Discovery começa em 2255, dez anos antes de Kirk

fuller-cbsO produtor-executivo Bryan Fuller soltou uma tonelada de informações sobre a próxima série de Star Trek, durante um evento de imprensa da Associação de Críticos de Televisão, realizado na tarde desta quarta-feira (10), na Califórnia. A informação mais aguardada talvez fosse a revelação da época em que se passará a nova série: 10 anos antes do início da famosa missão de cinco anos da Enterprise sob o comando do capitão Kirk.

Portanto, quem apostou — com base no design e no número de registro da USS Discovery — que o novo show estaria situado entre Enterprise e a Série Clássica acertou em cheio. Agora, poucos poderiam imaginar que seria tão colada à época de Kirk — até pelos desafios visuais que isso traz, em termos de encaixar os novos episódios no contexto mais amplo da linha do tempo “mestra” (podemos chamar assim a prime timeline em português?) de Jornada nas Estrelas. A rigor, a série cai bem no período histórico que separa o piloto recusado pela NBC, The Cage, e a primeira aparição de Kirk, em Where No Man Has Gone Before.

Sobre o visual, Fuller falou especificamente o seguinte: “Estamos no universo ‘mestre’, 10 anos antes do capitão Kirk. Temos a oportunidade de preencher o espaço entre Enterprise e a série original e realmente ajudar a redefinir o estilo visual de Star Trek.”

Sendo um pouco mais específico, Fuller disse que maquiagem, cenários e efeitos visuais serão elevados ao estado da arte de 2016, da mesma forma que aconteceu no começo dos anos 2000 com Enterprise, que se passa cem anos antes da série original, ambientada no século 22, mas tinha valores de produção modernos. E o produtor-executivo adicionou: “Estamos muito mais perto do universo de Kirk, então podemos brincar com toda aquela iconografia daquelas naves e uniformes [da série original].”

Você pode ler essas declarações com uma mentalidade otimista ou pessimista, dependendo de quais são suas expectativas e exigências em termos de canonicidade.

A PREMISSA
Fuller também deu alguns detalhes intrigantes da premissa da série, que terá como protagonista uma mulher humana, com a patente de tenente-comandante. Ou seja, ela não será o capitão da USS Discovery. Sobre a nave em si, o produtor-executivo disse que estavam alterando significativamente o desenho mostrado no “vídeo-teste” exibido na Comic Con, mas que ela continuaria tendo traços baseados na proposta de Ralph MacQuarrie para o filme de Jornada cancelado nos anos 1970, Planet of the Titans.

“A história que é fascinante para mim é, tivemos seis séries [feitas] do ponto de vista do capitão… nós pensamos que ver personagens diferentes de perspectivas diferentes nos daria contextos diferentes”, disse o showrunner. “Uma dinâmica e uma relação diferente com a tripulação.”

De acordo com Fuller, o ponto de partida da série é um incidente envolvendo a Frota Estelar que já foi mencionado antes no cânone de Jornada nas Estrelas, mas jamais mostrado em tela. (O produtor-executivo negou que fosse o incidente com o Kobayashi Maru, embora ele vá ser mencionado na série, a Batalha de Axanar, citada no episódio Whom Gods Destroy, ou a Guerra Romulana, que se passa cem anos antes. O que resta? Façam suas apostas)

A série está formatada como uma obra literária, segundo Fuller, com 13 capítulos perfazendo uma história. Mas ele destaca que cada um desses episódios terá começo, meio e fim, parando em pé por si mesmo — o que era uma preocupação de muitos fãs. Imagina-se que o formato não seja muito diferente do que foi adotado em boa parte de Deep Space Nine e na terceira temporada de Enterprise.

E, seja qual for o “incidente histórico” que dá início à aventura, o “coração” da história em si, centrada em torno dessa protagonista, tem a ver com a jornada interior que ela faz para se apaziguar com outras formas de vida na galáxia.

“Vamos mergulhar fundo em algo que para mim foi sempre muito intrigante, e [estamos contando] esta história por meio de um personagem que está numa jornada que vai ensiná-la como lidar com outros na galáxia. Para que ela realmente entenda algo que é alienígena, ela precisa primeiro entender a si mesma.”

De forma misteriosa, Fuller adiciona que, apesar de ser uma tenente-comandante na Frota Estelar, ela “terá muitas patentes”. Entenda isso como quiser.

ELENCO
Não há ainda confirmação de contratação de nenhum dos atores para a nova série, mas Fuller — a exemplo do que já vinha dizendo em entrevistas anteriores — promete grande diversidade, citando o precedente aberto pela série original, que colocou lado a lado uma africana, um asiático, um russo e um alienígena na ponte de comando.

O produtor-executivo anunciou que a série deve ter sete personagens principais, e um deles será gay. Além disso, segundo informação exclusiva do Hollywood Reporter, devemos ter uma almirante mulher, um capitão klingon, um almirante homem, um assessor e um médico britânico. Se você somar, são sete personagens. Mas, com essa quantidade de almirantes, temos de supor que não estaremos passando todo o nosso tempo a bordo da Discovery (o que também se encaixa à frase “novas tripulações” no teaser da série).

Fuller também confirmou que teremos robôs em Star Trek: Discovery, assim como mais alienígenas do que costumávamos ver em outras séries da franquia.

VELHOS CONHECIDOS
Colocando-se numa época em que a Enterprise clássica já está no espaço e Kirk e sua tripulação já estão todos — ou quase todos — na Frota Estelar, uma pergunta inevitável é: revisitaremos versões mais jovens desses personagens? Óbvio que os jornalistas presentes perguntaram isso a Fuller. E, embora ele não tenha dado informações concretas, deu a entender que sim.

Ele citou especificamente Amanda Grayson, a mãe de Spock, completando que adora Winona Ryder, a atriz que interpreta a personagem nos filmes da linha do tempo da Kelvin, capitaneados por J.J. Abrams. Quando perguntado se ela apareceria na primeira temporada, Fuller sorriu e respondeu: “talvez”.

O produtor-executivo também mencionou outros personagens, como possivelmente uma aparição de um jovem dr. McCoy, mas asseverou que não havia planos para isso ainda — um contraste forte com a declaração sobre Amanda Grayson.

Em resumo, Fuller sugeriu que a primeira temporada serviria para consolidar os personagens centrais de Discovery, mas, dali em diante, o céu era o limite. Perguntado se a série teria episódios de viagem no tempo, ele não disse “não” e, em entrevista ao site Ain’t It Cool, disse que a exibição no CBS All Access oferece a vantagem de entregar todos os episódios de Star Trek juntos (algo que também acontecerá no resto do mundo, via Netflix).  “Eu acho que o que é ótimo com Star Trek e como ele se relaciona com o CBS All Access é que você tem acesso a todas essas coisas simultaneamente. Então, Star Trek, você pode dobrar tempo e espaço. E, no All Access, você pode dobrar tempo e espaço para chegar a Star Trek.”

E aí, o que você acha?

80 Comments on "Discovery começa em 2255, dez anos antes de Kirk"

  1. Jotape Ferreira | 11 de agosto de 2016 at 3:11 pm |

    Acho bacana a ideia da nova série ser feita do ponto de vista de uma tenente, e não do habitual capitão.

  2. Essa é uma característica que me agrada também.

    Será que teremos muitas missões avançadas? Haja Red Shirt. kkkk

  3. Veremos a academia da Frota e os estudantes-cadetes Kirk e Spock e cia??

  4. Acho que estou mais do que interessada. 🙂

  5. Estou com a impressão que Fuller disse 10 anos antes de TOS mas parece que seja mais do que isso…para as guerras contra os Klingons …ou não??

  6. Desde ontem depois dessas informações, já vi muitas especulações. Incluindo gente perguntando se os atores da Kelvin timeline vão aparecer no filme. Bem, pelo menos a mãe do Spock no JJverse, parece que vai. 🙂

  7. Salvador
    Acho que seria anos 2100 em vez de 2000 em :

    “estado da arte de 2016, da mesma forma que já aconteceu com Enterprise, que se passa cem anos antes da série original, no começo dos anos 2000.”

  8. Mauricio Silva de Moura | 11 de agosto de 2016 at 4:37 pm |

    Tomara que tenha personagens vulcanos. Tornaria mais interessante a série..

  9. Salvador Nogueira | 11 de agosto de 2016 at 5:18 pm |

    Não, é 2000 mesmo. Enterprise estreou em 2001. (Refiro-me aos valores de produção da época em que a série foi feita, não à cronologia fictícia!)

  10. Salvador Nogueira | 11 de agosto de 2016 at 5:23 pm |

    Reli, e o texto ficou esquisito mesmo. Tentei mudar para tornar mais claro! Valeu! 🙂

  11. Acredito que refere-se ao ano 2016 mesmo, mas não no cânon de Star Trek, mas ao tempo real, o nosso tempo, já que se refere ao estado da arte. Star Trek 2009 é um exemplo disto, a ponte da Enterprise não seria aquela vista dos anos 60, mas como ela seria concebida hoje com o aspecto tecnológicos e atuais (como de fato foi), como estado da arte atual

    Enterprise concebida visualmente em 2009

    http://cinemacao.com/wp-content/uploads/2013/06/ponte-de-comando.jpg

    Enterprise concebida nos anos 60

    https://i.ytimg.com/vi/UEQaJZbC2y8/maxresdefault.jpg

    Se Gene Roddenberry fosse um jovem roteirista nos dias atuais e criasse Star Trek hoje, provavelmente a ponte da Enterprise seria a de 2009. Portanto, visualmente falando, o interior da Discovery seja mais próximo com a Enterprise de 2009 do que a Enterprise dos anos 60, resguardado as diferenças do cânon principal e alternativo.

  12. É bem capaz que o visual da Discovery seja mais próximo ao que foi visto em Star Trek 2009 do que aquela vista nos anos 60, resguardado, é claro, as particularidades de cada cânon. Acredito que seja sobre isto que ele estava mencionando.

  13. Como tudo ocorre no cânon original, Vulcano existe e continuará existindo firme e forte por um bom tempo. Romulus que é destruído no final do século XXIV e por causa disto resultou no incidente Kelvin, nos termos de Star Trek 2009.

  14. Mauricio Silva de Moura | 11 de agosto de 2016 at 5:55 pm |

    Ótimo.,

  15. David Gaertner Curitiba | 11 de agosto de 2016 at 6:39 pm |

    Cara, de certa forma estou mais ansioso por esta série que pelo filme. Espero que finalmente explorem decentemente os romulanos, que para mim são os alienígenas mais interessantes de ST;

  16. Seguindo a linha de tempo original, os romulanos, depois da guerra, só deram as caras no episódio Balance of Terror, mas nada impede que eles façam movimentos por baixo dos panos como foi com ENT. Poderia ser um acréscimo interessante.

  17. David Gaertner Curitiba | 11 de agosto de 2016 at 7:06 pm |

    Um pouco mais de conhecimento sobre esse período da história de ST seria muito bem vindo. Talvez até saber mais sobre o comandante comandante da nave romulanos de Balance. Se até até o por quê da testa lisa dos klingon na série original nos já sabemos, por que não um pouco mais sobre eles? Creio que seria bem interessante. Tomara!

  18. Seria no período pós guerra contra os Klingons…já q Axanar seria 22 anos antes de Kirk e cia. em TOS ??

  19. Estou curioso em saber que evento é este. Já que eles vão seguir o Prime timeline, que eu me lembre, os eventos mais importantes neste período foram: a batalha de Axanar vencida pelo capitão Garth em 2250 e o envolvimento de Pike em Rigel VII (2254), que foram fatos comentados mas não mostrados.
    De resto são eventos isolados como Kodos em Tarsus IV, a queda da SS Beagle no planeta 892-IV

  20. Segundo as datas: (Fontes Wikia)
    Batalha de Axanar foi em 2251
    Teste Kirk sobre Kobayashi Maru foi 2253/2254
    Nessa época a partir de 2255:
    * Capitão Garth (Esta Preso)
    * Capitão Robert April – Primeiro Capitão Enterprise (Estará no Comando da Frota como Comodoro)
    * Capitão Christopher Pike – Segundo Capitão Enterprise (Estará no Comando da Enterprise)
    * Spock – (Estará como Oficial/Tenente na Enterprise junto com Pike)
    * Kirk – (Estará como Alferes na USS Farragut), (Onde conhecerá McCoy)
    Bom, e a NCC 1031 estará lá no meio disso tudo, só esperando pra ver como estes personagens TOS serão citados no desenrolar do enredo da USS Discovery.
    PS: precisar corrigir algo, só mencionarem hehe

  21. A serie se passa 10 anos antes de Kirk ser o capitão da Enterprise. Então estamos falando de April, Pike, T´Pol, Sarek, O início das carreiras de Kirk , Spock e McCoy na Frota.

