wind” da série original de DS9), Kira conta a uma adolescente cardassiana como ela se tornou uma combatente pela liberdade.

(Em tempo: A cena pós créditos do novo episódio “Emissary” mostra Joseph Sisko encontrando, logo a seguir em sua casa na Terra, uma foto de Sarah como se fosse a primeira vez que a visse. O episódio “Father” não tem uma cena desse tipo.)

Avaliação

Citações

“I want Bajor for the Bajorans!”
(Eu quero Bajor para os bajorianos!)
Tahna Los

“We’re talking about terrorists and you want me to buy a new suit?”
(Estamos falando de terroristas e você quer que eu compre um terno novo?)
Bashir

Trivia

  • Este é o primeiro episódio que mostra a dupla Garak e Bashir em ação.
  • Há participações de Gwynyth Walsh como B’Etor e Barbara March como Lursa (as infames irmãs de Duras).
  • Susan Bay, que vive a almirante Rolman neste episódio, é esposa de Leonard Nimoy.
  • Este é o primeiro episódio em que a frase “gold pressed latinum” (traduzida em português como “ouro para-látinum”) é usada.

Ficha Técnica

Escrito por Kathryn Powers
Dirigido por Winrich Kolbe

Exibido em 11 de janeiro de 1993

Título em português: “Prólogo do Passado”

Elenco

Avery Brooks como Benjamin Lafayette Sisko
René Auberjonois como Odo
Nana Visitor como Kira Nerys
Colm Meaney como Miles Edward O’Brien
Siddig El Fadil como Julian Subatoi Bashir
Armin Shimerman como Quark
Terry Farrell como Jadzia Dax
Cirroc Lofton como Jake Sisko

Elenco convidado

Jeffery Nordling como Tahna Los
Andrew Robinson como Garak
Gwynyth Walsh como B’Etor
Barbara March como Lursa
Susan Bay como a almirante
Vaughn Armstrong como gul Danar
Richard Ryder como segurança bajoriano

Enquete

Edição de Muryllo Von Grol
Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "DS9 1×02: Past Prologue"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*