Após a conclusão da primeira temporada com “Will You Take My Hand?”, os espectadores esperam ansiosos pela segunda temporada de Star Trek Discovery. A produção revelou que está se preparando para a nova fase da série e promete apresentar grandes temas e mais aventuras.

Falando ao Entertainment Tonight, os produtores Aaron Harberts e Gretchen J. Berg forneceram mais detalhes de como eles estão conceitualizando a trama para a sequência desta temporada.

Por que você quer apresentar a USS Enterprise agora em Star Trek: Discovery ?

Gretchen J. Berg: Desde o início, era algo que sabíamos que as pessoas, que são fãs de Star Trek, sabem que a Enterprise está lá fora e foi meio que colocar o elefante na sala. Sabíamos, eventualmente, que gostaríamos de lidar e resolver isso. Embora seja um universo gigante, é algo que está na mente de todos. Então, nós ficamos felizes em poder aproveitar toda a temporada para conhecer nossa equipe, porque a narrativa será contada do ponto de vista da Michael Burnham e da Discovery. Deixamos todos conhecerem nossos personagens, nossa série e o que estávamos fazendo antes de entrar a Enterprise. Sabíamos que seria excitante e provocante, com certeza.

Aaron Harberts: Nós também sabíamos que não podíamos evitar isso porque há muitas perguntas sobre Burnham em relação à noção de família de Sarek e Spock, o que não quer dizer que estamos apresentando Spock no momento. Não queremos estragar nada. Mas certamente é hora da platéia entender que pretendemos respeitar a série original e respeitar onde a Discovery cai nessa história. Para fazer isso, temos que mostrar a Enterprise e, pelo menos, ter essas naves se encontrando.

Qual a sua intenção com o estabelecimento da Enterprise desta forma? O que você tem vontade de dizer em relação ao seu lugar na segunda temporada?

Berg: Estamos trabalhando nisso e vamos mostrar para você e você verá. Estamos certamente reconhecendo que elas existem ao mesmo tempo. Mas sempre, sempre a história em Discovery será informada do ponto de vista da Disco e da tripulação da Disco. Penso que é justo esperar alguma coisa, mas provavelmente não podemos falar muito em detalhes sobre o que é.

Harberts:  Mais do que tudo, é sobre o que as novas histórias fornecerão para nossa equipe, para Michael Burnham, para Saru, para Tilly. Nosso principal interesse é a Discovery. No entanto, se a presença da Enterprise puder nos mostrar coisas novas sobre nossa tripulação, melhor.

É notável que seja o capitão Pike que enviou o sinal de socorro pela Enterprise. Ele é um personagem que podemos encontrar na segunda temporada, junto com os membros da tripulação da Enterprise?

Harberts: O que considerar sobre o Captain Pike é, do ponto de vista do público e do escritor, há algo muito emocionante sobre um personagem-chave da série original, que só foi explorado em dois episódios da série original – – três se você considerar o piloto rejeitado para a série original “The Cage”Quando pensamos sobre a ideia do capitão Pike, isso abre algumas grandes possibilidades. Nunca diremos que não vamos explorá-lo um pouco mais.

Antes de receberem o apelo de socorro, eles estavam a caminho de Vulcan para pegar o novo capitão do USS Discovery. O que você pode divulgar sobre esse pedaço de informação? É alguma coisa que os fãs devem manter na mente?

Harberts: esta é uma história sobre desvios …

O Universo Espelho realmente nos permitiu ver personagens de Discovery em novas luzes, de Gabriel Lorca a Philippa Georgiou. Você estará revendo novamente o Universo Espelho na nova temporada ou esse capítulo está fechado?

Berg: O Universo Espelho foi perfeito para a primeira temporada porque um dos temas da temporada foi literalmente auto descoberta para Michael Burnham, descobrindo quem ela era. A grande coisa sobre ir ao Espelho foi poder viver a fantasia de “Se fizéssemos isso, poderíamos…”, e “Se eu tivesse a oportunidade de dizer adeus a alguém de novo ou voltar a encontrar com alguém”, e se encaixa perfeitamente com esse tema. Para retornar ao Espelho, teríamos que ter um bom motivo para ir, melhor do que o motivo que fomos neste ano. O que aprendemos em Jornada é que nunca diga nunca sobre nada, mas, por enquanto, estou orgulhosa da história que contamos sobre o Espelho, e vamos deixar as pessoas sentarem com isso por um tempo e talvez voltemos no futuro. Mas agora, aproveite esses episódios do ano passado! ( Risos )

Você está sugerindo que o período de nove meses do Universo Original durante o qual Michael e a equipe estiveram presos no Universo Espelho não serão revisados?

