Bill Blair, o ator de múltiplas faces alienígenas

Você pode não saber quem é Bill Blair, mas reconhece alguns rostos que interpretou em Jornada e até mesmo em outras séries scifi. Ele é um dos atores mais procurados para fazer personagens alienígenas bizarros. Foi homenageado, recentemente, pelo  Guinness World Record, tendo seu nome incluído como aquele que  “portou mais personagens de efeitos especiais em uma carreira” (num total de 202). O Star Trek.com bateu um papo com ele.

Se você assistiu regularmente Deep Space Nine, Voyager ou Enterprise – para não mencionar outras séries como Alien Nation ou Babylon 5 ou Sliders – então você já viu um pouco de Bill Blair ao longo dos anos. Blair é um dos mais movimentados atores de Hollywood, mas você só o vê basicamente enterrado sob maquiagens e próteses. Ele já apareceu como Cardassiano, Jem’Hadar e Klingon, além de pelo menos três diferentes Vulcanos em Enterprise.

Entrar no Guinness World Record é uma honra muito singular e específica. O que significa para você ter ganhado isso?

“Este é um sentimento de realização, algo que eu nem sequer pensava até cerca de cinco anos atrás. Quando comecei a olhar para este tipo de homenagem, aprendi com o pessoal do Guinness, que eles não tinham nada parecido com isso e me convidaram para apresentar o que tornou-se esta categoria. Estou orgulhoso desta conquista e ela me diz que passei muito mais tempo na maquiagem e látex do que eu jamais havia imaginado. É verdadeiramente uma grande honra fazer parte dos arquivos de registro do Guinness World e espero que eu possa continuar a aumentar o número recorde ao longo do tempo.”

Então, qual é o segredo para interpretar um personagem alienígena convincente?

“Ser alguém que pode viver em um mundo de faz de conta e também poder acreditar que ele ou ela tem a forma física em algum lugar diferente e que se diverte com isso. Além disso, a capacidade e personalidade para vestir todos os make-up e figurino por muito tempo, longas horas, não quer magoar.

Como você conseguiu sua primeira série, Deep Space Nine, e qual foi o episódio?

“Meu primeiro episódio memorável foi “The House of Quark”, onde eu era um membro do Alto Conselho Klingon ouvindo explicação de Quark dos fatos financeiros da situação. Consegui o emprego por estar disponível na hora certa, quando o pessoal de elenco me chamou depois que outro ator teve que cancelar no último minuto. Lugar certo, hora certa – e sorte.”

Você apareceu em dezenas de episódios de Deep Space Nine. Quais foram suas experiências mais memoráveis ​​na série? Qual ou quais personagens você mais gostou de fazer?

“De forma geral, foi ter sido capaz de trabalhar com um elenco e equipe incríveis. Que o trabalho e a experiência sempre foram tão maravilhosos, que fizeram todos os episódios especiais. A melhor experiência individual foi quando eu fiz quatro diferentes raças alienígenas no mesmo episódio, e que foi o episódio de duas partes para concluir a série (“What You Leave Behind”). Eu sempre gostei de fazer mais Klingons e Cardassianos, tanto quanto gostava da maquiagem dos personagens e eu gostava do quanto eu poderia fazer com cada personalidade. Uma vez eu fiz um guarda de prisão Cardassiano que deixou Kira sair da prisão, ele fez seu papel, em silêncio simples, mas foi tão importante no caráter e atitude.”

Você apareceu em pelo menos sete episódios de Voyager. Quais foram algumas das experiências mais memoráveis ​​nessa série, e qual ou quais personagens você mais gostou de fazer.

“A minha melhor memória de Voyager foi a de um viajante Klingon no episódio “Prophecy” – muita diversão e momentos de reações como B’Elanna contando sua história. E então houve “Friendship One” como uma das raças alienígenas que sofreu terrível radiação. Eu fiz a escolta para Neelix, e foi tão importante manter o caráter austero e atitude durante as cenas. Eu também tenho boas lembranças de “Critical Care”, onde passei por três opções de personagens antes de finalmente ser lançado como o assistente do médico, um papel muito importante como um ponto de enredo e uma constante em algumas cenas.”

