Exclusivo Making of de A Ira de Khan e Space Seed

making of Star Trek II The Wrath of KhanStar Trek II: A Ira de Khan foi o filme mais apreciado pelos fãs de Jornada e até por aqueles que não gostam da franquia. Mas de onde veio o maior vilão de Jornada, e como o filme o ressuscitou? Os professores de Sociologia John e Maria Jose Tenuto passaram meses pesquisando sobre a origem do personagem Khan, e compartilharam toneladas de informação privilegiada. Aproveitando a oportunidade da discussão sobre a origem de John Harrison, de Além da Escuridão, você verá um pouco da história da criação de Khan e imagens nunca vistas antes por trás dos bastidores dessas duas produções publicadas, através do site io9.

Khan Noonien Singh, interpretado por Ricardo Montalban, é um senhor tirânico, geneticamente melhorado que dominou metade do globo. Sua história foi contada durante o episódio da série original “Space Seed”, e em seguida, reapareceu no filme A Ira de Khan.

Os Tenutos, que são professores da Faculdade de Lake County em Grayslake, são fãs de longa data de Jornada. Mas eles estavam visitando Universidade de Iowa por outra razão, e descobriram que o diretor Nicholas Meyer havia doado seus documentos do filme A Ira de Khan, incluindo rascunhos de script, memorandos e fotografias, a biblioteca da Universidade. Os Tenutos ficaram obcecados em descobrir os detalhes da gênese desse fabuloso personagem, incluindo coisas que não tinham encontrado no oficial “making of” do livro. Então, eles decidiram visitar Los Angeles e olhar para papéis de Gene Roddenberry na UCLA, e os arquivos da CBS / Paramount para informações semelhantes sobre o episódio “Space Seed”, estreia de Khan.

O site io9 passou cerca de uma hora no telefone com John Tenuto, que contou o que eles descobriram sobre ambas as histórias de Khan.

A única coisa que você tem que perceber sobre “Space Seed”, diz Tenuto, é que foi criado muito cedo para exibição na TV. Quando o escritor Carey Wilber armou a história em setembro de 1966, a série estava no ar por três semanas. Wilber só teve alguns episódios para deixar pronta, e a equipe de produção da série ainda estava trabalhando em um monte de coisas também.

Por exemplo, Spock é realmente muito diferente no contorno original de Wilber – ele tem muito mais poderes psíquicos. Em um momento em que o resto da tripulação da Enterprise pensa que Kirk está morto, Spock pode sentir telepaticamente que Kirk está vivo. Spock também tenta usar seus poderes mentais para fazer um “elo mental” com a tenente Marla McGivers, a traidora a bordo da Enterprise. Além disso, o episódio começa com Kirk e Spock jogando xadrez, e Spock trapaceia no xadrez usando o computador. E ganha. Mais tarde, Spock confessa a McCoy que sente vergonha pela trapaça.

No script de Wilber, Kirk fala de uma forma muito formal, militarista, e os produtores Gene Coon, Robert Justman e Roddenberry-se gastaram muito tempo em memorandos que explicavam a Wilber que Kirk fala claramente, de uma forma confortável. Além disso, Wilber incluiu Yeoman Rand Janice como um personagem importante na sua proposta de 18 páginas.

A outra coisa que veio através de memorandos que Coon, Justman e Roddenberry estavam escrevendo era uma preocupação sobre como o futuro ia ser apresentado em Jornada. Por exemplo, no roteiro original de Wilber, sabemos que Marla McGivers está obcecada com o passado, porque ela sabe sobre música. Ela começa a cantar uma melodia, e a tenente Uhura pergunta: “O que você está fazendo?” Uhura não sabe o que é música, porque não há nenhuma música no futuro. É claro, a série já tinha scripts em que Uhura cantava. Mas, os produtores não queriam retratar um futuro que não tivesse arte ou música, ou cultura, ou uma consciência da história.

Origem de Khan.

O personagem Khan foi originalmente um personagem tipo Viking, com cabelos loiros, não era geneticamente melhorado, nem tinha governado qualquer parte da Terra.

