DS9 2×04: Invasive Procedures

Episódio se perde por excesso de conveniências e repetição de tramas

Sinopse

Data estelar: 47182.1.

Com uma violenta tempestade de plasma açoitando o cinturão Denórios, a estação foi novamente evacuada, deixando apenas os tripulantes seniores a bordo. Inspecionando um porto de atracação, O’Brien e Odo encontram Quark, que oferece uma tola desculpa por estar ali, para a total desconfiança do comissário, que, contudo, não faz nenhum tipo de vistoria no local. Após os três saírem, o espectador pode ver uma espécie de aparelho (claramente instalado por Quark) na parede do corredor do porto de atracação.

No OPS (Centro de Operações da estação), Dax (que está acompanhada de Sisko e Kira) detecta uma nave rumando para a estação, que envia uma mensagem, identificando-se como um cargueiro seriamente avariado devido à tempestade, com grande necessidade de ajuda. Os transportes são não efetivos e o raio trator mal consegue trazer a nave para o anel de atracação. Sisko, então, envia O’Brien e Odo para encontrar os refugiados.

Na comporta de ar, um grupo de alienígenas composto por uma mulher (Mareel), dois klingons (T’Kar e Yeto) e um nervoso trill (Verad) rendem O’Brien e Odo, obrigando o transmorfo a retornar a seu estado gelatinoso e a entrar em um receptáculo. Enquanto Yeto vai pegar Quark, os outros três levam O’Brien e o receptáculo à enfermaria, onde obrigam Bashir a colocar o o objeto onde se encontra o comissário em suspensão animada.

Os intrusos tomam o OPS, utilizando Bashir e O’Brien como reféns. Mareel e Verad desabilitam os sistemas primários e secundários. O chefe de operações suspeita do envolvimento de Quark. Dax observa o trill.

Yeto vai até o bar de Quark, que o estava esperando para efetuar uma venda. Entretanto, ao invés de latinum, Yeto oferece um desruptor e leva o ferengi sob custódia.

Sisko pergunta ao líder do bando (Verad) o que ele quer. Ele quer o simbionte Dax, algo que entende ser seu por direito. Se todos cooperarem ninguém sairá ferido, exceto Jadzia, que morrerá sem o simbionte. Quark é jogado no OPS por Yeto, sob um olhar furioso de Kira.

Verad diz não ter escolha senão sacrificar Jadzia no processo. Ele dedicou sua vida inteira para se preparar para a união com um simbionte e foi julgado “inadequado” pela Comissão de Avaliação de Simbioses do planeta Trill. Jadzia diz que não há do que se envergonhar, pois a taxa de aceitação é inferior a um para dez (mesmo os seus próprios pais e a sua irmã não conseguiram a união, mas, ainda assim, tiveram uma vida bastante produtiva). Ele responde que é fácil pra ela falar, pois ela foi escolhida.

Verad diz que o simbionte Dax é uma excelente combinação para ele, bem como a proximidade da Fenda Espacial oferece uma ótima oportunidade de fuga. Dax insiste com Verad de que deve ter havido um bom motivo para ele não ter sido aprovado. Ele diz que fizeram de tudo para  condená-lo a uma vida de mediocridade. E se recusa a aceitar isso.

Os captores tentam levar Bashir e Jadzia para a enfermaria, para a cirurgia. Quando Bashir se recusa a ajudar, Verad acerta O’Brien no ombro com um feiser, e diz que, se o médico não cooperar, todos vão morrer e ele não tem mais nada a perder. Jadzia concorda em se sacrificar (e faz Verad prometer que ninguém mais sairá ferido) e convence Bashir a realizar a cirurgia, após tratar dos ferimentos de O’Brien.

Quando Dax vai se retirando, ela tenta confortar Sisko. Mareel beija a testa de Verad e lhe deseja boa sorte, enquanto ele vai ao encontro do seu maior sonho.

Na enfermaria, Verad se recusa a ficar inconsciente durante a cirurgia e quer observar tudo por um monitor. Ele ameaça os reféns. Bashir, então, concorda. O médico coloca Jadzia para dormir. Ao vê-la perder os sentidos, ele suspira.

