Impressões de Abrams sobre o filme e a franquia

jjabrams.jpgO site TrekMovie publicou alguns comentários do diretor e produtor J.J. Abrams sobre o filme de Jornada nas Estrelas. A entrevista foi apresentada na última edição da revista Empire. Ele deu sua opinião a respeito da franquia, do filme, dos personagens e fez uma comparação com outras franquias Guerra nas Estrelas e Batman. Aqui estão alguns trechos dessa entrevista.

No artigo do Empire, J.J. Abrams lembra do período, quando criança, em que visitou a Paramount com o seu pai (produtor Gerald W. Abrams). E aquilo que ele mais se lembra foi de Jornada (da série original). Abrams considera que, desde esse tempo, e com os muitos spin-offs, a franquia perdeu o que ela havia conseguido, conquistar o público, “A certa altura, a franquia tornou-se algo totalmente diferente, apenas com o nome Jornada nas Estelas estampado nelas. Eu aprecio algumas das séries que vieram depois do original, especialmente A Nova Geração, mas a Série Clássica é para mim tudo aquilo que se refere a Jornada“.

Abrams falou mais sobre o spin-offs, dizendo, “Quando você diz Jornada nas Estrelas, para algumas pessoas, isso significa Deep Space Nine, para outros ela é A Nova Geração ou Enterprise ou A Série Original, ou os filmes. Acabou tornando-se esse tipo de coisa difusa, um pouco confuso o título, e não creio que as pessoas realmente saibam mais o que é Jornada. O que esse filme está fazendo, eu espero, é centrar o conceito, não repensar isso. Ao mesmo tempo, porém, quem acha que já viu isso antes, quem acha que sabe o que é Jornada, haverá uma surpresa reservada quando ver este filme”.

Uma coisa que Abrams especificamente rejeita é a atual tendência de se criar histórias sombrias, como o reinício da franquia Batman. Em vez disso, o diretor observa que “Se você vai fazer um filme de Jornada, então você tem que abraçá-la”. E uma das coisas que ele está abraçando é o otimismo no futuro, “O que Roddenberry estava fazendo na série original, e um dos aspectos que me atraiu muito, era mostrar que esta humanidade poderia sobreviver, que iria prosperar. Gostaría que um dia não somente fôssemos capazes de viajar para além do nosso sistema solar, como também as pessoas de todas as raças e espécies trabalhassem juntas. O que este filme está fazendo é abraçar esse otimismo, ele é centrado sobre o núcleo dos personagens, mais notavelmente Kirk e Spock e está contando uma história de como esse grupo, essa família se juntou. Não estamos simplesmente mostrando as cenas que ocorreram antes da série começar. É muito mais profundo do que isso”.

Tem sido largamente noticiado que, embora Abrams goste Jornada, ele se considera mais fã de Guerra nas Estrelas. Em entrevista à Empire, o diretor deixou claro que não planeja fazer Jornada, como foi feito com a saga de George Lucas, “Guerra nas Estrelas era tudo para mim, quando criança. Este espírito em expansão, visualmente uma maravilhosa direção emocional. Mas assim como Jornada, acho que os filmes originais são o que Guerra nas Estrelas realmente é. Com o prequels, os vídeo-games, os incontáveis livros e agora as séries de televisão, diluíu-se Guerra nas Estrelas da mesma maneira como aconteceu a Jornada“.

No entanto, existe uma característica de Guerra nas Estrelas  que ele pretende pôr mais em evidência para Jornada, “Guerra nas Estrelas  sempre foi cheia de ação. Se eu tivesse uma crítica a fazer para a Jornada original, seria que ela mostrava o que era muitas vezes uma enorme discussão acerca de coisas que estavam acontecendo e não um monte de ação. Isso precisava mudar. Então, nós analisamos as naves, o sentimento de batalha, de ação, de lutas e de todas as coisas que fazem um filme como esse tão excitante. Tudo precisava ser feito de uma forma que as pessoas nunca tinham visto antes, e certamente nunca em um filme de Jornada“.

Fonte: TrekMovie

113 Comments on "Impressões de Abrams sobre o filme e a franquia"

  1. Pronto. Mais discussões “ad nauseum” sobre Star Trek e Star Wars nos próximos posts. Bla bla bla, bla bla bla, bla bla bla. Como disse um colega do fórum, o pior que a espera é aguentar as repercursões dos pronunciamentos de Abrams & Cia.

  2. Hahahaha desculpa mas isso é o cúmulo do despotismo – “EU ABRACEI JORNADA!” e depois trespassou o pulmão dela com um sabre de luz!
    Eu rio desse diretor pretensioso, ele está fazendo com Jornada o que Bryan Singer fez com o Superman. Melhor seria fazer um Reboot e parar com essa presepada de EU SEI O QUE É JORNADA…
    Hmpf.

  3. E ainda vai levar um tempão pra chegar maio :/

  4. Não há o que se comparar entre Star Trek e Star Wars, quer ver:
    1 – Existe algum ônibus espacial da NASA com o nome de “Millenniun Falcon” a famosa espaçonave do Capitão Han Solo. Resposta: NÃO.
    2 – Os atores Harrison Ford (Capitão Han Solo), Mark Hamill (Luke Skywalker) e Carrie Fisher (Princesa Lea) foram convidados para o lançamento de algum ônibus espacial, ou de pelo menos um satélite de alguma empresa qualquer de comunicações. Resposta: Que eu saiba, NÃÃÃÃOOOOO.
    Bom, não preciso lembrar-lhes que no lançamento do onibus espacial Enterprise, quem estava lá, ninguém mais que Willian Shatner e Leonard Nimoy, convidados especiais da NASA.
    Sou engenheiro, e creio que neste novo filme com J.J. Abrams no comando teremos muita tecnologia e muita ação.

  5. ” Se eu tivesse uma crítica a fazer para a Jornada original, seria que ela mostrava o que era muitas vezes uma enorme discussão acerca de coisas que estavam acontecendo e não um monte de ação. Isso precisava mudar.”

    Ai ai ai… Agora ele quer minimizar o que há de melhor em Jornada e o que a caracteriza: A especulação científica e a forte caracterização dos personagens. Nenhum filme de Jornada que se pautou exclusivamente pela ação funcionou.

  6. Ahhhhhhhhh….naaaaaaão!!! de novo não!!!!

  7. Ahhhh sim, sim sim… huauhauhahua =D

  8. Filmes com William Shatner, mesmo velho, fazem 800 milhões de dóalres?

    NÃÃÃÃOOOOO!!!

    William Shatner já foi eleito o Melhor Herói do Cinema?

    NÃÃÃÃOOOOO!!!

    William Shatner ganhou milhões dublando o Coringa?

    NÃÃÃÃOOOOO!!!

    William Shatner é convidado para fazer participações em filmes NERD?

    NÃÃÃÃOOOOO!!!

    Jovens com menos de VINTE anos pedem autógrafos de William Shatner?

    NÃÃÃÃOOOOO!!!

    E agora, pra matar nego de raiva:

    Star Trek é mais POPULAR e RENTÁVEL do que STAR WARS????

    NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

  9. Esse debate não vai acabar nunca. hehehhe
    Eu, pessoalmente, gosto das duas franquias. Claro que gosto muito mais de Jornada por ser algo mais próximo da nossa realidade do que o fantasioso mundo de Lucas.

    Agora quanto a ação, lembrem-se da Ira de Khan, teve muita ação e foi um bom filme!

    Vamos ser otimistas! Eu creio que o filme deve ser do mesmo estilo da Ira de Khan, sem as baboseiras de Nêmesis…

  10. É surpreendente esta declaraçao de Abrams, principalmente depois de Lost. Esta certo que Lost é meio sem nexo, com coisas aa espera de serem explicadas, mas transformar ST em alguma coisa como simplesmente “guerra espacial” é sair totalmente da filosofia da série. Eu pensei que haveria um reboot, mas mantendo o que ST foi imaginado por Roddenberry.

  11. A Ira de Khan teve alguma ação sim, mas era pausada e inteligente como um jogo de xadrez. Tenho certeza que nem se compara ao ritmo alucinante que se pretende imprimir nesse novo filme. O que é marcante em ST2 é a forte caracterização dos personagens, mostrando a evolução e o amadurecimento de todos eles, e a discussão em torno da passagem do tempo. O filme é todo permeado de bons diálogos. E o Abrams falou que o que pretende agora é eliminar as discussões em Jornada, centrando-se tão-somente na ação.

    Pra quem lembrou dos sabres de luz de Guerra nas Estrelas, muito me preocupa o prometido duelo de espada do Sulu. Sinceramente, a impressão que tenho é que será algo forçado e sem sentido, assim como foi aquele passeio de carro do Picard em Nemesis.