Na proposta original de Wilber, a Botany Bay continha um criminoso chamado Harold Erickson, que é loiro, de perfil ariano. “Ele não era um criminoso com um império, apenas um criminoso”, diz Tenuto. “Ele não era mais forte do que Kirk ou particularmente inteligente, e seu poder veio puramente da brutalidade crua e da raiva. O plano de Erickson era para descongelar sua gangue, assumir a Enterprise, e tornar-se pirata espacial.

No cenário de Wilber, a Terra superpovoada decidiu se livrar de alguns de seus criminosos, colocando-os em animação suspensa e atirando-os para o espaço para uma viagem de 1.500 anos. Mas, 500 anos mais tarde, a Botany Bay foi avariada. (Neste momento, ninguém havia imaginado o quão longe no futuro Jornada teria lugar, e 500 anos parecia um tempo razoável.)

Naturalmente, há uma falha lógica neste plano: Por que desperdiçar imensos recursos necessários para congelar criminosos criogenicamente e atirar-los para o espaço? Não faz sentido – na verdade, no script episódio final, Kirk pergunta se as pessoas na Botany Bay poderiam ser criminosos, e Spock cuidadosamente aponta a falha lógica nessa idéia.

De acordo com a ideia de “espaço pirata”, Erickson realmente castiga severamente Kirk no roteiro – ele coloca Kirk em um traje espacial e joga-o para fora da nave, com uma pequena entrada de ar. (Isto é, quando Spock percebe que Kirk está vivo usando seus poderes psíquicos.) Marla McGivers dá a Kirk um propulsor, que permite que ele retorne para a Enterprise. Mas os produtores cuidadosamente explicaram a Wilber que não poderiam ter cenas com pessoas no espaço, por razões de custo. (Roddenberry escreveu a Wilber: “Você pode se perguntar como podemos fazer uma série de ficção científica sem efeitos especiais. Fazemos com um monte de truques”).

Como Khan tornou Khan.

Gene Coon, o cara que nos deu os Klingons, começou a escrever uma série de memorandos, seis ou sete páginas, dando a idéia de que Erickson poderia ser igual a Kirk, e não apenas um bandido. Este episódio poderia ter alguém que realmente desafiasse Kirk de uma forma significativa. E porque ele vem do passado, ele poderia ser autorizado a violar as normas da Frota Estelar. “Eles parecem reconhecer que Khan poderia ser o Curinga de Kirk ou Lex Luthor”, disse Tenuto.

Em vez de apenas um criminoso, por que não fazer Harold Erickson um criminoso que controlava grande parte do mundo na década de 1990? Como um super chefe do submundo? Coon escreveu o seu próprio script em dezembro – mas no último minuto Roddenberry corrige uma série de problemas e cria o “Space Seed” que conhecemos e amamos.

Mas uma coisa ainda não estava resolvida, “Ainda havia rascunhos onde ele era o cara Viking”, diz Tenuto. No script de Coon, o personagem passa por John Erickson, mas, então, revela seu verdadeiro nome para ser Ragnar Thorwald. Coon reescreve e começar a introduzir a ideia de que este bandido é geneticamente melhorado, e foi o líder da “tirania do primeiro mundo.”

Então, como ocorreu a mudança do nome do personagem? A partir de suas entrevistas e a papelada, Tenuto aprendeu que a escalação de Ricardo Montalban causou a mudança de nome. “O casting de Montalban realmente alterou o personagem em termos de quem ele se tornou”, diz Tenuto. Além disso, “uma vez que sabia que Montalban assumiria o papel, você pode ver uma mudança no diálogo [nos scripts] para ficar mais romântico.”

“O diretor de elenco, Joseph D’Agosta, lançou o melhor ator para o papel, em vez de apenas encontrar alguém que se encaixasse na imagem ariano loiro – e o personagem melhorou como resultado”, diz Tenuto.

