LDS 2×01: Strange Energies

Em Ransom confiamos, todos os demais pagam com latinum

Sinopse

Data estelar: desconhecida.

Em uma instalação cardassiana, encontramos Mariner sendo interrogada por uma oficial de inteligência, que exige que a federada comece a falar. Bem, ela não se faz de rogada e começa tagarelar sobre a relação com a mãe nos últimos meses, mesmo enquanto se livra das algemas e captura a cardassiana para usar de refém em sua fuga. No caminho para o hangar, ela passa por Boimler também preso, que implora por ajuda, mas em vão; a moça ainda está magoada com ele por ter ido embora sem se despedir.

Mariner embarca em uma unidade da classe Miranda capturada e sai da doca mandando fogo em tudo pela frente, mas tem de pausar o holodeck durante essa sessão de ginástica quando sua desafeta Jennifer chega e avisa que a capitão está chamando.

Mariner e Jennifer no holodeck da Cerritos

Em reunião com Mariner e Ransom, a capitão Freeman relutantemente concorda com mais uma missão paralela sugerida pela filha, limpar edifícios da civilização com a qual estão fazendo segundo contato no momento, o que deixa Ransom meio contrariado. Antes de descer ao planeta, Mariner se encontra com Rutherford e Tendi, e o engenheiro comenta que tem um encontro com a alferes Barnes. Apesar de não se lembrar da tentativa frustrada do ano anterior, desta vez estão se dando bem. Isso deixa Tendi enciumada/preocupada, e ela pondera se o alferes não está com algum problema neurológico devido aos danos em seu implante durante a batalha com os pakleds. Ela já entra em uma de suas noias de ajudar alguém, nem que seja na marra.

Em Apergosia, Ransom está perdendo a paciência com o líder daquela civilização, que está indeciso demais sobre qual frequência subespacial deve adotar, por desejar uma sequência numérica esteticamente adequada, considerando a afinidade dos apergosianos com números. Entrementes, Mariner recusa na cara dura a ordem de Ransom de providenciar mais padds, para iniciar sua missão pessoal. Ela começa a limpar um edifício com uma wap sônica futurista, mas isto tem o efeito de revelar antiga tecnologia apergosiana oculta pela sujeira, o que ativa um dispositivo catalizador de energia da atmosfera e do sol do sistema.

Ransom se transformando, Mariner e T'Ana irritadas

Na correria provocada, Ransom vai resgatar Mariner do local, mas leva uma forte descarga do dispositivo acidentalmente ativado pela limpeza. O oficial acorda algum tempo depois com T’Ana o examinando, e a médica especula com Freeman que ele pode ter tomado uma descarga de “energia estranha”, do tipo que tende a fazer humanoides adquirirem poderes divinos, como ocorreu com Gary Mitchell no século 23. Não demora e Ransom começa a demonstrar telecinesia, telepatia, levitação e a arrogância que acompanha esses sintomas.

Na Cerritos, a capitão Freeman tem que dar uma desconversada no marido almirante, que cobra um status do segundo contato, e ordena Mariner e T’Ana a resolverem o rolo e finalizarem a missão o mais rápido possível. Já no muquifo onde costumam trabalhar, Tendi fica insistindo em “curar” Rutherford com eletrochoques, testes malucos e depois até mesmo ataca o alferes com equipamento médico militarizado durante o encontro dele com a trill Barnes.

Tendi e Rutherford no refeitório da Cerritos

Mariner tenta agilizar o lance da escolha da frequência subespacial, mas Ransom está interferindo cada vez mais com seus poderes, transformando a arquitetura e população locais à sua imagem e semelhança. T’Ana e Mariner tentam impedi-lo, mas Ransom projeta sua cabeça ao espaço para atacar a Cerritos, enquanto seu corpo continua a causar confusão na superfície.

Na nave, Tendi encurrala Rutherford para provavelmente usar até cloroquina no alferes se for necessário, mas ele consegue convencê-la do exagero; não há risco de ela perder a amizade com ele por conta de algumas poucas mudanças comportamentais nos últimos meses. Tendi se acalma e concorda com ele, ainda que não esteja muito a fim de ver o alferes se engraçar para o lado da Barnes.

Mariner dá um chute no saco de Ransom

Com Ransom atacando a Cerritos, os federados precisam de uma solução rápido. T’Ana sugere sobrecarregá-lo com mais energia, mas não funciona. Freeman tenta massagear o ego dele para acalmá-lo, não funciona. O que dá certo é Mariner mandar uns bons chutes no saco do Ransom, já que a virilha dele continuava a seu alcance, com o corpo flutuando próximo à superfície. Isso drena completamente a energia estranha e os ímpetos divinos de Ransom, e T’Ana finaliza a cura jogando um rochedo em cima do comandante, como Kirk fez com Gary Mitchell – ainda que Kirk não tivesse à mão uma empilhadeira, como a caitiana.

