Descoberto exoplaneta em estrela onde Vulcano poderia existir

Em Star Trek, Vulcano é o nome dado ao planeta de origem de Spock e da raça Vulcana. Este planeta orbita a estrela 40 Eridani A, a cerca de 16 anos-luz da Terra. O planeta fictício foi criado por Gene Roddenberry com base na estrela real, que existe mesmo em nosso universo, e, agora, astrônomos encontraram um planeta na órbita desta estrela que é parecido com a Terra em alguns aspectos. Sendo assim, Vulcano pode realmente existir.

40 Eridani A faz parte de um sistema estelar triplo a menos de 16,5 anos-luz da Terra. Esta estrela nunca foi mencionada na série original. Mas em 1968, o escritor James Blish publicou uma coletânea de roteiros de episódios de Jornada adaptados em um livro chamado Star Trek 2. Blish acrescentou profundidade a essas histórias, e incluiu a identificação do endereço de Vulcano como 40 Eridani.

 

 

 

 

 

 

De acordo com uma carta escrita por Roddenberry em 1991, em conjunto com três astrônomos, a estrela foi escolhida para abrigar o planeta de Spock por conta de sua idade: 4 bilhões de anos, aproximadamente a mesma idade do nosso Sol. Sendo assim, baseado na história da vida na Terra, a vida em qualquer planeta ao redor de uma estrela precisa de tempo suficiente para evoluir ao longo das eras — justificando, portanto, a evolução da espécie vulcana à luz daquele astro. Veja a carta na íntegra:

Este ano celebramos o 25º aniversário do lançamento de dois importantes empreendimentos. Um deles é o Projeto HK no Observatório Mount Wilson, onde os astrônomos têm monitorado a atividade magnética da superfície de 100 estrelas do tipo solar para entender a história magnética do nosso próprio Sol. A outra é a nave estelar Enterprise na série de televisão “Star Trek”.

Surpreendentemente, os dois têm mais em comum do que seus aniversários de prata.

Um dos principais personagens do programa de TV, Spock, vem do planeta Vulcano. A estrela em torno da qual orbita Vulcano, nunca foi identificada na série original ou em qualquer um dos longas-metragens baseados nela e, portanto, nunca foi oficialmente estabelecida. Mas dois candidatos foram sugeridos em literatura relacionada, e ambas as estrelas foram estudadas pelo projeto HK.

“Star Trek 2”, de James Blish (Bantam, 1968) e “Star Trek Maps”, de Jeff Maynard e outros (Bantam, 1980), nomeiam a estrela 40 Eridani como o sol de Vulcano. “The Star Trek Spaceflight Chronology”, de Stan e Fred Goldstein (Pocket, 1980), cita Epsilon Eridani.

Nós preferimos a identificação de 40 Eridani como o sol de Vulcano por causa do que aprendemos sobre as duas estrelas no Monte Wilson. O HK Project leva o nome dos espectros de linhas de cálcio H e K, ambas sensíveis ao magnetismo estelar. Acontece que o nível médio de atividade magnética inferido das absorções de H e K está relacionado à idade de uma estrela; estrelas jovens tendem a seerem mais ativas do que as antigas (Sky & Telescope: December 1990, página 589). As observações do HK sugerem que 40 Eridani tem 4 bilhões de anos, aproximadamente a mesma idade do Sol. Em contraste, Epsilon Eridani tem apenas 1 bilhão de anos.

Com base na história da vida na Terra, a vida em qualquer planeta ao redor de Epsilon Eridani não teria tido tempo de evoluir além do nível das bactérias. Por outro lado, uma civilização inteligente poderia ter evoluído em um planeta circulando 40 Eridani. Então, o último é o sol vulcânico mais provável.

Nesse caso, a estrela diurna de Spock é um sistema múltiplo de magnitude 4,4 a cerca de 16 anos-luz da Terra. Presumivelmente, Vulcano orbita a estrela primária, uma anã laranja de sequência principal do tipo espectral K1. Dados do Projeto HK revelam que ele tem um ciclo de estrelas de aproximadamente 11 anos, assim como o Sol. [Diagrama de 40 ciclos de estrelas de Eridani, mostrando que o último pico da atividade da Starspot ocorreu em 1989]

Duas estrelas companheiras – uma anã branca de magnitude 9 e uma anã vermelha de magnitude 11 – orbitam uma à outra cerca de 400 unidades astronômicas a partir da primária. Eles brilharam brilhantemente no céu vulcano com magnitudes aparentes -8 e -6, respectivamente.

SALLIE BALIUNAS
ROBERT DONAHUE
GEORGE NASSIOPOULOS
Harvard-Smithsonian Centro de Astrofísica
Cambridge, MA
GENE RODDENBERRY
Paramount Pictures Corp
Los Angeles, CA

Visão artística de 40 Eridani A e HD 26965b

Já na vida real, o exoplaneta descoberto e chamado de HD 26965b é do tipo “super-Terra”, sendo um planeta rochoso com o dobro do tamanho da nossa Terra, e está na zona habitável da estrela 40 Eridani A, completando uma órbita a cada 42 dias terrestres. Sendo assim, não é inviável que este planeta seja potencialmente habitável. De acordo com Matthew Muterspaugh, astrônomo da Tennessee State University, “A 40 Eridani A é apenas ligeiramente mais fria e menos massiva do que o nosso Sol, tem aproximadamente a mesma idade e um ciclo magnético quase idêntico; portanto, ela pode ser uma estrela hospedeira ideal para uma civilização avançada” como a de Spock, por exemplo.

E a estrela é visível a olho nu daqui da Terra no céu noturno. “Agora, qualquer um pode ver 40 Eridani em uma noite clara e ter orgulho de apontar para a casa de Spock”, brinca o astrônomo. Na série original, Vulcano é um planeta árido e quente, coberto por desertos e cadeias montanhosas, com alguns pequenos mares e lagos de água salgada, sendo eles tudo o que sobrou de oceanos antigos que uma vez cobriram parte do planeta. Ali, a gravidade também é maior do que a da Terra, com uma atmosfera menos densa e, visto do espaço, o planeta aparece com coloração avermelhada.

Resta, agora, aprender mais sobre o HD 26965b para descobrirmos se a criação de Roddenberry condiz com a realidade, e, de repente, vermos o planeta sendo nomeado oficialmente como Vulcan (na nomenclatura em inglês). A pesquisa foi publicada no Monthly Notices, da Sociedade Astronômica Internacional.

Fonte: Canaltech

Be the first to comment on "Descoberto exoplaneta em estrela onde Vulcano poderia existir"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*