  12. E pra finalizar, sabe o que eu acho? Que a única coisa aproveitável do roteiro vai ser o diálogo dos Spocks. O Nimoy está fazendo um juízo do filme inteiro por conta apenas do trecho que teve acesso.

  13. Um dos fatos mais estranhos que já percebi no mundo de Jornada, que supostamente “por ser algo mais próximo da nossa realidade do que o fantasioso mundo de Lucas”, é que países como Índia, Brasil e Israel, grandes expoentes da cultura mundial, sempre foram SUPRIMIDOS do universo das séries e dos filmes.

    Imagine só uma personagem Indiana, um personagem Brasileiro e um personagem Judeu na ponte de comando da Enterprise?

    Não. Seria REAL DEMAIS, magoaria mortalmente os fãs xiitas, por estar ferindo o cânone ultra-sagrado.

    Por essas e outras, fico com o Absurdamente Miraculoso Mundo de Fantasia de Tio George Lucas.

    May the Force be with all of US… Always!

  14. Um personagem judeu realmente não teve, mas houveram várias conotações e o próprio Nimoy é judeu, além de outros que participaram da série.
    O sinal vulcano (leave long and prosper) é um sinal judaico introduzido pelo Nimoy.
    Quanto ao Brasil, pelo menos é citado no ENT pois a Hoshi ensinava línguas no Brasil.
    Houveram personagens latinos e negros, além das mulheres, acho a crítica severa demais para o caso.
    Se houverem personagens de qualquer país, não feriria o filosofia de Roddenberry, muito pelo contrário, mas o mundo tem centenas de países e milhares de etnias, difícil colocar todas.
    E deixa o George Lucas para lá que aqui o negócio é Gene Roddenberry. Cada macaco no seu galho, por favor…

  15. Umas das coisas da quais eu adoro em Jornada, é não fazer referência direta e descarada a um tipo de religião, o que poderia levar o programa a infindável número de discurssões inúteis, espero que fique assim. Entendo perfeitamente a posição de Abrams quando ele se refere a trilogia classica de Guerra nas estrelas, e respeito a opinião dele. Pra que macular um boa idéia com efeitos especiais espetaculares? Cadê o roteiro? Vira ao meu ver um produto intrustrializado e sem alma (2ª trilogia SW). O foco dele é o conceito e o que torna tão interessante a serie criada por Gene, ele não quer reinventar e mudar tudo, acho que as mudanças até agora foram mais de carater estético e só. Quando disse que que queria colocar um pouco de SW em Jornada, nada mais é do que contar histórias de uma forma mais dinâmica, e convenhamos que alguns episódios eram meio sonolentos. Mas só em maio e nada mais…..

  16. Post 11

    Concordo com o Mario, dá para ter ação e discussões inteligentes e a Ira de Khan humanizou o Kirk o que ja foi uma grande sacada. Não gostei muito desta entrevista do JJ ele subverteu o significado de Jornada.

    E se tiver um segundo filme acho que Ridley Scott seria uma ótima escolha, gosto dele como diretor de ficção, isso se ele aceitar.

  17. O pior de tudo é observar centenas de pessoas tentando ler nas entrelinhas em cada sílaba dita por alguém ligado à produção. As discussões estão baixando o nível, a educação foi esquecida (graças a “persona” que a internet produz, daria uma tese de psicologia), o respeito a opinião própria nem se fala. Primeiro acompanhei uma discussão desnecessária sobre a origem do homosexualismo, em que se misturou preconceito com religão, depois vi outra referente a Star Wars, onde tem aqueles que acham a franquia coisa de criança, e outros que a endeusam. Cadê o bom senso?

    Cansei. Vou ler só os posts de notícias, não leio mais os comentários, nem vou participar mais aqui. Abraços ao Ralph e ao Leandro (e outros que não me recordo o nome) que parecem ser as pessoas mais esclarecidas aqui.

    … Warbird Clocking…

  18. Em maio de 2009 eu volto para comentar o filme. Fui.

  19. Legal!

  20. cesar antonio r martins | 1 de novembro de 2008 at 6:10 pm |

    “cesar antonio r martins afirma:
    26 de Outubro, 2008 às 9:06 am
    Pessoal, …

    Alguns têm afirmado que:

    (1º) estão sendo alteradas coisas do cânon apenas pelo dinheiro;
    (2º) que está havendo e haverá um “racha” entre os fãs;
    (3º) aceitar “essas coisas” sem ter uma idéia crítica delas.

    Afirmo ser tudo isto leviandade e tolice desavisada. SEM HAVER ASSISTIDO ABSOLUTAMENTE NADA DO FILME, APENAS PREENCHENDO OUVIDOS E CÉREBRO COM O MATERIAL POUCO INFORMATIVO, EVASIVO E LACÔNICO QUE TEM SIDO PUBLICADO/DIVULGADO, é, repito, TOLICE desavisada.

    Apenas sugiro que aguardemos, como bons apreciadores de ST, o filme (está certo que alguns mais ansiosos e/ou puristas estão apreensivos), discutindo relevâncias PLENAMENTE CONFIRMADAS. Deixemos JULGAMENTO e PUNIÇÃO, como parecem idealizar alguns, para um outro momento pós-filme, se é que sequer há/haverá qualquer necessidade para tal. Julgar (no bom sentido de criticar, sim) O.K., mas punir??? A quem??? Com certeza, será a nós mesmos, pelo óbvio motivo que nem preciso lembrar.

    A-KOO-CHE-MOYA, GENE …”

    Aí, Tomalak, faço das suas as minhas palavras. Repito o post 10, anotado na entrevista com o Bruce Greenwood.
    Realmente a temática ficou cansativa E pouco educativa/educada/elucidativa.
    Também fui.

    A-koo-che-moya, Gene …

  21. Não creio que haja um “debate”, as duas franquias tem foco tão diferentes, é a mesma coisa que comparar Turma da Mônica com Hellboy.

  22. Waldomiro Vitorino | 1 de novembro de 2008 at 7:16 pm |

    Um dos melhores filmes da franquia é Primeiro Contato, e é recheado de ação. Porém, o que caracteriza Jornada é justamente os personagens, os temas e as discussões, com eventuais cenas de ação nos lugares certos e de forma enchuta. Isso é Jornada em seus 40 anos

  23. Waldomiro Vitorino | 1 de novembro de 2008 at 7:22 pm |

    Ops! Enxuta. Foi mal!rsrsr

  24. Post 21:

    Constâncio afirma:

    “…,as duas franquias tem foco tão diferentes, é a mesma coisa que comparar Turma da Mônica com Hellboy.”

    Tipo assim:

    Star Trek = Turma da Mônica ???

    STAR WARS = Hellboy ???

  25. Eu realmente fiquei chocado com alguns comentários aqui sobre religião e homossexualismo, acho que todo mundo tem o direito de espressar suas opiniões, mas de maneira respeitosa é a minha opinião.

  26. Post 16
    Também acho que o Ridley Scott seria um ótimo diretor para o próximo filme. O Richard matheson ainda está vivo para fazer um bom roteiro também?

  27. Sempre li comentários de fóruns de discussão e em fóruns de informática já vi neguinho se matando nas discussões: Intel x AMD, ATI x NVidia, Windows x Mac, Windows x Linux, PC x Mac e etc. Agora pra mim é novidade a briga Star Trek x Star Wars. É incrível como na internet esse tipo de coisa rende.

    Eu sou fã de Star Trek e não gosto de Star Wars, mas não entro em sites ou fóruns de S. Wars para criticar os filmes ou seja lá o que for relacionado com essa franquia. Não franquias totalmente diferentes e que atrai publico e pessoas diferentes. Se Star Wars é mais popular e mais rentável sorte para quem ganha dinheiro com ela. Aqui no Brasil o pagode é mais popular e mais rentável ( vende mais discos ) que a música clássica, mas isso não quer dizer que o pagode é melhor que qualquer obra clássica.

  28. Pior do que a rivalidade eterna entre Star Trek e Star Wars (até engraçada pois conheço gente que não sabe distinguir uma da outra), é esta eterna marginalização entre as séries da franquia. Eu mesmo (admito) já fui um que ficava irritado qdo metiam o sarrafo em Enterprise e discutia abertamente que o preconceito era coisa de Niners (como se Niner fosse uma conotação nociva). Há muito tempo que assumi a postura do “NÃO ÀS TRIBOS”…Tudo é Star Trek (Classica, Next Gen, DS9, Voyager, Enterprise) e dependendo do nível do filme do JJ (que só vamos poder conferir, se muito qdo algo do trailer oficial vier à tona), se for do nível de A Ira de Khan, acredito que será mais uma nobre adição à saga da humanidade e seu avanço para as estrelas, este épico maravilhoso que tenho acompanhado durante toda a vida que tem o nome mágico de Jornada nas Estrelas.