Uma vez que Montalban entrou para o elenco, eles decidiram que o personagem seria nomeado Sabahl Khan Noonien, que é o nome que ele ainda tem na adaptação do livro de James Blish. Por que Noonien? Gene Roddenberry tinha um amigo chinês na década de 40, com nome Noonien Wang, com quem ele tinha perdido contato. Ele esperava que um dia este episódio fosse ao ar na China, e Wang veria “Noonien” e o nome de Roddenberry, e entraria em contato. Roddenberry ainda estava tentando chegar a seu amigo no final de 1980, razão pela qual o criador de Data foi Noonien Soong.

O departamento de pesquisa da NBC sugeriu mudar o nome do personagem para Govin Bahadur Singh, porque o nome “Khan” tinha implicações sobre a etnia Sikh do personagem. Mas Roddenberry queria muito Khan e Noonien no nome.

A versão final do roteiro é coberto com rabiscos, com letra de Roddenberry, onde ele faz alterações de última hora. Aqui e ali, o nome “Erickson” é riscado, e o nome “Khan” é escrito a lápis – porque eles esqueceram de mudar isso em alguns lugares.

A Ira de Khan.

“A Ira de Khan foi planejado como um filme para TV, produzido pelo departamento de televisão da  Paramount. Quando William Shatner assinou novo contrato, foi para isso que ele estava voltando. Mas quando o estúdio começou a ver o que eles tinham, e as boas idéias que estavam no projeto, eles começaram a pensar que talvez isso pudesse dar um outro filme na tela grande”, diz Tenuto.

Então, aqui estão as versões que a história passou em seu caminho para o final que conhecemos, reescrito por Meyer:

Star Trek II: A Guerra das Gerações, proposta por Harve Bennett.

Kirk descobre que há uma rebelião em uma colônia da Federação, e vai resgatar Carol Marcus e seu filho David – exceto que David é o líder da rebelião. E então eles descobrem que a rebelião é realmente fomentada por Khan, que está manipulando tudo nos bastidores. Esta versão não tem Spock, Leonard Nimoy, porque não estavam a bordo.

Star Trek II: O Sistema Omega, roteiro de Jack B. Sowards.

O “Sistema Omega” é uma arma de destruição em massa da Federação, que está sob o controle de Khan. Nesta versão, Marla McGivers está viva. Carol Marcus é substituída por Janet Wallace, do episódio “The Deadly Years”. Saavik é um homem, e, basicamente, substitui Spock. Khan tem poderes mentais. A Reliant é um nave classe Constituição, ou seja, a Enterprise está enfrentando uma nave idêntica na aparência. O diretor de arte Michael Minor foi o único que leu o script e disse que a Federação não deveria ter o desenvolvimento de uma arma. É aí que a idéia do Dispositivo Gênesis, que tem um objetivo benigno, aparece.

Script sem título por Samuel A. Peeples (escritor de “Where No Man Has Gone Before”).

Khan não está no script. Saavik é uma mulher. Em vez de Chekov indo para Ceti Alpha com Terrell, é Chekov e Sulu. Em vez de encontrar Khan, eles encontram dois alienígenas superpoderosos, um homem e uma mulher, que atuam muito bem como vilões de um episódio da série original.

“Meyer levou todos estes projetos e ideias e combinou-os em um script que ele chamou de Star Trek: A Terra Desconhecida – mas os executivos da Paramount rejeitaram esse nome porque eles não entenderam”, diz Tenuto. “Então, eles foram com A Vingança de Khan – mas mudaram esse título porque era muito semelhante ao próximo filme da Lucasfilm, Star Wars: A Vingança Jedi (que também foi alterado). Daí “Ira” foi o título que Meyer achou que soava estranho.

Uma coisa mostrada através de notas e memorandos de Meyer é a sua vontade de reescreve rapidamente o roteiro. Se um ator não estava feliz com o roteiro, Meyer iria oferecer um novo script para ele antes que tivesse que deixar a cidade em alguns dias. Dessa forma, o ator poderia ler o roteiro revisado no avião.

Infelizmente, ninguém tinha perguntado a Montalban se ele estava disposto a estar neste filme, embora eles tivessem colocado Khan em seus scripts por um ano ou dois. Tenuto diz que quando eles finalmente se aproximaram de Montalban, ele não tinha certeza se poderia voltar ao papel depois de tantos anos – especialmente depois que ele esteve fazendo o Sr. Roarke em Ilha da Fantasia por tanto tempo.

