VOY 2×21: Deadlock

Mais uma maluquice quântica de Braga produz bom episódio de Voyager

Sinopse

Data estelar: desconhecida

A Voyager altera seu curso a fim de evitar um setor habitado pelos vidiians, enquanto a alferes Wildman entra em trabalho de parto. Na ponte, Tom Paris guia a nave rumo a uma nebulosa a fim de camuflá-la, mas o que acontece em seguida pega todos de surpresa. Os motores de dobra param, o suprimento de anti-matéria é drenado e explosões de prótons danificam seriamente o casco da Voyager. Sem tempo para investigar o que acontece, a tripulação sofre com a morte do recém-nascido, do alferes Kim e o sumiço misterioso de Kes.

Conforme os rombos no casco aumentam, a nave é forçada a operar em modo de emergência e a ponte tem de ser evacuada às pressas, quando novas explosões inutilizam o centro de comando. Para sua surpresa, uma outra Janeway vê a si mesma cruzando a ponte, algo que atribui à flutuação espacial causada pela passagem da Voyager pela nuvem de plasma. A capitã então ordena uma varredura por anomalias e, em seguida, vai visitar a alferes Wildman na enfermaria e seu novo bebê, que aparenta estar bem. Depois, pergunta ao Doutor sobre a outra paciente, que é idêntica a Kes.

Essa outra Kes relata a série de eventos que ocorreram minutos antes, o que leva Janeway a crer que há uma outra Voyager nas proximidades. Aparentemente, o campo de divergência pelo qual a tripulação passou fez com que todas as leituras de sensores fossem duplicadas, assim como toda partícula de matéria da nave. Infelizmente, não há anti-matéria suficiente para manter as duas naves e a capitã alerta a outra tripulação. Após a fusão das duas “Voyagers” falhar, Janeway decide ir com Kes para a nave danificada.

As duas “capitãs” se encontram e discutem opções. A comandante da nave mais avariada pretende acionar a auto-destruição na tentativa de salvar a outra tripulação. Com os vidiians se aproximando, as duas “Janeways” sabem que precisam agir com rapidez ou ambas tripulações morrerão. Logo depois, os alienígenas invadem uma das naves.

Desesperados para roubar os órgãos saudáveis a fim de combater a fagia, os vidiians começam a atacar os tripulantes. Uma das capitãs decide agir. Ela aciona a auto-destruição e ordena que o alferes Kim leve o bebê da alferes Wildman para a Voyager danificada. Os vidiians são então destruídos com a explosão, bem a tempo de Harry chegar na “duplicata” da nave salva.

Comentários

Certamente há críticas a se fazer acerca do roteiro de “Deadlock”. Por outro lado, as coisas boas deste episódio fazem dele, em muitos sentidos, um dos melhores na temporada. Há drama, boa atuação, premissa envolvente… e a célebre tecnobaboseira de Voyager.

Deadlock title card

O paradoxo da história não envolve apenas a duplicação da nave e sua tripulação, mas também o senso de família a bordo; foi muito legal ver o quanto o nascimento da filha de Wildman capturou a atenção de todos. No entanto, é estranho que ninguém pareça ter se abalado quando B’Elanna anunciou a morte de Harry (nem mesmo Tom, que se diz seu melhor amigo, ou a capitã, que o olha de perto como a um filho).

Mas, deixando os detalhes de lado e partindo para as grandes questões, por que Janeway, assim que a presença vidiian foi detectada, não ordenou simplesmente que Paris os tirasse daquele setor em dobra máxima, poupando assim todos do problema? Afinal, a Voyager é, para a sua época, uma das naves mais rápidas da Frota, podendo atingir a dobra 9,975. É claro, se isso tivesse acontecido, os roteiristas teriam perdido uma trama em potencial para a série…

Infelizes também são algumas inconsistências no final do episódio. Quando uma das capitãs aciona a auto-destruição e sua nave vai pelos ares, Chakotay, inteligentíssimo – e como sempre com grande participação na história -, informa que os vidiians foram destruídos, junto com a outra Voyager. Isso é, no mínimo, óbvio, já que foi a explosão da nave a responsável pela ruína dos inimigos. Da mesma forma, em outra cena, o Doutor pergunta a Harry se seu “contraparte” tinha um nome. Como seria possível o outro médico ter um nome, se a nave só foi dividida minutos ou horas antes?