  29. cesar antonio r martins | 1 de novembro de 2008 at 9:10 pm |

    Não sei, VERDE…

    O Ridley Scott é, sem sombra de dúvida, um dos maiores diretores de todos os tempos, mas … os últimos trabalhos, embora excelentes, possuem um viés histórico/religioso espiritualista que mais parece apontar para um momento experiencial vivido por ele, e não tão recente assim.

    A-koo-che-moya, Gene…

  30. César
    Vc poderia medizer quais? Acho que não tenho acompanhado os últimos trabalhos…
    DCMELLO
    è verdade, o que confundem é até hilário mesmo.

  31. Quero só esclarecer que eu torço muito pelo sucesso do filme, que seja efetivamente bom o roteiro e que me surpreenda. Mas não estamos aqui para trocar idéias e impressões sobre o que já foi revelado a respeito do filme, nesse post? Eu só estava comentando o quanto é desanimador ouvir o próprio diretor dizer certas coisas, negligenciando os fundamentos de uma boa Jornada. E temos que entender que o nosso debate aqui só pode mesmo trabalhar com as expectativas gerais. É bom ver como cada um está assimilando as informações que chegam, para termos uma idéia da média de aceitação das novidades.

    Se ele tivesse dito “Teremos um pouco mais de ação do que o habitual nesse filme, mas os diálogos continuam sendo a característica mais importante de Jornada e do roteiro”… Mas não, ele disse que critica Jornada justamente por ter muito debate e pouca ação. Agora pergunto: Num filme de apenas duas horas, o quanto isso representará de perda da essência do seriado que conhecíamos?

  32. Vejam o caso de Primeiro Contato, como foi muito bem lembrado por nosso amigo Waldomiro. O filme ganhou referências entusiasmadas dos fãs, mas se formos espremer ele só tem ação (batalhas entre naves) nos minutos iniciais do filme. Segue-se a isto um debate na ponte (para o Abrams seria longo e enfadonho) sobre o deslocamento temporal da esfera Borg, de como a Terra do futuro foi afetada e o porquê de a Enterprise não ter sido, até a tomada de decisão do capitão. O filme depois entra no debate sobre as personalidades históricas e de como as gerações futuras distorcem suas realizações e propósitos. Depois mostra a angústia de um capitão ferido trabalhando seu sentimento de vingança, extraindo inclusive elementos da literatura clássica. Isso é Jornada, não tem pra onde correr.

  33. E pontofinalizando… Por causa dessas características de Jornada que enalteço (pra mim a ação é pouco mais que irrelevante, perdoem-me os mais jovens que a preferem), sou entusiasta da idéia e fico na expectativa da parcela do filme que abordará o encontro entre os Spocks, e de como esses personagens serão trabalhados em seus diferentes estágios de vida. Acredito que teremos um momento sensível do roteiro, de acordo com as revelações feitas pelo próprio Nimoy.

  34. “Eu sou fã de Star Trek e não gosto de Star Wars, mas não entro em sites ou fóruns de S. Wars para criticar os filmes ou seja lá o que for relacionado com essa franquia.”
    EU JÁ DISSE ISSO, disseram que eu pego pesado, vocês não viram nada…
    Quem fomenta essa discussão ST Vs. SW desde o início é Abrams com as intenções de:
    1) Promover MAIS DISCUSSÃO sobre o filme dele, já que SW só na TV agora…
    2) Preparar os Trekkers para a realidade do filme dele, que vai ser realmente “O bem contra o mal em Panavision”
    3) TRAZER OS FANS DE SW para ST! É claro! Já está funcionando! O Maior Fanboy do Mundo – Smith – já disse que o filme é o máximo.
    Shame on you Mr. Abrams!

  35. MAIS UMA VEZ, essa não dá pra resistir: O produtor de LOST, FRINGE e ALIAS me vem dizer que ST não tem ação. Hahahahaha!
    Mr. Abrams suas séries me dão SONO!

  36. cesar antonio r martins | 2 de novembro de 2008 at 9:35 am |

    VERDE, aí vão.

    Gladiator (2000);
    Kingdom of Heaven (2005);
    A Good Year (2006).

    Embora creiamos que “quem anda de bicicleta jamais esquece de pedalar”, já se vai um longo tempo desde “Blade Runner” e “Alein” (todos os quatro).

    Abraço.

    A-koo-che-moya, Gene…

  37. cesar antonio r martins | 2 de novembro de 2008 at 9:39 am |

    Errata no post 34.

    Não “Alein”, e sim “Alien”.

  38. Obrigado, César
    Gladiador eu assisti, mas aos outros dois não.

  39. post 34

    Se o Ridley Scott aceitar o desafio de dirigir Jornada, ele como um diretor de ponta, vai se ajustar para mais este trabalho.

    Quem era Nicholas Meyer antes de Jornada 2?

  40. Olha, alguns temem a adição de mais ação a Jornada, bom, a franquia chegou a um momento de “ou vai ou racha”, e para ela sobreviver é necessário a adição de elementos que agradem mais ao grande público, como mais ação. Adoraria ver um filme mais focado na FC, com mais dilemas e debates, mas isso não pode acontecer mais, ou Jornada muda e se abre um pouco para o grande público, ou definha de vez. Os fãs de Star trek não são o suficiente para manter o produto rentável, vide as bilheterias dos dois últimos filmes. Star Trek tem que encontrar o públio de novo, e formar uma nova legião de admiradores, sou professor, e a situação é tão grave, que quando converso com meus alunos sobre Jornada eles simplesmente desconhecem a série, alguns até sabem do que se tratam a série enterprise, mas não ligam ela ao contexto da franquia como um todo. Star Trek precisa se renovar.

  41. bEM QUE Nicholas Meyer poderia ser convidado a dirigir uma provável continuação.

  42. Rodrigo Quinlan Vos… o personagem iria querer se matar se visse você dizendo bobagens utilizando o nome dele. É por isso que nem fã de Star Wars te aguenta…

    De qualquer maneira, acho extremamente precipitado os fãs somente de Jornada ficarem criticando só pq o JJ quer trazer um pouco de ação para a franquia e citando Star Wars.

    Galera, estamos entrando na fase de MARKETING do filme. Utilização de rivalidades pra marketing não é surpresa pra ninguém, vide o exemplo mais famoso de todos: Beatles vs. Stones, que na verdade eram extremamente amigos. E convenhamos, entre SW e ST, obviamente SW tem amis apelo popular. Logo, nada mias normal que o marketing se utilizar da rivalidade entre os fãs das séries e tentar aproxima-las.

    E convenhamos, a ação em Jornada, mesmo quando presente, sempre foi mal executada. Isso, todos sabemos, por questões ORÇAMENTÁRIAS, e no início também TÉCNICAS. Quando as questões técnicas foram resolvidas (com o primeiro Star Wars), as orçamentárias continuaram. Na TV isso é indiscutível. Mas mesmo no cinema, quando foi que o orçamento de Jornada foi digno de um blockbuster? Nunca! Até chegar o JJ o maior orçamento de Jornada não dava pra fazer 1 hora de Star Wars ou de boa parte dos blockbusters.

    Então, qual o grande problema de – quando finalmente se pode, após 726 episódios e 10 filmes – fazer uma batalha espacial realmente excitante, ao invés de painéis caindo do nada e a ridícula reutilização de cenas de explosão de naves de um filme pra outro?

    M’Y

  43. “Star Trek tem que encontrar seu público de novo e formar uma nova legião de admiradores” é isso Constâncio em síntese o que precisa acontecer ano que vem, para que nossa querida Jornada volte as bons tempos.

    No cinema tem que ter mais ação mesmo, mas as discussões tem que existir também com um roteiro bacana e bem trabalhado. Porque se ficar só nos efeitos ele se torna pra mim um filme vazio e isto definitivamente não é Jornada.

    A renovação é importantíssima sim mas a essência não pode se perder nunca.

  44. Eu não me incomodo em termos “um pedaço de ação”, desde que na dose certa e que seja algo de bom gosto.

    Um exemplo de ação bem usada: A que tivemos em First Contact.

    Um exemplo de ação gratuita, ridícula, mal empregada e que chegou a me envergonhar: Aquele ‘jipe’ do capitão Picard em Nemesis.

    Há diversos outros exemplos.

  45. Isso daria uma boa enquete… O que você gostaria de ver no próximo filme, mais ação com efeitos especiais aprimorados ou mais diálogos interessantes e desenvolvimento dos personagens?

    Prefiro a segunda opção, e torço para que a proposta de dar mais equilíbrio a esses dois aspectos não se exceda ao ponto de sacrificá-la.

