ENT 1×22: Fallen Hero

Vulcanos em Enterprise

Segmento é o primeiro a apresentar cooperação entre humanos e vulcanos

Sinopse

Data estelar: Desconhecida

Em um jantar, T’Pol comenta com Archer e Tucker que ela tem a impressão de que a falta de descanso –e de relaxamento da tensão sexual– está prejudicando os oficiais da nave. Embora Archer a princípio se sinta um pouco constrangido com o comentário, ele não faz oposição quando sua primeiro oficial já sugere encaminhar a Enterprise para Risa, um planeta-resort que pode oferecer aos tripulantes o merecido relaxamento.

A caminho do planeta, entretanto, Archer é contatado pelo almirante Forrest, com uma missão de emergência: buscar uma renomada embaixadora vulcana no planeta Mazar e transportá-la até a nave vulcana mais próxima. Archer tenta saber sobre o porquê da pressa, mas Forrest diz que os vulcanos não estão dando mais detalhes. Como ordens são ordens, Archer, contrariado, muda o curso para Mazar.

T'Pol, Archer e Tucker jantando

T’Pol faz todos os preparativos para a minimizar o impacto da companhia humana sofrido pela embaixadora, uma das inspiradoras da vida que a oficial de ciências escolheu levar, mas todos se surpreendem quando V’Lar se mostra muito à vontade entre os humanos, reproduzindo seus costumes e querendo aprender mais sobre sua cultura.

Os mazaritas, entretanto, pareciam mais do que ansiosos para se livrar da diplomata. Ao comunicar o encaminhamento de V’Lar, o oficial mazarita revelou o motivo da saída às pressas da embaixadora –ela é acusada de corrupção e de tráfico de influência nas altas esferas do governo mazarita.

Archer conversando com oficial Mazarita

T’Pol claramente fica incomodada com a situação e, na primeira oportunidade que tem, durante um jantar com a embaixadora, Archer e Trip, ela pergunta sobre o plano de defesa de V’Lar. Quando a diplomata revela que não pretende se defender, T’Pol interpreta o ato como uma admissão de culpa e passa a hostilizar a embaixadora. Incomodada, V’Lar decide ir a seus aposentos.

A caminho, as duas têm uma conversa, em que V’Lar revela se recordar de um encontro prévio com T’Pol, que marcou muito seu modo de pensar sobre determinadas coisas. Com isso, as duas acabam voltando a se entender. V’Lar diz que não pode revelar nada, mas que é imperativo que ela seja levada até os vulcanos.

T'Pol e a Embaixadora V'Lar

As coisas ficam mais complicadas, entretanto, quando uma nave mazarita subitamente se apresenta próxima à Enterprise, dizendo ter ordens para levar a embaixadora de volta a Mazar. Quando Archer afirma que precisa confirmar essas ordens com o Comando da Frota Estelar, a nave mazarita abre fogo contra a Enterprise. Graças à habilidade de Reed com os canhões de fase, a nave consegue vencer a batalha, mas Archer fica preocupado.

Ele convoca V’Lar e a intima a revelar por que ele tem de colocar toda a sua tripulação em risco. Quando mais uma vez a embaixadora se recusa a contar a verdade, Archer não tem escolha senão mudar de curso e retornar a Mazar.

Enterpise atacada por nave Mazarita

T’Pol volta a conversar com V’Lar, insistindo para que a embaixadora confie nela e no capitão Archer e revele os motivos por trás de toda a confusão. A embaixadora resolve contar a T’Pol parte do problema, mas não tudo, e pede que a primeiro oficial não revele nada a Archer.

T’Pol procura Archer e pede, como favor pessoal, que ele retome o curso para a nave vulcana e não devolva a embaixadora a Mazar, onde ela será morta. Archer fica sensibilizado pelo pedido de sua oficial de ciências e acaba concordando.

T'Pol procura Archer

Nisso a Enterprise volta a encontrar três naves mazaritas. Archer inicia uma fuga desesperada, o que leva a nave pela primeira vez a atingir a dobra 5. Entretanto, os mazaritas conseguem se superar e deter a nave terrestre. Sem opção, Archer só pode torcer pela chegada da nave vulcana no ponto de encontro. Hoshi e V’Lar trabalham para superar a interferência gerada pelos mazaritas e conseguir mandar uma mensagem de socorro aos vulcanos. Mas quando a Enterprise fica à deriva, os mazaritas avisam que vão abordar a nave.

V’Lar finalmente chama o capitão em seu gabinete e revela o motivo da corrida: ela estava agindo em favor do governo mazarita, que pediu o auxílio dos vulcanos para investigar uma rede de corrupção dentro das próprias esferas governamentais. V’Lar deveria prestar depoimento poucas semanas depois, mas, para garantir sua segurança, o governo decidiu simular sua extradição e levá-la em segurança de volta a Vulcano, onde ela poderia esperar pela data marcada de seu depoimento.

