Wil Wheaton opina sobre J. J. Abrams e o filme

wil-wheaton-4.jpgO controvertido ator e escritor Wil Wheaton (Wesley) de A Nova Geração, voltou a falar a respeito de um tema no qual se diz um grande fã, Jornada nas Estrelas. Ele comentou dessa vez sobre o trabalho passado de J. J. Abrams, a visão do diretor sobre a franquia e o que espera dele nesse filme baseado na velha Série Clássica.

Wheaton estará na convenção do ComicCon (informado no seu blog) promovendo as histórias que escreveu para um mangá da editora Tokyo Pop. Ele também conversou com a revista Geek Monthly, onde falou sobre o novo filme de J. J. Abrams e sua expectativa quanto a re-imaginação da franquia, “Isso é algo que nós já ouvimos antes”, disse Wheaton sobre as antigas idéias de renovação, “Os fãs de longa data ficarão satisfeitos e todos irão amar, mas o pessoal que nunca viu Jornada também irá se divertir. Mesmo que você deteste ficção científica irá adorar esse filme. Esse filme é perfeito para todos e isso se torna o marketing da coisa”, observou Wheaton.

Jornada é um fenômeno que atravessa gerações, tem uma das mais apaixonadas e bem estabelecidas bases de fãs da história da mídia. Então a verdade é, nos últimos anos, Jornada foi usada com exagero e esteve perto de ser destruída pelos filmes e pelas séries que não estavam sendo guiadas por boas mãos”, criticou.

Em sua opinião sobre o novo produtor falou, “J. J. Abrams é um produtor de cinema muito bom. Cloverfield e a primeira temporada de Lost foram notáveis, então nós temos esse rapaz realmente criativo, que tem um bom histórico de fazer programas relacionados a ficção científica e que agora vai seguir nessa franquia para recriá-la. A pressão que ele deve estar sofrendo é algo impressionante e a interferência do estúdio deve estar ficando mais forte. De modo que tenho muita afinidade e entendimento nessas coisas”.

“Mas como um fã de sci-fi, acredito que vivemos num mundo pós Guerra nas Estrelas: Episódio I. Esse filme de George Lucas foi um chute no saco de muita gente. Para nós que consideramos Guerra nas Estrelas mais do que um filme, foi devastador. Acho que acontece o mesmo com Jornada. Ela significa para muitas pessoas mais do que apenas uma série de TV. Se observar o histórico que Hollywood tem feito, através dos filmes, para que continuem durando por muito tempo as coisas que interessam a essas pessoas, você vê as costumeiras falhas. Os fãs de Jornada querem que isso realmente seja bom”.

Então você considera que os antigos filmes foram ruins? “Eles são horríveis. Existem dois que, na verdade, são de grande popularidade e dois que são assistíveis para os fãs apenas, e o resto não dá para assistir. Mas se nós continuarmos a ser fãs de Jornada e promovermos Abrams a um certo nível de qualidade, teremos de admitir e reconhecer que somos afortunados por estar acontecendo tudo isso”.

Fonte: TrekWeb e Trek Movie

45 Comments on "Wil Wheaton opina sobre J. J. Abrams e o filme"

  1. Parei para ler a materia…. mas depois fiquei me perguntando, por que perder tempo com as opinioes desse sujeito? Coisa inutil…

  2. Belo comentário…. o do Manolo…

  3. Concordo com o Wheaton em muitos aspectos.

  4. Luís Henrique Campos Braune | 9 de julho de 2008 at 10:08 am |

    O cara sabe o que tá falando, vejam nos artigos anteriores. Não confundam o ator com o escritor/fã… embora eu ache que ele cumpriu bem o papel dele em TNG.

    Apenas ocorre que ele está falando de coisas que já sabemos, só isso…

    Minha opinião…

  5. Do que ele disse, apenas discordo quanto aos filmes de Star Trek. Acho Star Trek 2, 4, 6 e 8 excepcionais. Gosto de Star Trek 3 e 9. Não gosto dos outros.

    Mas cada um tem o seu gosto.

