Easter eggs e referências de “Scavengers”

ATENÇÃO: ESTE ARTIGO CONTÉM SPOILERS!

O 6º episódio da 3ª temporada de Star Trek: Discovery, denominado “Scavengers”, contém muitos easter eggs e referências dos demais seriados e filmes de Star Trek. Estes são os que encontramos.

A atualização da Discovery mostra o casco e a iluminação externa modificados, um novo revestimento do defletor, pequenas alterações na própria configuração do casco, como a remoção dos suportes entre os anéis externo e interno.

A maior mudança de todas, as novas naceles de dobra que estão fisicamente separadas da Discovery, como alguns dos outros novos desenhos de naves estelares do século 32 que vimos no 5º episódio de Discovery, na semana passada.

Não está claro por que a USS Discovery precisaria da nova designação NCC-1031-A. Depois de ser atualizada, a USS Enterprise manteve sua designação original NCC-1701. Foi a nave de substituição que adicionou o -A.

O prato defletor pontiagudo, no estilo da Série Clássica da USS Discovery parece ter sido substituído por uma versão mais suave e plana. Esta atualização reflete uma atualização semelhante com a Enterprise em Jornada nas Estrelas: O Filme.

Outro vislumbre da USS Voyager-J pode ser visto enquanto a Discovery está estacionada no comando da Frota Estelar, agora facilmente identificada graças a este gráfico da conta oficial de Star Trek. Através de um gráfico no gabinete do almirante Vance, também temos na tela a confirmação de que é da classe Intrepid do século 32.

Foto de Jörg Hillebrand @gaghyogi49

Podemos ainda ver mais uma imagem da nave anelar, chamada tipo 2 nesta publicação. As duas imagens inferiores são do episódio anterior “Die Trying”

Foto de Jörg Hillebrand @gaghyogi49

A tripulação da Discovery não obteve os novos uniformes do século 32, assim como a Voyager nunca atualizou para os designs de Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato, provavelmente para reconhecimento dos espectadores e por questões orçamentárias.

As novas insígnias da tripulação incluem basicamente todas as famosas tecnologias de Jornada nas Estrelas. Com uma interface holográfica, os crachás são PADD holográficos, comunicadores, tricorders e transportadores pessoais.

Na reunião com o almirante Vance, além de Saru, aparecem:

  • Capitão Kardashev (homem humano) enviado para Reilling VII para instalar escudos para proteger das erupções solares
  • Capitão Rahma (fêmea Osnullus) para Kaijur XII, para trazer replicadores para uma escassez de alimentos.
  • Capitão Bandra (mulher humana) da USS Le Guin indo para Na’Seth para levar suprimentos.
  • Havia também um capitão humano chamado L’Teis.

A nave chamada de USS Le Guin homenageia a inovadora autora de ficção científica e fantasia Ursula K. Le Guin. Seus livros lidavam com temas de gênero, sexualidade e feminismo. A nave é comandada pela capitão Bandra, interpretada por Katherine Trowell.

Ursula Le Guin

Entre os capitães da Frota Estelar temos uma cardassiana. O único outro cardassiano já visto em um uniforme da Frota Estelar foi em uma das realidades alternativas que Worf visitou no episódio Parallels, de A Nova Geração.

Pela primeira vez, um osnullus tem um nome, capitão Rahma, e também ouvimos ela falar. Seria bom se pudéssemos ter um nome para o osnullus vermelho na ponte da Discovery. Veja a explicação sobre os Osnullus aqui.

Duas imagens do planeta Argeth, com duas luas, são vistos no holograma de Vance, durante a reunião dos capitães.

Foto de Jörg Hillebrand @gaghyogi49

Assim como no 5º episódio, o mapa holográfico gigante do almirante Vance inclui os nomes de inúmeros planetas conhecidos de Star Trek:

  • Talos: O sistema Talos contém Talos IV, o primeiro planeta de Star Trek, visitado no piloto da Série Clássica “The Cage” e no episódio “The Menagerie”. Burnham e Spock foram para Talos IV no episódio “If Memory Serves”, da 2ª temporada de Discovery.
  • Beta Niobe: O sistema Beta Niobe foi visto no episódio “All Our Yesterdays” da Série Clássica, que contou com algumas viagens no tempo acidentais para Kirk, Spock e Bones. Estranhamente, a estrela do sistema Beta Niobe tornou-se nova nesse episódio. No episódio “The Counter-Clock Incident” de Star Trek: The Animated Series, os remanescentes da supernova Beta Niobe eram um canal para um universo anti-matéria. Isso fez com que a tripulação da Série Clássica se transformasse em bebezinhos.
  • Camus: O sistema Camus provavelmente se refere ao planeta Camus II, que foi visitado pela primeira vez no episódio “Turnabout Intruder” da Série Clásssica. No episódio “Legacy” de A Nova Geração, a Enterprise-D deveria ir para este planeta, mas depois foi desviada.

