Aaron Waltke comenta sobre All the World’s a Stage

O último episódio de Star Trek: Prodigy (“All the World’s a Stage”) apresentou a USS Protostar encontrando um planeta alienígena, onde seus habitantes construíram uma sociedade em torno dos registros e ensinamentos de um membro perdido da tripulação da USS Enterprise. O episódio é recheado de referências e easter eggs. O site TrekMovie teve a chance de falar com escritor e co-produtor executivo Aaron Waltke que comentou quanto ao episódio e deu dicas sobre o resto da temporada. Abaixo os pontos mais importantes desta entrevista.

Como surgiu a ideia para All the World’s a Stage

Foi uma gênese bem interessante, na verdade. Às vezes, quando temos apenas ideias no céu azul, fazemos um processo em que todo mundo leva meia hora, e escrevemos o máximo de histórias interessantes que pudermos. E acho que neste em particular, tenho que dar crédito a Diandra Pendleton-Thompson. Ela veio com a ideia e disse: “O mundo é um palco”. E imediatamente eu respondi: “Isso soa como uma ideia de episódio da série original.” E então ela continuou: “E se nós descêssemos em um planeta onde todo mundo estivesse reencenando os diários do capitão?” Mas como isso? Seria como transmissões antigas? E então, lentamente, nossas engrenagens giraram, no sentido de que fosse uma questão de contaminação cultural. E talvez houvesse um antigo personagem da era série original que – semelhante a “A Piece of the Action” – havia contaminado e criado todo esse mundo que, então se tornou um tipo estranho de cópia de uma cópia da Frota Estelar.

 

Foi só depois que eu escrevi o episódio e conversamos sobre essas rodas dentro de rodas sobre como isso afetaria nossa equipe e falando sobre a síndrome do impostor e como isso se encaixa perfeitamente em onde eles estão com o arco de Dal e a equipe da Prodigy em particular, e descobri, após o fato, de Michael Piller ter lançado uma ideia quase idêntica como continuação de “A Piece of the Action” para o 30º aniversário da série original em Deep Space Nine, e isso acabou se tornando “Trials and Tribulations” [que foi uma continuação de “The Troubles with Tribbles”]. Acredite ou não, foi um acidente completamente feliz. E me senti validado que é uma boa ideia, porque suponho que mentes estranhas pensam da mesma forma. Mas esse tende a ser o nosso processo em Prodigy. Nós dois pensamos em termos de uma lista de desejos de ideias divertidas e interessantes. E, então, pensamos em nossas contas a pagar emocionalmente e em termos de caráter. E neste caso, a tripulação meio que saiu logo após a revelação de que eles não podem voltar para a Frota Estelar imediatamente, mas eles ainda podem fazer o bem. E o que isso os torna? Eles são da Frota Estelar? Eles não são? E, então, isso se sobrepõe perfeitamente à sociedade onde todos parecem acreditar que são da Frota Estelar e parecia uma história que não poderíamos deixar passar.

Red shirts e o episódio “Obsession”

Sempre fui obcecado por Red Shirts (camisas vermelhas) em geral. E eu sempre me perguntei, como é que cada um foi eletrocutado pelo computador ou algo assim e simplesmente desapareceu? Certamente há mais coisas acontecendo com esses caras que eles estão constantemente sendo deixados para trás em planetas e apenas dizendo: “Sim, bem, é parte do negócio”. E com “Obsession” (2ª temporada da série original) em particular, acho que fui atraído para esse episódio especificamente por causa do mini-arco de Garrovick de ser alguém que está sentindo exatamente a mesma ideia de uma espécie de síndrome do impostor.

