Easter eggs e referências de “Su’Kal”

ATENÇÃO: ESTE ARTIGO CONTÉM SPOILERS!

Este é o primeiro episódio de mau funcionamento do holodeck de Star Trek: Discovery.

Tanto Book quanto a gata Rancor são obrigados a se submeter a recombinação de DNA para garantir que eles não morram, após o envenenamento por radiação. Michael Burnham teve que fazer exatamente a mesma coisa no episódio “Battle at the Binary Stars”, da 1ª temporada de Discovery.

A gata Rancor está sendo tratada na enfermaria da Discovery. Como aprendemos no episódio “Genesis” de Star Trek: The Next Generation , a enfermaria também funciona como consultório de veterinário para donos de gatos. Naquele episódio, Data chega na enfermaria carregando sua gata Spot, para uma verificação de rotina sobre o progresso de sua gravidez.

O planeta de dilítio é categorizado como um planeta classe Y – ou classe demoníaca (demon).

Procurar dilítio é um grande problema ao longo da história de Jornada nas Estrelas. Toda a trama do episódio “Mirror, Mirror” da Série Clássica  aconteceu porque Kirk estava tentando negociar com os halkens pelos direitos de mineração de seus cristais.

Tilly e Burnham têm uma conversa sobre como é assumir o comando, e Burnham menciona uma época em que a capitão Georgiou a deixou no comando. Isso se refere a um tempo antes mesmo da série começar, quando Burnham serviu com a capitão Georgiou na USS Shenzhou.

Tilly brinca sobre alguns conselhos falsos de sua “vovó Adele”. É um momento divertido, mas também é muito interessante porque no episódio “Ensign Ro” de  Star Trek: The Next Generation Picard mencionou sua “tia Adele”.

O grupo avançado leva na cintura um hipospray anti-radiação, semelhante a um feiser do século 24. Quando Michael volta à nave do Book, ele retira o hipospray da cintura dela e aplica. Obrigada ao leitor Murilo Silva pela correção.

O relógio neste episódio está 100% ligado à ideia de que a exposição prolongada à radiação matará Saru, Burnham e Culber. Isso pode parecer um dispositivo de enredo de ficção científica bastante genérico, mas Star Trek há muito tempo estabeleceu que exposição ao dilítio cru leva a envenenamento por radiação. Basicamente, Spock morreu no filme Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan por causa de sua exposição aos cristais de dilítio na Enterprise.

Burnham fala sobre a construção da Shenzhou no Estaleiro da Frota de São Francisco. A maioria das naves estelares do século 23 de Star Trek foram construídas nesse estaleiro.

Saru diz a Tilly: “Você tem o comando.” (You have the conn em inglês) Os fãs de Star Trek ouviram inúmeros personagens pronunciarem esta frase em relação a alguém que recebe o comando da nave. Mas de onde vem isso? “Conn” é na verdade um termo náutico antigo, e acredita-se que se refira a conduzir. Dito isto, algumas fontes sugerem que “o comando”, refere-se a uma linha de comando em navios, que controlava o leme. De qualquer forma, ter o comando, significa que você dirige a nave, portanto, é o capitão.

Como visto anteriormente em episódios divertidos, realidade aumentada e holodeck, como “Spectre of the Gun”, “The Killing Game”, “Our Man Bashir”, “Qpid” e outros, quando o grupo avançado se materializa, sua aparência e roupas mudaram, e eles parecem estar dentro de algum tipo de ambiente simulado na nave Kelpien, uma floresta assustadora. Os integrantes do grupo avançado percebem que mudaram de raça. Michael é uma trill, Culber é bajoriano e Saru é humano. Isso nos dá a oportunidade de ver Doug Jones, um ator especialista em atuar com próteses, com seu rosto  real. Ele também atuou como ele mesmo, sem próteses, em filmes bem avaliados, como Adaptacão, com Nicholas Cage (2002), Heróis Muito Loucos com Ben Stiller (1999), Batman o Retorno, com Michael Keaton e Danny DeVito (1992), e projetos indie como Stalled de Stefan Haves (2000), A Series of Small Things, de Phil Donlon (2005) e como Cesare no ousado remake de 2005 de David Fisher, do clássico mudo de 1919 The Cabinet Of Dr. Caligari. Trabalhou ainda como ator convidado no episódio Blood Hungry do seriado Criminal Minds, no papel de Domino Thacker.

A última vez que vimos bajorianos e trills trabalhando juntos foi em Star Trek: Deep Space Nine, quando nos acostumamos a ver Kira e Dax em missões legais quase todas as semanas.

O holograma de reparo de replicadores, encontrado pela primeira vez pelo grupo avançado parece estar cheio de falhas, já que seu uniforme é uma mistura de vários desenhos da Frota Estelar: uma insígnia e pins de Star Trek: The Next Generation; listras no ombro da era Discovery, e o emblema no braço que lembra os uniformes de Star Trek: Enterprise.

Este holograma fala sobre fazer hasperat. Esta é uma comida bajoriana picante, que se origina em Star Trek: The Next Generation. Esta é a segunda vez que hasperat é referenciado na 3ª temporada de Discovery! Adira falou sobre hasperat no episódio 4, “Forget Me Not” (ver aqui)

Da floresta assustadora o grupo avançado vai para um local em ruínas, cheio de escadas, que lembra Relativity, uma litografia do artista holandês M.C. Escher, impressa pela primeira vez em dezembro de 1953.

Os almirantes holográficos que receberam Kaminar na Federação, evento que ocorreu na história alguns anos antes da década de 3060, usam o mesmo design de insígnia da Frota Estelar que o falecido Senna Tal. Eles usam uniformes vistos pela primeira vez, mas que deviam estar em uso há mais de 100 anos.

