Enquanto promovia seu novo filme Ready Player One, o ator Simon Pegg teceu alguns comentários a respeito do filme de 2016, Star Trek Sem Fronteiras, no qual co-escreveu com Doug Jung. Pegg deu sua perspectiva sobre a experiência de escrever para Jornada. Pegg ainda revelou que não está escrevendo para um quarto filme da franquia.

Falando ao Build Series, Simon Pegg revelou que, embora tenha relutado em escrever para um filme de Jornada, ele ficou feliz com os resultados, uma vez que acredita que o filme ficou mais parecido com um episódio da série clássica.

Parecia que alguém me dava as chaves de um veículo surpreendente, e eu sempre dizendo – não obrigado. Quer dizer, eu sentia a vontade de dizer – não. Eu achava que seria ridículo dirigir essa coisa na certeza de que poderia bater na parede e morrer. Mas eu não podia dizer “não”. Felizmente, você sabe que só amassou um pouco. Fiquei muito feliz que Doug e eu tenhamos abordado como um episódio da série, tentando construí-lo estruturalmente como um episódio da série clássica e tendo que ser uma única aventura e explorar algumas das relações interessantes dentro da tripulação, que talvez não tenham sido exploradas antes.

Ele também falou sobre como às vezes era “enlouquecedor” trabalhar com o diretor Justin Lin, que ele descreveu como “um comunicador visual”.

Justin Lin é um cara fantástico e, à princípio, eu e Doug não sabíamos o que ele queria. Ele é do tipo comunicador visual, de modo que era difícil, quando ele queria algo e você não entendia. Mas depois tivemos de aprender o processo um do outro.

Pegg também notou o desafio de escrever um roteiro no final do processo, depois que a Paramount rejeitou o roteiro de Roberto Orci, mas não quis mudar a data de lançamento. Ele descreveu como o processo de escrita encurtado significava que ele e o co-escritor Doug Jung continuaram mesmo durante a produção:

Todos os dias estávamos escrevendo no set. Nós olhávamos para o cronograma e dizíamos: “Nós temos esta cena e essa cena amanhã, vamos ficar acordados até a meia-noite e termos certeza que estará certo. Lembro-me de mandar uma mensagem para Chris Pine às três horas da manhã dizendo: “Kirk dirá isso, não diga assim, diga assado”. … Era tudo sobre lapidação. Nós tínhamos a forma, a estrutura e os eventos, mas era sobre furar o diálogo, as interações de personagens, as motivações, todas essas coisas. Todos os dias da filmagem nós escrevíamos.

Não esperava fazer gay Sulu ser um problema

E em uma entrevista ao SiriusXM, Pegg foi perguntado sobre como estabeleceu Hikaru Sulu como gay, dando-lhe um marido. Pegg defendeu a decisão, dizendo que era melhor fazer um personagem estabelecido gay sobre a introdução de um novo, acrescentando:

Este é um mundo onde a aceitação é total, e todo esse tipo de coisa não é um problema, e nós meio que queríamos que isso não fosse um problema, e é por isso que fizemos com Sulu. E isso tornou-se um problema para aqueles que tem problemas.

Sendo um deconforto nerd no set

Pegg e o colega nerd Stephen Colbert lamentaram que as crianças de hoje não tenham que lidar com o mesmo estigma “nerd” quando eram jovens. Pegg também falou sobre como seu nerd interior pode irritá-lo no set, mesmo em Star Trek:

Eu sou uma criança dos anos 70. Eu cresci em Star Wars e Star Trek, e aquelas coisas que eventualmente consegui fazer, o que é estranho. Isso me faz um desconforto no set. Eu sou alguém que diria “Não, não, não, não. Eu acho que você vai realmente achar que o drive warp é na verdade uma bolha de subespaço, e que a Enterprise … não vai rápido. É o espaço-tempo sendo deformado”. Então, sim, eu sou um desconforto no set.

