Keating dá nova versão sobre teste para o filme

dominic-keating.jpgO ator Dominic Keating, que fez o personagem tenente Reed, da série Enterprise, esteve na convenção VegasCon 2008 e falou ao público a respeito de seu trabalho em Jornada. Durante entrevista ao site The Trek Movie ele acabou revelando uma outra versão sobre o papel no qual chegou a fazer um teste para o filme. O site apurou a informação. O texto contém pequeno spoiler.

Numa entrevista a Star Trek Magazine, Keating disse que fez um teste para concorrer a um papel no novo filme de Jornada nas Estrelas. Que o personagem seria um tio de Kirk do Meio Oeste, onde o capitão cresceu, antes de decidir ser um astronauta.

Agora o ator dá uma outra versão a respeito desse personagem, “Eu ia intrepretar o padrasto mau de James Kirk, sim era o padrasto dele. Eles eram muito, muito cuidadosos com o script, assim eu adquiri três falas literalmente para combinarem no teste”, disse ao site Trek Movie.

brad-william-henke-1.jpgNenhum outro personagem da família de Kirk, além dos pais e do irmão,  foi anunciado de forma oficial. Curiosamente, o site IMDb apresenta em sua lista de atores do elenco secundário, o nome de Brad William Henke, que aparece interpretando um personagem de nome “Tio Frank”. O Trek Movie conseguiu apurar, por meio de suas fontes, que Henke está realmente no filme, mas que não fará tal papel. Não há informação sobre a existência desse personagem. A única certeza é que o ator Chris Hemsworth, intérprete de George Kirk (pai de Kirk), não fez parte das cenas de Iowa, gravadas em Bakersfield, que referem-se a infância de Kirk (interpretado por Jimmy Bennet).

Fonte: TrekMovie

11 Comments on "Keating dá nova versão sobre teste para o filme"

  1. Não sei vocês, mas isso é muito interessante para mim. O passado de Kirk é uma verdadeira folha em branco. A única coisa que sabemos sobre sua família é que ele possui um irmão (que faleceu em um episódio de TOS), e seu pai era oficial da frota (que não foi dito em nenhum episódio, apenas em livros). Seria interessante ver como o pequeno Kirk perde seu pai cedo (isso explicaria por que ele não participou das cenas em Iowa), e sua mãe acaba casando com um homem totalmente avesso a aventuras espaciais. Isso pode gerar um conflito interessante, uma vez que o pequeno Kirk quer seguir os passos do pai (mesmo sabendo ser muito perigoso).

  2. Padrasto?
    Bom, pelo visto a infância de Kirk será explorada bem mais do que uma simples voltinha de Corvette com o tio do capitão.

  3. Não há nada confirmado sobre o pai de Kirk ser integrante da Frota, mas pode se enquadrar no evento da nave USS Kelvin, há 25 anos antes.
    Ao que parece a USS Kelvin não vai aparecer a toa.

    Tem de haver alguma razão forte para Kirk querer entrar na Frota e ser capitão a todo o custo.

  4. Luís Henrique Campos Braune | 12 de agosto de 2008 at 11:28 am |

    Hummm… legal! Aí poderemos entender porque o Kirk foi o que foi…

  5. Seria legal se apresentassem um pouco das origens de cada um.

    Revelar a motivação pelo qual cada um escolheu a Frota Estelar como meio de vida.

    Não todos em um só filme, mas aos poucos, nos próximos (se houver ST-2009 II).

    Saber um pouco do passado pessoal deles enriquece o universo ST, pois me lembro de Star Trek V,
    Sarek em frente ao seu recém nascido:
    “Tão humano…”

  6. “Seria legal se apresentassem um pouco das origens de cada um.
    Revelar a motivação pelo qual cada um escolheu a Frota Estelar como meio de vida.”

    Bem, se tem uma pessoa certa pra fazer isso, é certamente o J.J. “Lost” Abrams. Espero que esse filme tenha umas 3 horas de duração (mas esse é o fã falando, na verdade já me contentaria com uma versão estendida no DVD).

  7. Lucian: concordo contigo. Na atualidade, só tem dois diretores que conseguem trabalhar com vários personagens com relativa profundidade: J.J. Abrams (que mostrou isso em LOST) e Bryan Singer (Os Suspeitos e X-Men).