Ocorre uma briga no OPS, que termina com Mareel enfiando um feiser na cara de Sisko e fazendo-o parar. Na enfermaria, Bashir retira o simbionte de Dax e o coloca em Verad, cuja face se “ilumina” com a união.

No OPS, Kira diz a Quark que ele “cruzou a linha”, os vendeu, e que Jadzia pode morrer por causa disso.

Mareel diz não querer ferir ninguém. Jadzia deve morrer para satisfazer o sonho de Verad. Mareel deve muito a Verad. Ele a retirou de uma vida de prostituição, meio onde se conheceram. Ela é capaz de qualquer coisa para vê-lo feliz. Sisko questiona se isso inclui deixá-lo partir. Ela diz que ele ficará mais inteligente e confiante após a cirurgia, mas isso não mudará o relacionamento entre eles. Sisko diz que ela está errada e que Verad Dax será uma pessoa totalmente diferente daquela que ela conheceu. Mareel diz que não vai traí-lo, aconteça o que acontecer.

“Eu nunca duvidei disso”, fala um agora Verad Dax, retornando ao OPS. Sem um pingo da timidez e da insegurança do seu antigo eu.

Na enfermaria, Bashir está tentando de tudo para prolongar a vida de Jadzia. O klingon Yeto não considera o ato da trill nobre, mas sim covarde. O médico retruca não estar interessado em filosofia klingon e Yeto fica impressionado com a determinação dele em não deixá-la morrer e acaba por “dar uma de enfermeiro” para o médico.

Jadzia acorda e sua face mostra o exato oposto do efeito na de Verad, “eu me sinto tão só”, ela sussurra. Bashir, devastado pelo que foi obrigado a fazer, jura que não vai deixá-la morrer.

Os intrusos têm o que queriam e agora aguardam a tempestade diminuir para poder partir. Sisko tenta conversar com Verad, se valendo de sua amizade com Dax, que responde com afeto e o chama de Benjamin. Os dois vão lembrando das experiências passadas de Ben com Curzon e Jadzia. Quando o comandante tenta persuadi-lo a salvar a vida de Jadzia, Verad diz que não é possível e que a integração está começando.

Ele ainda diz que o simbionte ainda está muito fraco e pode não sobreviver a outro transplante. Ainda assim, Sisko insiste. Quando Mareel enfrenta Verad, perguntando por que ele está dando ouvidos ao comandante, ele responde, para total consternação de Mareel, “porque ele é meu amigo”. Sisko diz que, frente à recusa de Verad Dax em ajudar Jadzia, ele não mais o reconhece como amigo.

Pouco depois, com Verad no escritório do comandante, Mareel parece estar com sua mente em um outro lugar, bem distante dali. Sisko continua a pressioná-la, frente à clara mudança de Verad. Mareel já está claramente insegura sobre o futuro dela junto a Verad.

Quark usa uma distração e “sai no braço” com o klingon T’Kar, que o joga longe. Quando o ferengi cai, reclama de uma incrível dor no ouvido. Verad diz que Mareel deve levá-lo à enfermaria. Lá, Quark faz um sinal para Bashir enquanto este o examina. O médico logo percebe que um plano está em andamento.

A tempestade está quase no fim. Verad diz que vai partir sozinho e que Mareel deve esperar por ele no ponto de encontro, do outro lado da Fenda Espacial, como combinado. Mareel e os dois klingons devem se certificar de que ninguém irá segui-los antes de partir. Mas a despedida dos dois claramente mostra que existe algo de errado. Sisko observa tudo com atenção.

Enquanto Yeto utiliza um instrumento médico, a pedido de Bashir, na orelha de Quark. o médico, por trás, utiliza uma hipo para desacordar o klingon. Bashir recupera o receptáculo de Odo e Quark consegue abri-lo.

A tempestade se foi. Verad chama Yeto, que não responde. O trill deduz que Bashir o rendeu, de alguma forma, e que provavelmente Odo está livre. Verad decide levar T’Kar como escolta e Kira como refém para o porto de atracação de sua nave. Sisko e Verad se despedem nervosamente.