Como sua missão sob o comando do Capitão Lorca durante a Guerra Klingon na 1ª temporada, a Discovery agora serve como a unidade secreta de resposta rápida da Frota Estelar, como a única nave com uma unidade de esporo funcional.

Na mensagem holográfica gravada por Book, ele diz a Burnham que estava a caminho do mercado bajoriano. Isso pode significar que Book ia para Bajor? Poderia o mercado bajoriano ser localizado na Deep Space Nine, que fica no espaço bajoriano? Seria legal se fosse.

Na nave de Book, Georgiou provoca Michael sobre seu relacionamento com Book, e brinca sobre coisas que não deram certo com Tyler, em referência a Ash Tyler (Shazad Latif), o híbrido klingon-humano que era o interesse amoroso de Michael nas temporadas 1 e 2 de Discovery.

Na nave, Georgiou parece estar tendo visões, provavelmente ligadas ao encontro no episódio da semana passada com Kovich (David Cronenberg), de seu tempo como imperadora do Império Terráqueo no universo espelho. A primeira vez que conhecemos essa versão de Georgiou foi no final do episódio “The Wolf Inside”. Na 1ª visão de Georgiou ela vê:

  1. O emblema do Império Terráqueo
  2. Uma mão ensanguentada
  3. Uma pessoa com máscara ensanguentada
  4. Uma adaga do Império Terráqueo.
  5. Uma mão segurando algo com o símbolo de Império Terráqueo
  6. A nave de Georgiou no Império Terráqueo, a ISS Charon
  7. Uma imagem da superfície de Harlak, um planeta no universo espelho, que mantinha em sua superfície ruínas de grandes cidade, mostrado em “The Wolf Inside”
  8. Um imagem não idenficada
  9. Ela mesma, com o cabelo solto
  10. A mão ensanguentada novamente

Além das visões, Georgiou fala “san”.

O diretor Doug Aarniokoski adora um close-up, como ele mais uma vez usa, mostrando a cara de um ator: desta vez Michelle Yeoh. No episódio The Sound of Thunderele faz o mesmo com Airiam (Hannah Cheesman).

O cemitério de naves no planeta Hunhau possui muitas naves destruídas, como a nave semelhante à USS Hiawatha, de Reno, vista no episódio “Brother” e uma nave provavelmente da classe Miranda.

A nave que Georgiou derruba ao sair do planets também é do tipo Hiawatha.

O aplicativo da coleira da gata Rancor, para procurar o Book, faz sons de miau.

Além da capitão cardassiana, mais dois cardassianos podem ser vistos trabalhando no ferro-velho, um masculino (esquerda) e uma feminina (direita)

Há algumas conexões canônicas divertidas com o século 24 no campo de trabalho. Burnham e Georgiou falam sobre a necessidade de parafusos auto-vedantes, favoritos em Deep Space Nine. No episódio “Progress” de Deep Space Nine, Jake Sisko e Nog trocaram cinco mil unidades de molho yamok cardassiano por 14.400 parafusos auto-vedantes, com o capitão de um cargueiro lissepiano.

Tolor mostra um faser tipo II do final do século 24, apelidado de bumerangue. Esta arma apareceu pela primeira vez em Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato e depois foi introduzido na 4ª temporada de Deep Space Nine (no meio) e na 2ª temporada de Voyager (abaixo).

No ferro-velho, Burnham também examina um balde de distintivos antigos, alguns dos quais parecem ser insígnias da Frota Estelar dos anos 2250. Ela pega um distintivo que é o clássico emblema do Império Klingon.

Georgiou e Burnham fingem estar procurando por tritânio no monte de sucata. Este minério fictício vem do episódio “Obsession” da Série Clássica, embora tenha sido referenciado em toda a franquia desde então. A maioria dos cascos das naves estelares são feitos de tritânio.

Ryn, o andoriano, é interpretado por Noah Averbach-Katz, marido de Mary Wiseman (Tilly).

O trabalhador bajoriano que teve a cabeça estourada por atravessar a barreira de segurança é uma sólida homenagem ao filme Running Man. Veja um clipe do filme aqui e compare com o clipe do episódio.

