Resumo da parte final de Star Trek: Nero

Star Trek Nero 4 000A mini-série em quadrinhos, Star Trek: Nero, da editora IDW, está em sua parte final. A quarta e última edição já foi lançada no mercado (americano) e conta os vinte e cinco anos em que o vilão Nero aguardou por Spock e sua Jellyfish.  Apresentamos a você um resumo dessa saga, cuja história foi criada por Roberto Orci e Alex Kurtzman e adaptada aos quadrinhos por Mike Johnson e Tim Jones, tendo ilustração de David Messina.

Após o filme muitos fãs se perguntaram: “O que aconteceu nos 25 anos da espera de Nero por Spock?” Para Roberto Orci e Alex Kurtzman,  Star Trek: Nero tem o objetivo de tentar responder a essa pergunta.

A primeira, segunda e terceira partes contam o que ocorreu após os eventos da destruição da USS Kelvin mostrados no filme: a captura de Nero e da Narada pelos Klingons, sua prisão por 25 anos, a fuga de Rura Penth e o encontro com V´Ger.

“A edição final contém o confronto culminante entre Nero e o Spock mais velho, que levou à destruição cataclísmica de Vulcano!”, diz a sinopse da 4ª edição. Veja um resumo abaixo.

Tendo conhecimento de quando e onde encontrar Spock, próximo a Zona Neutra do Império Klingon, Nero espera pelo embaixador Vulcano. Após surgir do buraco negro, a Jellyfish é imediatamente capturada pelo raio trator da Narada e rebocada para o hangar. Spock é feito prisioneiro e Nero revela que eles estão no século 23, e assim, com a matéria vermelha, planeja destruir a Federação, começando por Vulcano. Spock é levado a uma cela e Nero ordena que rumem para Delta Vega.

Star Trek Nero 4 1

Na cela, Spock lamenta ter deixado a Jellyfish cair nas mãos de Nero e relembra que, nesse período, era um jovem oficial da Frota, juntamente com Kirk. “Kirk está vivo”, diz esperançoso Spock.  Ao ser levado novamente perante Nero, este revela a origem borg da nave e que ela é mais poderosa que qualquer uma deste século.

De repente há um aviso de que quarenta e sete naves Klingons estão descamuflando e cercando a Narada. Os Klingons abrem frenquencia de comunicação e Koth, o administrador de Rura Penth, comunica a Nero que o Império o quer destruído. Todas as naves Klingons abrem fogo pesado contra a Narada.

Star Trek Nero 4 2

Mas os escudos da Narada resistem e Nero ordena que respondam ao fogo. Uma a uma as naves Klingons vão sendo destruídas, e Koth se vê impotente diante de tamanho poder. “Uma outra armada tomará o lugar e mais outra e mais outra. O Império nunca se renderá. Lutaremos até o último suspiro de um guerreiro”, disse Koth antes de ter sua nave também destruída.

Após ver os escombros das naves na sua tela, Nero se vira para Spock, “Quarenta e sete naves Klingons sem nenhum arranhão, o que nós não faríamos com a armada da Federação?”, desafiou o capitão romulano. “A Federação achará um jeito de pará-lo”, respondeu Spock. Mas Nero não lhe dá ouvidos, e em tom de sarcasmo diz que a invenção dos Vulcanos causará sua própria destruição e da Federação, fazendo nascer um novo Império Romulano.

Ao chegar em Delta Vega, Nero  informa a Spock que ele ficará no planeta gelado, com alguns suprimentos, e quando estes se esgotarem terá apenas um posto avançado da Federação a milhares de kilometros, como companhia. Mas a razão principal de ter escolhido tal planeta é porque “terá uma perfeita visão de Vulcano”.

E assim termina a saga em quadrinhos do vilão Nero que começou com Star Trek: Countdown.

18 Comments on "Resumo da parte final de Star Trek: Nero"

  1. Cowntdown + estes quadrinhos + filme, amarrados de uma maneira coerente, dariam 2 filmes, ou 1 filme de maior duração, que seriam melhores que estes acontecimentos isolados e em mídias diferentes, sem acesso a todos. ST sempre foi mais que ficção, foi mais sobre o carater humano, alienigenas tambem ai incluidos. Então um desenvolvimento maior da personalidae/motivação de NERO contribuiria muito para o enriquecimento de sua pessoa junto ao público. Por isto KHAN foi o melhor vilão de ST, porque tinha sido desenvolvido anteriormente. Tinha bases sólidas de personalidade e era reconhecivel sua IRA contra KIRK. NERO poderia ter sido tal qual KHAN, mas ficou raso como um pires da maneira que foi apresentado.

  2. Menos mal, o fundo do poço foi a historinha de V’Ger.

  3. e quando estes se esgotarem terá apenas um posto avançado da Federação a milhares de kilometros, como companhia.

    Milhares de quilometros. Uai, o Spock Velho e Kirk pelo que eu sei foram andando e Spock me parece que disse, que a estação não estava muito distante de onde eles se encontravam.

