Jameela Jamil fala sobre ser Acensia em Prodigy

No último episódio antes do hiato da série Star Trek: Prodigy tivemos a presença de um novo personagem, a alferes da espécie Trill, chamada Acensia, a bordo da USS Dauntless da Almirante Janeway. Interpretada na voz de Jameela Jamilm, a personagem terá participação importante nesta segunda metade da primeira temporada.

Em entrevista ao TrekCore e ao TrekMovie, Jameela revelou seu profundo amor por Star Trek e mostrou o que podemos esperar de sua personagem. Passamos um resumo do que mais importante foi dito.

Fã de Star Trek desde a infância

A Nova Geração foi minha primeira grande introdução a Star Trek, e, então, eu trabalhei meu caminho para outros shows depois disso. Deep Space Nine? Tão bom. Voyager também incrível. Mas em Deep Space Nine, quando é que vimos histórias sobre paternidade negra nesses mundos? Deep Space Nine estava muito à frente do jogo, e mal posso esperar para ver se o que estamos fazendo agora em Prodigy será tão relevante em vinte anos.

Como entrou para Prodigy

Já sabia que era para estar em Star Trek. Enviei um e-mail em maiúsculas para minha equipe, e eu nunca enviei antes para eles, para que pudessem me ouvir gritando na ponta dos dedos. Eu nem li o material. Não perguntei quanto ao dinheiro. Eu não perguntei por quanto tempo eles precisariam de mim ou onde eu estaria. Eu apenas disse que sim e imediatamente liguei para o meu irmão.

Uma palinha sobre Asencia

Tudo que eu já fiz, eu sou um pé no saco. Titania [She-Hulk] é um pé no saco. Pitch Perfect [Série de TV Bumper in Berlin] sai em um mês, eu sou um pé no saco. Tahani [The Good Place] é o pé no saco. Eu gosto muito dessas personagens porque acho que elas são complicadas e complexas. E eu gosto de entender por que elas são do jeito que são. Mas Asencia é precoce. Ela é extremamente competente, muito auto-capacitada. E ela é inteligente, é muito brilhante e usa isso a seu favor durante todo a série e você poderá ver mais sobre isso mais tarde.

Eu consegui ver alguns esboços da personagem, mas eu não tinha ideia de como tudo seria bem desenhado – eu fiquei impressionada só de ver as incríveis cenas de abertura do episódio piloto. Então, eu tinha um pouco para trabalhar, mas realmente eu tinha muita liberdade porque ainda estava em estágios iniciais, e eles construíram suas expressões faciais e seus maneirismos em torno da minha performance.

Gravamos fora de sequência, então, isso foi extremamente confuso. Mas precisávamos estabelecê-la porque ela é uma personagem muito forte. E, então, precisávamos ter certeza de que a tínhamos desde o primeiro dia. E era importante para eles e para mim que eu entendesse a jornada que estava prestes a seguir, e isso tinha que ser colocado em entrega. Espero que eu tenha executado isso. Estou tentando dar o meu melhor.

O sotaque de Asencia é diferente da sua voz

Foi ideia da equipe criativa – acho que eles só queriam que eu me misturasse, por razões que farão sentido mais tarde na série. É importante que ela não se destaque muito – ela tem sua própria voz, e ela é precoce e defende suas ideias, mas ela ainda é uma jogadora de equipe.

Amor pelos Klingons

Eu tenho um fraquinho por Worf. Obviamente, Data é o meu favorito. E Data é tão único e incrível. Mas eu tenho um forte amor por Worf. Eu sempre achei que ele realmente fez um mau negócio. Ninguém podia ver o quão engraçado ele era e quão direto era sua entrega. A entrega da chamada de acasalamento foi uma das minhas falas favoritas na história de Star Trek. E então eu tenho um grande amor pelos Klingons. Eu também sou muito mal-humorada, você sabe, eu sou inglesa. Eu os vi como ingleses. Eles eram profundamente relacionáveis ​​comigo. [risos]

Transição de live-action para voz

É mais difícil e mais fácil ao mesmo tempo. É mais difícil porque não traduz tão facilmente pelo microfone. Então, você tem que jogar muito mais e você tem que ser muito mais exagerado. Não há espaço para inibição. Mas, ao mesmo tempo, não há coisas ao seu redor que vão fazer você se sentir inibida. Como você não tem câmeras em seu rosto, você não tem outros atores por perto. Você está sozinha em uma cabine com duas pessoas que não poderiam estar torcendo mais por você, quero dizer, os irmãos Hageman. Portanto, não há como me preocupar com a minha aparência ou onde a câmera está ou se estou na luz certa. Estou apenas no personagem. É a experiência de atuação mais imersiva que você pode ter. E eu genuinamente acho que isso me fez uma atriz melhor na câmera para aprender a ser uma dubladora. É um ótimo treinamento porque significa que você só precisa colocar sua vaidade ou sua insegurança de lado – não há espaço para nada disso. Você tem que estar fingindo cair de um penhasco ou ser comida por um dinossauro. Como algumas das coisas ridículas que tive que fazer. Todas essas lutas falsas que eu tive que ter. E você só tem que ser totalmente ridícula naquela sala e vale a pena.

Perguntada se gostaria de fazer essa personagem ou outra em live action numa série Star Trek disse:

Cem por cento. Mas mesmo sendo capaz de contar essa história aqui eu acho que seria incrível. Então, como até mesmo eu tomando o lugar de um navegador na USS Dauntless, essa é realmente a história que eu adoraria contar. Eu não quero passar por cima do terreno porque acho que eles acertaram em cheio. Acho que não precisamos recontar nenhuma dessas histórias. Mas eu adoraria contar essa história onde meio que conseguimos – de pequenas maneiras – incorporar todos esses mundos em um. E o fato de que essas crianças não sabem nada sobre a Frota Estelar e sobre Star Trek e sobre qualquer coisa a ver com o legado da Federação, será assim que podemos apresentar uma nova geração com algo novo. Este é literalmente o projeto que eu adoraria transformar em live-action e adoraria interpretar Asencia. Ela é muito estranha.

Tornando-se parte do universo de Star Trek

Sabendo como os fandons podem ser na internet, você sabe…. Eu não tinha certeza do que esperar deste, porque o legado é muito denso e rico. Mas descobri que os fãs de Star Trek são os mais gentis e acolhedores – não sei se é porque “Live Long and Prosper” dá o tom de “eu quero o melhor para você”, mas é assim que parece.

Mas também, com quanto tempo a franquia existe, a base de fãs é realmente de todas as idades, e isso é muito legal. Poder conversar com pessoas que amam isso há tanto tempo – ainda mais do que eu! Estou me divertindo muito até agora, e eu realmente não tinha permissão para falar muito sobre Prodigy até agora.

Acompanhe o Trek Brasilis nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades de Star Trek:
YouTube: https://www.youtube.com/trekbrasilis
Telegram: https://www.t.me/trekbrasilis
Facebook: https://www.facebook.com/trekbrasilis
Instagram: https://www.instagram.com/trekbrasilis
Twitter: https://www.twitter.com/trekbrasilis