    Realmente acho esta idéia de agradar a todos os públicos, fãs e não fãs, algo muito difícil de conseguir.

    Se JJ Abrahms conseguir isso provará que é um gênio.

  6. Deus me livre e guarde de ST XI ter qualquer semelhança com Cloverfield.

  7. Eu concordo com o que ele fala dos filmes, desde que me situando na condição de uma pessoa totalmente alheia a Jornada. Eu não consigo convencer ninguém da minha família a assistir a um filme desses. O único filme a qual se recordam é o “da baleia”, pois assistiram comigo e gostaram. O resto, para eles, não tem atrativo algum. Eu amo a maior parte dos filmes de Jornada porque aprecio tanto esse universo ficcional como ficção científica em geral.

  8. Mário, você tem razão quanto a agradar o gosto dos leigos.

    Se o Wheaton está se referindo a isso quando diz que apenas 2 filmes são de grande popularidade, então ele deve estar se referindo ao Star Trek IV e ao First Contact.

    O problema foi quando ele se referiu aos filmes como horríveis ( considerando ele como um fã declarado de jornada ).

  9. Eu não entendi bem o que o Whiton quis dizer, mas eu tenho resalvas apenas aos filmes 5 e 10, mas todos os outros são maravilhosos. O filme 1 pode ser lento e muito comprido mas tem uma base científica que poucos têm. Cada um ao seu modo acho demais. O filme 3 é para trekkers, com final previsível, fazer o que, gosto também.
    Por fim, cada um tem um gosto, mesmo quando o grupo todo é trekker.

  10. desculpe, Wheaton

  11. Ralph Pinheiro | 10 de julho de 2008 at 7:01 am |

    Wheaton é um fã de Star Wars e como tal gosta de scifi com muita ação, efeitos e pouco cérebro, porisso ele acha os filmes de Jornada chatos.

    Mas em minha preferência ficaria com os filmes 2 e 8 como os melhores, sendo o 4 divertido e o 6 como a despedida de TOS e os demais de sofríveis a horríveis.

  12. Em verdade, em termos de filmes, é impossível expressar as melhores estórias, mesmo com boa produção. Existem filmes de ação e até filmes excelentes, mas a leitura ainda é onde encontramos o melhor de sci-fi. Quando analisamos os filmes já é numa categoria inferior. Solaris é um exemplo, excelente livro, já foi filmado duas vezes (que eu saiba) e não deram certo. 2001, UMA ODISSÉIA NO ESPAÇO é cantado em prosa e verso, mas só por quem não leu o livro. Quando se tenta “cerebrar” (desculpe) os filmes acontece como em TOS, luta para se manter no ar até virar O BOZO NO ESPAÇO, como aconteceu com Perdidos no Espaço (sinto-me até mal em falar porque eu gosto também). Enfim, acredito que Star Trek é a melhor expressão que temos no cinema. Não podemos esquecer que existem filmes que somente o ambiente é sci-fi, mas o conteudo é policial, terror, suspense, político, comédia e etc… O que existe de pura FC é muito pouco.

  13. Por falar nisso, alguém sabe por que ainda não lançaram em DVD “O DIA EM QUE A TERRA PAROU’ E “FUGA DO SÉCULO XXIII”?

  14. Ah tá…ele considera Cloverfield notável e acha os filmes antigos de ST horríveis???

    Esse guri realmente deveria ter sido jogado por uma comporta de ar no primeiro episódio de TNG (de preferência, uma comporta de ar de verdade)!!!

  15. VERDE, a Fox lançou em DVD O DIA EM QUE A TERRA PAROU no Brasil, há uns 2 anos. E neste ano relançou o filme em edição dupla – experimente pesquisar nas lojas virtuais como Submarino, 2001 Vídeo e Americanas. Quanto a FUGA DO SÉC. 23, que pertence ao acervo da MGM, de fato ainda não foi lançado no Brasil.

