TOS 2×15: The Trouble With Tribbles

Bom humor e grandes atuações criam clássico absoluto de Jornada

Sinopse

Data estelar: 4523.

A Enterprise é chamada à Estação Espacial K-7 por uma mensagem de prioridade um. Essa estação espacial está localizada no sistema do planeta Sherman, num quadrante que está sendo disputado pela Federação e pelo Império Klingon. Esse quadrante é o local da batalha de Donatu V, que ocorreu 23 anos antes. Os termos do tratado de paz de Orgânia estabelecem que o planeta será revertido para o lado que demonstrar condições de desenvolvê-lo com mais eficiência.

Kirk fica furioso ao descobrir que a mensagem de prioridade um recebida mostra-se injustificada. Ela foi enviada por Nilz Baris, subsecretário de agricultura daquele quadrante e responsável pelo desenvolvimento do planeta. Na verdade, Baris somente queria apoio para vigiar a estação, que estava com os compartimentos de carga cheios de um tipo de grão chamado quadrotritical, que seria cultivado no planeta Sherman. O assistente de Baris é Arne Darvin e o senhor Lurry é o gerente da estação espacial.

Uma nave klingon chega à estação e requisita que sua tripulação possa desembarcar para descansar. Kirk diz ao capitão klingon, Koloth, que ele poderia levar doze de sua tripulação para a estação por vez, mas que haveria um segurança federado para cada klingon.

Enquanto isso, o comerciante intergaláctico Cyrano Jones presenteia Uhura com uma criatura pequena e peluda chamada “pingo”. Ela leva o bichinho para a Enterprise, onde ele prontamente começa a se reproduzir. Jones também tenta vender pingos aos klingons que estão na estação, mas as criaturinhas felpudas reagem negativamente a eles, emitindo sons e tremendo.

Problemas acontecem entre os klingons e membros da tripulação da Enterprise, que também estavam em descanso na estação, quando um dos klingons compara humanos com vermes de sangue de Regulan. Isso enfurece Chekov, que fica ainda mais nervoso quando o outro começa a depreciar e lançar comentários deletérios em relação ao capitão Kirk, mas o alferes é contido por Scotty. Entretanto, quando o klingon compara a Enterprise com uma lata de lixo, o próprio Scotty o esmurra, dando início a uma feroz briga de bar que envolve quase todos os presentes.

Após o acontecido, já na Enterprise, quando Kirk questiona a tripulação, ninguém admite ter começado a briga. Quando, contudo, o capitão questiona Scotty sozinho, o engenheiro admite ter iniciado o conflito e revela que havia refreado os ânimos enquanto Kirk estava sendo insultado, mas que foi forçado a tomar uma atitude quando os klingons insultaram a Enterprise.

Os pingos começam a se proliferar pela Enterprise e Kirk chega a sentar-se acidentalmente sobre um deles na cadeira de comando na ponte da nave. Ele, então, ordena que Uhura retire os pingos da nave e se teletransporta para a estação espacial para pedir explicações a Cyrano Jones. Mas, como apenas animais perigosos eram proibidos de serem transportados e comercializados e os pingos não se enquadravam nesta descrição, Kirk nada pode fazer.

Após o capitão descobrir que os pingos se espalharam pela Enterprise através do sistema de ventilação da nave, ele fica preocupado que possam ter infestado os compartimentos de armazenamento dos grãos da estação, já que esta possuía o mesmo sistema de ventilação da nave.

O receio de Kirk prova estar correto quando o capitão abre um dos compartimentos e muitos pingos caem sobre sua cabeça. Spock calculou que deveria existir 1.771.561 pingos na estação, assumindo que cada um deles dava origem a mais 10 a cada 12 horas, num período de 3 dias. Mas Spock percebe que, inexplicavelmente, muitos daqueles pingos estavam mortos: o grão havia sido envenenado. Todos, então, vão para o escritório da estação espacial, que também está cheio de pingos. Um destes começa a gritar e tremer para o assistente de Baris, o sr. Darvin. Kirk verifica que os pingos gostam de humanos e vulcanos, mas que se incomodam com os klingons.

O capitão pede, então, que o Dr. McCoy faça um exame em Darvin, sendo descoberto que este era um klingon. Darvin admite que era um agente infiltrado e que havia envenenado o grão quadrotritical e é preso. Kirk, então, ordena que os klingons deixem o espaço da Federação rapidamente. Ele ordena também que Cyrano Jones recolha todos os pingos da estação, tarefa que Spock estima que leve 17,9 anos para ser completada.

Outro transporte espacial é desviado para fornecer os grãos para o planeta Sherman, mas isso não resolve o problema de remoção dos pingos da Enterprise. As pequenas criaturas são, enfim, removidas da nave quando Scotty teletransporta todos eles para a nave klingon, onde não apreciariam a nova casa, mas definitivamente os klingons apreciariam menos ainda seus novos passageiros.