Com o dia salvo, mãe e filha ponderam a respeito do que discutiram durante a confusão, o fato de que ambas não estão completamente confortáveis com a maneira um tanto quanto forçada pela qual estão se relacionando. Elas acabam concordando em modular isso para estarem bem uma com a outra se que isso distorça a maneira como lidam com suas tarefas. Elas muito amavelmente se despedem, mas com Mariner indo desfrutar uma cana durante uns dias.

Tendi e Rutherford visitam Mariner na sua cela

Rutherford e Tendi visitam Mariner na cela onde ela já praticamente tem cadeira cativa, e todos conversam sobre como Boimler deve estar se divertindo em missões com o capitão Riker. Doce ilusão… Boimler está surtando no meio de uma intensa batalha contra pakleds, enquanto a Titan atravessa uma anomalia espacial.

Comentários

Como um bom (ainda que não ótimo) começo de temporada, “Strange Energies” é um episódio que trata de consequências. O lado positivo disso é que o cerne dele é muito baseado no desenrolar dos eventos da primeira temporada, enquanto o lado negativo é que ele parece preocupado demais em mitigar algumas dessas consequências, ainda que isso seja para benefício da premissa.

Title card de Strange Energies

Inicialmente, reencontramos mãe e filha agindo como o time que imaginaram no final da batalha com os pakleds – Freeman considerando as capacidades de Mariner como um ativo valioso, e Mariner considerando o apoio de Freeman da mesma forma, como ela mesmo comenta para si no teaser. Já Ransom considera a situação desconfortável para seu papel de oficial executivo da nave, tendo que engolir sapos nos últimos tempos por conta da alferes, ainda mais sem freios, sentimentos esses que são extravasados durante o rolo do episódio, bem como a tensão entre Freeman e Mariner, discutida por comunicação diretamente na ponte.

Claro, o que tivemos ao final não foi um reset propriamente dito, pois inúmeras coisas não podem ser desfeitas ou ignoradas, como a tripulação saber do parentesco delas. Por outro lado, a volta ao status quo original da relação delas tem ângulos positivos para a série, já que é uma dinâmica que garante boas situações de comédia, e não seria salutar para nenhuma das duas que elas estressassem sua relação em termos insustentáveis. Ambas fizeram uma genuína tentativa de redefinir a forma como interagem e, mesmo que não tenha tido o resultado que desejaram de largada, essa relação agora pode existir em termos saudáveis, com elas não renegando quem são, mas entendendo o lado da outra. Basicamente o que gerou, por exemplo, a cena final de Freeman mandando Mariner para a cela com as duas agindo da maneira mais carinhosa possível.

Tendi manda uns choques em Rutherford

Além de tudo isso, o episódio tem várias outras deixas que formam paralelo com o próprio piloto da série (Rutherford encontra Barnes, Ransom infectado causando etc.) e com sua mitologia interna criada na primeira temporada. E não apenas de maneira superficial: por exemplo, Ransom continua agindo como o galã de quermesse como é definido (refletido pelo fato de sua manifestação divina querer transformar Apergosia em uma SmartFit), mas tem genuinamente uma postura Frota Estelar quando a chapa esquenta, e não hesitou em correr para salvar Mariner no que a descarga de 220 veio da torre. Novamente, mostram consistência com aquilo que já se via na temporada passada: o personagem é escrito dentro de um certo tipo, mas com tintas que mostram ser alguém mais profundo e desenvolvido.

Isso é algo que indica que a equipe criativa está cada vez mais no domínio de como os personagens devem ser retratados para refletirem bem suas características e as da série como um todo. Por exemplo, durante o rolo na superfície, Mariner e T’Ana não perdem a cabeça em nenhum momento e na realidade pareciam meramente de saco cheio, em vez de consternadas pelos eventos, como quem pensa, “aff, não acredito que uma missão corriqueira virou mais um daqueles lances que acontecem com as Enterprises”.

Ransom levita

Já a trama B, com Rutherford e Tendi, teve bons momentos e seria apenas mais uma peso-leve com os dois, mas tal qual o episódio como um todo, foi catalisada por eventos e a relação prévia deles construída durante a primeira temporada – ou a falta dela, como Tendi lembra Mariner a respeito da perda de memória dele. Seja como for, tivemos um pouco mais de aprofundamento na relação dos dois federados, e isso agrega mais significado ao que foram apenas piadas leves pelo valor da face. A interação entre ambos é boa e alegra os shippeiros “Tendifords”, mas será bom ver interação maior deles com Mariner e eventualmente Boimler.

