TNG 2×08: A Matter of Honor

Riker tem a chance de fugir da rotina graças a intercâmbio em nave klingon

Sinopse

Data estelar: 42506.5

Um programa especial de intercâmbio traz um benzite chamado Mendon a bordo da Enterprise e dá a Riker a oportunidade de se tornar o primeiro oficial da Federação a servir em uma nave klingon. O imediato da Enterprise, antes de assumir seu novo posto, tomou alguns conselhos de Worf sobre sua espécie, que ainda mantém uma visão bárbara, segundo os costumes terrestres, de domínio pela força.

As informações vêm a calhar quase imediatamente após a chegada de Riker no cruzador klingon Pagh, quando o primeiro oficial precisa derrotar seu subordinado imediato quando este questiona a autoridade e a lealdade do humano. Após esse confronto, Riker começa a verdadeiramente se adaptar e a conviver com os klingons de forma harmoniosa.

Pouco antes da nave klingon partir, Mendon descobre que uma bactéria espacial virulenta está consumindo o casco das duas naves. O benzite, desinformado sobre os costumes de naves da Federação, demora a informar sua descoberta, o que impede a Enterprise de alertar a Pagh antes que deixasse a região.

Picard ordena que a Enterprise marque um curso de interceptação com a nave klingon, a fim de avisar e prestar assistência. Mas os klingons descobrem a bactéria antes e passam a acreditar que a nave da Federação é a verdadeira responsável pela contaminação. Incapaz de se comunicar com a Pagh camuflada, Picard teme que os klingons planejem atacar e ordena que os escudos sejam erguidos, o que é interpretado pelos klingons imediatamente como um ato de agressão.

Conforme a Pagh se prepara para atacar a Enterprise, Riker ativa um transponder de emergência entregue a ele por Worf antes de sua transferência. O capitão da Pagh teme que seja um explosivo ou um dispositivo de comunicação e confisca o objeto, somente para ser teleportado para a Enterprise. Na ausência do capitão, Riker se torna o comandante temporário da Pagh e ordena a rendição de Picard e de sua tripulação, permitindo aos klingons manter sua honra intacta.

Pouco tempo depois, a Enterprise ajuda a remover as bactérias da nave klingon e teleporta o capitão da Pagh de volta à sua nave. Riker imediatamente cede o comando ao capitão e retorna a seus deveres a bordo da Enterprise –não sem antes levar uma bela bordoada do injuriado klingon.

Comentários

“A Matter of Honor” fala de choques culturais. Os dois focos da história (o que ocorre a bordo da Enterprise, com Mendon, Worf, Wesley e Picard, e o que ocorre a bordo da Pagh, com Riker e os klingons) trabalham exatamente o mesmo tema, o que ajuda a identificar claramente de onde o episódio nasceu. A premissa do intercâmbio foi um meio bastante inteligente para mostrar a diferença entre a cultura e os procedimentos entre diferentes espécies alienígenas.

Riker e Mendon servem como contrapontos, olhando dessa perspectiva. Um deles representa o participante do intercâmbio que está interessado em aprender mais sobre a cultura no qual está se inserindo. Já o outro está mais interessado em impor seu estilo singular ao ambiente em que acaba de chegar. Seria insultar a inteligência de quem assistiu ao episódio dizer qual dos personagens foi escolhido e por quê. Basta dizer que foi um modo interessante de mostrar as diferenças de abordagem entre os envolvidos em um choque cultural como esses.

Também é desnecessário dizer qual o lado mais interessante da história e o que oferece mais substância ao episódio. É óbvio que a presença de Riker na nave klingon é o grande destaque. Sua rápida adaptação aos modos klingons e, ainda assim, sua astúcia para manter seu lado humano aguçado, conjugando assim o “melhor dos dois mundos” –fator que foi crucial para evitar o conflito entre a Enterprise e a nave klingon, com um belo artifício para render o capitão da Pagh de seus afazeres no momento necessário–, foi o que fez desse episódio uma pérola, e um dos melhores da segunda temporada da série.

Os klingons que vemos aqui ainda são bastante semelhantes ao perfil que conhecemos durante a Série Clássica e os filmes para cinema ambientados no século 23. Ainda estão muito distantes do que viriam a se tornar a partir da terceira temporada, mas já começam a mostrar que há mais que simples vilões por baixo daquela cabeça de tartaruga. O conceito de honra klingon já começa a se desenvolver, mas ainda há muita pobreza e falta de refino em outros conceitos centrais dessa cultura, como a importância familiar.

Descobriremos na terceira temporada (mais especificamente em “Sins of the Father”) o quanto é importante a família para os klingons. Aqui, descobrimos que um familiar pode ou não desonrar seus parentes por suas atitudes, mas ainda há um aspecto bastante tosco e pouco lapidado nesse conceito. Ouvimos frases como “Um klingon é seu trabalho, não sua família”. Essa ideia acabaria sendo bastante contrariada nos futuros desenvolvimentos dessa raça.

