James Cawley defende novo filme de Jornada

james-cawley-5.JPGO produtor executivo do fanfilm New Voyages, James Cawley, chegou a ser uma das vozes a críticar o rumo da produção do novo filme de Jornada nas Estrelas. Após conhecer J. J. Abrams, Cawley, ao que parece, passou a ser um ardoroso defensor do novo projeto. Em mensagem enviada através do site Trek Movie, o produtor revela o seu otimismo quanto ao futuro da franquia nas mãos de J. J. Abrams. Veja o teor de sua mensagem.

“Respirem fundo e relaxem. Eu sou o maior purista (contrário a qualquer mudança em Jornada) da franquia. Mas, após encontrar-me com J. J. Abrams, Bob Orci e Damon, devo dizer que meus medos se dissiparam”, escreveu Cawley. “Eu descobri que os três rapazes sabem profundamente o significado de Jornada. Eles se interessam pelo coração da série”, defendeu o produtor.

Continuando em seu comentário sobre a visão de Jornada. “Alguns fãs vêem o cânon como uma apresentação inteira, que é o visual dos cenários, do vestuário, assim como da história. E eu era um deles. Mas, sejamos realistas, fomos educados desse modo por muitas equipes de produção e roteiristas que vieram antes. Cada um deles fez a sua maneira para preservar “o visual” de cada encarnação de Jornada. Explicavam a mudança de visual e a evolução da história, usando palavras como “refit” (restaurar), para que tudo se encaixasse e que fosse totalmente verossímil. Isso capturou nossas imaginações por 40 anos. Mas eu me dei conta de que não quer dizer que seja ruim mudar algumas coisas”.

No final, Cawley envia uma mensagem de otimismo para os fãs com relação ao futuro da franquia nas mãos de Abrams. “Jornada precisa crescer e durar mais 40 anos. Acima de tudo, nós necessitamos de uma divertida história, que ensine sobre nós mesmos pelo caminho. Essas pessoas que fazem esse filme não assumem essa responsabilidade com a intenção de descartar Jornada, muito pelo contrário. Então, procure acreditar em seus colegas trekkers “Orci, Lindelof e Abrams” a encontrar algo desse otimismo que Gene Roddenberry acreditou que todos possuímos. Vamos trabalhar juntos para levar os demais fãs a se entusiasmarem com essa produção. Com esse filme e todos os demais fanfilms, parece nos levar aos anos 70 outra vez, um tempo quando era bacana ser um fã de Jornada. Esse filme tem o potencial para realmente re-energizar o interesse pela série original, e levar as pessoas a assistirem outra vez, além de introduzir uma nova geração de jovens que podem apenas tê-la ignorado. Vamos todos apreciar o passeio, porque ela tem sido a diversão por décadas”, finalizou Cawley que fará uma ponta no filme como tripulante da Enterprise.

Ao que parece, a produção de Jornada nas Estrelas poderá deslanchar com mais tranqüilidade a partir de agora. A notícia divulgada pelo site Variety informa que o sindicato que representa os roteiristas de Hollywood em greve anunciou que pode ter chegado a um acordo com os estúdios após um movimento de três meses que prejudicou a produção cinematográfica e televisiva. A previsão é de que o movimento termine antes da cerimônia do Oscar, no dia 24 de fevereiro. “Apesar do acordo não ser perfeito nem ser tudo o que merecemos pelas inúmeras horas de trabalho duro e de sacrifício, nossa greve foi um sucesso”, afirmou o Writers Guild of America em comunicado enviado aos seus membros por email. O comunicado do sindicato diz que o acordo cria fórmulas para a distribuição de receitas levantadas com a Internet e estabelece o princípio de que “quando eles ganham, nós ganhamos”.

Isso significa que os novos episódios das séries de TV poderão ir ao ar em poucas semanas, enquanto que os diretores poderão fazer as mudanças pretendidas nas gravações, que não foram emplementadas, em razão da proibição pelo sindicato, durante a greve. Então, ao trabalho!

Fonte: TrekMovie e TrekWeb

Edição: Nívea Doria

15 Comments on "James Cawley defende novo filme de Jornada"

  1. J.J. conseguiu o que queria, agradar ao maior dos fundamentalistas.

  2. Mário Augusto Gomes | 10 de fevereiro de 2008 at 12:06 am |

    Provavelmente o comprou quando ofereceu uma ponta numa produção de 100 milhões de dollares.
    Lembrei-me de alguém que se vendeu por umas moedinhas de prata, acho que foi na mitologia cristã…

  3. “Mas, sejamos realistas, fomos educados desse modo por muitas equipes de produção e roteiristas que vieram antes. Cada um deles fez a sua maneira para preservar “o visual” de cada encarnação de Jornada. Explicavam a mudança de visual e a evolução da história, usando palavras como “refit” (restaurar), para que tudo se encaixasse e que fosse totalmente verossímil. Isso capturou nossas imaginações por 40 anos. Mas eu me dei conta de que não quer dizer que seja ruim mudar algumas coisas.”

    Uma salva de palmas pra esse cara (James Cawley)!!!

