IGN: Filme é muito bom, mas trama deixa a desejar

posterA versão britânica do website de entertenimento IGN conferiu o novo Star Trek na pré-estreia londrina durante o tour mundial do filme, e já colocou em campo sua crítica a respeito da nova produção de JJ Abrams para a franquia de Jornada nas Estrelas. Para Orlando Parfitt, do IGN, Star Trek é um filme que conta com ótimos personagens e interpretações por parte dos atores, mas a trama não segue a mesma qualidade, faltando algo a mais para ser um grande filme de ação. Veja a seguir alguns trechos do artigo. Eventuais spoilers estão presentes.

São as diferenças entre Spock e Kirk, e sua complexa relação, aquilo que está no coração de tudo o que Jornada nas Estrelas tem de melhor. A interpretação de Leonard Nimoy e William Shatner dos personagens mais icônicos da série está encravada na nossa consciência coletiva, então para os escritores, e para os atores os interpretando, apresentar eles de um modo inovador que evitasse caricaturizar os personagens sempre seria algo extremamente difícil.

Eles tem sucesso nisto de modo brilhante e oferecem ao filme (e esperamos para a franquia) seu coração e alma. O par está perfeitamente bem nos papéis. Pine não parece nem soa em nada como Shatner, mas acerta bem na essência do personagem de Kirk com sua combinação de charme rústico e arrogância atrevida. O ator parece somente outro produto da linha de produção de bonitão-padrão de Hollywood, mas ele se mostra extremamente carismático e acerta a martelada na cabeça do prego com o papel.

Quinto é ainda melhor. O filme realmente gira em torno dele, com sua estudada performance que entrega sem esforço aquilo que faz Spock tão interessante: sua personalidade lógica que esconde uma suprimida camada emocional. Quando Spock e Kirk, que se mantem em conflito por quase todo o filme, estão juntos em cena, o filme mostra estar vivo.

Sobre a trama, Parfitt a considerou desnecessariamente complicada, e o filme não consegue realmente manter um senso de urgência de modo a empolgar a platéia:

Não importa o quanto eu apreciei o diálogo e a interação dos personagens, apesar da minha afeição pelos personagens, eu nunca estive à beirada de meu assento no cinema. Eu nunca senti que Kirk e Spock estivessem em genuíno perigo, e em momento algum eu tive a sensação de que isto era uma aventura espacial em larga escala sendo conduzida para uma grandiosa conclusão por sua própria intensidade dramática.

Isto ocorre por a trama ser uma bagunça completa. A maioria de vocês já sabem que a história incorpora elementos de viagem no tempo com Nero retornando de 30 anos no futuro para ter sua vingança. É uma trama que é meio complicada e requer considerável exposição para ser minimamente compreensível.

Sobre o impacto geral do filme e seu eventual legado, Partiff faz uma comparação com um dos blockbuster do ano passado, Homem de Ferro, ao comentar que apesar de ambos não serem grandes filmes-eventos per se, são bem levados pelo elenco e estabelecem material muito bom para sequencias já acertarem o chão à toda velocidade:

De certo modo, Star Trek é o Homem de Ferro deste ano. Ambos tiveram elencos muito bem montados, cheios de ótima interação de personagens e genuína humanidade. Mas ambos foram seriamente comprometidos por tramas mal concebidas e sequencias de ação que deixam a desejar (….) A boa coisa sobre Homem de Ferro e Star Trek, contudo, é que ambos estabelecem as bases de (assim esperamos) sequencias espetaculares. Ao fim de Star Trek, nós temos um (na maioria) brilhante elenco da tripulação nas suas posições na ponte da Enterprise. Para Star Trek 2 (ou deveria ser 12?) eu aguardo por um forte novo adversário para ameaçar a Federação (não seriam os Klingons ou Os Borgs legais?) — e então a promessa de Abrams de genuína excitação em uma aventura espacial pode ser completamente realizada.

Com este artigo do IGN, Star Trek atinge sete críticas no Rotten Tomatoes e seu tomatometer já foi ativado, estando ao final do dia 17 a 100% — mas é irreal esperar que o índice se mantenha tão alto, pois inúmeras outras ainda estão por vir. Aguardemos.