Harberts:  Para ser honesto, o episódio 14 [“The War Without, The War Within”] era tudo sobre o que tinha acontecido. Com a destruição causada pelos Klingons a Federação durante esses nove meses, tentamos pintar a imagem disso. Eu acho que o que é excitante em mudar para a segunda temporada é que temos uma nova  paleta. Nós colocamos a guerra atrás de nós e estamos entusiasmados em avançar em algumas coisas que os fãs de Jornada tem desejado, que é mais exploração, mais diplomacia, mais planetas, mais missões distantes. Estamos focados em servir algumas coisas novas.

O que isso significa para o futuro de Jason Isaacs, cujo Mirror Lorca foi morto, mas o paradeiro do Prime Lorca ainda não está claro, ou Michelle Yeoh, cuja Mirror Philippa ainda está vagando pela galáxia?

Berg : se eles estão lá fora, as possibilidades são infinitas. Nunca diga nunca. Essa é a grande coisa sobre este universo: há muitas maneiras de seguir. Não posso confirmar ou negar nada, mas …

Harberts : se encontrarmos o Prime Lorca, desejo achá-lo fazendo pão fermentado artesanal em uma padaria em San Francisco. É assim que essa história poderia começar e nós apenas construiríamos a partir daí. ( Rir. )

Por que me parece que o Universo Espelho não é um destino para o qual você voltará em breve, qual será o futuro de Paul Stamets e Hugh Culber? Wilson Cruz nos contou recentemente que sua história não acabou.

Berg: Wilson está correto. Acabamos de começar a contar a história de amor entre Culber e Stamets, então eu simplesmente disse que fique apertado.

Harberts: Stamets tem muito para processar, já que ele ainda não teve tempo para processar isso, em termos de não estar a cargo da movimentação de esporos e ter perdido Culber. Temos que levar Stamets em uma viagem também e depois veremos. Mas Culber é um personagem que é parte deste mundo Trek, sem dúvida.

Você já está trabalhando no planejamento da temporada. O que está buscando alcançar de forma temática e criativa?

Harberts: o Capítulo 1 desta novela foi a guerra, e agora estamos pensando no Capítulo 2. Um dos temas que continuamos dando uma volta é o conflito entre ciência e espiritualidade, e isso é algo que nos interessa, especialmente depois você termina uma guerra. Como você se reconstrói? O que é necessário para isso? O que estamos mais animado para fazer é continuar a exploração temática, a exploração e debate filosóficos, e esses personagens estão perfeitamente preparados para levarmos argumentos como esse. Essa é uma coisa sobre a qual estamos pensando. Nós temos algumas coisas por baixo da manga, mas estaríamos mentindo se soubéssemos de tudo, porque também é divertido. Você entra nisso, você vê o que está funcionando e você vê o que é interessante, e constrói a partir daí.

Berg: A alegria também está na jornada para nós, criando-a.

Agora que uma temporada inteira está sob seu controle, o que você sentiu que funcionou de forma criativa? O que não funcionou?

Berg : Nós sabíamos isso, na teoria, entrando na série. Mas estou tão impressionado com o nosso elenco. Nós sabíamos que eles eram talentosos individualmente e éramos fãs deles, mas, cara, reunindo todos, foi um privilégio trabalhar com esses artistas. Eles são tão maravilhosos quanto talentosos e maravilhosos como pessoas. Essa foi uma bênção emocionante e algo que você nem imaginava desejar. Fiquei muito feliz com isso.

Harberts: Em termos de coisas que não funcionaram, o que foi tão incrível nesta temporada foi que nós entramos em um lugar onde as coisas não estavam funcionando exatamente. Não de forma criativa, mas sim que fomos contra ela. Bryan [Fuller] tinha deixado a série e, para tornar a série o melhor que poderia ser, precisávamos empurrar nossa data de estreia original. Isso era o que, inicialmente, as pessoas estavam olhando como um sinal de que as coisas não estavam funcionando. O que tem sido tão milagroso nesta temporada é que funcionou. É com a Frota Estelar atravessando a guerra. Estou orgulhoso de todos os nossos parceiros criativos. Muito crédito tem de ir para as pessoas de efeitos visuais, para a nossa equipe, para nossos agentes de elenco, para nossos diretores, para nossos escritores. As pessoas apenas trouxeram o melhor para a série no momento em que foi um toque e um tempo e foi brilhante o que as pessoas conseguiram e o amor e o cuidado que deram ao isso.

Fonte: EW