  46. ST- First Contact, ao menos pra MIM, é sem sombra de dúvida o MELHOR filme de Jornada Estelar que já vi na vida.

    Lembro de que, ao ver pela 1ª vez, a U.S.S. Enterprise NCC-1701-E eu fiquei arrepiado, sem voz e mal podia piscar.

    Bons tempos aqueles…

  47. Ou, até que ponto este filme ser um blockbuster tão badalado, com um orçamento milionário até para os padrões americanos, é bom ou é ruim para uma franquia como Jornada?

    Nêmesis foi o mais caro, e o que menos deu retorno.

  48. Luís Henrique Campos Braune | 2 de novembro de 2008 at 7:38 pm |

    SW e ST: cada um na sua. Pra quê essa brigaiada? Gosto dos 2, cada um por razões diferentes. Deixa quieto…

  49. Esta discussão de gosto, não gosto de STAR WARS / STARTREK é inutil, não vai chegar a lugar nenhun.Se algum de vôces assistiu a premiação de quadrinhos na quarta feira na TNT, ogrande homenageado foi o tio GEORGE LUCAS e pasme senhores, ele elogiou barbaridade STAR TREK e seus fãs, que segundo ele foram quem começaram o culto as séries.Então não importa de qual vôce goste, tudo é diversão.SÓ ISTO.

  50. “Space, the final frontier…”

    Tô roendo os tocos de unhas, doido pra ver o trailer e ouvir novamente a voz de Leo Nimoy dizendo aquelas palavras novamente.

    Nunca uma espera foi tão agonizante, pra mim, como esta.

    “To boldly going where no man has gone before.”

  51. eu tambem dou adeus a este forum…..o nivel das discussoes aqui esta de lascar

    se o senhor Abrams quer transformar Star Trek em Star Wars, o direito é dele, ainda mais depois do fracasso absoluto de Insurrection e Nemesis

    vivam com isso e durma-se com um barulho desses

    fui

  52. Joao Dártagnan A. OLiveira | 2 de novembro de 2008 at 9:45 pm |

    Acho Startrek New Generation o mais próximo do que Gene Roddenberry tinha visto para a série, cada epsódio vem carregado de muitos assuntos para se pensar, sem falar de ser o único seriado que conheço que utiliza a ficção científica de maneira mais plausível deixando mais paupável para os cientistas atuais deslumbrarem do como o fúturo poderar ser, inclusíve com a aceitação de raças, etinias……..Aguardo o novo Filme com muita ansiedade e esperança de ver um ótimo filme, e comentários para depois!!!! “VIDA LONGA E PRÓSPERA PARA TODOS” que aqui deixaram seus comentários, que, de uma maneira e de outra são Fans de Startrek e que todos nós temos no fundo a esperança um mundo mais justo do que a “PORCARIA” atual que vivemos!!!!

  53. As pessoas que gostam de ação são muitas, e muitas mesmo. Agora as pessoas que gostam de ficção cientifica construtiva são poucas e poucas mesmo. E somente Star Treck oferece isto. Em arrecadação de bilheteria Star Wars vai sempre despontar, mas em construtivismo, informação, tecnologia, enredo, trama, suspense, criação, ciência, beleza, realismo, figurino, militarismo, não há que se comparar.
    Nem a NASA resistiu a criação de Gene Roddenberry.

  54. ST é sempre referência em livros de ciência, já vi em livros do Stephen Hawking, biografia de Einstein, a última Scientic American especial sobre Teoria da Relatividade, há uma matéria sobre viagens em dobra espacial e etc… Não me lembro da ocorrE^ncia deste tipo de referência em qualquer outra séria de cinema/tv.

  55. É gente, engraçado que ST é referência até mesmo em outros livros de Sci-Fi. C. Clark sempre se refere a ST. Creio que ST está meio que para Julio Verne, que imaginava muito as tecnologias do futuro.
    Essa distinção de SW para ST sobre qual tem mais ação, creio que esteja mais para tendência que para criação. Os filmes mais antigos de Sci-Fi eram muito mais parados. Depois que veio a MTV com aquele ritmo alucinante de imagens tudo mudou. E ST está mudando também oras.
    Abs

  56. Pessoal! Vocês estão esquecendo de algo:

    1 – Nem todas as pessoas que vão a um cinema gostam de ficção cientifica, já vai ser um trabalho danado levar elas as salas.

    2 – Nem todas as que lá chegam, estão interessadas em debates filosóficos, aqueles que procuram esse tipo de filme são uma minoria.

    3 – A intenção aqui é tornar Jornada uma franquia de sucesso no cinema, Jornada tem que ser RENTÁVEL, e pra isso precisa do público em geral.

    4 – Vocês já esqueceram do 1 filme de Jornada? É ótimo, mas faltou algo, que veio com a Ira de Khan, acho que o Sr. JJ quer atingir esse equilíbrio nos conceitos atuais de ação, porque a Ira de Khan, pro pessoal de hoje é muito parado.

    Recentemente tivemos o exemplo do Superman o Retorno, um ótimo filme, que fez uma boa bilheteria, mas FALHOU por não conquistar o público em geral, pois não tinha AÇÃO, pra mim uma besteira, mas afundou o azulão no cinema.

    Outro exemplo: Solaris, um bom filme SCiFi, com George Cloney de garoto propaganda e tudo, um bom filme filosófico, FALHOU TERRIVELMENTE, (eu gosto do filme).

    O último filme de ficção cientifica, que me lembro, que realmente fez SUCESSO, no nível esperado pra Jornada, foi Matrix, e mesmo assim só funcionou porque tinha inúmeras referencias a outros universos.

    Sem querer ser pessimista, Jornada nas Estrelas é ótima, mas devido ao limbo que vem passando nas últimas décadas, (pois em matéria de cinema, a marca, eu acho, é quase desconhecida pra nova geração e Nemesis não ajudou em nada), temos que apoiar o Sr. JJ, é por enquanto a nossa melhor chance de voltar ao topo, por isso vamos dar um crédito ao cara, afinal dependemos também dos fãs de Lost, Alias…pro nosso filme fazer sucesso.

  57. Luís Henrique Campos Braune | 3 de novembro de 2008 at 10:12 am |

    Post 56: “Recentemente tivemos o exemplo do Superman o Retorno, um ótimo filme, que fez uma boa bilheteria, mas FALHOU por não conquistar o público em geral, pois não tinha AÇÃO, pra mim uma besteira, mas afundou o azulão no cinema.”

    Lembrando que Superman é só ação. Não gostei do filme, pois não teve isso… deu sono…

  58. Post 53, OBSERVADOR:

    “em construtivismo, informação, tecnologia, enredo, trama, suspense, criação, ciência, beleza, realismo, figurino, militarismo, não há que se comparar.
    Nem a NASA resistiu a criação de Gene Roddenberry.”

    Vejamos:

    JORNADA NAS ESTRELAS aparenta ser um universo em tons de CINZA, onde nada é bem dividido, ninguém é bom ou mal, e isso me parece ser um dos maiores problemas da franquia.

    Para LEIGOS, que é quem banca um filme, quem o torna rentável, as únicas referências para se identificar com os “heróis” são: o grupo que tem mais (quase exclusivamente) humanos e as naves mais branquinhas e com seções discóides.

    STAR WARS por outro lodo, sobretudo na NOVA Trilogia ou Trilogia Prólogo ou Trilogia de Ouro, mostra que o universo era muito mais democrático, cheio de alienígenas, muitos deles pacíficos, a maioria “do bem”, colocando os HUMANOS como os maiores VILÕES da estória da saga inteira: Palpatine, Conde Dooku, Jango Fett, Anakin Skywalker/Darth Vader, Boba Fett, Grand Moff Tarkin, Almirante Piett, General Ozzel, etc.

    Então, aquelas características que nosso colega (dito) OBSERVADOR alega serem supiores em ST (construtivismo, informação, tecnologia, enredo, trama, suspense, criação, ciência, beleza, realismo, figurino, militarismo) não são assim tão predominantemente superiores na franquia.

    Tanto é que, p.ex., em ST os vilões são vilões “e pronto”, em SW são mais como pessoas convictas do papel que lhes coube, por crença político-filosófica-religiosa como os SITH, ou por serem do corpo MILITAR (seja da Velha República ou do Império Galáctico), etc. Darth Vader, p.ex., foi o terrível vilão e depois o grande redentor da saga nos cinemas.

    Quanto à tecnologia, criação, ciência, beleza e realismo, há/houve inclusive no Museu Smithsoniano uma exibição de Star Wars mostrando as estreitas relações entre os avanços da ciência contemporânea e suas inspirações diretamente dos filmes de Star Wars.