44 Comments on "IGN: Filme é muito bom, mas trama deixa a desejar"

  1. Esse é Trekker!!!

  2. Eduardo Cordeiro | 18 de abril de 2009 at 12:42 am |

    É bom ver uma crítica mais pés no chão do que o oba oba generalizado que acontece por aí (comentários como “cool´´, “super´´, It will rock!, etc) que acabam não tendo muita credibilidade pela fragilidade de argumentos.

    O que eu espero é o trabalho de um Nicholas Meyer do sec. XXI, que vai trazer novidades sem estragar o todo (estou cruzando os dedos pra isso).
    Pra falar a verdade, se for metade do que foi A Ira de Khan ou Primeiro Contato, já estou feliz pra um recomeço.

  3. A crítica levantou o ponto em que citei várias vezes. O fato desta viagem no tempo ocorrer até o nascimento de Kirk e depois ter que (de certo modo) avançar 22 anos. São detalhes muito complicados para expor em 126 minutos de filme. E, ao que parece, já se torna a primeira pisada de bola. Nero aparentemente sentou na cadeira da nave mais avançada daquele tempo e esperou por 22 anos antes de completar sua vingança. Por quê não foi logo para a Terra e Vulcano, se no século 26 nem uma frota Klingon conseguiu deter a nave? Espero que exista algum senão para este fato.

  4. Os Klingons “de sempre” com as nave K’tinga????

    Os Borgs (Século XXIV) voltando ao Século XXIII????

  5. Gosto de quem diz o que gostou e não gostou em um filme. Que elogia o que tem pra elogiar. Que não se faz de rogado e enfia o dedo na ferida se houver uma.

    Para os iniciantes, já temos um problema… Dificuldade de entender o vilão.

    Para os fãs, ainda tem a HQ…
    E os Novatos?
    Vão comprar a revista?
    Tipo assim… Se virem?

    Pode ser um filme empolgante, cheio de ação e imagens digitais magníficas… mas… vai ficar devendo em estória. Quem sabe no próximo.

    Ou…

    Star Trek: versão do Diretor.

  6. Borgs no século XXIII – dificil!
    Afinal, salvo melhor juízo,os Borgs se encontram no outro lado da galaxia a caminho do quadrante alfa
    (no século XXI em Primeiro Contato eles estavam no quadrante Delta, então no século XXIII possivelmente no quadrante gama).
    PS a não ser que outra rainha borg viaje no tempo e tente estabelecer um vinculo temporal – viagem no tempo de novo – ninguem merece!!!!

  7. É, como eu já disse aqui, eu nunca apreciei a “genialidade” do Orci e Kutzmann, que foi o pessoal que escreveu o “Transformers” (um filme bom sem roteiro bom).

    Mas no elenco, Abrams e Giacchino eu confio.

  8. Talvez ainda exista esperança… hahahah…

    Eu arrisco dizer que esta é exatamente a crítica que a maior parte dos fãs “hardcore” poderia desejar: o filme é bom, tem uma boa química entre Kirk e Spock e – para a surpresa do crítico, mas talvez para o delírio dos fãs – não tem grande cenas de ação. Ou seja:

    1. parece que está garantido o tão estimado elemento humano da franquia: dilemas morais, de relacionamento, personagens multi-facetados, que seguem uma “jornada” para se superarem. In Quinto I trust – Sylar é a última coisa boa de Heroes e acho que ele não deve me decepcionar como Spock.

    2. não, parece que Star Trek (ainda) não virou Star Wars; parece que não deram muita ênfase nas batalhas para deixar de lado os outros elementos de uma boa aventura de ST.