É interessante também ver como uma oriana se atrapalha em criar e cultivar relações afetivas, o que escapa do estereótipo tradicional da espécie, de ter mulheres de Órion completamente seguras de si, exercendo seu controle sobre outros por meio de charme e feromônios. Quebrar o molde de espécies bidimensionais sempre é algo bem-vindo para acrescentar tintas mais interessantes a elas e aos personagens que as representam.

Ransom ataca a nacele da Cerritos

De momentos isolados, o ponto alto foi para o teaser, que embora tenha soado como uma daquelas “miniaventuras” sem conexão direta com a trama principal, ainda assim teve elementos importantes, como o Boimler holográfico dar uma alfinetada na Mariner, e ela estar dando continuidade no uso terapêutico da ferramenta – além, é claro, de um bom momento para a aparição de uma das tripulantes secundárias já favorita do fandom, a alferes Jennifer.

Também vale mencionar Tendi não estando nem aí para a cabeça de Ransom estar mordendo a nacele da Cerritos na janela ao fundo quando conversava com Rutherford. E a hora em que a T’Ana aparece do nada com uma empilhadeira trazendo um rochedo foi um troço muito Looney Tunes, da maneira mais positiva possível. Ilustra que eles estão caminhando com segurança pela tênue linha que viabiliza o non sequitur típico de animação sem criar ruído com a necessária suspensão de descrença adequada para o universo fictício de Jornada nas Estrelas.

USS Titan em batalha

No frigir dos ovos, um episódio que inicia bem a temporada, ao entregar diversão bem característica da série, ao mesmo tempo que se mantém fiel ao ethos da franquia a qual pertence.

Avaliação

Citações

“Look, I know we’re not supposed to have interprersonal conflict, but I really hate that andorian.”
(Olha, eu sei que não é para nós termos conflitos interpessoais, mas eu realmente detesto aquela andoriana.)
Mariner, para a cardassiana holográfica

“Uh, we got sci-fi stuff happening over here!”
(Uh, nós estamos com uns lances de ficção científica acontecendo aqui!)
Mariner, ao ver a reação em cadeia provocada por sua limpeza de um edifício apergosiano

“Humanity has a complicated relationship with organized religion.”
(A humanidade tem uma relação complicada com religião organizada.)
Freeman para T’Ana, comentando a avaliação da médica em relação a Ransom

“Meh. It’s more that she always has to bring up having a symbiont. It’s like, we get it.”
(Meh. É que ela sempre tem que mencionar que tem um simbionte, É, tipo, nós já sabemos.)
Alferes Barnes para Rutherford, sobre a irmã encher o saco sobre ter recebido um simbionte trill

“You were trying to eat the ship, sir. I had to apply concentrated force to your neutral zone.”
(Você estava tentando devorar a nave, senhor. Eu tive que aplicar força concentrada bem na sua zona neutra.)
Mariner explicando o que houve para Ransom

Trivia

  • Mike McMahan comentou no Twitter que uma unidade da classe Miranda está no teaser do episódio por ser seu design de nave federada favorito.
  • Fred Tatasciore ainda consta nos créditos principais do episódio na abertura, apesar de ter realizado apenas vozes cardassianas de fundo.
  • O episódio estreia um modelo da Cerritos mais detalhado, como por exemplo melhor textura na superfície do casco da nave e detalhes adicionais como os pods de escape da nave.
  • Você pode conferir todas as referências e easter eggs do episódio neste artigo de Maria-Lucia Racz no Trek Brasilis.

Ficha Técnica

Escrito por Mike McMahan
Dirigido por Jason Zurek

Exibido em 12 de agosto de 2021

Elenco

Tawny Newsome como Beckett Mariner
Jack Quaid como Brad Boimler e Boimler holográfico
Noël Wells como D’Vana Tendi
Eugene Cordero como Sam Rutherford
Dawnn Lewis como Carol Freeman
Jerry O’Connell como Jack Ransom
Fred Tatasciore como soldados cardassianos holográficos
Gillian Vigman como T’Ana

Elenco convidado

Jonathan Frakes como capitão William Riker
Phil LaMarr como almirante Freeman
Lauren Lapkus como alferes Jennifer
Jessica McKenna como alferes Barnes
Randall Park como alto líder apergosiano
Missi Pyle como oficial cardassiana holográfica
Ben Rodgers como Stevens

TB ao Vivo

Enquete


Edição de Leandro Magalhães
Revisão de Salvador Nogueira

Episódio anterior | Próximo episódio