  16. Quanto às opiniões do Wheaton, ele até tem razão em alguns pontos, porém aposto que, se as falas dele não tivessem sido cortadas, ele acharia NEMESIS o melhor filme de Jornada de todos os tempos…

  17. Pessoal:

    Acho que muitos concordam que os filmes de cinema serviram principalmente para mantermos Jornada viva. Nenhum deles conseguiu, assim como os demais seriados (Nova Geração, Voyager, Deep Space e Enterprise) , ter o espírito da série classica com sua engenhosidade e simplicidade.
    Porém, como a maioria dos mesmos tinha o elenco original tiveram grande valor para a gente.
    O desvio da originalidade foi oriundo dos cineastas alheios ao universo de Jornada. Querem um exemplo? No “A ira de Khan” o melhor filme dos longas, o diretor Mayer fez com que Checov conhece Khan sem te-lo visto na série. Porque não usou Sulu, que de fato participou do espisódio da série?? É obvio que por displicência total. É isto que temo: Cineastas oportunistas que se apropriam de Jornada para se projetar e ganhar dinheiro. Espero que JJ não cometa esta falha.

    Abraços.

  18. Acompanho a opniao do Saldan… o Wheaton deveria se referir ao filme Nemesis… e talvez também a Generations que mostra a Enterprise-D, cuja ponte de comando ele nunca deveria ter entrado!
    Eu gostei muito dos filmes! Principalmente do 2 e do 6!

  19. Bom Flávio, peço licença para discordar plenamente de você.

    Como eu disse em posts anteriores, a “fanboyzice” (ahahah inventei essa palavra agora!), trekkerice ou nerdice de um diretor não garante um bom filme. E eu terei que defender o Nicholas Meyer, que para mim, foi um dos maiores diretores que já passaram por Jornada. E apesar de não saber nada de ST à época, foi o que mais capturou seu espírito.

    John Logan, o roteirista de Nêmesis, era um grande trekker (basta ver as referências de ST em trabalhos anteriores). E olha a #$$%@ que ele escreveu.

    Se nós pegarmos o roteiro, em cima, mostra que foi escrito por um fanboy. Mas sem talento. Quer coisa mais fanboy que trazer os romulanos (que nunca foram mostrados em filmes), mostrar os remanos (uma das lacunas mais discutidas pelos trekkers), mostrar o casamento de Riker e Troy…

    É tão trekker, que em alguns momentos até copiou a Ira de Khan (homenagem?? hahaha) Olhe a morte fajuta do Data (existe um katra andróide, assim como vulcano!?)

    Eu sou fã da Ira de Khan, e acho que é o melhor filme da franquia. E é feito justamente por Nicholas Meyer, aquele que não sabe nada de ST. E para mim é o mais fiel ao espírito da série classíca (acabou com o tom “cerebral” e chato do primeiro filme). Resgatou até mesmo o personagem Khan!! Isso não é continuidade?

    Concordo que foi uma comida de mosca ter colocado o Checov. Mas isso não acabou com o filme, de maneira alguma. O próprio Walter Konig falou que identificou a falha ao ler o roteiro, mas ficou bem quietinho, pois viu que tinha bastante tempo em tela.

    Eu acho que o resultado foi bom, não consigo imaginar Takei fazendo a mesma cena! E por mais que tenha sido um erro, quem disse que Khan não pode ter conhecido um jovem cadete (ou alferes) Checov? Seria possível off-screen, então não é um erro crasso.

    É legal ver a continuidade das coisas. Não gostaria de um total reboot, tipo BSG (apesar de adorar a série) para ST, com o Scotty virando mulher, o Sulu virando africano, etc. Mas deve se ter uma margem de criatividade, em prol da história e do entertrenimento, com certeza. Existem muitas coisas que podem ter acontecido off-screen. Poxa, eu já vi neguinho em site americano metendo pau no filme, dizendo que o primeiro capitão da Enteprise foi Robert April!!!! Só por que ele apareceu na Série Animada. Isso é um exagero!!!

    Desde que o resultado seja legal (e aqui não me refiro em batalhas espaciais, e efeitos loucos e cinéticos e sim em um bom roteiro que capture a essência de Star Trek), não vejo problemas em algumas modificações no cânone, aqui e ali. Tudo em prol de uma ótima história.