    O que para o crítico pode ser um ponto negativo, pode ser uma luz no fim do túnel para alguns fãs, porque não sei se eles ficam na “ponta da cadeira” pelo mesmo motivo que o jornalista que escreveu a crítica. Isto é, talvez o filme não seja apenas ação espacial e explosões descerebrados. Talvez. Espero. 😉

    3. Sim, o enredo deve ser uma zona ou, no mínimo, um pouco difícil de acompanhar. Novamente, isso pode ser um ponto negativo para os não-iniciados, mas pode ser que os fãs (já habituados com o tipo de exercício lógico necessário para entender os mecanismos dessas viagens no tempo) não sintam esse impacto. Em tempo: não estou dizendo que os não-fãs sejam idiotas ou burros: eles apenas não tem o mesmo “treinamento” que nós, fãs de ST, temos.

    É uma pena que invistam em um recurso narrativo tão batido: essas viagens no tempo para salvar o universo. Isto era parte importante em ST IV, Primeiro Contato e em zilhões de episódios ao longo da história da franquia – e foi exaurido completamente em ST: Enterprise com toda aquela babaquice de Guerra Fria Temporal.

    De resto, continuo otimista.

    p.s.: Nero não voltou apenas 30 anos, né? Ou isso está muito confuso MESMO ou o cara que não captou a mensagem. Anyway…

  9. Realmente, Homem-de-ferro e Transformers não possuem roteiros profundos, entretanto cumpriram o seu papel de convencer os estúdios de se arriscar em continuações mais elaboradas. Espero realmente que Star Trek consigo, abrindo caminho para o retorno à TV e quadrinhos.

  10. Ralph Pinheiro | 18 de abril de 2009 at 9:06 am |

    Sempre pensei assim: “Se Star Trek for de um desenvolvimento de personagens ao nível do Homem de Ferro ou Batman Begins já terá conseguido seu objetivo”.
    E ao que parece essa é a realidade, a história é um emaranhado de confusão, mas o elenco parece ter segurado a trama na unha (Shatner e cia também não faziam isso?). Elogios também ao diretor Abrams, pois um bom diretor pode extrair coisas boas de uma história fraca.

    Sempre achei essa história de viagem no tempo estapafúrdia. Mas vcs devem levar em consideração que foi o caminho encontrado por eles para se livrarem do canon sem fazer um reboot total. Contar uma história onde todo mundo sabe aonde vai dar é o mesmo que produzir um documentário, como eles já disseram.

    Acho que se eles conseguirem o que se proporam a fazer, chamar a atenção do público sobre a nova saga ST, está aberto o caminho para novas aventuras. O problema é que eu não gostei muito dessa dupla de roteiristas. Pode ser que com o caminho livre eles tenham mais criatividade para produzirem uma boa história para o próximo filme.

  11. não querendo me alongar muito, nem me repetir…

    Relendo a crítica percebi que o jornalista afirma que as cenas de ação que “deixam a desejar”; hmmm… convenhamos: quando Star Trek teve cenas de ação realmente impactantes? O clímax das batalhas espaciais em ST sempre foi meio no ritmo de “batalha de submarino”, onde o elemento principal é a estratégia empregada pelos comandantes das naves. Ou ainda: o que é uma cena de ação bem concebida? Este aspecto dos filmes de Hollywood mudou muito desde Matrix e (quem sabe?) o crítico estava esperando exatamente isso: milhares de efeitos impactantes por segundo!

  12. Bom… com excessão de outra jornada temporal, afinal é StarTrek ou Túnel do Tempo, eles precisam decidir qual é a série que eles estão fazendo!!

    O resto é muito blá-blá-blá… criar discussão de críticas do filme sem assistí-lo, “é ilógico”. 🙂

    O pessoal reclama sempre do roteiro, mas no fundo todos os roteiros de filme de ação americanos são iguais, não vejo a razão do pessoal complicar.

    De qualquer forma estou ansioso pra ver o filme e, puts, quando vai sair o StarTrek Online… vou estar nele também

  13. Flávio Fernandes | 18 de abril de 2009 at 9:28 am |

    Sim, este é Trekker mesmo.

  14. Ralph Pinheiro | 18 de abril de 2009 at 9:57 am |

    Lendo a crítica agora, vejo como são as opiniões diversas sobre o desempenho dos personagens.