    Matérias podem ser encontradas aqui:

    Science of Star Wars:

    http://www.discoverychannel.co.uk/scienceofstarwars/

    Science and the Original Star Wars Trilogy:

    http://www.apeculture.com/movies/swscience.htm

    Star Wars: Where Science Meets Imagination (Paperback) by Boston Museum Of Science:

    http://www.amazon.com/Star-Wars-Where-Science-Imagination/dp/079226200X/ref=pd_bxgy_b_img_b

    Ah! A próxima geração de veículos espaciais da NASA já está em desenvolvimento, mas será que serão como “galináceos subnutridos com seções discóides”???

    Ou serão esguios foguetes como os iates prateados do planeta Naboo ou como as cilíndricas naves consulares da Velha República?

    P-p-por hoje é s-só p-p-pessoal…

    Vida Longa e que a Força esteja convosco!!!!

  59. Concordo com o post nº 1. hehehe.

  60. Incrível!

    Tem gente aqui que é contra filmes de ação.
    Que é contra a presença de efeitos especiais.
    Contra situações mirabolantes de fazer agente perder o folêgo no meio do filme.

    Querem ver Star Trek renovado. Mas sem esses ingredientes a mais, é melhor engavetar tudo.

    Star trek é ciência, é humanidade, justiça, retidão, esperança.

    Mas quem aqui começou a assistir a Star Trek por causa disso?

    Eu comecei a assistir porque minha mãe assistia!
    DEPOIS é que comecei a entender qual é a da série.

    Por essas e outras, vamos deixar a nova geração de fãs descobrir Star Trek através através da ação, dos efeitos e de uma boa trama.

    DEPOIS eles vão descobrir do que Star Trek realmente se trata.

  61. STAR TREK = FICÇÃO CIENTIFICA
    STAR WARS = FANTASIA

    … ESSA É A DIFERENCA PRIMORDIAL.

    UM PODE SER CONTADO JUNTO COM ISSAC ASIMOV, ARTHUT C. CLARK, MCDEVIT, ETC,..

    JA O OUTRO, COM SENHOR DOS ANEIS, HARRY POTER, HOMEM ARANHA, ETC…….

  62. Luís Henrique Campos Braune | 3 de novembro de 2008 at 3:55 pm |

    Post 17 do Tomalak: concordo com vc. Andei pensando a mesma coisa. As coisas não podem ser de forma extremista. As coisas precisam ser mescladas, renovadas, mas sem perder a essência. Eu já disse antes: quantos de nós já reclamou da morosidade de ST, sendo baseada apenas no “papo cabeça”? Claro, é isso que nos atrai em ST. Mas, possivelmente um pouco mais de dinâmioca, na dose certa, pode tornar a coisa toda mais interessante. Efeitos mais condizentes e coisa e tal. Mas, se todos estes acréscimos não fizerem sombra ao espírito de ST, tá tudo certo! Teremos um ótimo filme, com mais fans!

    É o bom e velho caminho do meio do raciocínio budista. Nem lá, nem cá – no meio!!

    Acho que ST é uma idéia tão aberta e tão propícia a adaptações que temos que ser flexíveis. Acho que devemos aceitar mudanças – pois é a única forma da franquia soberviver. Apenas torçamos para que estas mudanças não firam coisas importantes do canon.

    Pra quem falou da ausência de personagens brasileiros: existe uma USS São Paulo, se não me engano, em DS9. Alguém aí pode dar mais detalhes?

    Vou procurar fazer como o Tomalak: foi ler só o artigo, pois o nível da conversa está ficando não muito boa.

    Somos até insultados e nada é feito… não engulo esta até hoje.

    Tb acho que quem gosta apenas de SW e vem aqui só pra pertubar está no lugar errado, aqui procuramos fazer comentários edificantes.

    Longe de mim criticar (de forma perniciosa) SW, até porque gosto, ou outra série/filme qualquer.

    Acho que ST é harmonia e tolerância; e este preceito está sendo esquecido. O problema é forma como alguns estão colocando suas idéias, ou simplesmete a intolância que está havendo.

    Já disseram aqui que ST não passa de apenas uma boa diversão, concordo plenamente. Só que, além disso, ST nos faz pensar em alguns momentos e acho que não custa nada tentarmos levar isso pras nossas vidas, sem traumas ou xiitismos.

    Nós aprendemos com tudo o que convivemos, não vejo mal em aprender com ST.

    Tem gente que aprende com Rock Balboa: perseverança, otimismo, boa fé, bom coração, dignidade e até ingenuidade.

    Tudo na vida nos convida ao prendizado. Por que não aprendemos com aquilo que dizemos gostar tanto?

  63. Luís Henrique Campos Braune | 3 de novembro de 2008 at 3:57 pm |

    Post 61:
    “Vou procurar fazer como o Tomalak: FOI ler só o artigo, pois o nível da conversa está ficando não muito boa.”

    corrigir:

    “Vou procurar fazer como o Tomalak: VOU ler só o artigo, pois o nível da conversa está ficando não muito boa.”

  64. Gente, Jornada tem 40 anos, não dá pra sintetizar tudo em um filme, ele deve ser dividio em dois com histórias e efeitos especiais. Esse se Deus quiser e a bilheteria permitir, o primeiro de muitos. Ou seja mais e mais facetas de nossos herois podem ser exploradas em novas histórias, se será um filme de ação ou com muita história, só saberemos em maio. 🙂

  65. Da minha parte é a última vez que menciono SW aqui…o que acontece, é que, ficar tentando empurrar a idéia de que SW é algo infantil, querendo torna-lá um produto inferior, como se fosse algo de retardado, como mencionado em outro bate papo, deixa o cara com os dedos cumixando, pois eu gosto das DUAS franquias, é isso que deixa o cara as vezes aborrecido!!! afinal, gostar de mitologia, dos arquetipos humanos, presentes em quase todas as histórias, Rei Arthur, Homero, séries como Arquivo X…é algo inferior a ficção cientifica?! o próprio nome já diz, ficção!

  66. Poxa gente calma..
    Gosto bastante dos dois, e não dá para dizer que SW é só fantasia e ST ciência, mesmo por que nenhum dos dois é tangivel de fato. Dizer que SW é pura fantasia e é uma porcaria é ofender o monte de artistas que trabalharam na série e criaram um universo fantástico. Dizer que ST é só ciência é também forçar a barra, mesmo por que muitas das idéias que vemos foram de certa forma forçada de barra por falta de grana para fazer coisa melhor. E hoje chamam de alta ciência.
    Outra coisa que lembrei sobre personagens de outros paises: A japa das comunicações em “Enterprise” era Brasileira não era? O comandante da nave avariada dando “report” no início de ST IV era Indiano, pelo sotaque. E Khan? Khan Nonian Soong (acho que é isso) Não é indiano também?
    E o braço direito dele, se chama Joaquim, se não me engano. Deve ser de “Trás dos montes” hehehheeh
    Abs

  67. POST 56>
    CÉSAR
    O livro Solaris do polones Stanislaw Lem é excelente, mas em duas vessões do cinema não funcionou. A primeira versão, polonesa, é melhor que a americana mas tem mais de 3 horas e é meio cansativa, porém o final é muito impactante (diferente do livro). Vale a pena conferir.
    Quanto à ST, somente espero que ele não seja tão “comercial” a ponto de se transformar num filme comum, contudo qualquer alteração que faça renascer a franquia é boa.

  68. Marmolaro
    Bem lembrado !!!!!!!!!!!!

  69. Post 66- Khan Nonian Soong? ué…Nonian Soong não é o criador do Data? o Khan tem o mesmo nome? eu não sabia dessa…

  70. Jesus! O nível aqui tá cada vez mais baixo mesmo, saca só, citaram até: HARRY POTTER e HOMEM ARANHA.

    Por aí se vê o nível cultural de uns e outros.

    Sendo qual série for “FICÇÃO”, não existe, na essência, um melhor do que outro. Mas apenas umas melhor executadas do que outras.

    Umas, que insistem em pseudo-intelectualismo, o que reflete em seus adeptos, que se acham superiores e a sua série favorita idem.

    Outras, com apelo popular, atraindo leigos, artistas, políticos, etc, conseguem ser mais rentáveis, envolventes e DIVERTIVAS do que as outras.

    A a partir do momento em que alguém se levante (de salto alto) e diz: “tal série é MELHOR”, se,a ela qual for…
    Bem a pessoa, no arfã de tentar enaltecê-la, faz exatamente o oposto, denigre e enxovalha o espírito de união, cooperação, humildade e fraternidade que deveria zelar e preservar, tendo para com outros, sobretudo os que pensam DIFERENTE, o mesmo respeito que desejam que tenham para consigo e com sua série favorita.

    A propósito, qual é o nome e de quem é a empresa que cuida dos Efeitos Visuais desse novo filme de STAR TREK???

  71. William Shatner/James T. Kirk no trailer de FANBOYS:

    http://www.judao.com.br/cinema/assista-agora-ao-trailer-de-fanboys/

    Chorei de rir aqui.

