Ator discute mudança de Murf em Prodigy

O último episódio de Star Trek: Prodigy, “Crossroads”, é um ponto de virada para um personagem importante na série. Murf, o verme de lodo Mellanoide, agora possui braços e pernas.

O ComicBook a o Star Trek.com tiveram a oportunidade de conversar com Dee Bradley Baker, que dubla Murf, abordando as mudanças do personagem, a evolução de sua atuação e a história do ator como fã de Star Trek.

Criando Murf

Murf em contraste com Star Wars: The Bad Batch é uma missão mais simples em certo sentido. Mas, no final das contas, estranhamente, tudo parece o mesmo para mim. É tudo um modo diferente de atuação, que é tudo o que estou realmente fazendo. Seja apenas fazendo ruídos de Murf ou se estou falando como o Bad Batch, tudo está servindo a um roteiro que está servindo a uma história, e isso está estabelecendo batidas e tons de comportamento específicos que ajudam a história a ser contada. Então, realmente tudo parece o mesmo para mim, tão selvagem e estranhamente diferente quanto é. Mas você está certo, não poderia ser mais diferente; o que eu faço em The Bad Batch comparado a fazer uma criatura como Murf, pelo menos em termos de pirotecnia vocal envolvida.

Ele é quase como um cachorrinho ou essa criança feliz que está sempre otimista e aberta de forma improvisada. Claramente, Murf está ciente e envolvido com o que eles estão lidando porque muitas vezes ele está ajudando a resolver o problema em questão, embora pareça que ele está apenas meio alheio e apenas balbuciando de uma maneira feliz. Na verdade, há mais coisas envolvidas aqui e ele parece estar mais conectado.

Um fã de Star Trek

Bem vamos ver. Eu assistia Star Trek religiosamente toda semana. Perguntei ao meu pai se eu poderia modificar minhas orelhas para ficarem como as orelhas de Spock. Eu literalmente queria que isso acontecesse. Eu queria isso. Eu comprei este manual de projeto realmente incrível de como a Enterprise foi montada. Não sei se você está familiarizado com isso, mas para mim foi a coisa mais legal do mundo. Eu fui ao que foi chamado de Starcon, uma das primeiras convenções, provavelmente por volta de 1980, mas não fui além disso.

Então, eu estava muito nisso. Eu achei muito legal. Li The Making of Star Trek. Eu provavelmente li algumas novelizações. Acompanhei todos os filmes originais que saíram. Eu estava muito animado com Star Trek: The Motion Picture. Lembro-me onde o vi. Eu estava em Indiana. Era Natal. Então, sim, eu era, acho que naquela época, um bom fã. Hoje em dia, não estou tão envolvido nisso quanto você pode chegar hoje em dia. Estou muito mais preocupado com o trabalho de dublagem e também em criar a família e meio que fazer malabarismos com a vida na meia-idade. Não tenho a liberdade de correr como fazia quando era jovem. Mas eu gostava muito disso quando era mais jovem.

É muito emocionante ser convidado para fazer parte disso e de uma representação tão bela e bem-sucedida desse legado. É realmente um legado notável. série original  foi um programa tão excepcionalmente original e inovador em muitos aspectos realmente importantes, politicamente e em termos de como olhamos para nós mesmos. Ainda está vivo e prosperando e talvez esteja melhor do que nunca.

Murf passando por algumas mudanças

Bem, como nós meio que desenvolvemos o personagem e os sons e tudo isso com os showrunners Kevin e Dan, eles queriam evocar essa pequena criatura como uma pessoa, como uma pessoa senciente e prestativa. E acho que eles mencionaram para mim: “Bem, ele vai mudar. Ele não vai ser apenas uma pequena bolha ou um pequeno protoplasma que corre e faz sons alegres e às vezes faz coisas como ‘Ele quis ajudar ? Porque ele apenas ajudou, mas ele quis dizer isso?'” e que ele vai evoluir e mudar.

Murf não era realmente humano em nenhum aspecto de sua aparência além dos olhos e da boca, aparentemente. Mas agora que ele pode se mover, também é uma atualização linguística. Há uma evolução que está acontecendo. Há uma revelação de uma metamorfose, ou metamurfose… É interessante ver que, como acontece com uma criança, com o crescimento, a expansão e o desenvolvimento dos membros, do corpo, da cabeça, dos pés e das habilidades de locomoção, vem uma atualização com a linguagem e um upgrade e uma mudança na capacidade de resolver problemas e de se envolver e se comunicar. Todas essas coisas estão em jogo, como podemos ver agora muito, muito visualmente.

Mudança nas vocalizações

Baker anteviu um pouco do que está por vir na comunicação de Murf:

Altero a frequência e vou evoluindo os vocais enquanto os escritores e diretores desenvolvem o desdobramento do que Murf deve ser. Isso é claramente algo que vai acontecer.

Mas Dee Bradley não quis revelar mais sobre o desempenho de Murf daqui para frente:

Oh, eu poderia ter uma arma de phaser mirando na minha testa se eu falasse muito abertamente sobre isso. Mas acho que se pode extrapolar logicamente a partir do que agora está para ser revelado, que há mudanças e evoluções em jogo que continuariam lógica e naturalmente em jogo. E eu estou apenas falando logicamente aqui. Mas o cone de silêncio está acima da minha cabeça.

Os novos episódios de Prodigy passam às sextas-feiras exclusivamente no Paramount+ Brasil ou pelo Amazon Prime Video.

Acompanhe o Trek Brasilis nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades de Star Trek:
YouTube: https://www.youtube.com/trekbrasilis
Telegram: https://www.t.me/trekbrasilis
Facebook: https://www.facebook.com/trekbrasilis
Instagram: https://www.instagram.com/trekbrasilis
Twitter: https://www.twitter.com/trekbrasilis