    Teve gente que disse ter sido o Spock de Quinto fraco e decepcionante; outro já disse que Simon Pegg está brilhante e Pine razoável; outro já diz que Urban é McCoy e o resto é razoável e agora o IGN diz que o Spock de Quinto é brilhante, mas Urban e Simon estão decepcionantes.
    Isso é opinião de trekker, gostaria de saber a opinião de alguém que não é trekker.

  15. Bem, é só mais uma crítica. Ou seja, o que ele não achou legal não significa que outros acharão a mesma coisa e vice-versa.

    Mas na crítica do Omelete, a repórter que “caiu de pára-quedas” pra ver o longa também achou a trama envolvendo o Nero meio confusa. Acho que o ponto fraco do filme deve ser esse mesmo, enquanto o ponto forte de STXI seria mesmo a origem da tripulação clássica.

  16. Só resta esperar e conferir. Duvido que, com um investimento tão alto, não planejem uma seqüência ou um série, eles não funcionam assim. A lucratividade de uma mega-produção como esse Star Trek está na bibheteria mas também nos outros produtos desdobráveis: DVDs, brinquedos, HQs, etc.
    Se for melhor que “Rebelião” e ‘Nemesis” não vale muita coisa, se chegar perto de “Primeiro Contato” já paga o ingresso, se superar: é lucro puro.

  17. Eu gostei da crítica… excetuando-se uma coisinha…:

    >e sequencias de ação que deixam a desejar
    R: Qual é o problema…? Desde quando você vai ao cinema assistir ação? Eu pelo menos vou para ver conteúdo… Se for sair de casa pra ver ação, eu ou eu vou pro cinema ao lado (Se for de ação) ou eu vou pra janela de casa ver briga de cachorro…

    Mas no geral a crítica foi bem escrita…

    Fora isso, eu não sei mais nem o que dizer além de: “VOU ASSISTIR O FILME E VER A TRAMA COM OS MEUS PRÓPRIOS OLHOS!”

  18. “e em momento algum eu tive a sensação de que isto era uma aventura espacial em larga escala sendo conduzida para uma grandiosa conclusão por sua própria intensidade dramática”.

    Poucos filmes espaciais conseguiram isso, que me lembre, com impacto mesmo, só 2001, O Império contra ataca e A Ira de Khan.

    Concordo com vocês, se for no nível de Homem de Ferro, já estarei aliviado, pois não existe filme perfeito, o tão adorado Cavaleiro das trevas tem mais furo pra caramba, e mesmo assim o público gostou.

    ————————————
    Só voltando ao tópico da campanha públicitária, Anjos da noite a Rebelião, (Anjos da notie!), já tem comercial na tv.
    A Paramount vai esperar o dia 08/05 pra começar?

    Passa logo esse trailer na Warner nos dias de Smallville, Fringe, Supernatural, Gossip Girl. Estão esperando o quê?!

    Não sei como funciona, mas a Paramount não podia fechar um acordo com a Globo pra exibir alguns filmes de Jornada aí pelo fim do mês. Essa é a hora do Telecine voltar a exibir.

  19. Ralph, ninguém falou mau do Urban até agora pelo que me lembro. Para mim as únicas coisas que estão unanimes em aceitação são ele e a trilha sonora.
    Mas as críticas estão confusas mesmo. Umas falam bem e outras mau do mesmo assunto.
    Sabem todos esses filmes de heróis de revista em quadrinhos que viram ou não franquia. Acho que essa nova ST vai pelo mesmo caminho, se for muito bem continua (como SpiderMan e X-Mem), se for meia-boca vai sofrer mudanças profundas (Como Batman TDN em relação a Batman Begins), se for ruim vai para o baú (Como Motoqueiro Fantasma e O Justiceiro).
    Mas pelo que dá para sintetizar é quê:
    -Teremos um ótimo Kirk e McCoy.
    -Teremos uma história, as naves e um Spock (do de Quinto dos infernos, não do Nimoy) e edição ruins.
    -Teremos um total desrespeito aos fãs. Uma história que nada terá de ST.
    -O resto do elenco é mediano.
    -O Nero, sua Narada e a história terão um fim nesse filme, deixando poucos ou nenhum gancho para a próxima produção.