 

Quando Saru fala com Tilly sobre a missão não autorizada de Burnham, ele diz :”Eu não senti essa desconfiança dela desde que servimos na Shenzhou” Isso faz referência ao primeiro episódio de Discovery, “The Vulcan Hello”, no qual Burnham tentou um motim para atacar os klingons, antes que estes considerassem a Frota Estelar fraca.

Quando conversa com Saru, o almirante Vance menciona que uma nave estelar, que acaba de voltar ao QG da Frota Estelar, será tratada com a varredura bariônica. Isso faz referência a um procedimento de limpeza de naves espaciais de alta tecnologia, que vimos pela primeira vez no episódio “Starship Mine” de A Nova Geração. Na época de Picard, todos tinham que deixar a nave estelar durante a varredura bariônica, já que as partículas barion eram mortais para matéria orgânica.

Na nave de Book, os piratas acham o dilítio real, que é especialmente valorizado e distinto do dilítio recristalizado.

Durante a luta, Georgiou tem uma segunda visão, onde vê:

  • A mesma mão ensanguentada
  • A mesma pessoa com capacete, coberta de sangue.
  • A mesma adaga do Império Terráqueo
  • Georgiou novamente dizendo “san”.
  1. Uma foto de Lorca caindo para a morte no episódo “What’s Past Is Prologue”.
  2. Michael Burnham sendo trazida diante da imperadora Georgiou no episódio “Vaulting Ambition”
  3. O holograma da imperatriz Georgiou confrontando Michael em “The Wolf Inside”

Burnham passou um ano procurando por módulos de dados da caixa preta de naves da Frota Estelar, que não são nem caixa nem preta, destruídas pela queima, teorizando que deve haver um ponto de origem espacial para o que causou o desastre. Vimos uma de suas primeiras descobertas de caixa preta em “People of Earth”, com o registro NCC-4774 da Frota Estelar. O que Book encontrou tem o registro NCC-316608.

Georgiou menciona que se lembra de outra Michael Burnham, tentando confortá-la em uma situação diferente. Isso faz referência à versão espelho de Burnham, que nunca conhecemos. No universo espelho, a Burnham terráquea traiu Georgiou ao se aliar a Lorca. No cânone, somos levados a acreditar que a Burnham do espelho está morta. Mas, na minissérie de quadrinhos Sucession de Star Trek: Discovery, aparece uma versão diferente, de que talvez ela não tenha morrido. Succession foi coescrita pela coprodutora de Discovery e escritora da Star Trek de longa data, Kirsten Beyer.

Stamets e Adira formam um vínculo sobre o fato de ambos estarem apaixonados por alguém que morreu. Isso faz referência ao fato de que o Dr. Culber, parceiro de Stamets, foi morto na 1ª temporada de Discovery, mas voltou à vida na 2ª temporada. Detalhes são apresentados aqui.

Quando Burnham e Book começam a ficar próximos no turboelevador, Linus aparece por acidente, acabando com o clima romântico. Isso provavelmente faz referência ao episódio “Brother”, da 2ª temporada de Discovery, em que Linus espirrou um ranho verde grosseiro por todo o lugar, durante um momento tenso no turboelevador. A forma como a cena se desenrola também vai lembrar os fãs de Star Wars, de um beijo muito famoso no filme O Império Contra-Ataca. Logo após Han Solo e a Princesa Leia compartilharem um momento íntimo na Millennium Falcon, são interrompidos por C-3PO. A duas cenas de romance, envolvendo contrabandistas espaciais arrogantes e mulheres duronas são semelhantes. Veja o clipe da cena de Star Wars aqui e compare com a cena do episódio:

 

O logotipo da Frota Estelar é visto pela primeira vez em vários displays neste episódio. Em comparação com o do século 23, está faltando o delta dividido e as 4 estrelas. O logotipo pode ser rastreado até Deep Space Nine.

Foto de Jörg Hillebrand @gaghyogi49

Quando Saru e Burnham vão conversar com o almirante Vance, podemos ver, no corredor, um mapa. A sede da Federação parece estar colocada entre os territórios ferengi e cardassiano, muito perto da localização do Subspace Relay AR-558. AR-558 é um pequeno planeta estéril no sistema Chin’toka, no Quadrante Alfa, vistos nos episódios “The Siege of AR-558” e “When It Rains…” de Deep Space Nine. No mapa podem ser vistos Fereginar, Cardassia, Bajor, Trill, Terra, Orion, e Andoria.

Estes foram os easter eggs e referências que encontramos em “Scavengers”. Se você encontrou mais algum, escreva nos comentários.

 

Be the first to comment on "Easter eggs e referências de “Scavengers”"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*