Enterprise atacada por 3 naves Mazaritas

Agora, entretanto, com a Enterprise à deriva, V’Lar decide se entregar. Archer pede que ela confie nos humanos pelo menos uma vez e vá à enfermaria em vez disso. Ele acha que pode ganhar pelos menos uns dez minutos para que a ajuda vulcana possa chegar.

Quando os mazaritas desembarcam, Archer diz que até poderia entregar V’Lar, mas a embaixadora foi ferida durante os ataques. Ele diz que ela está na enfermaria e caminha com os invasores até lá, onde eles exigem que Phlox entregue a embaixadora. O médico diz que ela foi seriamente ferida e está em tratamento, não podendo ser tirada da câmara sem ser morta. Quando ele se recusa, os mazaritas simplesmente metralham a câmara médica.

Mazaritas na enfermaria da Enterprise

Neste momento, a nave vulcana Sh’Raan chega ao local, ordenando que os mazaritas baixem suas armas e deixem a Enterprise. Eles se rendem, considerando sua missão cumprida, mas se surpreendem ao descobrir que V’Lar nunca esteve na câmara médica e está viva. Derrotados, eles voltam para Mazar. A embaixadora vulcana parte para a Sh’Raan, mas não sem antes apontar os fortes laços de amizade que estão emanando de Archer e T’Pol. Ao que parece, a parceria entre humanos e vulcanos pode mesmo ser bem-sucedida.

Comentários

“Fallen Hero” nem tem a história mais espetacular no mundo. Mas, mesmo assim, graças ao bom uso de uma das premissas básicas da série, torna-se um dos episódios mais interessantes da temporada. Pela primeira vez vemos humanos e vulcanos legitimamente trabalhando juntos, com uma meta comum, sem esconderem uns dos outros interesses particulares. Depois de “Fallen Hero”, o sonho de uma Federação Unida de Planetas já passa a ser concebível, tendo por alicerces básicos a Terra e Vulcano.

Num nível mais particular, o episódio proporciona desenvolvimento e um drama pessoal para T’Pol, que é obrigada a confrontar a diferença entre a imagem que ela fazia de uma de suas heroínas pessoais e a real personalidade e integridade da embaixadora V’Lar.

Title Card Fallen Hero, Enterprise

Os dois grandes temas do enredo principal têm um único catalisador: V’Lar. Não é surpreendente que o sucesso do episódio, portanto, dependa da atuação da atriz convidada, Fionnula Flanagan. E, como em suas aparições anteriores na franquia, ela não decepciona e entrega à audiência uma interpretação cativante da sábia embaixadora vulcana. É o primeiro personagem vulcano que é simpático aos olhos da tripulação da Enterprise (e, por consequência, da audiência) e ainda assim mantém o respeito em seu próprio mundo (diferentemente dos vulcanos que vimos em “Fusion”).

A combinação de Flanagan e de um roteiro bem escrito para a personagem tornam a embaixadora V’Lar extremamente interessante, e quase torcemos para que ela volte a aparecer no futuro, defendendo uma maior integração entre humanos e vulcanos –o tema mais interessante trabalhado pelo episódio.

Embaixadora Vulcana V'Lar

A porção em que ele se dedica a argumentar sobre a questão de “Heróis Decadentes” –no caso, da admiração de T’Pol por V’Lar, que cai por terra depois que a embaixadora acaba dando a entender que participou mesmo de um esquema de corrupção (algo que ela efetivamente não fez)– não é particularmente brilhante. Na verdade, é bem previsível. Entretanto, há um real desenvolvimento para a vulcana regular de Enterprise quando ela decide abandonar o profissionalismo e pedir ao capitão Archer a salvação da embaixadora em termos pessoais.

Além da interpretação extremamente efetiva de Jolene Blalock, somos brindados com uma real evolução para T’Pol e Archer, enquanto amigos. O capitão precisa superar de vez seu preconceito e aceitar a amizade da vulcana, e T’Pol responde tentando convencer outros vulcanos (no caso, V’Lar) da confiabilidade dos humanos. Um elo realmente começa a ser forjado, e isso é muito bom para a série (embora não fosse necessário que a embaixadora expressasse isso verbalmente no final, apontando a amizade de Archer e T’Pol, o que tornou toda a situação um pouco gritante demais para parecer natural).

T'Pol e Archer

Agora, claro que o pedaço do episódio que mais empolga é quando vemos o desenrolar de uma operação legitimamente humana-vulcana. Torcer pela chegada da nave vulcana, vibrar com a mensagem de saudação deles e ver V’Lar deixando a Enterprise em bons termos com a humanidade são coisas que agradam a audiência, especialmente os telespectadores preocupados com a continuidade de Jornada e com o entendimento de como os vulcanos “malvados” de ontem evoluíram para os vulcanos “amiguinhos” de amanhã. Esse é o primeiro episódio a verdadeiramente começar a responder a essa pergunta.