    Agora eu acho que só vendo o filme, mas já vou avisando que se tudo ocorrer bem vou fazer questão de arrecadar o maior número de pagantes para assistir o filme. Mas se o filme for ruim lá no exterior vou fazer questão de baixar na rede e destribuir na porta do cinema.

  20. Olha que diferença!!!! reinterando o que já foi dito…um trekker de verdade!!!!!…

    Agora qnto ao ´Pine…não ter o mesmo estilo de Shatner…., já discutimos anteriormente aqui que a idéia não é imitar os atores e sim…encarnar o personagem…e pelos trailers…não tenho dúvida que o garotinho Pine vai superar todas as expectativas!!!!

  21. Ralph Pinheiro | 18 de abril de 2009 at 3:18 pm |

    Post 20.
    “…Ralph, ninguém falou mau do Urban até agora pelo que me lembro..”

    Padô, o IGN falou sim.
    … whilst Karl Urban’s “Bones” McCoy and Simon Pegg’s Scotty are actually rather disappointing…”

    Isto é, que Urban e Pegg estão decepcionantes.
    Porisso acho estranho fazerem diferentes críticas da mesma pessoa. Isso é coisa de trekker.
    Nesse ponto discordo quanto ao Urban. Não vi o filme, mas pelas poucas cenas, Urban parece estar caracterizando muito bem McCoy.
    Dizer que o telespectador não vai sentir McCoy como o melhor companheiro de Kirk é achar que os dois terão a química no primeiro olhar.
    Não é bem assim. Eles se conhecerão e se relacionarão. Uma amizade se ganha com o tempo. Vai haver conflito, desencontro, discussão, e acredito que só no fim do filme eles começarão a formar o trio. Puro exagero de crítica. É coisa de trekker

  22. Francisco Oliveira | 18 de abril de 2009 at 4:10 pm |

    Eu levanto as mãos aos céus de gratidão pelo J.J.Abrams ter confiado neste projeto !

    O que os amigos acham que estaríamos fazendo agora neste site? Comentando o fracasso de Voyager ou a sétima temporada de STNG ?

    Desculpem mas não dá para entender como aficionados são tão críticos a um projeto que nem foi apresentado e que eleva nossa querida série ao maior patamar de mídia e investimento já desenvolvido pelos estúdios .

    Eu não quero enterrar Star Trek , de jeito nenhum , mesmo se o filme não me atender serei devoto e protetor …sempre …depois cobro por melhores roteiros , simplesmente isto .

    Abraços, Francisco Oliveira

  23. RESUMINDO:

    PARECE que tudo que SÓ está NOS GIBIS CONTAGEM REGRESSIVA faz sim MUITA FALTA ao filme.

    Só frisando: PARECE… 🙂

  24. Tenho a impressão de que ainda não veremos o trio consolidado neste filme. Ao que parece, eles estão colocando o Kirk como contraponto do Spock, diferente da série, onde o capitão era um ponto de equilíbrio entre Spock e McCoy. Talvez isso seja melhor desenvolvido nas continuações. De qualquer forma continuo otimista. Essas críticas foram bastante animadoras! Já passou meu medo de ter um smallville na estrelas. Estou feliz da vida.

  25. Ralph Pinheiro | 18 de abril de 2009 at 7:53 pm |

    Interessante ver video log no youtube de jovens na faixa de 16 anos falando do trailer de Star Trek e falando com surpresa e curiosidade. Jovens que são fãs de Lost e que querem ver o filme de J. J.Abrams.
    Parece que o filme está despertando realmente a atenção.

  26. Até que enfim!

    Saiu aquilo pelo qual os os xiitas tanto rezaram e pediram ao cânon perdido:

    Uma crítica parcialmente negativa…

    Soltem os rojões!
    Vitória!!
    Quem sabe isso não se torne a desgraça do JJ Abrams e da franquia? Afinal, a esperança, depois do cânon, é a última que morre.