Versões anteriores de Meyer têm algumas diferenças bastante interessantes da versão final. Como, no projeto de Meyer, Khan e Kirk se reencontram e tem uma luta de espadas. Khan vence e deixa Kirk ferido e sangrando, que é quando Khan diz: “Vou deixar você como você me deixou”. A seqüência de luta de espadas foi abandonada por razões de custo e tempo, o que significa que Kirk e Khan nunca se encontram no final do filme.

Há também o famoso mistério do filho de Khan – alguns fãs mais detalhistas dizem que existem fotos mostrando um bebê em roupa de Khan, rastejando perto do dispositivo Gênesis. Em poucas palavras, Meyer e os produtores fundamentaram o pensamento de que o grupo de Khan tenha procriado durante o seu tempo em Ceti Alpha – assim, no projeto inicial, quando Chekov e Terrell encontram a Botany Bay, a primeira coisa que eles encontram é um bebê, em um berço. Mais tarde, o mesmo bebê está rastejando em torno de Khan que se prepara para acionar o dispositivo de Gênesis, matando-o, juntamente com todos os outros.

O roteiro de Sowards inclui a morte de Spock – mas ele morreria logo no início do filme, como uma espécie de Janet Leigh em Psicose. E, de fato, os fãs ficaram sabendo que Spock ia ser morto, razão porque Meyer “matá-o” nos primeiros cinco minutos do filme, como uma falsa morte. Nimoy não tinha certeza sobre o retorno para o papel, mas decidiu voltar para dar a Spock uma digna despedida.

Estas fotos conjunto são um tesouro, e eles mostram coisas como areia sendo levada para um cenário vazio para criar Ceti Alpha (veja foto acima), e os detalhes das filmagens e até a lareira de Kirk, que você só vê por alguns segundos na tela.

khan 1

khan 2

khan 3

khan 4

khan 5

khan 6

khan 7

5 Comments on "Exclusivo Making of de A Ira de Khan e Space Seed"

  1. Tudo igual que nem hoje….

  2. Muito boa essa matéria,devia constar dos extras de um blue ray de A Ira de Khan!!Pena que Montalban morreu em 2009.Não teríamos seu novo depoimento. Outra coisa legal de notar: Nome inicialmente previsto pra Khan foi Harold Erickson , Har-old E-ri-ck-son, Har+ri- ck+son= Har ri son ou Harrison , John Harrison ,STID. Será que o J.J. e Boborci também leram o trabalho dos profs. Tenuto ?? Taí uma homenagem escondida à ST II ? Ou ele é mesmo “KHAN!! KHAAAN!! KHAAAAAAN!!! Deu vontade de rever o dvd, vou fazer isso agora!!

  3. Senti uma certa negligência ao contatar Montalban tão tarde, se ele tivesse recusado não haveria tempo hábil para pegar outro roteiro e teriam que contratar outro ator, o que, certamente, não seria a mesma coisa. No entanto existem certas afirmações estranhas para mim, por que Montalban não faria o Khan por ter feito o Mr. Rourke? ator está sempre interpretando diversos papéis, é assim que eles ganham a vida.

  4. Humberto Junior | 1 de abril de 2013 at 9:09 pm |

    No livro “Memórias dos Filmes” de Shatner, há um trecho onde o prório Montalban explica o caso, afirmando que suas dúvidas eram mais pelo fato fato dele ser um pessimista nato, de sempre achar que não irá fazer bem o papel, de que será um fiasco. Ainda segundo Montalban, ele só ficou mais confiante depois de assistir novamente “Space Seed” e de sentir Khan voltando e assumindo, tirando dele qualquer característica do Sr. Roarke. Pra mim, coisa de ator que se entrega de corpo e alma ao personagem. Por isso todos adoramos gritar: KHHHAAAAAAAAAAAANNNNNNNN!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    🙂

  5. Achei o personagem de Montalban tão interessante nas duas versões, que em meu livro, Tempo Retorcido, Editora Saramandaia, pág. 116, recriei uma alusão homenageando a série e o personagem Khan!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*