    Será que o universo apresentado em “Star Trek: Nero” é outro ??????
    🙂

  4. A grande questão não são os vinte cinco anos que Nero esperou por Spock, mas o que aconteceu após de ser engolido pela singularidade no filme. Será que a Narada foi realmente destruída? Viajaram no tempo novamente ou foram parar em outra galaxia? É algo que poderia ser trabalhado para os próximos vinte cinco anos!

  5. Post.3
    Acho que foi por assistir a Star Trek IV recentemente que fiquei com a cena do Scott dizendo que viajou milhares e milhares de kilometros, sendo corrigido por McCoy: “centenas”.
    Obrigado.

  6. Post 2
    ST I teve toda uma estória baseada em física relativística e vc chama de historinha? Fundo do poço? Concordo que o filme foi lento, mas essas afirmações é de quem gosta de ficção de quadrinhos.

  7. Rodrigo QUINLAN VOS | 21 de dezembro de 2009 at 6:53 pm |

    Ainda não baixei, mas baixarei ainda nesta semana. E lerei com enorme prazer.

  8. O quê importa é que nenhuma das besteiras do filme foi corrigida pelo gibi, que foi uma baita de enrolação sem sentido só para tirar os dolares dos trekkers gringos super viciados. E tem gente que quer que eu tire os $$$ do $J$J$, acho que eu deveria por é mais.

  9. Jair Lorenzetti | 21 de dezembro de 2009 at 7:47 pm |

    No Blue Ray do novo ST existem cenas cortadas que mostram algumas das passagens entre o encontro com a Kelvin e com a Entreprise. É mais ou menos nesta linha!

  10. VERDE,

    O primeiro filme é muito bom sim, concordo com vc.

    O mau uso dos elementos dele na estorinha de Nero ficaram péssimos, na minha humilde opinião.

    Drogas telepáticas como comunicação também foi uma jogada infeliz.

    O fundo do poço que eu falei, foi a história em quadrinhos número 3. Em nenhum momento falei mal do filme ST I, por sinal tenho a versão do diretor aqui e assisto várias vezes, como um bom fã de ST. 🙂

    PS: Começo a concordar com Padô em vários aspectos, essa história de 25 anos poderia ser MUITO melhor aproveitada! São 25 anos!

  11. Sempre achei que lapsos de tempo em Jornada não mostrados em séries e filmes deveriam ficar para a imaginação dos fãs, como a guerra romulana, os anos finais da missão da Enterprise, os 15 anos entre STI e STII, e a espera de Nero.

    Fato interessante é que o Koth, no filme STVI (cujo ator aparece como membro do Conselho Vulcano em Star Trek), era apenas um administrador da prisão de Rura Penth e não comandante de uma frota de naves Klingons. Aqui ele aparece fazendo as duas funções. Conveniente para atrair os fãs, mas incoerente com a organização do Império Klingon. Guerreiros são de uma classe superior aos demais, ficando a parte administrativa para os menos capacitados.

  12. Antonio de Pádua | 22 de dezembro de 2009 at 9:14 am |

    Desculpe mas esta história de Nero é sem pé e nem cabeça e só complica mais o inexplicável. Por exemplo: como os klingons derrotam a Narada uma vez e na outra 47 naves são destruidas? É a tal história: as vezes menos é mais. Quanto mais explica mais complica.

  13. post 12…

    Antonio, os klingons derrotam a narada porque o pai do kirk avariou a nave quando meteu a uss kelvin nos cornos da nave mineradora…
    continuo afirmando que essa miniserie teve ótimos momentos, não é uma obra prima, mas tá longe de ser essa bosta, que quem nem leu fica argumentando…
    é óbvio que se ficarmos procurando defeitos e falhas acharemos, como existem nas series e nos longas…

  14. Essa história é simplesmente um lixo, do começo ao fim.

  15. Realmente,não é uma história que se diga”Supimpa!!Que enredo maravilhoso!!”mas ajuda um pouco a cobrir os espaços de tempo;agora, o lance da V’Ger(horrivel)e das drogas telepáticas teve um inicio interessante agora substituir o comunicador é maionese demais para nossa viagem!!Mas não hesitaria de baixar todas as revistas para uma leitura…

  16. Post 10
    Fábio
    Desculpe pelo mal entendido. Dos 11 filmes o meu preferido é o primeiro devido à base científica. Sei que muitos trekkers não gostam dele, e respeito a opinião de cada um, mas qdo li o seu texto interpretei como uma crítica muito exagerada do próprio filme.
    Fico contente em saber que vc também gosta dele (pelo menos não estou sozinho – rsrsrs).
    Abraços e bom natal
    Aproveitando, quero desejar ao pessoal do TB um bom natal e um maravihosos ano novo.
    Ralph, Leandro e os demais, que vcs deem continuidade ao excelente trabalho.
    Abraços e que Deus abençoe a todos.

  17. Christian, me desculpa um lixo do começo ao fim é o seu comentario. Se vc é realmente trekker faça algo melhor. ST5 então foi o fim no seu conceito?

  18. Leandro Martins | 7 de janeiro de 2010 at 12:51 am |

    Cavalheiros, cavalheiros, vamos nos conter nestes ataques pessoais. Foquem no tema do artigo, não em si mesmos.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*