    Agora se o filme vai ser bom ou não, só saberemos o ano que vem. Como eu já disse aqui, não me preocupo com a falta de conhecimento que os criadores do filme poderiam possuir de jornada, mas sim na falta de talento. Gosto das coisas produzidas por JJ. Abrams, mas nao o conheço como diretor. E odiei o roteiro de Transformers, de Orci, escritor do novo filme. Esse é o meu medo.

    Quer ver um cara trekker que eu gostaria que dirigisse Jornada? Bryan Singer. Já mostrou mais de uma vez que sabe trabalhar com filmes repletos de personagens (Os Suspeitos e X-men 2). Mas acho que nunca terá a oportunidade. Ademais, me decepcionei com ele no último filme do Superman (que considero até, de certa forma, substimado).

    Jolan Tru

  20. Quanto ao Sr. Wheaton, acredito que ele sofra de uma falta de talento atroz. Nunca entendi se o personagem Wesley Crusher era tão sem graça por sua pessoa ou pelos roteiristas (ou ambos). A única boa interpretação que o rapaz fez foi no filme Stand By Me (Conta Comigo), quando ele deveria ter uns 5, 6 anos de idade.

    Acho que seus comentários sobre a franquia não possuem muita relevância. Concordo com o Saldan, se ele tivesse aparecido mais no Nêmesis, ele iria dizer que o filme era maravilhoso.

    Jolan Tru

  21. Veio-me uma idéia louca agora.

    Vocês gostaram do filme “Master and Command” do Russel Crowe? Imaginem tivessem pego o roteiro e adaptado para o mundo de ST? Não ia ficar legal? Meyer fez algo parecido, ao pegar ao inspirar-se nas histórias de Horacio Hornblower.

    Jolan Tru.

  22. Tomalak disse:

    “Desde que o resultado seja legal (e aqui não me refiro em batalhas espaciais, e efeitos loucos e cinéticos e sim em um bom roteiro que capture a essência de Star Trek), não vejo problemas em algumas modificações no cânone, aqui e ali. Tudo em prol de uma ótima história.”

    Concordo completamente. É exatamente o que penso.

  23. Tomalak,

    concordo plenamente com voce. Espero que o novo filme seja otimo, claro. Mas dai a meter o malho em filmes icônicos de ST é brincadeira! E me desculpem, mas ate hoje nao li uma critica pertinente do Sr. Crusher que nao seja uma exaltação constante da TNG.

  24. O que o Will Wheaton está fazendo é aproveitar este momento de grande mudança em Star Trek ( e a decorrente expectativa, incerteza, esperança e medo da comunidade trekker ) para aparecer mais do que já conseguiu aparecer em toda a sua “história” na franquia.

    E está conseguindo.

  25. Sobre o Reboot.

    Queria apenas deixar um comentario sobre um eventual reboot. Se for bem feito, nada contra uma atualização da serie.

    Isso é tao comum em outras series e nos quadrinhos (com exemplos bons e ruins). Para muitos fans de ST isso soa como um tabu, um anátema. O reboot de BattleStar Galactica é infinitas vezes superior ao original; mas o reboot de Planeta dos Macacos nos cinemas é pessimo. A propria serie Planeta do Macacos sofreu ao menos 2 reboots ainda na franquia original (um pior que o outro). Em principio, nada contra. Mudamos de decada, mudamos de milenio, é natural que se queira contar historias voltadas para as novas gerações. Alias, é fundamental que exista renovação se o desejo é que a franquia se mantenha pelos proximos 40 anos.

    Peço permissao para fazer um paralelo com HQs (apesar deste forum ser sofre sci-fi). Existem herois ainda hoje extremamente populares (Batman, Superman entre outros) cujas franquias datam dos anos 30 (Tarzan é mais antigo ainda). Os mesmos personagens centrais passaram pelos quadrinistas originais, series radiofonicas de grande sucesso, series de Tv, cinema, livros, audio-books e claro, dezenas de mudanças de roteiristas em Hqs. Diversos arcos de historia foram (re)contados de muitas e muitas maneiras distintas ao longo das gerações. Diversas visoes distintas sobre os mesmos personagens e/ou trechos importantes de suas mitologias foram contadas. Muitas se tornaram icônicas e viraram referencia, outras foram esquecidas de tao toscas. O importante é que as historias estavam sempre frescas para novas audiencias que podiam sempre que quisessem voltar no tempo e encontrar as historias originais e comparar as diversas versões.

