Continuando com sua série de entrevistas, o site oficial StarTrek.com foi encontrar Jonathan Frakes (William Riker), em Dallas, Texas, quando se encaminhava para o cenário da comédia The Good Guys, para dirigir o segundo episódio dessa série. Frakes, amável como sempre, falou sobre Jornada, de sua vida atual e de seus novos projetos.

Jonathan Frakes ainda é o número um nos corações e mentes de muitos fãs de Jornada. Frakes deixou sua marca na franquia, em muitos aspectos, ao longo dos anos. Ele, claro, teve o Comandante William Riker através de todas as sete temporadas de A Nova Geração, bem como nos filmes da série. Ele também atuou como Riker em Voyager e Enterprise, e como gêmeo do personagem, Thomas, em Deep Space Nine. Frakes também dirigiu vários episódios de A Nova GeraçãoDeep Space Nine e Voyager, bem como os filme Star Trek VIII: First Contact e Star Trek IX: Insurrection. Desde que terminou seu trabalho na franquia, Frakes manteve-se ocupado, atuando apenas muito ocasionalmente, e concentrando-se em dirigir. Só nos últimos dois anos ele dirigiu episódios de Dollhouse, NCIS: Los Angeles, V, Castle, The Good Guys, The Glades, Persons Unknown e Leverage

Você interpretou pela última vez Riker há seis anos, no final da série Enterprise. Qual sentimento passa por você?

“Parece um longo tempo. Parece um longo, longo tempo. E ainda parece que foi ontem. Eu estava na Dragon Con no último fim de semana com Marina (Sirtis), Brent (Spiner), LeVar (Burton), Denise (Crosby), Armin (Shimerman), Rene (Auberjonois) e (John) de Lancie, e estávamos todos muito sentimentais e conectados. Foi simplesmente espectacular. E isso foi por causa dos anos juntos e nos anos de intervalo.”

Vamos falar sobre essa última aparição sua, porque ela foi muito controversa nos círculos de Jornada. Um monte de fãs sentiu diminuída a série Enterprise por envolver não apenas o final da série, mas toda a série, em uma seqüência de holodeck de A Nova Geração. Quais foram seus pensamentos sobre isso na época, e agora?

“Eu já disse isso publicamente, mas achei que todos de Enterprise, especialmente Scott (Bakula), foram muito gentis em ter atores de uma outra série colocando a sua série para descansar. Foi vendido para mim por Rick (Berman) como um  “Valentin Day (dia em que demonstram amor ou amizade por outro) para os fãs”, e foi tudo menos isso. Foi, penso eu, um de seus raros erros. Não deu certo em muitos níveis. Eu não acho que o elenco de Enterprise estivesse feliz por ter-nos lá. Francamente, não tenho certeza de que os fãs queriam ver-nos lá. Foi ótimo, obviamente, estar com Marina mais uma vez e muito da equipe de produção foi de pessoas que eu já tinham trabalhado em A Nova Geração. Assim, a parte mais divertida foi estar lá, mas o legado dele … Eu não acho que foi nosso melhor momento.”

Como as palavras “Sir Patrick Stewart” passam em sua língua?

“Fomos chamando de “Sir Patrick” durante anos, antes mesmo da Rainha fazer isso. Na verdade, fizemos uma festa maravilhosa para ele. Todo mundo do elenco, além de Rick e (o roteirista) John Logan, se reuniram para a ocasião. E … (risos) … LeVar fez o brinde dizendo, “Se você pensa por uma merda de minuto que qualquer um de nós vai sempre chamá-lo de ‘Sir’ pode esquecer.” Assim que foi o tom da noite. E eu sei que Patrick ficou realmente tocado emocionalmente e psicologicamente por esta honra que ele trabalhou para merecer. Mas foi ótimo. Foi a primeira vez em anos que todo mundo fez uma das reuniões do grupo em jantar.”

Nós ouvimos que você se descreveria como um ator “reformado”. Será que ainda soa correto para você?

“Eu diria que é uma descrição muito precisa do meu atual estado de interpretar. Eu fiz um trabalho em Criminal Minds no ano passado, e foi a primeira interpretação real que eu tinha feito em seis anos. Eu estava uma pilha de nervos. Não achava que fosse capaz de conseguir ler as linhas. Eu não achava que funcionaria bem. Não achava que seria capaz de encontrar o personagem. Mas eu insisti nisso por uma semana, e acabou sendo uma experiência maravilhosa. Minhas cenas foram com Joe Mantegna e Matthew Gray Gubler. Eramos só nós três em uma sala durante todo o dia. Era o dia de Ação de Graças e a equipe queria trabalhar até o almoço. Eu disse, “Isso soa muito bem. Vamos apenas esforçar-nos ao máximo”. E foi ótimo fazer isso novamente. Eu não tenho trabalhado até então com interpretação. Realmente não tive um teste para outro papel desde aquele, exceto por um algum trabalho de narração.”

Assim, se a direção não houvesse caído para você, o que você estaria fazendo agora?

“Graças a Deus eu aprendi este segundo ofício. Eu realmente não sei como eu estaria apoiando a minha família. Tenho estado procurando por outro tipo de show. Genie (esposa de Frakes) e os meus colegas não estão trabalhando do jeito que costumavam trabalhar como atores – pelo menos os rapazes de Jornada, com exceção de Patrick (Stewart) – estão lutando também. Algumas deles estão assim por escolha própria, alguns outros apenas por ser um faca de dois gumes que Jornada tem sido para todos nós.”

Quais você sente que são seus melhores atributos como diretor?

“Tendo sido um ator, eu acho que posso me comunicar bem com os atores. E eu acho que posso gerir bem o tempo.”

Você dirigiu um único episódio de algumas séries e vários episódios de outras séries. Você tem alguma preferência? O público deve ser capaz de dizer a diferença?

“Pessoalmente, o que eu estou procurando agora é um trabalho de produtor e diretor de um seriado, como o que Rob Bowman tem em Castle e Robbie Duncan McNeill tem em Chuck. Esse trabalho existe em algumas séries da rede. Infelizmente, um amigo meu tem esse trabalho em Leverage, o que seria o local mais provável para eu fazer isso no momento. Dito isto, há benefícios para ambas as partes. É ótimo voltar a Leverage e eu estou ansioso para voltar a Castle e NCIS: Los Angeles, porque você conhece os jogadores e você tem um atalho. No entanto, acabei de fazer The Glades e também Burn Notice. Essas são mostras que eu nunca tinha feito antes e eu não conhecia ninguém, com excepção do D.P. e também de Gabrielle Anwar (de Burn Notice), que era de The Librarian. E há muito a ser dito, também, para o público desconhecido, ter o seu saco de truques novos em algum lugar. Suas piadas funcionam porque as pessoas não ouvem 100 vezes isso.”

Qual será o seu próximo passo uma vez que você está envolvido neste episódio de The Good Guys?

“Estou em preparação para The Good Guys, e depois que eu terminar vou para NCIS: Los Angeles para fazer mais um daqueles. Então eu vou fazer outro episódio de Castle. Então, depois vou para Chuck. Que bênção este ano tem sido.”