    Não sei como tem gente que ainda gostaria de ter um filme no futuro pós Nemesis. Digam-me, que história vocês iriam contar? Uma invasão Borg combinada com os Romulanos, apoiadas por vulcanos renegados e klingons de testa lisa? A imaginação do fandom é fértil, mas às vezes descamba para o absurdo. Não tem mais como fazer filmes no futuro, por que praticamente todas as histórias foram contadas. Vai virar tudo imitação de episódios de TNG, DS9… até da Voyager! Existe uma crise de criatividade. Para fazer uma série no futuro (ou filme) só se mexessem em toda a estrutura de jornada, mas está ficaria descaracterizada. Sem contar que haveria problemas no canon.

    Nós sabemos o background de Picard (nunca casou, tem irmão na França…), Riker (nascido no Alasca, problemas com o pai), Data (andróide criado por Noon Soong, irmão do protótipo Lore), Worf (problemas familiares Klingons), Deanna Troi (filha d e Lxanna), Dos personagens de DS9 também. Mas e quanto a TOS???? o background é inexistente! O que permite uma imaginação incrível (desde que seja respeitado algo do cannon).

    Qual é o background de Uhura? (não sei onde ela nasceu, nem sei se já foi mencionado o seu primeiro nome – Nyotta em alguma oportunidade!!! E não venha dizer que ela nasceu na Africa, pois não é cannon) E do Sulu? Só sei que ele gosta de botânica, luta esgrima e nasceu em São Francisco (São Francisco? Sede da Frota? E se seu pai fosse um oficial?). Checov: só sabemos que ele é russo e mais nada. Scotty: só sabemos que ele é escocês e biriteiro. Mas daonde vem toda essa experiência com naves? (será que ele já trabalhou como mecânico civil? Foi projetista?)

    Mesmo o “big trio” tem um background pouco desenvolvido. McCoy: pouco sabemos dele em termos de história. Já foi médico civil? Como entrou na Frota? Já foi casado, tem filhos? (a história que mostraria sua filha foi vetada no TOS). Kirk: aventureiro. Tem um irmão (morto) e um sobrinho. Quando era jovem, escapou do massacre de Kodos. Quando servia na USS Republic (ou Faragut?) enfrentou a Nuvem assassina. Tem um filho (morto) e foi o unico a vencer o Kobayashi Maru. Só isso. E quem são seus pais? Como se tornou capitão tão jovem??? (o mais jovem da Frota)? Não sabemos.

    Talvez a maior exceção seria Spock. Conhecemos bem seus pais e seu background como meio humano e vulcano. Mas gostaria de revisitar a sua infância (como foi feito em um episódio da série animada).

    Por tudo isso, acredito que o período escolhido para o filme foi perfeito. Existe uma grande lacuna aqui. E quanto a viagem no tempo… bom.. isso é algo que me preocupa, estou com o pé atrás ainda.

    Jolan Tru

  8. post 7.
    “…Talvez a maior exceção seria Spock. Conhecemos bem seus pais e seu background como meio humano e vulcano. Mas gostaria de revisitar a sua infância (como foi feito em um episódio da série animada)…”

    Também conhecemos pouco do Spock.
    Como foi sua infância e a passagem na Academia? Como e quando ele entrou na Frota? Como venceu a pressão do pai? Qual foi o seu período na Enterprise com Pike? O que ocorreu depois de The Cage? Como conheceu Kirk e McCoy e os demais?

  9. Maria da Conceição G. Simões | 13 de agosto de 2008 at 6:44 pm |

    Acho que algumas dessas perguntas feitas pelo Ralph serão respondidas no novo filme. Quando eles se encontraram.
    Tomalak e Ralph foram muito felizes nas suas observações. Eu não conseguiria expressar tão bem os meus sonhos sobre o passado dos nossos amigos. Espero que JJ esteja sintonizado com a gente e siga em frente, não recontando as aventuras que já conhecemos, mas mostrando como as coisas aconteceram antes de TOS e nas entrelinhas. Vida Longa e Próspera para todos

  10. Mas e depois de mostrar a vida deles, vai mostrar o que?????

  11. Bem, Severino, lembre-se que da missão de cinco anos só tivemos 3. Então ainda tem “pano pra manga” nessa história.

    E além do mais, depois que estabelecer as suas origens, a interação entre os personagens vai ganhar um peso muito maior, abrindo inúmeras oportunidades para o drama humano, e consequentemente para novas aventuras. Se esse “Star Trek Begins” decolar, as possibilidades serão muitas.

    Agora fico me perguntando se o J.J. vai lançar mão do mesmo formato de “Lost” com seus flashbacks entremeados na história, ajudando a preencher lacunas ao longo dela. Se isso for feito de forma dosada pode ficar legal, só não pode é exagerar a mão senão pode virar uma confusão só.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*