    Sempre vai existir a versao original de TOS para nosso deleite. E sempre vamos comparar os novos atores com os antigos por melhor que eles sejam. Essa é diversao do fã. Quem é fa de James Bond até hoje compara o 007 do momento com o Sean Connery (que nem é o melhor) ou mesmo qualquer uma das versões cinematograficas com a versao dos livros (quem leu sabe como é diferente!). Sherlock Holmes teve tantas encarnações em cinema e series de radio nos anos 30, 40 e 50 quanto livros escritos no sec. XIX. O proprio Conan Doyle fez um reboot ao trazer Holmes dos mortos!

    A versao 01 de TOS vai estar sempre ali ao alcance dos nossos DVDs. Reboot não é pecado. Historias ruins é que sao.

  26. “Reboot não é pecado. Historias ruins é que sao.”

    Sim, e infelizmente esta têm sido a tônica de Star Trek ultimamente, histórias ruins.

    Que venham as boas histórias, e que Star Trek XI seja a primeira de muitas.

  27. Ralph Pinheiro | 10 de julho de 2008 at 10:53 pm |

    post 16. “…aposto que, se as falas dele não tivessem sido cortadas, ele acharia NEMESIS o melhor filme de Jornada de todos os tempos……”

    O Abrams nem se incomodou em convidá-lo para uma visita ou quem sabe uma ponta no filme (vai ver era isso que ele queria).
    Quem acharia importante suas críticas?

  28. Concordo com tudo que Manolo expôs.

  29. Tomalak:

    Apesar de ser um contra-ponto a minha opinião respeito muito suas colocações.
    Porém, gostaria de dizer o seguinte:

    1) O erro de Checov foi muito crasso. O Michael Okuda não participou do ST II?? Acho que não, senão este erro não teria acontecido;

    2) Concordo plenamente que apesar de tudo ST II foi o que mais se aproximou da série clássica. Os demais filmes ficaram muito distantes;

    3) A questão do Robert April eu concordo com que disse que ele deveria ser mantido como primeiro capitão da Enterprise. Afinal se até o “Tiberius” do nome do Kirkão foi tirado da “Série Animada” deveriamos manter a sequência. Acho na verdade que a “Série Animada” foi a quarta temporada mesmo da série clássica. Acho que a mesma deveria ser respeitada até ós últimos detalhes;

    4) Não esquentem comigo, pessoal! Sou Trekker ortodoxo mesmo.

    Abraços á todos!!

  30. Flávio
    Muitas coisas da série animada ferem o “histórico”, assista novamente com atenção que você vai perceber. Até mesmo o Roddenberry pediu à Paramount que não fosse incluido dentro do “cânon” de Jornada nas Estrelas.
    Abraços

  31. Tem duas coisa que eu gostaria que fossem canonizadas on-screen da série clássica: M´ress e Arex. Ia ser muito legal ter verdadeiros alienígenas na ponte da Enterprise.

  32. Verde:

    Você sabe que não percebi nada que ferisse a Série Clássica na Série Animada??
    Inclusive eu tenho o Pack, e entendo tudo que aconteceu como uma sequencia, tipo a ponte de comando com 02 elevadores e a existência de um tipo de Hollydeck.
    Acho inclusive a série animada muito coerente (Ela tinha DC. Fontana lembre-se) e uma sequencia realmente da série clássica.
    Por favor, se lembrar, me cite alguma contradição. Gostaria de pensar no assunto.

    Abração pra você também.

