Roberto Orci conversa mais uma vez com os fãs

roberto-orci2.JPGDias atrás o site The TrekMovie transcreveu um bate-papo de J. J. Abrams e sua equipe com os internautas. Agora, o roteirista Roberto Orci volta a fazer um chat com os fãs do site, respondendo a perguntas sobre o roteiro, personagens, referências, cenário e a possibilidade ou não da produção de uma futura série para TV. Não custa lembrar que o texto contém spoilers.

Quem decidiu por seguir esse caminho de uma nova Jornada, vocês ou o estúdio?

Orci: “A abordagem não foi decidida pelo estúdio. Foi aprovada pelo estúdio, quando nós estabelecemos para eles nossa visão coletiva de Jornada. Nós temos sido cuidadosos em não pôr muita ênfase em termos como reboot, re-imaginação, porque esses termos não descrevem suficientemente, em minha opinião, o modo pelo qual Jornada (Zero) se encaixará dentro do continuum”.

Qual será realmente o título do filme?

Orci: “Como foi dito antes, o título será simplesmente Jornada nas Estrelas. Nós usamos o termo Jornada Zero poucas vezes apenas para lembrar a nova audiência de que embora Jornada tenha ido embora, eles poderão sintonizá-la e serem introduzidos nesse mundo de uma forma nova. Esse site prova a dedicação dos fãs também e a última coisa que quero que escrevam em minha lápide é que eu ajudei a matar Jornada”.

Quais são os planos para os cenários da ponte de comando quando acabarem as filmagens?

Orci: “A ponte de comando será encaixotada, mas não destruída. No caso de precisarmos dela”.

Vocês usaram o site Memory Alpha para consulta? Poderiam mostrá-lo nos créditos do filme?

Orci: “Certamente usamos o Memory Alpha durante o processo todo, e ainda como referência durante a produção. Verei o que posso fazer quanto aos créditos. Não é uma má idéia”.

Quantas páginas possui o script?

Orci: “O script possui aproximadamente 128 páginas. Algumas vezes, a produção muda as margens levemente por razões de formatação dando de 1 a 5 páginas a mais. Eu adoraria que a história fechasse em duas horas de projeção. Mas ainda é cedo para saber até começarmos a edição. O filme dos Transformers terminou com 130 páginas ( com duas horas e vinte minutos de filme) e o diretor Bay dilatou as cenas de ação. Uma regra prática é considerar uma página igual a um minuto de tempo de tela, em geral”.

Quais foram os personagens mais difíceis que vocês escreveram para o filme?

Orci: “Dois personagens foram muito difíceis para se escrever: o vilão e o próprio Kirk. Kirk, em particular, por ser enganoso, porque você pode cair numa armadilha por fazer dele bidimensional, por achar que você conhece bem sobre ele ou porque você acha que seu comportamento em dada situação é uma conclusão decidida de antemão, em lugar de criá-lo como um verdadeiro personagem que tenha liberade de escolha e que tenha de tomar decisões. É fácil ficarmos preguiçosos quando escrevemos para personagens conhecidos”.

Houve algum episódio em particular que ajudou vocês a moldarem os personagens? Você ouvia algum som de Jornada para inspirá-lo quando escrevia o roteiro?

Orci: “Muitos episódios. “Balance of Terror” se destaca, assim como os filmes 2, 3, 4 e 6, além dos novels da dupla Judith e Garfield Reeves Stevens. O som de James Horner é um dos meus favoritos. Foi muito ouvido para minha inspiração durante o processo de roteirização”.

Você acredita que Jornada voltará a ter uma série de TV? Vocês acham que estarão envolvidos?

Orci: “Eu, honestamente, não sei. Não posso falar pelos outros, mas por mim, eu não quero estar envolvido, a menos que nós tenhamos uma genuína visão para o que a série deve ser. Se eu, por um minuto, sentir que irei envelhecer (de idéias) ou pular para alguma coisa de Jornada baseada em nenhuma outra razão, senão o sucesso do passado ou seja o que for, eu renuncio a minha comissão. Pode ser que alguém também tenha uma melhor ou mais apaixonada idéia sobre como fazer uma série e espero que nenhum de nossos egos escapem. Mas eu adoraria ver uma série”.