  72. O bom e o ruim existe em todas as áreas, varia somente a opiniao pessoal de cada um e o direito em se expressar essa opiniao em uma democracia.

  73. Post 58: Rodrigo Quinlan Vos

    Gosto não se discute, se lamenta.

    Lamento seu gosto por SW. Mas o universo de ST não se limita somente em humanos. Para alegar tal fato isso prova seu escasso conhecimento da franquia. Assista o seriado Enterprise e isso iluminará seu “vasto” conhecimento da franquia. Quanto ao formato bélico, estes também não se limitam em formas discóides. Klingons, romulanos, vulcanos, ferengues, kardacianos e borgs, etc… demonstam outras formas a serem apreciadas.

    O universo de SW é limitado a algumas espécies e a uma bolha estelar que tem como um dos planetas mais distantes Tatoine, o de ST vai além, vai até “ONDE NENHUM HOMEM JAMAIS ESTEVE”.
    Cada episódio é uma nova descoberta, e sempre são abordados ciências como astronomia, física, biologia, genética, medicina, biomecânica, robótica, geologia, metereologia, engenharia, informática, letras, sociologia e até religião, além de muitas outras.
    SW foi uma história com um começo e um fim. ST é uma história com um começo e sem um fim, pois ela demonstra as ambições da humanidade em conhecer o desconhecido, o Universo e tudo aquilo que nos cerca. Desde o micro ao macro.
    E não lembro de ver nas “Astronaves” de SW um laboratório de astrofisica, um holodeck, um reator de dobra, uma equipe de engenharia discutindo soluções para resolver o caos total instaurado em uma batalha. No máximo cheguei a ver o aventureiro Capitão Solo dando uns murros em sua velha MIllenium Falcon que quase toda hora se rebelava contra o seu proprietário.

    Bom acho que já é o bastante.
    Não há que se comparar SW com ST. ST está a anos luz a frente de SW.

    Até a próxima.

  74. Isto me lembra a frase final do ST, The Movie: “A AVENTURA HUMANA ESTÁ APENAS COMEÇANDO”

  75. Mariana e Marmolaro, é Khan Noonien Singh. Realmente bem parecido, será que se inspiraram nele para escolher o nome do pai de Data??

    Vejam em:

    http://www.trekbrasilis.org/2008/04/23/revisao-literaria-to-reign-in-hell-parte-1/

  76. Ah…valeu Mário!!

  77. Post 73:

    Caso ocorra todas as evoluçôes discutidas em ST, chegará a época em que viajar pela galáxia será tão simples quanto pegar um táxi hoje em dia, inclusive, o táxi poderá ser, quem sabe, uma lata velha, igual ao nossos carros de hoje, que as vezes precisa-se de uns trancos pra funcionar.

    Também poderemos ter um sistema politico, que abraçe toda a galáxia, como mostrado no universo de Duna… e em outra galáxia distante.

    Talvez um dia a robótica atinja uma evolução tal, que se torne algo corriqueiro, simples, e interagir com robos, será algo tão natural, quanto com um mordomo, ou a sua empregada doméstica, hoje em dia…

    Talvez num futuro muito distante, a clonagem, seja algo tão banal, que um politico pode encomendar, todo um exército de clones, com data e prazo de validade…

  78. Post 77:

    Algumas evoluções tecnológicas demonstradas em ST ainda estão longe de acontecer. Um exemplo é a velocidade de dobra ou a teleportagem. Em “Primeiro Contato” episódio 08 de um dos filmes da franquia é mostrado o descobrimento da velocidade de dobra pelo Dr. Zefram Cochrane e isto se deu após a 3ª guerra mundial. Espero que a humanidade não tenha que passar por esse horror novamente para que isto ocorra, no entanto o telefone celular via satélite chegou, dispomos de aparelhos de ressonancia magnética na medicina parecidos com alguns aparelhos utilizados pelo Dr. Mackoy, algumas sondas da NASA dispoem hoje de aparelhos de varredoura mais ou menos similares aos transponders utilizados pelo Sr. Spock, enfim o que foi abordado na década de 60 está chegando em nossa mão hoje.

  79. Em SW as naves propagam som no espaço!

  80. > 75
    Ops, thanks man

    > 73
    Vc precisa ler Asimov, ele descreveu uma galáxia assim, ou Perry Rodan, que são uns livrecos, mas é o maior barato!

  81. NUNCA VI TANTO “GÊNIO” REUNIDO NUM FÓRUM.

    ASIMOV, SAGAN, CLARKE e RODDENBERRY ficaram sem graça diantes de pessoas são magnânimas, como o nosso col-ÉGUA o tal OBSERVADOR.

    Deve ter um Q.I. de no mínimo uns 160, só pode.

    E se o novo filme fizer pouca bilheteria vão dizer que é porque o J.J. Abrams é fã assumido de STAR WARS ou que os efeitos são ruins por serem da empresa do criador de STAR WARS, sr. George Walton Lucas Jr.

    Realmente,

    Não há mesmo que se comparar SW com ST.

    Pois ST está ‘ÂNUS’ a frente de SW.

    E muito atrás em aceitação e RENTABILIDADE.

    Ah! Dizem que inveja MATA.

    Se é que vocês me entendem…

  82. Leandro Martins | 4 de novembro de 2008 at 3:07 pm |

    OK, cavalheiros, como eu estou vendo que a discussão aqui está começando a extrapolar o razoável, vamos fazer o seguinte: encerrem este papo de que “o meu é melhor do que o seu” e vamos seguir em frente.

  83. Eu a algum tempo, apenas entro e leio as opiniões – um voyeur das escritas – mas tem hora que só da pra rir.

    Infelizmente as pessoas se preocupam com o enaltecimento da intelectualidade e do conhecimento e se esquecem da humildade da sabedoria e do bom senso.

    Bem… Eu cresci praticamente dentro de um berço de gibis. Adoro super-heróis.

    Quando passei a entender o que via na TV – Jornada foi a que mais me atraiu. Ela se tornou algo que praticamente fez e faz parte de mim.

    Mas, como o meu gosto não é limitado… Não vivo correndo de tudo que é massificado (e taxando como infantil ou de conteúdo vazio). Pois, tudo – tudo mesmo – se vc for realmente alguém instruído (e que não fica citando grandes autores de livros e ou, dizendo que leu “N” livros, ou, assistiu “N” séries… por ser mais intelectuais… saberia que tudo tem seus limites de intelectualidade e de fantasia. Não só as séries em questão… Mas tudo que nos cerca.

    Como disse antes, não sou intelectual… Não vivo na mentira de que não me importo com uma coisa em questão e ou, que não tem valor de verdade… só porque o povão gosta ou pq tem um conteúdo diferente do que me agrada.

    Não lamento ou escondo as minhas preferências… Tenho orgulho de mim mesmo.

    Gosto de Star Trek (por motivos que muitos aqui tb gostam)… gosto de Star War (por motivos que tb outros gostam)… Adoro gibis e não dispenso um bom livro. Mas se me conhecerem, não esperem que vá dizer que sou ateu, elogiar Nietzche e bater no peito que aquilo que o povo gosta; não presta ou, detesto.

    Não quero ofender a ninguém… Seja fã de SW ou de ST… Cada macaco no seu galho. Mas, essas conversas sobre quem é melhor… Não leva a lugar nenhum.

    Apenas mostra o quanto somos limitados.

    Deixando as baboseiras de lado (qual série é melhor ou não… quem nos proporciona mais conhecimento ou não) tudo se resume em uma coisa só:

    Jornada está morrendo… E só “Nós” os fãs e que a mantêm ainda no suporte de vida. E isso não é mais suficiente.

    Ou ela muda de vez… Ou vamos viver apenas com as nossas coleções, alguns encontros casuais com amigos e depois, quando esse bando de velhos fãs se for…….. Coma e morte iminente.

    Star Trek deve e já devia ter mudado.

  84. Rodrigo, já baixou o nível msm eim cara?!

    O tópico chegou a ponto do pessoal invocar e até elogiar Nietzche aqui… socorro!

  85. OBSERVADOR
    É verdade, já chegaram até a fazer uma propaganda sobre isso. Muitas coisas já existem hoje. O curioso é que os grandes escritores de ficçao nao previram o televisionamento do primeiro homem na Lua.
    Eduardo
    Em ST também hé som no espaço, é para dar emoçao. mas é muito interessante ver a Enterprise virar como um aviao, como se tivesse ar no espaço. É válido se ficar emocionante. Vc viu o filme 2001, Uma Odisséia no Espaço? Tecnicamente excelente, mas achei o filme muito ruim.