  22. Maurício Oliveira | 11 de agosto de 2016 at 8:28 pm |

    E o tenente José Tyler

  23. Ele era o Navegador da Enterprise no Episodio The Cage… Teoricamente é para ele estar lá nesse período como navegador da Enterprise ainda… Parece que ele (Jose Tyler) era filho de Mãe Brasileira e Pai Americano isso eu descobri hoje …

  24. Meio off-topic, mas acabei de ver um vídeo bem divertido sobre o mito de ser arriscado ser um camisa vermelha em TOS…

    https://www.youtube.com/watch?v=GIRRDO7_SZI

    Será que a nova série manterá a tradição? 😉

  25. Fico imaginando a possibilidade de chamarem os atores da linha alternativa para repisarem os seus papeis na linha original, caso os personagens da nova série se esbarrem com os personagens canônicos desta época. Pike (Bruce Greenwood), Sarek (Ben Cross), Amanda Grayson (Winona Ryder), Spock (Zachary Quinto – como seria agora interpretar o próprio Spock Prime), George Kirk (Chris Hemsworth) que nesta linha esta vivo, e por ai vai…. seria algo interessante.

  26. Kirk nesta época nem academia estava – ele ingressa em 2252 segundo memory-alpha.

    2252 – Ingresso na academia de São Francisco para treinamento oficial para as missões de cinco de anos
    2255 – Serve na USS Republic como alferes
    2257 – comissionado como tenente para USS Farragut
    2260 – 2265 como instrutor na academia e comandante em alguma espaçonave não especificada.
    2265 – assume o comando da Enterprise, para a missão de cinco anos.
    http://memory-alpha.wikia.com/wiki/James_T._Kirk

  27. Maurício Oliveira | 11 de agosto de 2016 at 10:02 pm |

    Sim, já tinha lido isso. Poderia ter sido bem aproveitado

  28. O bom desta série é que estamos voltando as origens para pesquisar a biografia dos personagens!!!

  29. Pela cronologia oficial – é possível que conheceremos Robert April, nesta série.

  30. 2250 – April é capitão da Enterprise ainda. Já no final da 1ª missão de cinco anos da nave. Portanto, é bem capaz que o mesmo, em algum momento da série, possa ser introduzido como personagem recorrente.

  31. Espero que sim… Ele como Comodoro, ainda mais que parece que vai ter temas vinculados com a seção 31, daria pra montar uns bons enredos…

  32. GILSON P. DE FARIAS | 11 de agosto de 2016 at 10:18 pm |

    Essa obsessão com a série clássica!, que Eu, não entendo. Poderia ser uma série após janeway. Eu mesmo, adorava kirk, mccoy e spock….mas com a chegada das outras séries: abri minha mente.

  33. Como a série se passa em 2250 – a Enterprise está no finalzinho da primeira missão de cinco anos sob o seu comando. Então a probabilidade dele aparecer como capitão da USS Enterprise também não pode ser descartada….

  34. Tambem curti muito Voyager, foi a primeira que assisti completa. Tambem gostaria de ver como seria a Federação após isso, Pós Borgs… Ou um salto no tempo, como naquele episodio em Voyager Future Ends nave temporal da federação do seculo 29

  35. Kirk assume o comando da Enterprise em 2265. Dez anos antes será, portanto, 2255. 2254 A Enterprise se envolve em dois incidentes Rigel VII e Talos IV, portanto, teríamos Pike como Capitão, Spock como oficial da Enterprise, Kirk servindo na USS Republic como alferes, George Kirk ainda vivo… Acredito que a chances de ver Robert April sejam extramente grandes, como Comodoro.

  36. Como seria Federação no Seculo 29… Pra existir uma nave temporal, imagina a tecnologia… ou sera que ja estariamos indo pra galaxias vizinhas como Andromeda…

  37. O incidente em Talos não é. A mensagem é que foi referenciado. Talos teve 2 episódios trabalhados. Pelo descarte da Guerra romulana (que ocorreu antes) sobra apenas dois eventos:

    Guerra Klingon, meu melhor chute, o que colabora com uma nave que se assemelha a uma D7, forçando a Federação a se militarizar e fazendo referência a uma intervenção da Seção 31. Também vai de encontro com o bloqueio da CBS em Axanar.

    Eventos de Tarsus IV, onde o Governador Kodos mandou matar parte da população para a sobrevivênca da colônia. Não acho ser esta a referência.

  38. Axanar: próximo de 2223
    2236: Columbia cai em Talos IV.
    2242: Batalha de DONATU V – Fed x Klingons.
    2245: Enterprise é comissionada – April no comando por 5 anos.
    2246: Incidente de Tarsus IV. Morre o irmão de Kirk
    2250: Kirk na USS Republic.
    2251: Enterprise começa 1a. missão de 5 anos com Pike.
    2252: Spock vai servir na Enterprise.
    2254: Kirk burla Kobayashi Maru e vai para a Farragut. Inicidente de Pike em Rigel VII.
    2256: Enterprise retorna de Talos IV e entra em reforma (1o Refit).
    2257: Enterprise inicia a 2a. missão de 5 anos com Pike
    2261: Fim da 2a. missão, novo grande refit da Enterprise.
    2263: Kirk assume a Enterprise.

  39. GILSON P. DE FARIAS | 11 de agosto de 2016 at 11:10 pm |

    E isso que não entendo! Todas as séries têm seu valor, não sei porque ficar focando na clássica.

  40. o esquadrão suicida de Star Trek….

  41. Aí seria tortura. Tô fora.

  42. leonardo da costa ferreira | 12 de agosto de 2016 at 6:44 am |

    Olá. Sempre acompanhei as discussões, mas nunca comentei. Apesar de pessoalmente achar que o melhor seria pular uns 50 anos pós nemesis por considerar esse universo de TOS super explorado na TV, cinema e livros. Estou empolgado com a nova serie por causa da volta da promessa da visão positiva de Jornada. Essa visão e essencial num mundo marcado por Trump e cia.

  43. Acho que situar a série em um período pré série clássica é uma estratégia para conquistar também o público que só conhece Jornada pelos filmes da kelvin timeline. Se a série se passasse pós clássica e em um episódio a nave fosse parar em Vulcano sempre teria uma loira pra perguntar: “Mas esse planeta não foi destruído?”
    Quanto a protagonista ser mulher acho que as chances eram de 50%, de ter um personagem gay a chance era de 99,99%. Acho que o importante é que os personagens sejam bem escritos e bem interpretados.
    Agora situar a série apenas 10 anos antes da clássica me dá a impressão que o Fuller está chegando com a sua mobília e escolhendo o menor quarto da casa, vai ter que ser criativo para encaixar tudo lá.
    Aguardando ansiosamente.

  44. Pai d’egua mermao. Eh o que posso falar!!!!!!!

  45. sinta-se à vontade para comentar sempre…como se fosse na sua casa …:)

  46. Sobre a questão “período da nova série X visual tecnológico original de 1966 X visual possível de criar atualmente” acredito que será feito assim: teremos uma série que se passa antes de TOS com um visual tecnológico super futurístico, mas respeitando algumas limitações, como por exemplo, a ausência de holodecks. Nós, que assistiremos a tudo isso, adaptaremos nossas mentes para aceitar aquele visual como sendo o visual de 10 anos antes de TOS.
    Depois, um dia, uma nova série poderá ser criada no período da original, e aí tudo ficará certo visualmente e a TOS original será, como sempre foi, a mãe de todas as séries treks.