    E qual é o motivo da crítica? Oras…o filme NÃO TEM um ritmo vertiginoso imposto por cenas de ação cheias de anfetaminas.

    Pois é…o filme não tem justamente aquilo que os xiitas acusaram que ele teria.

    Mas enfim, é uma crítica parcialmente negativa, não é mesmo? Isso é tudo que importa. Quem mandou o JJ Abrams se meter a besta e tentar resgatar a franquia da morte? Ele vai ter que pagar caro por isso.

    Quanto a confusão do roteiro, esse será o preço que o JJ Abrams vai pagar por tentar contemporizar com os “fãs”.

  27. Obrigado pela correção Ralph Pinheiro. Só lamento que se a história do $J$J$ for fraca então entrará para o mesmo nível de Transformers, Wolverine, Dragon Ball e tantos outros filmes de alto orçamento e baixo talento.
    E sinceramente não sei da onde os Hezbolah da vida acham tanto otimismo assim, ôh gente com virus de Daniela Mercury misturada com bactéria de Ivete Sangalo.

  28. COMENTÁRIO ÁCIDO:

    Percebe-se aqui a ridícula comparação entre filmes baratos e NÃO lucrativos (DragonBall Evolution e Wolverine) com filmes caros e LUCRATIVOS (TransFormers) como se “ambos” fossem ruins pelo simples fato de NÃO serem STAR TREK…

    APOSTA CANALHA:

    TransFormers 2 (US$ 200 milhões) bate fácil STAR TREK (US$ 150 milhões).

    Vai dar algo tipo US$ 800 milhões de TransFormers 2 para US$ 400 / 500 milhões para STAR TREK (e olha lá…).

    CORROBORAÇÃO:

    “De certo modo, STAR TREK é o Homem de Ferro deste ano. Ambos tiveram elencos muito bem montados, cheios de ótima interação de personagens e genuína humanidade. Mas ambos foram seriamente comprometidos por tramas mal concebidas e sequencias de ação que deixam a desejar…”

  29. Imagino com certa lógica que deve ser explicado em algum ponto do filme quem é e o porque do tal do Nero querer vingança…
    Porém, quando vi o resumo das HQ com o prequel do filme, que parecem muito boas por sinal, não pude deixar de imaginar que quem não tiver acesso ou ao menos ouvir falar destes fatos “preparatórios” à trama, o publico comum, pode achar meio confusa a história, ou achar meio gratuita a história do Nero…
    Sim, viajens no tempo e reset adventures já estavam batidas, mas vamos ver se dá para aceitar mais uma…

  30. Henrique Hübner | 19 de abril de 2009 at 9:00 am |

    🙂
    Pircard quer deixar seu recado para os liberais republicanos que abominam o canon de ST, e se manifestam de maneira tão “troll” quanto os xiitas corneteiros: http://i187.photobucket.com/albums/x89/edwardbayntun/gifs/StarTrekChunk.gif

  31. Se um crítico jornalista não consegui distinguir o periodo de tempo que Nero viajou é por que dá para se imaginar que vai ter muita gente viajando na maionese neste filme. 30 anos é uma pisada e tanto.

    ESTE FILME NÃO É PARA A NOVA GERAÇÃO É PARA TREKKERS QUE REALMENTE ENTENDEM DE SCIFI.

    Aliás somente trekkers entendem melhor estes conceitos de viajem no tempo, pois convivem com isso na franquia.

  32. Post ^30

    “Imagino com certa lógica que deve ser explicado em algum ponto do filme quem é e o porque do tal do Nero querer vingança…”

    E se esse primeiro filme não foi feito mesmo para explicar?!

    Imaginem o quadro futuro…

    Nero no passado com tecnologia que poderia salvar seu planeta natal… A Nave de Spock e a Matéria Vermelha.

    Um cara cego de ódio que não se importa em alterar toda a linha do tempo para ter sucesso em seus objetivos.

    Quem pode dizer que em seus 20 anos de chá-de-sumiço, Nero não contatou o seu povo… E em uma produção futura… Não aparece mais romulanos e com uma ponta lógica de explicações sobre o mesmo?!