  86. Post 84 -> Marcos, não se preocupe, esse aí já conseguiu ser expulso de todos os fóruns brasileiros de Star Wars…

  87. Post 73 – Observador, antes de sair falando besteira sobre Star Wars, da mesma maneira que você mandou o Rodrigo ir ver Enterprise, eu sugiro que você leia o primeiro post da página 3 do tópico “The Clone Wars” no fórum ( http://www.trekbrasilis.org/forum/viewtopic.php?f=6&t=383&start=20 ). Se os argumentos dele são pífios, os seus não estão tão longe pois são claramente o de alguém que viu uma ou duas vezes os filmes (isso se viu todos) e pensa entender alguma coisa de um Universo que tem 7 filmes para cinema, 3 filmes para TV, mais de 200 livros, mais de 500 HQs e uma linha do tempo que ultrapassa 5 mil anos. Falar de Star Wars tendo visto apenas os filmes é como falar de Jornada tendo visto apenas os filmes.

  88. Pessoal, mais uma vez, vamos parar com esses ataques contínuos a preferência do outro, que estão extrapolando o limite do bom senso.
    Caso contrário, teremos de encerrar os comentários.

  89. Lamento muito nunca ter visto ENTERPRISE, mas nunca me liguei em tv a cabo.

    Também nunca curti alugar seriados em DVD, embora eu adorasse alugar na época do VHS. Meio pelo qual vi muito episódios de TNG.

    Sempre gostei muito das naves de ST, sejam as da Federação, as “aves” Romulanas, as Klingon, e as Vulcanas.

    Tive umas snapkits das Enterprise B, C e E, por exemplo.

    Muitos acham que fico provocando insistentemente os fãs de ST, mas na verdade, não me agrada nada fazê-lo.

    Tanto é que há algum tempo venho aqui pra saber das novidades, e “entrei no jogo de provocação” só pra ter algo pra me fazer rir a valer.

    Quando mais jovem, ainda no ensino fundamental cheguei a passar muita vergonha ao imitar o Sr. Spock, usando inclusive com o mesmo tipo de cabelo. Ah! Adorava pirraçar e fazer inveja aos amigos que não conseguiam fazer a saudação Vulcana.

    Aproveito a postagem do colega M’Y para convidá-los a assistirem aos episódios da série SW-The Clone Wars em CGI.

    Eles estão cada vez melhores e lembram bastante o design bélico da Trilogia Original, sobretudo nas fardas, naves e veículos Republicanos.

    Ah! No filme SW-Episódio 1, numa cena em Coruscant, vista da janela do apartamente do ainda Senador Palpatine, é possível ver a silhueta da U.S.S. Enterprise D passando nos céus ao fundo.

  90. E o trailer, Mr. Abrams? Vem mesmo com Quantum of Solace? Teremos antes na Net? Olha que o filme do 007 estréia agora, Sexta-feira, segundo os intervalos comerciais a que assisti! Tomara que não seja outra decepção, igual quando fui assistir Cloverfield só por causa do trailer de Star Trek que ia rolar – fui pela boataria internáutica – e foi só frustração e tive que engolir só Cloverfield e outros trailers, né? Bom, pelo menos se não houver trailer ainda, só de ver a nova bondgirl já valerá o ingresso!!!!!!!!!!!

  91. A TODOS AQUELES QUE “GOSTAM E QUEREM MAIS AÇÃO EM JORNADA NAS ESTRELAS”
    FATO:
    Desde TOS as cenas de ação não contribuíram para a qualidade da série ou para o desenvolvimento das histórias.
    FATO:
    Em ST III Search for Spock, a cena do “roubo da Enterprise” – uma das minhas favoritas – resgatou a tradição das cenas de ação em ST – “Não me chame de baixinho!”. Em ST IV The Voyage Home, a fuga de Chekov e a consequente fuga do hospital são maravilhosas! Ação/Humor/Drama… A caça às baleias poderia ser melhor – culpa do Leonard, ele mesmo disse isso, mas a Ave de Rapina aparecendo sobre o baleeiro foi TOPs!!!! F! AWESOME!!!
    TEORIA:
    Mr. JJ “I know what’s best for ST” Abrams não tem cacife para colocar ação em favor da trama – vai acontecer como em Nemesis.
    POR FAVOR ME CORRIJAM SE MINHA LÓGICA ESTÁ INCORRETA…
    THANKS.

  92. Luiz Castanheira | 4 de novembro de 2008 at 11:20 pm |

    Nos três primeiros parágrafos ele não diz absolutamente nada além de uma óbvia constatação comercial. Consolidar, caracterizar, simplificar… Coisa básica.

    – Esta coisa do Batman é muito engraçada. Antigamente se recomendava não fazer um filme sombrio uma vez que (é claro) isto NÃO ATRAI o público, agora temos muito gente pensando em fazer coisas sombrias (é claro) justamente para ATRAIR o público. O pessoal de Hollywood é muito burro mesmo (risos). Recomendo “The Player” do Robert Altman e mesmo a série de TV Entourage para uma visão deveras ácida sobre tal assunto.

    – Otimismo é um dos pilares de Jornada, algo mais profundo é melhor ainda nestes termos. Como diria Frank Pembleton: “Virtude não é virtude a menos que seja desafiada pelo vício”.

    – Ele deu uma cutucada “razoável” em Star Wars. Sob o meu ponto de vista, de quem nunca vai ver nada além dos filmes de cinema (thank god!), ele simplesmente passou o rodo na marca.

    – Com um marketeiro deste calibre é sempre bom se tomar cuidado, mas “ação”, assim como “conflito” e tantos outros, são termos técnicos de roteirização. Ele simplesmente pode estar dizendo algo que muito pouco corresponde ao que povão pensa quando lê o que ele escreve. Quero crer que ele não iria cometer um erro tão infantil sobre o entendimento básico de Jornada como este. Afinal, o cara é regiamente pago para entender sobre o assunto. Quero crer ainda que Jornada é algo tão imenso e caracterísitico que não precisa ficar parecido com nada além de estar conectado com o seu tempo. Pois se for para ficar no terreno do blockbuster genérico eu vou puxar um ronco na sessão.

    Com perdão da sinceridade, este é o segundo filme de Abrams (o primeiro foi o mediocre MI:3) e os roteiristas escreveram o abominável Transformers. Será que vem mais um “grande” BG de verão por ai?

    Abraços
    Castanha

  93. Post 87:
    Gente, ST sempre foi ficção cientifica e estratégia. Ação sempre ficou em segundo plano, sendo dispontada em alguns episódios. SW sim é ação. Desta forma como técnico que sou sempre optarei por ST. Agora quem quer ver muita ação e tirotei para tudo quanto é lado, dróides com aquela voz sintetizada que chama mais a atenção das crianças e dos marmanjos, bichinhos saltitantes e alegres fica com SW. Sempre achei que SW fora feito para o público infantil, devido a alguns efeitos sonoros e certas fantasias. Quanto a ST dificilmente uma criança vai entender o desenrolar de um episódio, principlamente quando a Capitão pede para o Chefe de Engenharia aumantar o capacidade do reator de dobra diminuindo a energia no holodeck, além de aumentar a capacidade em mais 50% dos escudos dianteiros desativando a sala de teleportagem, uma vez que os decks 06, 07 e 08 da seção 04 do disco encontram-se despressurizadas e sem atmosfera pois fora atingidas por torpedos fotonicos. É não da para comparar ST com SW.

  94. Mas caro Observador, eu assisti pela 1. vez ST c/ 10 anos, e o que me atraiu foi justamente esse negócio infantil de naves, laser, tiros com armas laser, pessoas com roupas estranhas, mundos diferentes e super coloridos, o herói destemido, o cara estranho com orelhas pontudas, enfim…ST provoca a mesma coisa nas crianças que SW.
    Muito tempo depois comecei a entender esse papo de ficção cientifica e como ele é importante pro ser humano.

    Quando assisti SW pela 1. vez com 15 anos, me emocionei com o drama do rapaz que perde os tios e depois mais ainda quando o herói descobre seu passado e tem que duelar contra seu próprio pai, mas ao invés de tentar mata-ló, tem esperança no pai.
    SW fala de questões humanas e vai direto ao ponto.

    Jornada começou como série, são mais de 70 episódios só da TOS, portanto é ÓBVIO que ST é mais abrangente nos assuntos tratados, ela veio com a proposta desde o inicio de discutir ficção cientifica, SW, na mídia cinema/tv, tem apenas 6 filmes e 3 animações e a sua proposta principal sempre foi mostrar o drama da família Skywalker e a transformação da República em Império.

    Ambas têm o mesmo sucesso e paixão dos seus fãs e nenhuma é inferior à outra.

    A titulo de curiosidade: ontem na CNN, uma repórter entrou ao vivo em forma de holograma, citando, que se sentia a própria Princesa Leia, SW também contribui pra ciência.