  47. Pq tortura? Pra quê iriam pegar um outro ator na idade do Zachary pra interpretar o Spock Prime?

  48. leonardo da costa ferreira | 13 de agosto de 2016 at 1:24 pm |

    Obrigado. Sou timido mesmo. Rsrsrss

  49. Porque Zachary, Pine, Zoe, Pegg, Urban são caros.

    Se o convite partir deles, (tipo gostaria de participar) é uma coisa. O passe cai. Já se a CBS for contratá-los, mesmo que pontualmente, a história muda.

  50. Hollander, que são caros é bem óbvio. A minha pergunta foi no sentido de história (supondo haver budget) e, principalmente, pq o nosso colega Vedek acharia tortura ver Zachary, Pine, Zoe, Pegg e Urban represando seus papéis?

  51. Creio (respondendo por ele e por mim) que Zachary NÃO É um vulcano a altura de Nimoy.

  52. Até aí, acho que nenhum ator é. De todo modo, (novamente supondo que haja budget), não acho que faça lá muito sentido fazer o que a DC faz: um ator sendo Flash na TV e outro no cinema, um ator sendo SH na TV e outro no cinema… Para todos os efeitos, pelas datas de ST09, Kirk parece com Chris Pine em 2255 – citando um exemplo. Há toda uma nova geração de fãs que começaram por estes filmes e, independente de gosto individual, (sempre lembrando de que se assuma ter budget) faz muito mais sentido que se mantenham esses atores caso os personagens apareçam do que fazer recasting.
    Já saindo um pouco dos atores, falando pessoalmente, penso que o fandom de Jornada está ficando cada vez mais chato. Se chega ao ponto onde um produtor tem que explicar o óbvio e ainda tem gente que reclama: o visual será atualizado para 2016.
    Fico pensando se quem reclama disso acha mesmo que uma série com o visual de “In a Mirron, Darkly” de Enterprise funcionaria…

  53. Na verdade a maioria do fandom quer mais Star Trek e alguns reclamam e tudo bem…IDIC.
    O importante é a história , o enredo.
    E a lógica nos diz q não usarão os atores do JJ verse não só porque querem mais lucro e menos gastos mas tb por que os atores de hoje não topam ficar marcados por um só papel como Nimoy e Sahtner e cia.

  54. Pô, mas vão mudar o design da nave?! Eu tinha gostado dela… Era só colocar umas texturas a mais e tava pronta. Só falta ela ser cinza e toda high-tech! Eu realmente tinha gostado do visual “criada por engenheiros, não por designers” dela. Bem… Agora é esperar. De repente gosto da “v.2” também. 😀

  55. Não gostaria de ver ninguém interpretando spock, nem kirk, nem ninguém que ficou na história.

    Eu não sou bobo, ouvi na propaganda novos personagens, de voltarem com os mesmos modificados não vai ser legal. Nunca antes na história dessa franquia…

  56. Maurício Monteiro | 14 de agosto de 2016 at 9:44 am |

    Particularmente, vejo uma certa limitação, caso queiram realmente seguir a cronologia na linha temporal da série clássica: situar-se entre períodos. Spock já serve na Enterprise, Kirk está na Farragut, então, ficamos presos ao período que antecede a promoção de Kirk a capitão da Enterprise, e à formação da tripulação que a compôs, como conhecemos. Concordo com alguns do fórum, quando opinaram sobre a série situar-se no período pós Terra Desconhecida; ou ainda, pós Picard/Janeway. Seria interessante saber o que ocorreu com os Borgs, Dominion, e a própria Federação dali a 50 ou 100 anos… Explorando a galáxia de Andrômeda… o universo é vasto, então…

  57. Maurício Monteiro | 14 de agosto de 2016 at 9:47 am |

    É, e como estas são as “viagens da nave estelar Enter…” ops, quero dizer, “…Discovery!”
    Criativo é pouco, vai ter que ser mesmo é original!

  58. Eu acho bem arriscado apenas 10 anos antes, Fuller vai ter que se virar nos 30 mesmo. “Uma dinâmica e uma relação diferente com a tripulação.”, bom, isso me deixou com um pouquinho de medo, espero muito que ele não se empolgue com esse “diferente” já que a função desta nova série é trazer o que Star Trek é de verdade, essencialmente a borra do café, diferentemente do que os novos filmes focam em propor pra chamar atenção (ação em demasiado), afinal, star trek nunca precisou disso, e isso é o que a torna tão única.