Falhas como essas acontecem e sempre acontecerão em Jornada. Mas, num apanhado geral, “Deadlock” conseguiu entreter bem. A atuação, nesse episódio em particular, foi muito boa. Merece destaque a atriz Nancy Hower, que interpreta a alferes Samantha Wildman. A personagem tem sido muito bem aproveitada ao longo da segunda temporada e sobreviverá até o final da série. Seu bebê, uma menina ainda sem nome, reaparecerá durante o quarto ano como Naomi Wildman e, nas três últimas temporadas de Voyager, se tornará a personagem secundária de grande importância.

“Se uma Janeway incomoda muita gente… duas Janeways incomodam, incomodam muito mais!” Brincadeiras à parte, também foi boa – e esquentada – a discussão entre as “duas capitãs”. Quando duas mulheres extremamente teimosas (ou melhor, a mesma, duplicada) se confrontam, todos têm de encarar as consequências. Embora estivesse quase certo que a capitã da nave danificada acionaria a auto-destruição, a outra não hesitou em fazê-lo quando deu-se conta da realidade – não se deixou levar pelas emoções.

A aparição dos vidiians em Voyager sempre é interessante. Eles são provavelmente a raça mais original criada no seriado. Só é uma pena que sua história e as implicações morais de suas atitudes não tenham sido exploradas mais a fundo. Mas, até o final desta temporada, eles poderão ser vistos novamente.

Vidiian

Finalizando, outra coisa legal foi toda a teoria da duplicação ter sido explicada. Geralmente, os fatos são jogados sem qualquer fundamento científico. Apesar de pouco convincentes, as justificativas ganharam credibilidade especial pela forma como foram escritas, com direito inclusive a menções sobre pesquisas experimentais feitas em universidades.

Aliás, justificar maluquices quânticas é um dos passatempos preferidos do escritor do episódio, Brannon Braga. Um dos episódios “solo” mais interessantes escritos por Brannon, “Parallels”, do sétimo ano de A Nova Geração, envolve uma situação parecida, em que Worf fica transitando entre diferentes Enterprises de universos alternativos.

“Deadlock” também merece um elogio especial por ter evitado um “reset” simples demais. Logo que a audiência vê a Voyager ser despedaçada, já começa a expectativa por um evento (provavelmente envolvendo viagem no tempo) que anule tudo o que havia acontecido, extirpando o episódio da realidade.

Felizmente, a solução aplicada deixa algumas sequelas, produzindo um “reset” de ordem prática, mas ainda assim dando a entender que não se trata de uma mera exclusão da história que acaba de ser vista. Isso se manifesta pela confusão de Harry, em conversa com sua capitã, em razão de seu intercâmbio de realidades. Ponto para o roteiro.

Avaliação

Citações

“It is the first baby born on Voyager. I’m just not sure whether I should be welcoming it onboard, or apologizing.”
(É o primeiro bebê nascido na Voyager. Só não sei se deveria dar as boas-vindas ou pedir desculpas.)
Janeway

“And I’m in no mood to donate any organs today”
(E eu não estou a fim de doar órgãos hoje.)
Janeway

“Good news, Ensign. Our baby is perfectly healthy.”
(Boas notícias, alferes. Nosso bebê é perfeitamente saudável.)
Doutor

“Mr. Kim, we’re Starfleet officers. Weird is part of the job. “
(Sr. Kim, somos oficiais da Frota. O estranho faz parte do emprego.)
Janeway

Trivia

  • O alferes Hogan (Simon Billig) também retorna após várias participações em Voyager. Mais recentemente, o ator participou de outras séries sci-fi, como “Babylon 5” (1998) e “Seven Days” (1999).
  • Outra personagem secundária que volta é a alferes de ciências Samantha Wildman (Nancy Hower). Como a Voyager já está perdida há mais de um ano, só se pode imaginar que o período de gestação em casamentos entre humanos e ctarianos é muito longo.

Ficha Técnica

Escrito por Brannon Braga
Dirigido por David Livingston

Exibido em 18 de março de 1996

Título em português: “Duas Vidas”

Elenco

Kate Mulgrew como Kathryn Janeway
Robert Beltran como Chakotay
Roxann Biggs-Dawson como B’Elanna Torres
Robert Duncan McNeill como Tom Paris
Jennifer Lien como Kes
Ethan Phillips como Neelix
Robert Picardo como Doutor
Tim Russ como Tuvok
Garret Wang como Harry Kim

Elenco convidado

Nancy Hower como Samantha Wildman
Simon Billig como Hogan
Bob Clendenin como cirurgião vidiian
Ray Proscia como comandante vidiian
Keythe Farley como vidiian 2
Chris Johnston como vidiian 1

Enquete

Edição de Stéphanie Cristina
Revisão de Roberta Manaa

Episódio anterior | Próximo episódio