Sozinha, com Sisko e O’Brien, Mareel admite que Verad mentiu para ela sobre o posterior encontro deles no Quadrante Gama. Ela diz que ele não precisa mais dela. Sisko discorda e diz que ele precisa dela agora mais do que nunca. O simbionte deve ser retirado o quanto antes. Mareel toma uma decisão e entrega o feiser ao comandante.

Verad e T’Kar chegam à comporta de ar com Kira. Entretanto, não há nave lá. Odo, que havia assumido a forma de um carrinho de ferramentas, diz que ele liberou as garras de atracação. Verad atira, sem acertar o comissário, e foge, enquanto Kira e Odo dominam T’Kar.

Sisko para no caminho de Verad para um explorador, com um feiser em punho. Verad não acredita que ele vai atirar e arriscar ferir o simbionte, por isso abaixa o seu próprio feiser e passa pelo outro, dizendo “Adeus, Benjamin”. Porém, quando se vira, Sisko ainda está apontando o seu feiser, dizendo para não chamá-lo de Benjamin e atira.

Verad acorda em um leito da enfermaria, já sem o simbionte Dax, enquanto, em um outro leito próximo, Bashir revive Jadzia já com o simbionte. Verad está desesperado e se sente mais solitário do que nunca. Apesar de Mareel dizer que sempre estará com ele, ele aparentemente está além de qualquer coisa.

Enquanto isso, Jadzia acorda e Sisko a abraça com tristeza.

Comentários

Quem esperou encontrar aqui qualquer consequência da “Trilogia do Círculo”, mesmo uma pequena mudança do status quo ou referência passageira — além da mala de latinum do Quark, é claro –, quebrou a cara. As boas regras de continuidade foram postas para escanteio nesta semana.

O episódio depende, para funcionar, de tal quantidade de conveniências, descaracterização de personagens e falta de consequências posteriores que quase que automaticamente vai para a categoria do medíocre. Felizmente existe um núcleo de história envolvendo a dinâmica de Sisko, Verad e Mareel que é razoavelmente interessante, tirando o episódio da categoria do “inassistível” (mas não por muito).

O primeiro elemento de trama que soa forçado é a ideia da tempestade, que leva à permanência de somente os personagens regulares a bordo da estação, abrindo a possibilidade de uma invasão. Como nós tivemos uma evacuação no episódio imediatamente anterior, é, NO MÍNIMO, desgastante a reutilização do mesmo dispositivo de trama. Também não estou muito certo sobre a missão de Sisko & Cia. permanecendo na estação e, definitivamente, INSATISFEITO com a permanência de Quark.

Cabe lembrar também que, no episódio “Dax”, da temporada passada, tínhamos um grupo de assalto na DS9, tentando roubar o simbionte Dax. Mesmo que os episódios sejam tematicamente não-relacionados, a reutilização deste particular elemento de trama é, NO MÍNIMO, repetitiva.

É bizarro que Odo, encontrando Quark em uma escotilha de ar, em uma atitude suspeita e com uma história absurda, não realizasse uma busca completa e encontrasse o dispositivo (aparentemente com a função de desativar o detector de armas). Ainda mais uma coisa enorme grudada na parede ao lado da porta, com luzes piscando. Sem essa descaracterização completa do personagem, o episódio não existiria.

Outro principal ponto negativo da trama é o “Quark nos vendeu, ele foi longe demais”. O ferengi é aparentemente perdoado (fora de cena), devido ao estratagema ao final do episódio, e a história é varrida para debaixo do tapete no decorrer da série. Nas circunstâncias do episódio, três erros consecutivos.

Nesse sentido, mais um ponto que deve ser comentado, em termos de uma visão global da série, é a falta de continuidade em relação ao fato de Jadzia afirmar que agora carrega as memórias de Verad. Isso nunca foi retomado durante a série de forma alguma.

Entretanto, o ponto de vista de Verad, como um trill que não conseguiu a união e se ressente disso, oferece um bem-vindo “insight” nas regras da sociedade trill. Isso deveria ter sido trazido para a frente do episódio, e não toda essa trama de terroristas e reféns.

A direção de Les Landau (veterano em Jornada nas Estrelas) é medíocre. Mesmo se considerarmos que este foi um episódio obviamente feito para poupar dinheiro, a falta de interesse visual é imperdoável. As cenas no OPS são particularmente mal feitas, com os atores literalmente “amontoados”. No mais, é “mão frouxa”, a maior parte do tempo.