  33. Henrique Hübner | 19 de abril de 2009 at 9:18 am |

    E eu como trekker corneteiro e xiita acho que essa premissa de viagem no tempo não é mais coesa… rs… e tenho dito…

    Ahhh… e explosão de Vulcano é Romulo!

  34. Apesar da divulgação da mídia dizer o contrário, sempre achei que a trama do filme, envolvendo viagens no tempo, seria melhor compreendida pelos fãs antigos. E essa crítica confirma exatamente isso, ao indicar que o filme se destaca pela exploração da essência dos personagens em uma trama de difícil compreensão para neófitos. Mas se, mesmo assim, ele conseguir expandir o público da franquia, Abrams & Cia terão conseguido um feito admirável.

  35. Reafirmo uma opinião que já expressei anteriormente no TrekBrasilis: viagens no tempo são um convite para roteiros cheios de furo.

    Se os roteiristas não souberem conduzir a coisa toda, os paradoxos/contradições/falhas tornam-se evidentes demais para toda a audiência.

    Se viajar no tempo é algo tão trivial como os roteiros sci-fi fazem parecer, o que impede os personagens de lançar mão desse recurso sempre?

    Se alguém muito querido morreu … Não tem problema, vamos voltar no tempo e impedir que aconteça …

    Se fomos derrotados por um adversário – por que se preocupar? – basta voltarmos no momento antes do fato ter acontecido e surpreendê-lo …

    Aliás, para que se preocupar com qualquer coisa? Deixa acontecer e depois é só fazer uma viagenzinha temporal e corrigir o que nos desagradou.

    Agora, já imaginou a bagunça geral que seria o continuo espaço tempo, se os adversários dos heróis resolvessem lançar mão desse mesmo recurso?

    Seria o sonho da PÓS-MODERNIDADE: muita gente apática com relação ao presente. Tudo pode ser corrigido mais tarde …

    De qualquer maneira, estou ansioso pela estréia do filme e sinceramente torço pela revitalização da franquia. Que venham mais filmes, mas sem viagens temporais por favor.

  36. De fato, tenho visto opiniões muito díspares sobre o desempenho dos novos atores.

    Pelos trailers apresentados – sinceramente – é impossível fazer um jugamento mais equilibrado.

    Confesso que – pelo visto nos trailers até o momento – tenho estado apreensivo com quanto a atuação do Quinto no papel do SPOCK.

    Fisicamente ele lembra muito o NIMOY. Mas até o momento somente pude vê-lo dando chiliques nervosos ou fazendo ameaças … nada que lembre a fleuma do personagem.

    O filme pode até estar centrado na história do SPOCK como os críticos vem dizendo, mas os trailers estão fortemente centrados na vida de KIRK.

    Isso é, no mínimo, algo curioso. Seria uma estratégia do J.J. Abrams e de sua SUPREMA CORTE para despistar os fãs sobre a verdadeira história apresentada no filme.

    Se for isso, acho que estão correndo um sério risco: muita gente vai ao cinema esperando algo e recebendo outra coisa bem diferente.

    A menos que o real seja muito melhor do que o esperado, há o risco de uma grande decepção.

    De minha parte, prefiro uma história em torno do SPOCK em vez do KIRK. Espero que o QUINTO dê conta do recado.

  37. Viagem temporal não passa de teoria! Esse papo de universo espelho e universo paralelo é um prato cheio pra ficção científica. Tem até uma série meio scifi, meio policial, não me lembro o nome agora, que explora viagem temporal… bacana!!! Mas a coisa em Jornada tá demais de batida, né?

  38. Rodrigo e Tadeu, voltando a história dos Borgs no século XXIII, se me lembro, aproveitando a história em 1º contato, a série Enterprise, incluiu Borgs em sua história!

    Bem antes do século 23!

    Sei que é dificil, mas com um pouco de criatividade….!

  39. concordo totalmente com o post 36…pra mim esse furo estragou o filme Primeiro Contato…se os borgs podem voltar no tempo, ele poderiam assimilar a galáxia inteira sem mto esforço…a única coisa que salva é imaginar uma espécie de ‘polícia temporal’….