  59. Oi, Lígia! Até concordo que o período (dez anos antes de TOS) seja complicado, mas não por ter apenas 10 anos, pois outras séries funcionaram muito bem com bem menos que isso: 4 anos Enterprise, 7 anos TNG, VOY e DS9.

  60. Eu acho que o período de 10 anos antes de TOS será momentâneo. Acho até que será somente no primeiro episódio. Depois migrará para um período entre TOS e TNG. Eu espero que seja isso.

  61. Gostei muito dele tb não, como Spock. Pode ser que nesse novo filme melhore. Ser Spock não é apenas “não sorrir”.

  62. Edu…Enterprise se passa 100anos antes de TOS e TNG, VOY e DS9…uns 70 anos após TOS…

  63. A lógica me diz q vão ser 13 episódios sobre uma mesma história…um evento q aconteceu 10anos antes de TOS e bem no ano de Prelude to Axanar q se passa 10 após o final da guerra contra os Klingons….

  64. Entendi a essencia do que vc escreveu e concordo q deve ser uma série de tv com enfase no enredo e personagens e não só explosões…mas não entendi a expressão ” borra do café”…especifique

  65. a versão da nave mostrada até agora será muito modificada , pois as críticas forem em grande número e vazaram este trailer justamente pra testar a aceitação…

  66. em Beyond Spock delira….kkkkkk

  67. Ele sorri no novo filme. Mas este é um dos casos que vale.

  68. Sim sim sim.. não vi ainda. Mas, Nimoy sorri, mas dentro de um contexto. Acho que a única vez que ele sorri, pura e simplesmente, é no piloto, pois possivelmente o perfil do personagem não estava consolidado.

  69. Creio que ela quis dizer o núcleo, o concentrado, pois o resto que sobra do café é água (preta) com açúcar.

  70. pode ser…é que borra de café parece pouca coisa, o resto…

  71. Eu quero ver o “boredom” fazer essa série dar certo. A borra do café até o holodeck vai dizer que nunca foi.

    Você viu esse artigo na Forbes, eu não escrevo lá mas bem que eu, e outros por aqui também falaram algo parecido:

    http://www.forbes.com/sites/markhughes/2016/08/12/why-star-trek-beyond-hasnt-hit-warp-speed-at-the-box-office/#6957f4d983f1

  72. sim , eu vi…nem preciso mais da Forbes…tenho amigos que escrevem e comentam bem antes que a Forbes…kkkkkk

    gostei do “boredom”….seria “fan boring dom” ??kkkkk

  73. Sim, Fspok, entendi que ela se referiu a essa relação de anos, mas o que eu quis dizer é que, mesmo tendo 100 anos para explorar, ENT se passou em 4 anos corridos, bem como as demais séries. Por exemplo, VOY sempre citava que já estavam a 5 anos, ou a 6 anos e no final, a 7 anos longe do quadrante alfa.

  74. Sabe o que eu gostaria? O fim da tecnobaboseira. As vezes se fala demais e isso pode ser o maximo para alguns porém depois de ver algumas temporadas de Battlestar Galactica ( novo ), eu acho que fica bem mais divertido sem isso. Poderia ser substituido por ciência de verdade ( ou algo proximo do que a gente conhece hoje ).

  75. Na TV isso é bem possível, mas acredito que o “timing” será muito mais ao estilo do público de hoje. Muita adrenalina e pouca conversa.

  76. usei “borra de café” pra me referir ao que a série é de verdade, pq star trek sempre foi mais que sci-fi, é uma franquia que quebra paradigmas além de usar uma linguagem bem intelectual. eu acredito que a maioria dos fãs amam tanto por conta disso, eu mesma sou uma dessas haha.

  77. exato

  78. nesse caso eu falei do tempo na timeline da franquia, nao do nosso tempo real haha, mas acho até que quanto mais temporadas mais interessante pode ficar por estar se aproximando do ponto de TOS. por isso espero que aproveitem bem

  79. somos…..\//

Leave a comment

Your email address will not be published.


*