  95. Esse aspecto do holograma: é mais velho que andar para trás. A citação de Sw deste repórter poderia tr sido de dezenas de outros filmes, ele falou deviao ao “apeal” e sucesso que o filme tem nas massas, mas não dá para dizer que SW foi o pioneiro. SW também se utiliza de hiper espaço, mas a aplicação em filmes se deu originalmente com ST e mais não sei quantos princípios físicos e sociológicos. SW, como falado anteriormente, é fantasia e não deveria haver nenhuma comparação.
    Gosto de SW como fantasia mas St é ficção.

  96. digo: SciFI

  97. Olha!

    Se eu fosse um renomado e criativo diretor de cinema e fosse convidado para revitalizar Star Wars,

    e se essa revitalização de Star Wars fosse um tremendo e arrebatador sucesso,

    e se a mídia perguntasse qual a fórmula de tal sucesso, responderia francamente:

    Coloquei neles ingredientes de Star Trek, pois sou fã incondicional.

    PRONTO! Os fãs de Star Wars me esfolariam VIVO!

  98. Estamos todos aqui discutindo e de repente sai o novo trailer e vemos a Enterprise entrando em uma fenda taquiônica, polarizando negativamente os escudos, sobrecarregando as naceles, invertendo o fluxo de antimatéria, e de repente

    BUM !!!,

    aparece o Yoda e o Jar Jar Binks na ponte de Kirk e Spock!

  99. Verde, claro que SW não inventou o holograma, mas é quem melhor divulgou… é a mesma coisa de Jornada, varias conceitos, como o teletransporte e a federação de planetas vieram do filme O planeta proibido.
    No meu post 77, dei alguns exemplos de que SW não é tão fantasia assim, a ficção cientifica está li nas entre linhas, SW é um exemplo de civilização muito além da de ST.

  100. Verde e demais colegas desse maravilhoso blog, minha intenção não é ficar provocando vocês, também sou fã de ST, acontece que é um prazer poder discutir sobre as minhas franquias favoritas.

  101. Post 93 – Você quer a série, o livro, o capítulo ou a página que existe uma descrição dessas?

    De qualquer maneira, essa sua descrição é a típica “tecno-baboseira” que dura 30 segundos e depois o coitado que é pago pra fazer os livros técnicos tem que se matar pra explicar o que tinha em cada um desses lugares pra fala fazer sentido e no próximo episódio (ou na próxima temporada) vai ter outra fala que contradiz completamente e que por fim jogou Voyager no limbo e permitiu à nave ficar 7 anos perdida sozinha no outro canto da galáxia e chegar melhor do que quando saiu pela primeira vez de uma doca espacial.

    Tudo é comparável. O problema é: precisa-se conhecer de verdade para comparar. É justamente por isso que eu não me atrevo a falar, por exemplo, de DS9: eu simplesmente não conheço a série suficientemente.

  102. César
    Eu não me ofendo com nada (contanto que vc não xingue a minha mãe). Eu gosto de trocar idéias e respeito, posso não concordar, mas eu quero fazer amigos e não inimigos.
    Sempre assumo aquele princípio (já nem me lembro de quem): Não concordo com uma palavra do que dizes mas defendo até a morte o direito de que tem em dizê-las”.
    Mas como já disse aneriormente, gosto de SW, mas, na minha opinião é fantasia ou HQ filmado, não é ficção. Não é demérito, é apenas outro tipo de filme. Poderia ser drama, comédia, suspense, terros mas é fantasia. Tem aspectos de ficção mas para por aí. Tem muitos filmes de suspense, policial, ambientados no futuro ou no espaço, mas no fundo não são ficção. São até filmes bons, mas não são ficção.
    Se eles sao exemplo de civilização não discuto, mas não é ficção, só isso.
    Abraços e espero ter angariado um amigo virtual e não um inimigo braçal.

  103. cesar antonio r martins | 5 de novembro de 2008 at 11:21 pm |

    VERDE, boa noite.

    A citação é de Voltaire.
    Um abraço.

    A-koo-che-moya, Gene…

  104. cesar antonio r martins | 5 de novembro de 2008 at 11:33 pm |

    Cesar Adr, boa noite.

    POST 99:
    “… um exemplo de civilização muito além da de …”.

    Cuidado com as categorias/epítetos/definições quando se referir à conceituação do substantivo CIVILIZAÇÃO. Avanços tecnológicos não são a melhor, ideal ou única maneira de mensurar/aferir uma civilização.

    A-koo-che-moya, Gene…

  105. Ainda sobre o assunto desta “briga”, devemos lembrar que Star Trek estava para ter seu retorno em forma de seriado de tv.

    Com o estrondoso sucesso de Star Wars, a Paramount resolveu transformar Sta Trek-Phase II em “The Motion Picture”.

    Não tivesse sido Lord Lucas, a linha temporal na qual vivemos nunca teria oferecido “A Ira de Khan” ou “A volta para Casa”, nem DS9 nem nada.

    Por isso, parte do revival de JORNADA se deve à Guerra nas Estrelas.

    Amo Star Trek, mas devemos adimitir que quem se meteu na parada criada por Star Wars foi o pessoal da Paramount.
    Pois Star Wars não apareceu em função de Jornada.

    Daí, os dois começaram a correr juntos na mesma pista.

    Se estamos ainda no páreo é porque temos fôlego mais duradouro.

    Vamos deixar Star Wars e a criatividade de Abrams em paz!

  106. Eu acho que se Jornada nas Estrelas for um filme de ação, deixará de ser Jornada nas Estrelas, o que mais me deixa contente em ver Star Trek são exatamente a discussão sobre o ser humano (quem não lembra do Com. Data falando sobre o humor ou o amor?) (ou então Spock falando sobre os sentimentos?). Jornada nas Estrelas deve continuar falando do ser humano não deve abandonar a questão da humanidade, para quem gosta de ação então que assista Star Wars, eu prefiro muito mais Star Trek mas respeito quem não gosta.

  107. se o jj e sua equipe conseguirem captar em grande estilo a essencia das grandes questoes filosoficas da humanidade e o estilo cientifico tecnologico realista que sao os points de star trek, vai ser demais. quero ser otimista.

  108. Essa questão ST X SW nunca vai terminar, para começar os nomes são parecidos e quem não conhece sempre confunde as duas. Segundo, o impulso para continuar ST foi por causa do lançamento de SW.
    Porém, como são coisas diferentes podemos gostar dos dois.
    O que me mata é falarem sobre como eu gosto de ST e me mostrarem um monte de coisas de SW, mas tudo bem … dá para sobreviver.

  109. cesar antonio r martins | 9 de novembro de 2008 at 9:59 am |

    Para apimentar mais ainda este colóquio, no qual o foco central é Star Trek e introduziram Star Wars “de carona/na ponga”, sugiro também acrescentar Stargate.

    Aí é que nunca mais teminaremos esta discussão.

    O fato é que ALGUMAS PESSOAS por aqui:

    (1) não compreende/sabe participar de, digamos, discussões colegiadas;

    (2) não quer compreender que, como questão de ordem, a discussão pelo gosto pessoal não deve ser intrometida nestas referidas discussões;

    (3) deve manter nos tópicos apenas a discussão do material de relevância apontado, sem maiores derivações/digressões

    (4) etc.

    A-koo-che-moya, Gene …

  110. Esses debates sobre as 2 franquias SW X ST, estão parecendo as discussões de eloquência entre Spock e o bom Doutor, que não acabavam nunca mas eram divertidas de se ver.

  111. cesar antonio r martins | 9 de novembro de 2008 at 9:42 pm |

    Corrigindo as não-conformidades léxico-sintagmáticas:

    “Para apimentar ainda mais este “colóquio”, no qual o foco central era/é Star Trek e introduziram Star Wars “de carona/na ponga”, sugiro também acrescentar Stargate. Aí é que nunca mais terminaremos esta discussão.

    O fato é que ALGUMAS PESSOAS por aqui:

    (1) não compreendem e/ou não têm o perfil adequado para participar de, digamos, discussões referendadas/”colegiadas”;

    (2) não querem compreender que, como pragmática questão de ordem, discussões do/pelo “gosto pessoal” não devem, ou pelo menos não necessitam, ser introduzidas nestes tópicos de discussões específicas;

    (3) devem/precisam aprender a manter nos tópicos apenas a discussão de relevância ao material apontado, sem maiores derivações/digressões;

    (4) etc.

    A-koo-che-moya, Gene …

  112. Entenderam?

    Agora, vamos pegar nossos diplomas para ir ao congresso votar as matérias mais relevantes.

  113. cesar antonio r martins | 12 de novembro de 2008 at 9:55 pm |

    Isso, Sr. Mamoru.

    É com jocosidades que se contrói o mundo.

    A-koo-che-moya, Gene …

Leave a comment

Your email address will not be published.


*