TNG 2×04: The Outrageous Okona

Personagem bonzinho à la Harry Mudd dá o ar da graça em A Nova Geração

Sinopse

Data estelar: 42402.7

Enquanto viaja pelo sistema Omega Sagitta, a Enterprise ajuda um cargueiro com problemas e recebe a bordo seu único ocupante, o capitão Okona. Uma vez na nave, o bonito e malandro Okona encanta a tripulação –e particularmente as mulheres– com sua sagacidade e seus modos travessos. Data, entretanto, é incapaz de entender as piadas de Okona e procura Guinan e o holodeck para ter lições sobre humor humano.

Enquanto isso, duas pequenas naves interplanetárias travam seus lasers na Enterprise, exigindo a rendição de Okona. Primeiro, Devin acusa-o de ter engravidado sua filha, Yanar. Em seguida, Kushell, com o filho Benzan a seu lado, acusa o capitão de ter roubado a valiosa Joia de Thesia, orgulho de seu planeta.

Sabendo que libertar Okona para Debin ou Kushell causaria a guerra entre seus respectivos mundos, Picard concorda em ajudar Okona a “fugir” da Enterprise. Entretanto, uma discussão com Wesley convence o capitão do cargueiro a mudar de ideia e se entregar.

Quando todos os envolvidos no impasse são levados a bordo da Enterprise para discutir a questão, Okona diz que aceitará se casar com Yanar, o que provoca a ira de Benzan, que confessa que é o pai da criança que Yanar carrega e que pegou a joia para dar de presente à criança em seu pedido de casamento. Okona também admite que andou atuando como intermediário do casal, cujas famílias se confrontam há anos. Uma vez que tudo é esclarecido, Yanar concorda em se casar com Benzan.

Com a polêmica resolvida, Data retorna ao holodeck para tentar algumas das piadas que ele aprendeu com uma plateia. Após uma tentativa decepcionante, Data chega à triste conclusão de que ele é incapaz de ser engraçado. Mas quando a tripulação dá adeus a Okona, Data é pego de surpresa por uma pergunta de Okona e dá uma resposta que deixa todos na ponte rindo.

Comentários

“The Outrageous Okona” é um típico episódio… da Série Clássica. Vários elementos apresentados aqui já foram utilizados durante a produção da série original. O mais notável deles, como não poderia deixar de ser, é o próprio capitão Okona, que mais parece uma versão anos 80 de Harry Mudd.

A diferença é que, ao contrário de Mudd, Okona apenas parece ser um trambiqueiro, mas no final se mostra uma pessoa com nobreza de caráter e de intenções, apesar de seu jeito debochado e desinibido. Infelizmente, mesmo com todas as semelhanças, o gênio se recusou a entrar na garrafa novamente, e Okona não chega nem perto do carisma do velho algoz do capitão Kirk.

Por consequência, como o episódio é inteiro centrado na figura de Okona, não vai surpreender ninguém se dissermos que acabou faltando muito para que este segmento pudesse estar entre as melhores horas da temporada. Embora o enredo esteja bem amarradinho, e seja coerente durante todo o tempo, falta um pouco de senso de importância a tudo isso. Em nenhum momento parece que a Enterprise está vivendo algum impasse ou situação de tensão.

O carisma duvidoso de Okona acaba prejudicando a vida dos próprios tripulantes da Enterprise. Eles reagem ao capitão do cargueiro como se fosse um astro de rock, e o telespectador não consegue nem passar perto de ter essa sensação. Trocando em miúdos, para a audiência, parece que os personagens estão todos bobos de admirar aquele sujeito.

Isso fica mais reforçado ainda quando vemos o fã número um de Okona a bordo da Enterprise –Wesley Crusher. Okona é simpático, na melhor das hipóteses, mas não é nada do que Wil Wheaton quer nos fazer crer com sua atuação como o filho da boa doutora. O traço mais interessante de Okona talvez seja o que nós percebemos sem precisar que Wesley ou qualquer outro personagem nos conte. É curioso, por exemplo, reparar que o visitante está sempre dando um amasso em uma tripulante diferente da Enterprise, a começar pela oficial do transporte (Teri Hatcher).

A porção do episódio voltada para o humor é até engraçadinha, principalmente na interação entre o Cômico, gerado pelo holodeck, e Data. Guinan, embora participe em grande medida do episódio, ainda não oferece diálogos tão inspirados e afiados como os que viriam mais tarde. Talvez esta seja uma das mais fracas participações da personagem em toda a série.

Após toda a confusão de Okona ser desfeita, busca-se um desfecho para a “crise de humor” de Data. A solução, fazendo-o gerar uma piada involuntária na ponte, além de sem graça, é um clichê que já era irritante nos anos 60, quando o episódio terminava com todos os personagens rindo. Felizmente a cena não é realizada dessa forma, mas esse “quase-desfecho” nos faz questionar a capacidade da produção de A Nova Geração de abandonar os velhos hábitos da época da Série Clássica e começar a pensar com uma cabeça mais anos 80 e 90. Felizmente, em alguns episódios do segundo ano, e totalmente a partir do terceiro, a equipe pega a mão e a série decola como um produto genuinamente novo, e não um remake do programa original.

Avaliação

Citações

“Life is like loading twice your cargo weight into your space craft. If it’s canaries and you can keep half of them flying all of the time… you are all right.”
(A vida é como carregar o dobro do peso de sua carga em sua nave. Se são canários e você consegue manter metade deles voando o tempo todo… você está bem.)
Okona

Trivia

  • William O. Campbell, que aqui interpreta Okona, foi cotado para o papel de Riker quando a produção da Nova Geração estava começando a procurar os atores para a série. Três anos após este episódio, Campbell fez o papel principal no filme “Rocketeer”. O ator está escalado para reprisar este personagem na nova série animada Star Trek: Prodigy, fazendo sua voz para a animação.
  • O comediante que aparece no holodeck com Data foi interpretado por Joe Piscopo, um comediante na vida real, tendo inclusive trabalhado em “Saturday Night Live” por vários anos. O lendário Jerry Lewis foi sondado para fazer esse papel, mas acabou não acertando com a produção.
  • Teri Hatcher, a Lois Lane da série “Lois & Clark: The New Adventures of Superman”, aparece aqui como a tenente B.G. Robinson.

Ficha Técnica

História de Les MenchenLance Dickson e David Landsberg
Roteiro de Burton Armus
Dirigido por Burton Armus

Exibido em 12 de dezembro de 1988

Título em português: “O Audacioso Okona”

Elenco

Patrick Stewart como Jean-Luc Picard
Jonathan Frakes como William Thomas Riker
Brent Spiner como Data
LeVar Burton como Geordi La Forge
Michael Dorn como Worf
Marina Sirtis como Deanna Troi
Wil Wheaton como Wesley Crusher

Elenco convidado

Diana Muldaur como Katherine “Kate” Pulaski
William O. Campbell como capitão Thadium Okona
Douglas Rowe como Debin
Albert Stratton como Kushell
Rosalind Ingledew como Yanar
Kieran Mulroney como Benzan
Teri Hatcher como tenente B.G. Robinson
Joe Piscopo como o comediante
Whoopi Goldberg como Guinan

Enquete

Edição de Maria Lucia Rácz
Revisão de Susana Alexandria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "TNG 2×04: The Outrageous Okona"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*