VOY 2×26: Basics, Part I

Episódio deixa tripulação abandonada, em belo fechamento da temporada

Sinopse

Data estelar: desconhecida

Enquanto Tuvok ajuda na reabilitação do alferes Suder, Chakotay recebe uma mensagem subespacial desesperada de Seska. Ela diz que deu à luz a criança que foi concebida através da amostra roubada de DNA do comandante e afirma que seu amante kazon, maje Culluh, levou a criança consigo.

Chakotay fica abalado com o acontecimento. Seska não é nem um pouco confiável e poderia estar atraindo a Voyager para uma emboscada. Mas, se o bebê realmente for dele, merece toda a ajuda possível. A tripulação apoia seu primeiro oficial na decisão de procurar Seska e o recém-nascido. No entanto, no caminho a Voyager recebe um sinal de socorro de uma nave auxiliar kazon tripulada por Tierna, um dos auxiliares da cardassiana. Ele acabara de sobreviver a um ataque de Culluh.

A Voyager segue rumo a uma colônia para onde o maje teria mandado o filho de Chakotay e, no percurso, sofre pequenos ataques kazons, embora nenhum cause sérios danos. Ainda assim, o fato de todos os ataques se centrarem em uma área específica da nave deixa todos desconfiados. Quando a capitão ordena que Paris altere a rota, a Voyager é subitamente confrontada por oito naves grandes, uma tentativa clara de coagi-los para outra direção. Nem um pouco disposta a ser manipulada, Janeway decide interceptá-las.

Usando seus próprios truques, a tripulação consegue espantar quatro das naves inimigas e parte para o combate. Porém, à medida que a batalha se intensifica, Tierna deliberadamente explode seu próprio corpo para danificar a Voyager. Os sistemas secundários caem e a situação fica complicada para a capitão. Paris parte em uma nave auxiliar para buscar a ajuda de uma colônia talaxiana na região, mas, em pouco tempo, o tenente perde o contato com seus colegas.

Intrusos kazons invadem a nave mutilada e Janeway é forçada a se render. Os vitoriosos Culluh e Seska, mais unidos do que nunca, tomam o controle. Na enfermaria, o Doutor se desativa secretamente por doze horas; o alferes Suder esconde-se pelos tubos de acesso. Os kazons, então, abandonam a tripulação em um planeta primitivo e partem para a conquista do Quadrante Delta.

Continua…

Comentários

“Basics, Part I” fecha muito bem a temporada, por vários motivos. Em primeiro lugar, porque deixa o telespectador bastante ansioso pela segunda parte da história. Depois, porque traz de volta os maiores vilões da série até então — kazons e Seska — e desenvolve bem personagens — Chakotay e Suder. Além disso, é repleto de fantásticos efeitos especiais e abre uma problemática inédita na série.

Foram muitos os questionamentos levantados: O que a tripulação fará agora, já que não tem tecnologia alguma? O que Seska e Culluh vão fazer com a Voyager? O que acontece com Suder, Paris e o Doutor? “Basics” é o primeiro episódio duplo da série (com exceção de “Caretaker”), assim como o primeiro cliffhanger.

Pôde-se ver que a continuidade do seriado foi bastante valorizada aqui, mantendo o arco de histórias da temporada. Isso mesmo, ao contrário do que muitos dizem, Voyager consegue encadear seus episódios. Pudemos ver a volta de Suder, o alferes betazoide que foi encarcerado após assassinar um membro da tripulação em “Meld”. Vimos também o retorno do maléfico Culluh e de sua eterna comparsa Seska, sem falar no “kamikaze” Tierna, introduzido em “Maneuvers”, e em Kolopak, o pai de Chakotay (visto pela primeira vez em “Tattoo”).