O grupo avançado encontra um kelpien frágil e infantil chamado Su’Kal, interpretado com um vigor juvenil pelo veterano ator Bill Irwin. Ele é um ator e palhaço premiado com o Tony, conhecido por muitos papéis, incluindo Mr. Noodle de Vila Sésamo.

A família do Saru continua voltando! Hannah Spear, que interpretou a irmã de Saru, Siranna na 2ª temporada, interpretou a falecida Dra. Issa em “Terra Firma, Part I”, e esta semana, o ator Robert Verlaque, que interpretou Aradar, o pai de Saru, no episódio “The Brightest Star” dos Short Trek, interpreta o ancião Kelpien holográfico.

Encontrar-se com o ancião kelpien e ouvir sua canção de ninar desencadeou flashbacks para Saru, tirados do episódio “The Brightest Star” de Short Treks

Os totens protetores de Su’Kal vêm do livro de história kelpien/ba’ul, que ilustra o terrível pilar ba’ul – chamado de “Olho Atento” ou “Olho Que Tudo Vê”( “Watchful Eye” ou “All-Seeing Eye” , em inglês), que abatia os kelpiens inocentes em Kaminar, após o vahar’ai , visto no episódio “The Sound of Thunder“. Os kelpiens e os ba’ul foram capazes de formar uma nova aliança, ilustrada no livro de histórias da criança: um kelpien e um ba’ul de mãos dadas, com o toque adicional dos antigos olhos atentos que agora se tornaram um totem de proteção.

Parece que Sara Mitich (Tenente Nilsson) deve ter ficado indisponível para filmar o episódio desta semana; enquanto ela é mencionada em diálogo no início do episódio, sua estação na ponte é tripulada pela atriz regular Avaah Blackwell (tenente Ina), que geralmente retrata o alienígena osnullus na ponte.

Osyraa aproximando-se da USS Discovery usando um código da Federação é semelhante a Khan, se aproximando da USS Enterprise, na USS Reliant em Jornada das Estrelas II: A Ira de Khan.

Tilly cita Freud, Sigmund Freud, um psicólogo humano muito notável nos séculos XIX e XX. No episódio “Phantasms” de A Nova Geração, Data começou a visitar uma versão holográfica de Freud no holodeck, para uma psicanálise, depois de ter pesadelos sobre trabalhadores rasgando e atacando a USS Enterprise-D. No episódio “Terminal Provocations” de Star Trek: Lower Decks, Freud também foi citado por Rutherford (veja aqui)

A USS Discovery tem um dispositivo de camuflagem. Em termos de cânone na tela, esta é a primeira nave da Federação que vimos usando um dispositivo de camuflagem, desde a USS Defiant em Deep Space Nine. Antigamente, a Federação não podia ter dispositivos de camuflagem por causa do Tratado de Algeron, assinado aproximadamente 160 anos após a conclusão da Guerra Terra-Romulana, que proibiu a Federação de usar tecnologia de camuflagem. Isso era toda a premissa do episódio “The Pegasus” de Star Trek: The Next Generation, e a razão pela qual a Defiant brevemente teve que ter um observador romulano a bordo, quando eles usaram seu dispositivo de camuflagem. Mas, este é o século 31, e os romulanos agora se uniram aos vulcanos, e parece que as regras mudaram. No episódio “All Good Things…” de Star Trek: The Next Generation. uma versão futura da Enterprise foi capaz de camuflar.

Osyraa usa um conduíte transdobra para encontrar a Discovery. Book menciona que essa tecnologia não é confiável, mas por que existem conduítes transdobra? No episódio “Descent” de Star Trek: The Next Generation, aprendemos que os borgs usam conduítes transdobra para se locomover. Este fato foi reforçado ao longo de Star Trek: Voyager, e mais recentemente em Star Trek: Picard. Soji ajudou a guiar a nave La Sirena em um conduíte transdobra para chegar a seu planeta natal, no episódio “”Et in Arcadia Ego, Part 1″.

O tenente Gen Rhys (Patrick Kwok-Choon) aparece brevemente na ponte usando a antiga insígnia da Discovery

Quando os soldados com capacete da Corrente Esmeralda pegam o Stamets eles dizem: “O que você quer é irrelevante”. Isso soa familiar, como a frase dos borgs: Resistência é fútil (“Resistance is futile” em inglês).

O equipamento colocado na cabeça para controlar Stamets lembra o dispositivo de controle remoto usado no episódio “Spock’s Brain” da Série Clássica.

Os olhos de Stamets ficando brancos quando os bandidos de capacete colocam um equipamento em sua cabeça é o mesmo efeito visto quando ele entrou em coma no episódio “Such Sweet Sorrow, Part 2” da primeira temporada de Discovery.

A aquisição da Discovery por Osyraa lembra o episódio “Basics” que encerrou a 2ª temporada de Star Trek: Voyager, onde a nave é capturada pelos Kazon-Nistrim em um ataque furtivo.

Osyraa está irritada porque Tilly não tem um bordão para quando o nave entrar em alerta negro e usa o drive de esporos. Sem saber, Osyraa está realmente fazendo referência a uma conversa que Tilly e Saru tiveram alguns episódios atrás, quando houve uma grande discussão sobre o bordão de Saru. Digamos que o “nos tire daqui” de Oysraa não é ótimo, mas supera “manifesto”.

O logotipo da Corrente Esmeralda, visto várias vezes em “That Hope Is You, Part I” e “Scavengers”, aparece novamente no capacete dos soldados da Corrente Esmeralda.

Foto original de Jörg Hillebrand @gaghyogi49

E aí, achou mais algum easter egg ou referência? Escreva nos comentários os que você encontrou!

 

Be the first to comment on "Easter eggs e referências de “Su’Kal”"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*