    Convenhamos, viagens no tempo para o para o passado podem (devem) ser impossíveis mesmo para uma tecnologia incocebivelmente avançada, talvez como no livro ‘Fim da Infância’ de Arthur C. Clarke poderemos obter imagens e sons de quaisquer períodos passados ( o que por si já seria muito interessante), mas não sem poder interferir. Filmes como ‘de volta para o futuro’ ‘estragaram’ a nossa imaginação pois fizeram viagem no tempo parecer crível demais, bem como esses episódios de jornada…é muito fácil fazer o truque nas telas, mas é uma situação paradoxal…eu posso falar ‘quadrado redondo’ mas não existe tal coisa.

    Deviam ter reiniciado Jornada no período clássico sem nenhuma explicação de que pq as coisas mudaram, na base do ‘e se?’ seria bem melhor e poderíamos continuar encarando como uma linha temporal paralela de Jornada, talvez o conceito de infinitas linhas temporais correndo em paralelo sem quaisquer tipo de ligação por meio de viagens no tempo esteja mais próximo da realidade do que a possibilidade de se mandar um elétron 1 segundo no passado…..

  40. JJ Abrahams é conhecido por conseguir administrar tramas complexas e ainda extrair cenas dramaticas (ex. Lost, Alias, MI 3). Confio nele. Me preocupo com um fracasso não esperado e de difícil compreensão como o de Watchmen.

  41. Post 37:

    “Fisicamente ele lembra muito o NIMOY. Mas até o momento somente pude vê-lo dando chiliques nervosos ou fazendo ameaças … nada que lembre a fleuma do personagem.”

    Concordo, porem esse Spock ainda um pouco atacado, nervosinho e perdendo o controle já me parece correto, no sentido que ao optar pela lógica, ele ainda teria levado um tempo longo para internamente lidar com este conflito, a dificuldade em suprimir e controlar totalmente seu genio vulcano cheio de emoçoes mto fortes porem precisando ser contidas, e seu lado emocional vulcano ainda sendo exacerbado pelo lado emocional meio-humano.
    Sempre nos foi dito que antes de adotarem a lógica, os vulcanos eram tao emocionais e violentos como seus parentes Romulanos… que nao querendo adotar esta doutrina de reprimir as emoçoes, partiram e foram fundar Romulus, isto todo mundo já sabe. Acho que a dita fleuma do Spock só viria com o tempo.

    Notem que na clássica em vários episodios o Kirk conseguia intencionalmente irritar o Spock, fosse jogando xadrez ou o chamando de mestiço…
    Entao o trailler que mostra a cena onde o Kirk chega na nave mostra bem isso, que no começo, o jeito ironico e irreverente e meio rebelde do Kirk fazia o Spock explodir em fúria mais facilmente… a amizade e o respeito mutuo só vieram entao com o tempo, com os percalços vividos, e com cada um a seu modo podendo contar com o outro nas aventuras apesar das diferenças de personalidade…
    Entao me parece que estaremos vendo exatamente isso no filme, o começo da interaçao Kirk/Spock, o emcional ousado versus a lógica fria porem ainda nao perfeitamente consolidada.
    E lembrem ainda que no primeiro filme, apos o contato com Vger o Spock evolui ao perceber que só a logica pura nao basta…

  42. Essa dualidade do Spock é bem aceitável. Ele começa a sua história bem “misto” e vai se tornando cada vez mais lógico. Já que veremos uma “pré-história”, é lógico (desculpe o trocadilho) que o vejamos bastante dado a arroubos (agora forcei) emocionais. Não vejo problema. Na verdade, é bem lógico.

  43. Penso que no caso desse SPOCK de Quinto, sobretudo após a morte da mãe e destruição de Vulcano, o personagem passará a aprender a administrar suas emoções para ir ALÉM da pura lógica.

    Algo do tipo: “A Necessidade de Muitos é Superada pela Necessidade de Poucos.”

Leave a comment

Your email address will not be published.


*