  4. “Alguns fãs vêem o cânon como uma apresentação inteira, que é o visual dos cenários, do vestuário, assim como da história.”

    Acho interessante que ele toque nesse ponto. Para mim o cânon está mais ligado à história, continuidade do roteiro e ao clima humanista da série, do que detalhes de cenário e figurino.

    Se o roteiro tiver qualidade e honrar a essência dos personagens e da série, eventuais alterações no cenário e atualizações de armas, roupas, naves, etc não deverão ser problema algum.

  5. ^1: ao ler a reportagem pensei a mesma coisa que você, Constâncio: “J.J Abrams conseguiu o que queria… Um grande aliado”.

    ^4: Vejo como você, Giovanna. Qualquer coisa depois da história, continuidade e conteúdo humanista, é totalmente secundário (são alterações que com o tempo, têm mesmo que acontecer).

  6. Sinceramente acho que esses dois últimos parágrafos estão no lugar errado. Deveriam pertencer a um artigo diferente.

  7. Com o final da greve dos roteiristas e com mudanças sendo permitidas, será que vamos ver Bill Shatner iniciar novamente seu lobby para participar do filme?

  8. Harald, o objetivo do TB é publicar notícias relacionadas somente a Jornada. Uma notícia em separado sobre a greve estaria fora dos padrões estabelecidos, uma vez que a greve não prejudicou, a princípio, os trabahos do filme.
    Há rumores de que Abrams estaria com mudanças em mente e que emplementaria somente após o fim da greve, mas isso é rumor de Forum, não seria confiável como notícia.
    Porisso encaixei o tema da greve apenas como informativo extra, dando a entender que o assunto está resolvido. Se merecer uma publicação em separado faremos.

    Abraços.

  9. Concordo com você Giovanna, a essência de Jornada tem que prevalecer, apesar que a nave é uma marca registrada da Franquia, e espero que não fuja muito ao estilo que a caracterizou.

  10. No meu entender ficou óbvio que ele foi comprado! Mas isto não significa que o filme não é bom, é claro, apenas uma mudança radical de conceitos da parte dele.

  11. Eu particularmente considero o New Voyages excelente, o episódio In Harms Way é incrível e amarra perfeitamente várias idéias (Guardião da Eternidade, Devorador de Planetas, a razão de Pike estar queimado e porquê Spock o ajudou). Já que Cawley é um purista e fez este episódio não imagino por que não aceitaria um filme até agora tão bem comentado. Eu torci o nariz para o novo seriado Galactica e aguardei ansiosamente pelo início, mas não me arrependi. Embora o foco seja diferente a essência é a mesma.
    É a essência que está dentro do fã.

  12. Fabio Borges, pra mim também a Enterprise, sua forma básica, como todos conhecemos na série e filmes, externamente, também deve prevalecer. Até porque já faz parte do imaginário de todos e mudar isso seria contraditório. Mas uma ou outra pequena alteração ou simplesmente acréscimo de detalhes, como foi feita da série para os filmes, não seria problema.

    Já mudanças do espaço interno, como a iluminação dos corredores ou formato dos consoles da ponte de comando, acho que são menos problemáticos. E até seria mais interessante ver controles com mais detalhes, menos quadrados e menos parecidos com formas de gêlo do que na série de tv hehehe!

    Aliás, outro dia estava assistindo a uma ficção científica de 1971 do diretor Robert Wise e as mesas de controles dos laboratórios eram bem parecidas com o controle do teletrasporte de Jornada! 🙂 Não sei se naquela época usava-se máquinas assim ou se ficou registrada como uma imagem comum na ficção científica da década mesmo.

  13. Luís Henrique Campos Braune | 10 de fevereiro de 2008 at 8:45 pm |

    Tenham fé…

  14. Acabei de assitir “Cloverfield” e fiquei um pouco frustrado, porque tinha lido que o teaser de Jornada XI estaria colado ao primeiro para divulgação. O que tem há ver alhos com bugalhos? Porque era minha vontade assistir ao teaser visto pela net em uma tela grande, com todo aquele públlico (muitos não fãs) e, a partir da reação do público na sala, além da emoção pessoal de sentir Star Trek na telona, poderia ter uma noção de como o público iria reagir. Confesso que fui ao cinema não só para assistir Cloverfield e, sim, para assisti-lo com o teaser de Jornada! Por isso me frustrei um pouco, pois acabei vendo ao trailer do Rambo, aquela… deixa pra lá! A sala do cinema é um termômetro para ver a reação das pessoas a determinados filmes, pois muitos comentários em salas de projeção já ouvi, falando bem ou mal desta ou daquela produção, assim como nosso amigo James Cawley acima. Agora é ter fé mesmo em Abrams e sua equipe e esperar algum sinal do novo filme quando for assistir Indiana Jones, não que eu vá só pelo trailer (rsrsrsrs).

  15. No Brasil não se segue a mesma ordem de trailers que acontece nos EUA. Lá cada filme tem o(s) trailer(s) certo(s) a serem exibidos antes do longa. Aqui exibem trailers diferentes e até um mesmo filme pode ser exibido com trailers diferentes, em diferentes sessões.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*