Quanto ao roteiro, no fundo, todos sabiam que tudo acabaria em emboscada, mas não se pode imaginar a tripulação agindo de forma diferente. Conhecendo Chakotay, com seus códigos de honra e qualidades espirituais, teria sido muito difícil prosseguir com a jornada para casa sem levar em conta o resgate da criança; e Seska sabia disso. Ela consegue manipulá-lo e atingi-lo, embora o comandante não consiga admitir tal vulnerabilidade. Janeway também acaba sendo manipulada. Só percebe a armação quando é tarde demais e, com a oportunidade única, Culluh a rebaixa ao mais inferior patamar.

As cenas finais foram muito boas. A tripulação inteira confinada a um hangar de carga, incapaz de reagir e, em seguida, totalmente desamparada em um planeta deserto. A capitão com lágrimas nos olhos ao ver seu único meio de voltar para casa desaparecer nas nuvens. Não se pode deixar de citar o humor sempre presente na série e seu grande pivô: o Doutor.

Mas alguns aspectos do episódio desagradaram um pouco. Por que Janeway tinha que tratar Suder do modo como o fez? Afinal, o alferes queria ajudar de verdade, não tinha segundas intenções. É irônico o fato de ela querer evitá-lo quando, em “Meld”, foi grande defensora de sua reabilitação. Outra coisa que ainda perturba é a inconsistência na personalidade de Seska. Em “State of Flux”, ela até tinha uma boa justificativa para violar os regulamentos da Voyager; queria apenas assegurar a sobrevivência da nave no setor. Mas o que ela quer agora? Desde “Maneuvers”, tem-se a impressão de que não está nem aí em voltar para o Quadrante Alfa. Será que ela deseja ficar para sempre à sombra do machista maje Culluh?

Avaliação

Citações

“She knows you, Chakotay. She knew how you would react when you saw your son in danger.”
(Ela te conhece, Chakotay. Sabia como você reagiria quando visse seu filho em perigo.)
Janeway

“Please, Doctor, your suggestions on any subject are always welcome.”
“Really? In that case you may expect several more on a variety of matters in the near future.”
(Por favor, Doutor, suas sugestões em qualquer assunto são sempre bem-vindas.)
(Sério? Nesse caso pode esperar várias outras sugestões em uma variedade de assuntos, num futuro próximo.)
Janeway e Doutor

“You’ll be given no more respect than a kazon woman. Now that your ship and technology are mine, I’ll tell you when to speak.”
(Você não terá mais respeito do que qualquer outra mulher kazon. Agora que sua nave e tecnologia são minhas, eu lhe direi quando falar.
Culluh

Trivia

  • O episódio é o último da segunda temporada e divide-se em duas partes. “Basics, Part II” abre a temporada seguinte; esta é também a última trama envolvendo os kazons na série.
  • O título do episódio retrata, segundo Michael Piller, o seu desejo de fazer uma história básica: muita ação e aventura.
  • A opinião do produtor Kenneth Biller é que “este é um dos episódios mais bem dirigidos da série”.
  • Ainda segundo Ken Biller, eles não queriam mais episódios com os kazons, mas após muitas discussões e reuniões, Michael Piller aprovou a ideia de fechar a temporada com eles.
    (Fonte: Cinescape Special Double-Vol. 28-Number 4/5-1996)

Ficha Técnica

Escrito por Michael Piller
Dirigido por Winrich Kolbe

Exibido em 20 de junho de 1996

Título em português: “Sobrevivência, Parte I”

Elenco

Kate Mulgrew como Kathryn Janeway
Robert Beltran como Chakotay
Roxann Biggs-Dawson como B’Elanna Torres
Robert Duncan McNeill como Tom Paris
Jennifer Lien como Kes
Ethan Phillips como Neelix
Robert Picardo como Doutor
Tim Russ como Tuvok
Garret Wang como Harry Kim

Elenco convidado

Brad Dourif como Suder
Anthony DeLongis como primeiro maje Culluh
John Gegunhuber como Tierna
Martha Hackett como Seska
Henry Darrow como Kolopak

Enquete

Edição de Stéphanie Cristina
Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio