TNG 4×12: The Wounded

Episódio introduz com brilhantismo os cardassianos no universo de Star Trek

Sinopse

Data estelar: 44429.6

Picard fica chocado quando descobre que uma nave estelar da Frota Estelar, sob o comando do capitão Benjamin Maxwell, está destruindo veículos cardassianos, o que ameaça seriamente a frágil paz da Federação com Cardássia após anos de conflitos.

Com o cardassiano gul Macet a bordo, a Enterprise vai de encontro à USS Phoenix, a nave renegada, e testemunha, em monitoramento de longo alcance a destruição, de mais duas naves cardassianas pelo capitão Maxwell.

O’Brien, antigo oficial tático de Maxwell, acha os atos de seu antigo comandante difíceis de acreditar, pois o capitão da Phoenix sempre foi um exemplo de oficial. Maxwell, segundo ele, deve ter uma razão muito forte para fazer tais ataques.

Ao encontrar a Phoenix, Picard conversa com Maxwell, que alega ter evidências de que os cardassianos estão transportando armas para uma base militar – supostamente apenas um posto científico –, a fim de preparar uma ofensiva contra a Federação. Picard acha que, mesmo que isso seja verdade, nada justificaria a atitude de Maxwell. Ele ordena que o capitão volte à Phoenix e leve sua nave até uma base da Federação, onde será julgado por suas ações.

Durante o caminho, Maxwell tira a Phoenix do curso e intercepta uma nave cardassiana. Ele intima Picard a abordar o cargueiro e inspecionar seu carregamento, ou ele a destruirá. Picard ameaça atacar a Phoenix, mas O’Brien sugere que o capitão autorize sua ida até a nave renegada, onde ele acredita poder dissuadir Maxwell. Picard concorda, e O’Brien convence seu ex-capitão a se render. Maxwell é preso e Picard manda um aviso aos cardassianos: embora a paz tenha sido preservada, a Federação estará atenta aos estranhos movimentos da potência vizinha.

Comentários

Brilhante, “The Wounded” é um episódio que conseguiu trabalhar todas as contingências envolvendo a produção de uma série de televisão – manteve continuidade, sem exigir do telespectador conhecimento prévio, contou uma bela história, cheia de senões e texturas, e trabalhou de forma soberba o enfoque dos personagens.

A introdução dos cardassianos na série não poderia ter sido melhor. Em vez de optar pela tradicional abordagem “uma nova raça que nunca vimos, mas de que já ouvimos falar”, tática utilizada para a introdução dos ferengis, agora descobrimos que a Federação e o Império Cardassiano já são velhos conhecidos.

Esse método de introdução a uma nova espécie não só é totalmente factível (embora nunca tenha sido citadas antes, a Federação é bem grande, o que não nos obriga a conhecer todas as espécies que já tiveram contato com os humanos), como nos poupa uma série de apresentações desnecessárias e nos joga diretamente no cerne da trama.

Como alternativa para que saibamos tudo que precisamos sobre os cardassianos, os roteiristas optaram por desenvolver mais o histórico de um personagem já conhecido – Miles O’Brien. Com isso, não só deram um passado e um contexto bem definido para o engenheiro como também puderam se aproveitar do gancho deixado no episódio anterior (“Data’s Day”), em que O’Brien se casa com Keiko. Não poderia ter sido melhor.

A grande contribuição do episódio para o universo de Star Trek (além de introduzir uma das raças mais interessantes e “odiáveis” da série) é mostrar facetas nunca antes vistas da Federação – ele é o primeiro episódio a efetivamente introduzir questões políticas no seriado, algo que seria intensivamente aproveitado mais adiante na Guerra Civil Klingon e, mais ainda, em Deep Space Nine.

Em tempos passados, os oficiais da Frota Estelar tinham como único código de conduta a defesa da “justiça”. Agora, vê-se que tudo isso depende de um contexto: em casos em que a Federação é incapaz de sustentar um conflito armado, os oficiais são ordenados a equilibrar o justo com o que é possível, engolindo todos os sapos necessários para fazer esse meio-termo. Isso é realismo!

Além disso, o episódio mostra de forma soberba questões sobre a camaradagem militar – na forma do relacionamento entre O’Brien e Maxwell – e sobre o preconceito trazido à tona por O’Brien, em seu confronto com os cardassianos.

A história apresentada é muito bem elaborada, sem furos, apesar de sua complexidade. Algumas cenas são memoráveis, como a em que O’Brien e Maxwell cantam canções das trincheiras, e a conclusão não poderia ser mais empolgante – o diálogo final entre Picard e gul Macet é sensacional e enfatiza o lado político do episódio: diplomacia e justiça definitivamente não chegam ao mesmo lugar.

Esse episódio estabelece muito do contexto que seria usado para a criação da série Deep Space Nine e garante o passaporte para Miles O’Brien subir mais um degrau de importância na galeria dos personagens de Star Trek.

Avaliação

Citações

“It’s not you that I hate, Cardassian. I hate what I became because of you.
(Não é você que eu odeio, cardassiano. Eu odeio o que me tornei por sua causa.)
Miles O’Brien

“Take this message to your leaders, Gul Macet: We are watching.”
(Leve essa mensagem a seus líderes, gul Macet: estamos observando.)
Jean-Luc Picard

Trivia

  • Jeri Taylor descreveu assim o episódio: “Era meio que Coração das Trevas [novela de Joseph Conrad, que também foi inspiração para Apocalypse Now], com o capitão rebelde fora de controle. Começou com a ideia de que, se você tivesse travado uma guerra com outro país e agora não estivesse mais em guerra, vocês não podem imediatamente se tornar amigos. Se você é treinado para ver pessoas como o inimigo, é difícil agora ser amigo delas. Embora no século 24 as pessoas tenham uma visão muito mais expansiva da galáxia e possamos fazer um pouco melhor, plantamos a ideia de que algumas pessoas tinham um problema residual um pouco maior com esse tipo de coisa e guardavam algum ressentimento. É uma área muito provocante de explorar. O material era meio épico por natureza, o que é sempre divertido de fazer, e ainda no seu núcleo era essa história muito pessoal entre ele e Picard, em que duas pessoas fortes e capazes se veem uma contra a outra.”
  • A cena em que O’Brien e Maxwell cantam “The Minstrel Boy” foi sugerida pelo showrunner Michael Piller. A música, composta em memória dos mortos na Rebelião Irlandesa de 1798, ficou famosa com o filme O Homem que Queria Ser Rei (1975). A música voltaria a ser usada no episódio final de Deep Space Nine, “What You Leave Behind”.
  • O diretor Chip Chalmers viu um contraste entre a realidade e a ficção com este episódio. “Ele foi exibido durante a Guerra do Golfo e era sobre Picard fazendo tudo que podia para prevenir uma guerra, ocorrendo numa época em que os Estados Unidos da América estavam fazendo tudo que podiam para começar uma guerra. Achei que foi uma interessante dicotomia de ideias.”
  • Este episódio teve várias cenas cortadas por tempo que foram recuperadas, como extras, no lançamento em Blu-ray da quarta temporada de A Nova Geração.
  • “The Wounded” é o primeiro episódio a apresentar os cardassianos, mas seu visual seria bem aprimorado em futuras aparições. Tanto o capacete quanto os pelos faciais vistos aqui nunca mais seriam vistos. As armas de energia cardassianas aqui são feixes cor de rosa, mas depois disso seriam âmbar. Mas muito do que é visto aqui volta em cena mais tarde, como a nave de guerra da classe Galor e a bebida cardassiana kanar.
  • Michael Westmore criou o visual reptiliano dos cardassianos, pensando em dar-lhes uma aparência estranha e ameaçadora. O formato de colher na testa foi inspirado por uma pintura abstrata que ele havia visto dois anos antes, de uma mulher de ombros largos com o que parecia ser uma colher no centro da testa.
  • Gates McFadden (Beverly Crusher) não aparece neste episódio. Tirando a segunda temporada, esta é a única vez em que isso acontece.
  • Marc Alaimo aqui interpreta gul Macet, depois de ter vivido um antican (em “Lonely Among Us”) e um romulano (em “The Neutral Zone”). Com isso, tornou-se o segundo ator convidado a viver três alienígenas diferentes em Star Trek, depois de Mark Lenard. Ele ficaria mais famoso, é claro, como gul Dukat, em Deep Space Nine.

Ficha Técnica

História de Stuart Charno & Sara Charno e Cy Chermak
Roteiro de Jeri Taylor
Dirigido por Chip Chalmer

Exibido em 28 de janeiro de 1991

Título em português: “Feridas”

Elenco

Patrick Stewart como Jean-Luc Picard
Jonathan Frakes como William Thomas Riker
Brent Spiner como Data
LeVar Burton como Geordi La Forge
Michael Dorn como Worf
Marina Sirtis como Deanna Troi

Elenco convidado

Bob Gunton como Benjamin Maxwell
Rosalind Chao como Keiko O’Brien
Marc Alaimo como Macet
Colm Meaney como Miles O’Brien
Marco Rodriguez como Telle
Time Winters como Daro
John Hancock como Haden

Enquete

Edição de Maria Lucia Rácz
Revisão de Susana Alexandria

Episódio anterior | Próximo episódio