De resto, trata-se de um segmento notavelmente orientado a trama. Não é um grande episódio para nenhum dos personagens, mas há um belo destaque para a ação. Quem achava que as batalhas espaciais de uma série pré-Clássica seriam sonolentas vai ter de repensar isso depois de ver este episódio. Toda a sequência da batalha dos mazaritas com a Enterprise é bem interessante, com especial destaque para a excepcionalmente bem executada cena da “chegada à dobra cinco”.

nave Vulcana Sh'Raan chega para salvar a Enterprise

Archer mostra mais capacidade que em segmentos anteriores, relembrando um pouco sua sagacidade remanescente de “Broken Bow” (aliás, parece que o único modo de realmente acender nosso capitão é colocar uns vulcanos por perto…). Sua atuação cresce especialmente junto de Trip e T’Pol. O trio realmente foi concebido à imagem e semelhança do trio da Série Clássica, e até aqui a tática funciona.

Os demais tiveram aparições residuais interessantes, mas pouco significativas para se tornarem mais do que mero cumprimento de tabela. Os convidados mazaritas também não trouxeram nada de especial ao episódio.

T'Pol, Archer e Tucker recebem a Embaixadora V'Lar

O único ponto fraco de toda a história é justamente sua motivação ulterior –a razão para a saída de V’Lar de Mazar. É bem verdade que é até factível que ela estivesse envolvida na tal investigação de corrupção e que precisasse deixar Mazar para se proteger, até o dia de seu depoimento. Entretanto, não havia nenhuma razão para não revelar nada de sua missão à tripulação da Enterprise. A história também nos deixa intrigados com relação à política de atuação dos vulcanos para com outros mundos. Eles defendem a não interferência com outras civilizações, mas já mostraram ter relações intensas com os governos de Coridan (“Shadows of P’Jem”) e Mazar. Será que eles vivem pelo mote “faça o que digo, não faça o que eu faço”?

De toda forma, “Fallen Hero” é uma bom episódio da primeira temporada de Enterprise, que oferece algumas respostas sobre a evolução da humanidade e dos vulcanos junto à comunidade interestelar. Suas qualidades facilmente superam os defeitos.

Avaliação

Citações

“If you must know, I prefer the shooting back part.”
(Se quer saber, eu prefiro a parte em que respondemos fogo.)
Reed

“If we expect to continue our relations with humanity, we have to earn their trust.”
(Se esperamos continuar nossas relações com a humanidade, precisamos ganhar sua confiança.)
T’Pol

“If you’ve learned anything about humans, you’d know — we don’t always take the most logical course of action.”
(Se você aprendeu algo sobre os humanos, saberia — nem sempre tomamos o curso mais lógico de ação.)
Archer

“Please tell me you’re ready to slow down.”
(Por favor diga que está pronto para reduzir a velocidade.)
Tucker

“It’s called a warp five engine!”
“On paper!”
(Ele se chama motor de dobra cinco!)
(No papel!)
Archer e Tucker

“If there was ever a time to start trusting us, this would be it!”
(Se há um momento para começar a confiar em nós, esse momento é agora!)
Archer

Trivia

  • Fionnula Flanagan já fez duas aparições em Jornada. Em uma delas, ela viveu Enina Tandro, no episódio de Deep Space Nine “Dax”. Na outra ocasião, viveu a “mãe” de Data, Juliana O’Donnell-Soong-Tainer, em “Inheritance”, de A Nova Geração.
  • J. Michael Flynn já viveu Zayner, em “The Hunted“, de A Nova Geração. John Rubinstein interpretou anteriormente John Evansville, em “The 37’s”, de Voyager.
  • Vaughn Armstrong, que já teve onze papéis ao longo das séries de Jornada (três deles em Enterprise), faz sua quinta aparição como o recorrente almirante Forrest.
  • Scott Bakula ficou animado de ter Flanagan no elenco do episódio. “Pegamos Fionnula Flanagan como uma vulcana, e ela é ótima. Ela é embaixadora, e é como Indira Gandhi. Ela é incrível. Ela tem essa coisa toda com T’Pol e comigo. É um episódio muito bom.”

Ficha Técnica

História de Rick Berman & Brannon Braga e Chris Black
Roteiro de Alan Cross
Dirigido por Patrick Norris

Exibido em 8 de maio de 2002

Títulos em português: “Herói Decadente”

Elenco

Scott Bakula como Jonathan Archer
Jolene Blalock como T’Pol
John Billingsley como Phlox
Anthony Montgomery como Travis Mayweather
Connor Trinneer como Charlie ‘Trip’ Tucker III
Dominic Keating como Malcolm Reed
Linda Park como Hoshi Sato

Elenco convidado

Fionnula Flanagan como V’Lar
Vaughn Armstrong como almirante Forrest
John Rubinstein como capitão mazarita
J. Michael Flynn como oficial mazarita
Dennis Howard como capitão vulcano

Enquete

Edição de Mariana Gamberger
Revisão de Susana Alxandria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "ENT 1×22: Fallen Hero"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*