E o fato de ele ter desaparecido depois daquele episódio em que realmente parecia que eles haviam feito uma conexão – Kirk e Garrovick – me pareceu: “Eu me pergunto o que aconteceu com ele?” Então, enquanto estávamos realmente divulgando esse episódio e conversando, pensamos: “Quem é essa pessoa?” E, então, revisitamos “Obsession” na sala e sentimos que isso realmente fala perfeitamente, porque, de certa forma, o arco de Garrovick é uma espécie de espelho ligeiramente distorcido do que está acontecendo com nossa equipe, pois eles são empurrados para uma situação que parece estar fora de seu controle. E eles ainda podem ser essa Frota Estelar naqueles momentos que contam? E foi uma espécie de cereja no topo do bolo que Garrovick – eu acredito – foi o único camisa vermelha a sobreviver a estar em um grupo avançado, mas depois você nunca mais o viu. Então, eu sinto que pelo menos merecemos saber o que aconteceu com ele.

O ressurgimento da nave Galileo

Na Série Original temos a Galileo II aparecendo na 3ª temporada, substituindo a Galileo que foi vista na 2ª temporada da série. Então, foi sugerido que Garrovick caiu com a nave depois de “Obsession”, antes da 3ª temporada. Aaron Waltke responde:

Eu acho que essa é provavelmente a colocação mais plausível e na minha cabeça é onde isso aconteceria. O que faz parte da diversão deste episódio é o mistério do que era esse tipo de missão invisível da série originalVocê só tem uma espécie de cópia de uma cópia de uma cópia contada essencialmente através da perspectiva do Alferes Garrovick e essas pessoas que o reverenciam, quando os fatos se tornam mitos se tornam lendas. Portanto, há um pouco de espaço de manobra.

Alienígenas emulando a tecnologia da Frota

Você ouve um pouco sobre o diário danificado de Garrovick. Ele resgatou coisas dos destroços e trouxe de volta e passou alguns meses tentando ensinar a eles o que podia sobre essa tecnologia, esperando que fosse o suficiente para ajudá-los a sobreviver a esse problema por excelência de Star Trek com o qual eles seriam atormentados. E basicamente colocando sua fé neles de que eles eventualmente evoluiriam para o nível de civilização que poderia enfrentar esse problema. E eles fizeram até certo ponto com uma pequena ajuda da nossa equipe técnica da Prodigy. Na minha opinião, toda nave auxiliar está equipada com fitas de treinamento? Eu não sei sobre isso. Eu acho que ele provavelmente trouxe alguns painéis e outras coisas para tentar instruí-los sobre como os diferentes itens funcionam. E você vê que eles têm uma tela de vídeo. E, então, eu acho que ele provavelmente foi pelo menos capaz de mostrar a eles o básico, assim, 100 anos depois eles foram capazes de fazer engenharia reversa e meio que se tornaram uma sociedade bem funcional.

Caricaturas dos personagens da série original

De certa forma, acho que algumas dessas coisas autorreferenciais são como o que estamos enfrentando agora, quando se trata de alguns fandoms. Acho que se você ouvir uma imitação de William Shatner, na verdade não soa mais como William Shatner. Está fazendo uma personificação de uma personificação de personificação. Nesse caso, eu estava tentando sugerir que eles são uma espécie de sociedade de contar histórias orais. Como vimos aqui na Terra, muitas dessas sociedades tendem a – conforme estão criando seus mitos de heróis ou seus mono-mitos – tendem a exagerar as coisas a ponto de se tornarem versões platônicas idealizadas dessas Heróis. Seja no teatro Kabuki ou na ópera italiana, eles têm expressões ou arquétipos exagerados muito específicos, como a Velha ou o Bobo da Corte. E foi mais ou menos isso que aconteceu aqui.

A ponte Protostar transformada na ponte da Enterprise

Se você ouvir – e este foi um brilhante Treknobabble de David Mack – eles criam a ponte da classe Constituição através dos holo-emissores e transferem os comandos para essas imagens holográficas. E muito eficaz, eles são coisas holográficas duras como você pode ter no holodeck, porque nós estabelecemos que existem holo-emissores por toda a nave que permitem que o Holograma Janeway se mova livremente. Então, eles foram capazes de criar um tipo de representação de luz dura que era uma espécie de sobreposição. Então, quando você pressionasse um botão, o computador interpolaria isso para qualquer que fosse o equivalente do século 24.

Por que Garrovick foi abandonado?

No que diz respeito ao tecnobabble de Star Trek, eu tinha muito mais sobre a ionosfera e a natureza dos cristais de dilítio na caverna. E me pediram educadamente para simplificar o máximo possível. Mas, eu acho que você ainda tem a ideia básica de que houve algum tipo de acidente no qual este camisa vermelha Garrovick e a nave auxiliar foram presumivelmente perdidos, mas eles realmente caíram nesta caverna de dilítio e criaram um campo de distorção que mascara suas assinaturas. Então, parecia que eles tinham sido destruídos na entrada. Mas, na verdade, estava apenas mascarando seus sensores. E o resto, como dizem, é história.

Bem, eu acho que eles provavelmente fizeram isso (não encontraram Garrick nos sensores) porque é isso que eles fazem em todos os episódios da série original, quando um camisa vermelha morre. Eles fazem algo tipo, “Droga… de qualquer maneira… ele sabia para o que estava se inscrevendo, então, vamos seguir em frente.”

A localização do planeta alienígena

A nave está no Quadrante Beta, perto da fronteira romulana. A Zona Neutra, pelo menos de acordo com os mapas mais recentes, mostra a fronteira da Federação se estendendo e envolvendo o topo do Império Estelar Romulano, essencialmente. Então eles estariam ao norte do Império Estelar Romulano e ao sul do Quadrante Delta.

Mais personagens legados vindo

Nos registros da Almirante Janeway aparece B’Elanna Torres, a engenheira da USS Voyager. O produtor diz se estas conexões são apenas por diversão ou devem dar pistas para os próximos episódios.

Estou soltando nomes que se ligam diretamente à história de fundo da Dauntless e da Protostar. Quanto a quando e como você pode ver algumas dessas coisas surgirem, você terá que assistir e ver. Mas, você verá que eles devem estar contados de forma coesa. Você está recebendo alguns petiscos que talvez não veja no programa, e está recebendo algumas coisas no programa que farão um pouco mais de sentido, quando você ouvir o contexto completo. Eles são todos meio casados, da mesma laia. Quanto a quem especificamente você verá e o que verá, não posso estragar isso.

Ronnie Cox se junta a Prodigy como Jellico

Acho que temos Jellico (na voz de Ronny Cox) em mais de um episódio. Você vai vê-lo em breve. Haverá uma razão para ele aparecer… Haverá uma razão pela qual a Vice-Almirante Janeway terá que se comunicar com Jellico.

Frota Estelar estava dentro deles o tempo todo

Acho que é difícil fugir do fato de que essas pessoas no planeta adoram a Frota Estelar ou pelo menos a abraçam de tal forma que internalizam seus ideais. E eu acho que isso é muito fandom. Acho que a questão central para este episódio é: Como fã, você pode realmente viver de acordo com a Frota Estelar? E acho que a resposta no episódio é um inequívoco “sim!” E na verdade, a Frota Estelar não é nada sem pessoas que acreditam nela, como o fandom de Star Trek. E começamos de um ponto: “Oh, olhe para essas pessoas que estão meio que imitando Kirk e se vestindo. Elas são realmente da Frota Estelar?” E, então, no final, elas são as mesmas que são da Frota Estelar e salvam nossa tripulação.

Novos episódios de Prodigy estreiam às sextas-feiras pelo Paramount+ ou no Amazon Prime Video.

Acompanhe o Trek Brasilis nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades de Star Trek:
YouTube: https://www.youtube.com/trekbrasilis
Telegram: https://www.t.me/trekbrasilis
Facebook: https://www.facebook.com/trekbrasilis
Instagram: https://www.instagram.com/trekbrasilis
Twitter: https://www.twitter.com/trekbrasilis