O elenco regular faz o que pode com o roteiro capenga. Um ponto positivo é a presença de Brooks e sua boa dinâmica com Glover (como Verad Dax, especialmente quando os dois reavivam memórias contidas no simbionte Dax) e um grande ponto negativo são os berros de Shimerman. Farrell se sai bem como Jadzia sem Dax. El Fadil também está bem, especialmente nos momentos em que, talvez pela primeira vez durante a série, Bashir demonstra real afeição por Jadzia.

Glover está bem como Verad (especialmente quando ele atira em O’Brien) e excelente como Verad Dax. Gallagher também está muito bem com o material fornecido a ela, porém Russ e Rankin estão bizarramente péssimos.

A ideia dos assaltantes de colocar Odo em segurança em um receptáculo foi excelente. Além disso, é razoável assumir que ele seria um dos oficiais recepcionando a nave naquelas circunstâncias.

A mudança de comportamento de Verad veio sem surpresa e a manipulação de Sisko sobre Mareel não foi ruim (especialmente devido à competência dos atores), mas foi bem previsível.

A fala de Verad Dax, “porque ele é meu amigo”, para Mareel, pegou “na veia” e talvez tenha sido o ponto alto do episódio.

Aparentemente a “manobra Kira” não funciona bem com mulheres. Já Sisko encarando o klingon foi fantástico.

A falta de fechamento entre Jadzia e Julian sobre a cirurgia envolvendo o simbionte, e tudo mais, foi CRIMINOSA (e posteriormente varrida para debaixo do tapete).

“Invasive Procedures” tem uma pequena e boa história (ou pelo menos um tema para uma boa história), tentando aparecer embaixo de uma pilha de conveniências de roteiro, má execução e elementos mal resolvidos. Essencialmente mal feito, fraco e esquecível.

Avaliação

Citações

“One thing I can say about the Cardassians: they’ve built DS9 to last”
(Uma coisa eu posso dizer sobre os cardassianos: eles construíram DS9 para durar!.)
Major Kira

“They reduced my entire life to one word: unsuitable.”
(Eles reduziram toda a minha vida a uma palavra: inadequado.)
Verad

Trivia

  • Participação de John Glover como Verad. John Glover participou de filmes como Robocop 2, Gremlins 2: The New Batch, Batman & Robin e The Incredible Shrinking Woman e séries como Brimstone, Kojak e Chicago Hope.
  • Participação de Tim Russ como o klingon T’Kar. Russ participou de séries como Amazing Stories e a nova The Twilight Zone. Ele foi finalista para o papel de Geordi La Forge de A Nova Geração. Gene Roddenberry, porém, preferiu o ator LeVar Burton para o papel, embora Rick Berman tenha ficado bastante impressionado com Russ. Russ acabou ganhando, anos mais tarde, o papel do vulcano Tuvok em Voyager.
  • Iremos descobrir mais sobre o processo de selecionar um trill para união em “Playing God“, nesta mesma temporada. Também nesta temporada iremos conhecer uma interessante parte do passado de Curzon Dax em “Blood Oath”. Iremos conhecer o planeta natal Trill, e um pouco de sua cultura, incluindo um segredo guardado a sete chaves, em “Equilibrium”, da terceira temporada.

Ficha Técnica

História de John Whelpley
Roteiro de John Whelpley e Robert Hewitt Wolfe
Direção por Les Landau

Exibido em 18 de outubro de 1993 

Título em português: “A Invasão”

Elenco

Avery Brooks como Benjamin Lafayette Sisko
René Auberjonois como Odo
Nana Visitor como Kira Nerys
Colm Meaney como Miles Edward O’Brien
Siddig El Fadil como Julian Subatoi Bashir
Armin Shimerman como Quark
Terry Farrell como Jadzia Dax
Cirroc Lofton como Jake Sisko

Elenco convidado

John Glover como Verad Dax
Megan Gallagher como Mareel
Tim Russ como T’Kar
Steve Rankin como Yeto

Enquete

Edição de Muryllo Von Grol
Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "DS9 2×04: Invasive Procedures"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*