Criticas ao marketing da Paramount

No entanto, Pegg também deixou claro que ele não ficou feliz com a forma como a Paramount comercializou o filme. Falando ao podcast Happy Sad Confused, Pegg lamentou que as promoções não capitalizassem o 50º aniversário da franquia:

Eu não fiquei feliz com a maneira como o filme foi comercializado. Foi um grande ano para Star Trek, e eu senti que nunca foi abraçado. Eu sinto que às vezes as pessoas se assustam com a base de fãs de Star Trek como sendo uma espécie de loja fechada. Se fôssemos mencionar Star Trek de alguma forma, isso transformaria todas as outras pessoas que não tinham visto Jornada nas Estrelas. Parecia uma coisa estranha de se fazer.

E em uma entrevista com o Geek, Pegg observou que ele ficou particularmente chateado com o primeiro trailer do filme:

Eu fiquei realmente zangado com isso, porque usaram “Sabotage”, que foi o nosso momento de surpresa no final. Era para ser um toque muito divertido e elevado, e algo que foi uma grande surpresa e eles estragaram tudo no primeiro trailer, o que realmente me incomodou. Eles também fizeram o filme parecer um filme de ação tosca. E estavam com medo, penso eu, de mencionar o 50º aniversário. Foi atrapalhado; eles não sabiam o que fazer com isso e é uma verdadeira vergonha.

Uma ligação de Spielberg

No Today Show da NBC, Pegg falou sobre como todo o processo de fazer Star Trek o cansou a ponto dele não estar interessado em aceitar mais trabalhos, com uma exceção:

Eu terminei o Star Trek Sem Fronteiras e foi uma experiência enorme porque nós o escrevemos e foi muito intenso e maravilhoso, mas depois eu estava tão cansado e não sabia o que queria fazer da minha vida. Eu senti meio que fiz tudo o que queria fazer, então eu ia tirar seis meses de folga e liguei para o meu agente e disse: “Não me ligue por seis meses, a menos que Steven Spielberg ligue”, e ele fez!

Esse telefonema de Spielberg foi sobre um papel em seu filme Ready Player One, que saiu no final de semana passada. Pegg interpreta Ogden Morrow, co-criador do mundo da RV, o “Oasis”, que está no centro do filme. O Ready Player One também está repleto de referências à cultura pop, incluindo uma cena tirada diretamente de um filme de Jornada nas Estrelas.

Pegg sabe sobre dois roteiros, mas ele não está escrevendo nenhum deles

Nas últimas semanas, a grande novidade sobre o próximo filme de Jornada nas Estrelas tem sido a ideia de que há vários scripts em consideração. Grande parte do foco de atenção está no escrito por Mark L. Smith, baseado em uma ideia lançada por Quentin Tarantino. Além disso, houve um rumor a respeito de outro sendo escrito por JD Payne e Patrick McKay, anunciado em julho de 2016, que envolveria Chris Hemsworth reprisando seu papel de Star Trek 2009 como George Kirk.

Então, na semana passada, Zachary Quinto sugeriu que há um terceiro roteiro sendo escrito pela equipe de Simon Pegg e Doug Jung. O site Wrap informou posteriormente que uma fonte disse a eles que “três roteiros de Star Trek 4 estão, de fato, em desenvolvimento”. Entretanto, se um terceiro roteiro estiver em desenvolvimento, ele não está sendo escrito por Simon Pegg, que agora conta para Happy Sad. Confuso que ele e Jung estão trabalhando em um projeto com Bad Robot, mas que não é para Star Trek:

Doug [Jung] e eu nunca iríamos escrever o quarto [Star Trek]. Isso nunca foi o acordo. Doug e eu estamos fazendo algo juntos na Bad Robot, o qual eu provavelmente não posso falar ainda.Então, [JD] Payne e [Patrick] McKay, que escreveu o terceiro roteiro abortado [Star Trek] com o diretor anterior [Roberto Orci], eles estão escrevendo um quarto. Isso, até onde eu sabia, era o tipo de coisa com Hemsworth. Isso é tanto quanto eu sei.

Para adicionar, quando perguntado se estaria interessado em voltar a escrever outro filme de Star Trek, Pegg respondeu: “Sim, 100%”.

Fonte: Trek Movie