Riker é o grande personagem do episódio, mostrando que, quando lhe é dada a chance, pode ser muito mais que a sombra de Picard na ponte da Enterprise. Jonathan Frakes cumpre com o papel que lhe escreveram à altura. Já Mendon serve apenas como alívio cômico, com seu comportamento arrogante e com as discussões que tem com Worf e Picard. Wesley faz bom uso de seu contato anterior com um benzite (em “Coming of Age”), tornando sua participação no episódio bem mais leve e menos forçada do que em outros segmentos.

Picard, por incrível que pareça, tem participação bem reduzida, o que aconteceu raríssimas vezes na série. E Worf, apesar de este ser o primeiro episódio voltado para os klingons, é pateticamente aproveitado. Suas melhores (!) aparições são quando ele entra em conflito com Mendon, pois servem de alívio cômico. Mas quando ele resolve falar sério, soa simplesmente como um completo idiota. Claramente, nem Michael Dorn nem os roteiristas haviam “encontrado” o personagem.

Visualmente, o episódio é bastante interessante, com um verdadeiro tour por uma nave de batalha klingon. O ambiente ainda é muito similar ao que vimos nos filmes da Série Clássica e ainda não há aquele traço distintivo que encontraríamos futuramente para os klingons em A Nova Geração. Mesmo assim, não deixa de ser uma visita interessante.

Independentemente do assunto tratado ou da coerência com o conjunto da obra de Jornada nas Estrelas“A Matter of Honor” se sustenta especialmente por ser uma grande aventura, em que o telespectador pode acompanhar Riker em um ambiente estranho e ao mesmo tempo familiar, no coração da cultura klingon. Não há do que reclamar.

Avaliação

Citações

“It is my understanding that one of the duties of the first officer on a Klingon vessel is to assassinate his captain.”
“Yes, sir.”
“Wouldn’t that bring about chaos?”
“Of course not. When and if the captain becomes weak or unable to perform, it is expected that his honorable retirement should be assisted by his first. Your second officer will assassinate you for the same reasons.”
(Pelo que entendi um dos deveres do primeiro oficial numa nave klingon é assassinar seu capitão.)
(Sim, senhor.)
(Isso não traria o caos?)
(Claro que não. Quando e se o capitão se tornar fraco ou incapaz de atuar, é esperado que sua aposentadoria honrada seja fornecida por seu primeiro oficial. Seu segundo oficial irá assassiná-lo pelas mesmas razões.)
Riker e Worf

“Didn’t mean to offend you.”
“You didn’t… yet.”
(Não quis ofendê-lo.)
(“Você não o fez… ainda.”)
Mendon e Worf 

“Yes… but it’s still moving.”
“Gagh is always best when served live. Would you like something easier?”
“Easier?”
“Yes. If Klingon food is too strong for you, perhaps we could get one of the females to breast-feed you.”
(Sim… mas ainda está se movendo.)
(Gagh é sempre melhor quando servido vivo. Você gostaria de algo mais fácil?)
(Mais fácil?)
(Sim. Se comida klingon é muito forte para você, talvez possamos pegar uma das fêmeas para amamentá-lo.)
Riker e Klag

“They are inquisitive. They would like to know how you would endure.”
 “Endure what?”
“Them.”
“One, or both?

(Elas estão curiosas. Gostariam de saber como você aguentaria.)
(Aguentaria o quê?)
(Elas.)
(Uma, ou ambas?)
Klag e Riker

Trivia

  • Esse episódio alcançou a maior audiência da Nova Geração até então: 12.2 pontos no Nielsen, o “Ibope” americano.
  • Pela primeira vez o personagem de Colm Meaney recebe um nome: O’Brien.
  • John Putch, que já havia interpretado o benzite Mordock no episódio “Coming of Age”, volta neste episódio como outro benzite: Mendon.

Ficha Técnica

História de Wanda M. Haight & Gregory Amos e Burton Armus
Roteiro de Burton Armus
Dirigido por Rob Bowman

Exibido em 8 de fevereiro de 1989

Título em português: “Uma Questão de Honra”

Elenco

Patrick Stewart como Jean-Luc Picard
Jonathan Frakes como William Thomas Riker
Brent Spiner como Data
LeVar Burton como Geordi La Forge
Michael Dorn como Worf
Marina Sirtis como Deanna Troi
Wil Wheaton como Wesley Crusher

Elenco convidado

Diana Muldaur como Katherine “Kate” Pulaski
John Putch como alferes Mendon
Christopher Collins como capitão Kargan
Brian Thompson como tenente Klag
Colm Meaney como O’Brien
Peter Parros como oficial tático
Laura Drake como Vekma

Enquete

Edição de Maria Lucia Rácz
Revisão de Susana Alexandria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "TNG 2×08: A Matter of Honor"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*