VOY 1×07: Ex Post Facto

Enigma pouco original fornece chance de desenvolvimento para Tuvok

Sinopse

Data estelar: desconhecida

Kim retorna sozinho de uma viagem que fez com Tom Paris ao planeta Banea. Depois de Tom se envolver com a atraente esposa de um cientista, o pesquisador é assassinado. O piloto da Voyager é acusado e sentenciado, de acordo com a lei de Banea. Implantes são colocados em Paris, fazendo com que reviva os últimos momentos de “sua” vítima a cada 14 horas.

Janeway, apesar de conhecer a fama de Tom, analisa a situação e tenta provar que ele não é culpado. O corpo de Paris reage mal à tecnologia de implantes dos baneanos, que passa a lhe causar danos neurais.

Por isso, Janeway consegue autorização para levá-lo de volta à Voyager. Em seguida, uma raça inimiga dos baneanos, os numiris, passa a atacar a nave. Tuvok une-se à mente de Tom e descobre, usando da famosa lógica vulcana, quem realmente assassinou o cientista, baseando-se na altura do assassino indicada pelas imagens.

Não poderia ser Paris, mas sim o médico local, que se revela um espião a serviço dos numiris. Ele quis implicar Tom para usar os implantes como um meio para transmitir informações secretas a seus comparsas.

Comentários

A primeira impressão de “Ex Post Facto” é a de que é um episódio centrado em Tom Paris. Na verdade, trata-se apenas de uma especulação inicial. Na verdade, o episódio é todo feito para desenvolver o personagem Tuvok, com sua investigação para provar a inocência do piloto.

Ex post facto title card

Embora a história não seja das mais interessantes ou originais (tendo sido feita várias vezes na história de Star Trek, em versões suavemente diferentes, com maior ou menor grau de sucesso), uma coisa merece ser destacada: o episódio tem o mérito raro de dispensar a tecnobaboseira e se sustentar pelo próprio enredo.

É bem verdade que Tuvok tira a solução do mistério da cartola, apresentando várias evidências em sequência, em uma cena de dar inveja a um episódio de Scooby Doo. Mas é interessante notar que a solução é tão verossímil que parece até a vida imitando a arte.

Lembra um episódio histórico do Brasil, a investigação da morte, em 1996, do empresário Paulo César Farias, tesoureiro da campanha eleitoral de Fernando Collor à presidência da república, em 1989. A peça de evidência principal usada por Tuvok (a altura do assassino) também foi a chave para desvendar a farsa do laudo da morte de PC Farias feita pelo legista Badan Palhares. Na ocasião, o médico adulterou a altura do morto para justificar a tese de que sua namorada tinha cometido o crime.

Também é interessante o modo pelo qual os produtores optaram por contar a história, partindo de um flashback. O resultado prático disso foi um prólogo mais interessante e atraente. O recurso, que até então pouco havia sido usado em Star Trek, apareceria mais vezes em Voyager.

Enquanto Tuvok mostrava toda a sua “vulcanice”, Kes e o Doutor continuaram seus diálogos amistosos. Entretanto, nenhum elemento novo foi adicionado. Somente mais do que já havíamos visto em outros episódios.

Tecnicamente, o diretor LeVar Burton traz para a tela uma bonita fotografia, em especial nas cenas que mostram a punição de Paris, feitas em preto e branco. Ponto negativo apenas para a reciclagem do planeta: trata-se da pintura que retratou Angel I, vista pela primeira vez no episódio “Angel One”, de A Nova Geração.

Avaliação

Citações

“That’s one more trick you won’t be able to use again when we get home.”
“I have more.”
(Esse é um truque que você não poderá usar de novo quando voltarmos para casa.)
(Eu tenho outros.)
Janeway e Chakotay

Trivia

  • O título deste episódio vem do latim e significa “a partir do fato passado”. Star Trek tem uma tradição importante de dar títulos em latim e este foi o terceiro a segui-la, depois de “Dramatis Personae” (Deep Space Nine) e “Sub Rosa” (A Nova Geração).
  • A solução do mistério deste episódio lembra o conto “O Estrela de Prata” (“The Adventure of Silver Blaze”), de Arthur Conan Doyle, protagonizado por Sherlock Holmes. Até a “denúncia” do cachorro aparece em ambas as histórias. A cena em que Tuvok revela a identidade do assassino também é reminiscente dos romances de Agatha Christie com o personagem Hercule Poirot.
  • A base do episódio envolvia o conceito de uma espécie que, como forma de punição, obrigava o criminoso a experimentar os últimos momentos de vida da vítima. Michael Piller, que deu forma final à trama, quis prestar uma homenagem ao cinema noir, o que foi seguido por LeVar Burton na direção.
  • LeVar Burton, claro, é mais conhecido como o Geordi La Forge de A Nova Geração. Ele ainda voltaria a dirigir outros episódios da série e interpretaria um Geordi mais velho (e capitão de nave estelar) no centésimo episódio de Voyager, “Timeless”, da quinta temporada.
  • Jeri Taylor e Michael Piller tiveram discussões sobre o papel de Tom Paris neste episódio. Ela achava que o segmento jogava uma luz negativa sobre o personagem. Já Piller achou que Tom se saiu bem ao final. “Ela sentia que havíamos assassinado o personagem (…) Até a ideia de que ele consideraria uma relação com uma mulher casada ela achou de mau gosto. Ela sentia que ele ficou como um mulherengo rasteiro. Acho que ele tem uma falha de caráter, uma fraqueza, que eu posso apreciar. Acho que muitos homens podem apreciar isso e que ele caiu vítima daquela falha – mas se elevou acima dela para a superar. Jeri pode perdoar algumas falhas e não pode perdoar outras. Infidelidade é uma que ela não pode perdoar.”
  • Robert Duncan McNeill (Paris) e Tim Russ (Tuvok) apreciaram o roteiro e o que ele trazia para seus personagens.
  • O supervisor de maquiagem Michael Westmore descreveu assim o design dos alienígenas numiris: “Eles estão um pouco no lado reptiliano e é uma cabeça inteira com um lábio inferior e um nariz bem interessante.”

Ficha Técnica

História de Evan Carlos Somers
Roteiro de Evan Carlos Somers e Michael Piller
Dirigido por LeVar Burton

Exibido em 27 de fevereiro de 1995

Título em português: “Ex Post Facto”

Elenco

Kate Mulgrew como Kathryn Janeway
Robert Beltran como Chakotay
Roxann Biggs-Dawson como B’Elanna Torres
Robert Duncan McNeill como Tom Paris
Jennifer Lien como Kes
Ethan Phillips como Neelix
Robert Picardo como Doutor
Tim Russ como Tuvok
Garret Wang como Harry Kim

Elenco convidado

Robin McKee como Lidell Ren
Francis Guinan como Kray
Aaron Lustig como médico baneano
Ray Reinhardt como Tolen Ren
Henry Brown como capitão numiri

Enquete

Edição de Stéphanie Cristina
Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "VOY 1×07: Ex Post Facto"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*