Você também esteve em Star Trek: The Experience, a Invasão Borg 4-D, e em um dos filmes de fãs, New Voyages: Blood and Fire. Você gostou de trabalhar com eles?

“Eu adorei fazer o Borg. Intenso como era o cenário, eu nunca pensei sobre isso, até que gostei da experiência de filmar em 3-D e chegar a fazer ainda outro clássico personagem da franquia. Interpretar o comandante Blodgette em Blood and Fire foi maravilhoso, quando tive que co-estrelar com Denise Crosby. Ela era ótima de trabalhar e interagir como atriz, e o resto do elenco foi muito aberto e acolhedor comigo. Eu também fiz todos os efeitos especiais de maquiagem para a parte dois desse episódio.”

Você retornou a Jornada de novo para Enterprise, aparecendo em vários episódios. Como é que o primeiro aconteceu? A idéia foi de quem? Foi um teste? E como foi a experiência?

“Eu fiz o teste/entrevista para um papel no episódio “The Andorian Incident”. Eu trabalhei com Scott Bakula, pela primeira vez, a um tempo atrás em Quantum Leap, como garçom em um restaurante. Tivemos uma grande interação em uma cena que fez o episódio tão especial. Também foi somente a segunda vez na minha carreira chegar a desempenhar um Vulcano, outra raça, grande clássico da franquia que eu queria fazer no momento. Voltei para a Enterprise mais três vezes como diferentes Vulcanos e também um vagabundo sem abrigo em outro.”

Há um monte de fãs lá fora que não percebe que você apareceu com tantos personagens em tantos episódios. Quanto surpreende você ter uma base de fãs dedicados e qual é a reação que você recebe do povo quando descobre que os personagens foram produzidos por você?

“Quando eu participo das convenções em todo o mundo, é verdade que a maioria das pessoas nunca viu o Bill real, e eles são fascinados pelas histórias e lembrando todos os personagens um por um, como eu passei pelas séries e episódios. O mais memorável de todos os envolvidos foi Armin Shimerman (Quark) em uma convenção em Las Vegas. Fui até falar com ele, e ele conhecia minha voz, mas não o rosto. Eu me apresentei. Ele sabia o nome e comentou como ele adorou, finalmente, encontrar-me em pessoa em vez de alienígenas.”

Além de Jornada, quais você diria que são alguns de seus papéis mais familiares ou populares, dentro e fora da maquiagem?

“Desde os meus dias iniciais na carreira, as pessoas se lembram de mim como um rosto recorrente na série Dallas e depois Knots Landing. Em anos mais recentes, a partir de um episódio de Curb Your Enthusiasm e na popular série Heroes. Aqueles eram todos, claro, como o Bill real. Na maquiagem, me lembro com carinho o momento na Disney World quando um jovem fã me reconheceu como um Minbari em Babylon 5. Eu estava parado e ele veio falar comigo e entramos um pouco mais nos personagens que interpretei. Ele, então, descobriu por que não deveria abordar celebridades, quando eu então fui perseguido por cerca de 20 jovens senhoras, todas com câmeras querendo tirar fotos comigo. Foi muito divertido e eu tive um grande momento com todos lá naquela noite. Os mais populares papéis são o sacerdote Brakiri no episódio “Day of the Dead” em Babylon 5 , e o Vulcano em Enterprise.

O que você está trabalhando atualmente?

“Mais recentemente, no ano passado, eu estava em Mad Men, NCIS e Homens De Uma Certa Idade. Este ano, tenho trabalhado dentro das séries de TV Raising Hope, How I Met Your Mother, também Jane by Design, iCarly e filmes que ainda estão para serem lançados. Tem ainda um sem título, mas é um grande filme que será conhecida em 2012. Eu também filmei Argo (com Ben Affleck e Bryan Cranston) e Gangster Squad (com Ryan Gosling e Stone Emma).”

2 Comments on "Bill Blair, o ator de múltiplas faces alienígenas"

  1. Pois é, se esse cara saisse do armario a noticia podia ate ser interessante…………hahaha

  2. Muito interessante… espero que ele possa continuar trabalhando e aperfeiçoando seu trabalho. Parabéns pra ele.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*