  33. ” Sim, e infelizmente esta têm sido a tônica de Star Trek ultimamente, histórias ruins. ”

    Verdade, Marinho, concordo com voce. Mas isso não significa que uma boa historia nao possa estar sendo discutida ou filmada no momento. Muitos ja estao jogando pedra sem ver o resultado final. Alias, ninguem viu. Calma, gente… vamos esperar e conferir. E se for ruim, que queime no Inferno com Nemesis e Insurrection 🙂

  34. Flávio
    Que eu me lembro agora:
    No episódio YESTERYEAR , o Spock adulto fala aos pais que estava lá para “honrar os nossos deuses”, mas a cultura vulcana neste período não era tão antiga e os vulcanos não acreditavam mais em deuses.
    No episódio THE COUNTER-CLOCK INCIDENT, eles tem a visita do primeiro médico que trabalhou em uma nave de dobra. Um contra-senso mesmo para a época.
    No episódio THE MAGICS OF MEGAS-TU, eles misturam a teoria de que a galãxia surgiu de uma explosão e não o universo. Seria mais um erro científico que propriamente um erro “histórico”.
    Fora isso, a maioria dos episódios são muito ruins, do meu gosto somente: THE SLAVER WEAPON; ONE OF OUR PLANETS IS MISSING e YESTERYEAR.
    Alguns tem algumas idéias boas, mas infelizmente não são bons. alguns insuportáveis de se assistir (pelo menos para mim).
    Coisas como dois elevadores e o holodeck são insignificantes, na minha opinião, nem levo em consideração. Agora, erros científicos que “comprometem” ao seriado, inclusive com contradições já são mais relevantes.
    Att

  35. Luís Henrique Campos Braune | 11 de julho de 2008 at 4:43 pm |

    O post 25 arrebentou…

  36. gosto muito da serie jornada nas estrelas e e bom deixar rste registro nesta pagina.

  37. “Verdade, Marinho, concordo com voce. Mas isso não significa que uma boa historia nao possa estar sendo discutida ou filmada no momento. Muitos ja estao jogando pedra sem ver o resultado final. Alias, ninguem viu. Calma, gente… vamos esperar e conferir. E se for ruim, que queime no Inferno com Nemesis e Insurrection”.

    Concordo plenamente com você, Manolo.

    Não adianta o filme ser tecnicamente perfeito, ter grandes atores, brilhar na fotografia, vibrar numa trilha impressionante, ter efeitos maravilhosos….. e um roteiro medíocre.

    Troco todos os outros itens por um bom roteiro.

    Há vários casos de filmes com efeitos maravilhosos e histórias pífias. Desses eu passo longe.

    Estou confiando que teremos um bom roteiro neste Star Trek XI, principalmente pela opinião do Nimoy. Aguardemos.

  38. Tenho saudades do Quinta Dimensão antigo e do Além da Imaginação, onde haviam grandes estórias apesar das pobres produções.

  39. Caramba! Quando vão colocar um assunto novo? Esse post é do dia 9 e já estamos no 12, gente! Não há mais nada de novo? Tá devagar, quase parando, hein?!? E temos que ficar olhando a cara desse Wesley toda vez que acessamos o site. Quero novidades!

  40. Estava pensando a mesma coisa…

  41. Acalmem-se. Terão notícias muito em breve.

  42. Infelizmente com JJ dirigindo o filme, só vamos ter novidades do tipo, que visitou o set de filmagens, achou tudo incrível, que ele é o diretor, que o filme vai ser excelente, um sucesso e de vez em quando um perdido diz que viu uma novidade do filme….

  43. Boa Severino! O mesmo foi dito do Nemesis, na trilha de comentários do DVD.

  44. Will está sendo apenas politicamente polido, nada de mais!

    Nada de coração, aliás!

  45. eu acredito que st não pode parar, se vai conquistar novos fãs, que venha, se vai agradar ao antigos, não saberemos, mais o que mais importa é os estudios da paramont “acreditar” em Star Trek e nos presentiar com novos filmes novos mundos e civilizações, não permitir que o sonho de uma sociedade melhor se perca nas series que se foram. Temos que ter fé e nos deixar velar por novos filmes, novos comandantes, e manter para nós e para futuras gerações o que tivemos, um sonho…. vida longa e prospera

Leave a comment

Your email address will not be published.


*