Vocês têm mantido a tradição de possuírem consultores técnicos para fazer o filme mais realista possível?

Orci: “Como curta resposta eu digo que sim. Uma resposta mais divertida virá em breve”.

Fonte: Trek Movie

12 Comments on "Roberto Orci conversa mais uma vez com os fãs"

  1. “…a última coisa que quero que escrevam em minha lápide é que eu ajudei a matar Jornada.”

    Como é bom ouvir isto! =]

  2. Gostaria muito de ver uma nova série no ar, mas não sei se seria negócio refazer a série clássica, creio que visitar novamente o século 24 seria um bom negócio, pois apesar de todos falarem mal de Berman e equipe, eles fizeram um bom trabalho em DS9, Nova geração e Voyager. Criaram uma gama de personagens que devem ser revisitados, nem que seja em forma de telefilme, como vem sendo feito com Babylon 5.

  3. Judith e Garfield Reeves Stevens é uma excelente dupla de escritores. Eles têm uma visão mais clássica de Jornada, com dinamismo e dramaticidade. É uma boa referência.
    Orci pode estar usando o estilo romulano de Balance of Terror para moldar Nero e cia.
    Uma série agora estaria fora de questão. Precisa o público se acostumar com a nova linha e o novo estilo dos personagens.
    Também prefiro algo baseado no século 24, mas não irão fazer isso.

  4. Luís Henrique Campos Braune | 31 de janeiro de 2008 at 9:17 am |

    A coisa deve ficar boa….

  5. Interessante que Orci excluiu os filmes 1 e 5 de sua referência.
    O 5 foi aquela bomba do Shatner, e o nº 1 relata acontecimentos do fim da missão.

  6. Prefiro também que uma nova série fosse ambientada no século 24. Quem sabe com Riker no comando? Poderiam unir os bons personagens de VOY (Tuvok, Seven, Doctor) com os da TNG numa mesma nave comandada por ele…heim? heim? =P

  7. É bom saber q eles tentam manter o cânone ao máximo

  8. Commander Tomalak | 31 de janeiro de 2008 at 5:15 pm |

    Pessoal, essa foto é do Alex Kurtzman, o outro roteirista de ST XI 🙂

    Coloquem ai uma foto do Juan Pablo Montoya, que se passa por Orci, mas essa não

    Espero ter ajudado, um abraço para equipe do TB, sou fã de vcs. 🙂

  9. Ops. É mesmo Tomalak. Foi um descuido que não irá se repetir. Obrigado pelo aviso.

  10. Luís Henrique Campos Braune | 31 de janeiro de 2008 at 10:45 pm |

    A idéia do Nicodemos é boa… mas que tal a idéia dele mais a seguinte: novos episódios da série clássica, com o novo elenco? hein? hein? Duas séries rolando juntas!

  11. Se o novo fime for (e vai ser) um grande sucesso, eu espero… provavelmente uma série com esses novos atores será improvável, pois seus passes – usando um termo futebolístico – serão valorizados e eles, na maioria, só estarão nas continuações para o cinema e em outras produções cinematográficas, com certeza! Se virar série televisiva, teremos um outro capitão Kirk, um outro Spock, ou seja, teremos a oportunidade de conhecer novos talentos que surgirão, porém, com aquela frustração de não ser com aquela tripulação que veremos no filme de Abrams. Teremos de nos acostumar outra vez e, sendo assim, eu, pessoalmente, preferiria, neste caso, de ver a TOS remasterizada nas telinhas. Enfim, seria melhor mesmo uma nova série no século XXIV. Por que não com a tripulação da Excalibur?

  12. Acho que eles podem fazer um gancho no terceiro filme para uma futura série com novos personagens. Um novo capitão atuando em outra nave, com a mesma importância de Kirk. Como surgiu Sulu no filme VI.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*