Comentários

“The Trouble with Tribbles” é um daqueles episódios obrigatórios na lista de qualquer fã da Série Clássica e não só destes, é claro. O porquê desse sucesso e perenidade é o que tentaremos discutir aqui neste texto. Mas, já de início, podemos dizer que o motivo não é assim tão misterioso e que o maior mérito do segmento é apostar no bom humor. Desde as piadas de Chekov, passando por Koloth, as brigas de bar e Kirk literalmente afundado em pingos, temos diante de nós quase uma hora de excelente entretenimento. Partindo de uma situação potencialmente perigosa, que envolve a disputa com os klingons pelo planeta Sherman, o segmento evolui de forma a se transformar em um dos mais divertidos episódios de Jornada nas Estrelas.

Contudo, é possível assistir ao episódio várias vezes procurando pelos motivos que o fazem ser tão querido e um desses elementos é um roteiro que se preocupa apenas em dar material para que seus personagens façam seu trabalho de forma eficiente. David Gerrold, corresponsável também pela história de “I, Mudd”, entre outras, parece ter certa habilidade para a comédia, o que é um dom muito bem-vindo.

Mas, diferente de “I, Mudd”, que executava um humor mais sofisticado e experimental, este segmento assume uma linha que mais o assemelha a uma sitcom, com um humor mais cotidiano, pelo menos o cotidiano de uma tripulação de nave estelar. Nesse sentido, talvez resida alguma influência de Joseph Pevney,  que esteve à frente não apenas de clássicos absolutos da série original, como também de diversos episódios da série The Munsters (no Brasil, Os Monstros), transmitida pela NBC entre 1964-1966, o que parece ter afinado sua veia cômica. A dupla Gerrold/Pevney executa um trabalho de elegância absoluta, com um resultado brilhante.

A importância do plot “klingons-planeta Sherman-quadrotritical” vai se diluindo em meio as situações que vão surgindo no episódio, começando pela surpresa de Kirk ao chegar à estação K-7 preparado para uma batalha e encontrar como representante da Federação um homem assustado com a segurança de seus grãos. Fosse este um episódio sério, baseado nas informações dadas por Spock sobre a importância do planeta Sherman para a Federação, deveríamos concluir que o secretário Baris tinha alguma razão em sua preocupação.

Mas como tudo é muito cool neste segmento e passamos a assistir Kirk tripudiar sobre o pobre secretário todo o tempo e, é claro, nos divertimos muito com isso. O fato de os episódios anteriores terem apresentado os representantes da Federação sempre como pessoas arrogantes e vaidosas faz que nos coloquemos ao lado do capitão da Enterprise e nos sintamos vingados com esse tratamento dado ao secretário.

É interessante observar que o episódio é coerente com o comportamento padrão do capitão da Enterprise, que não parece muito confortável ao lidar com os representes civis (políticos) da Federação, sem dúvida um reflexo do desconforto que muitos sentiam em relação à política norte-americana da década de sessenta e ponto várias vezes sublinhado nas estrelinhas da Série Clássica.

Mas não é só Baris que é tripudiado.  Kirk também, por situações melindrosas, como sua reação ao perceber que ele parece ser o único a não saber o que é “quadrotritical”, passando pela decepção ao descobrir que seu oficial comandante Scotty havia começado uma briga porque um klingon havia insultado a Enterprise, e não por ter insultado seu capitão, e, é claro, a cena cômica mais conhecida de toda a galáxia, a cachoeira de pingos sobre Kirk

O episódio tem outros momentos épicos, como a briga no bar, no melhor estilo velho oeste, e o já tradicional final na ponte da Enterprise, desta vez reunindo todos os tripulantes principais e com Scotty tendo a última palavra em outro instante eterno de Jornada. Todos esses momentos podem ser revisitados à exaustão e ainda despertar ao menos um sorriso no fã da Série Clássica e mesmo nos não iniciados.

É importante notar que este é um dos raros episódios em que todos os personagens da ponte, mesmo os secundários, tiveram alguma participação relevante. Scott, McCoy, Uhura e Chevok estão muito bem inseridos na trama e trabalham de forma harmônica. Este é um daqueles episódios que ajudam a justificar por que personagens tão pouco aproveitados em toda a existência da série contam com prestígio muitas vezes inversamente proporcional às suas oportunidades de participação em Jornada.

As diversas tiradas inconsequentes de Chekov sobre tudo ter sido descoberto ou inventado na Rússia, a fascinação quase infantil de Scotty por engenharia e, é claro, pela Enterprise, o bom humor a respeito de quase tudo e, ao mesmo tempo, a reação sempre passional de McCoy quando toma partido de algo ou alguém, a beleza única e a voz afinada de Uhura são marcas registradas desses personagens, que se tornariam inconfundíveis ao longo do tempo. Tais características, entre outras, já foram e voltarão e ser apresentadas em outros episódios, mas, sempre que esses elementos são usados juntos e em equilíbrio, o resultado é agradavelmente positivo.

Kirk e Spock são óbvios destaques. É preciso reconhecer que, apesar de encarnarem personagens sérios, Shatner e Nimoy se mostram muito à vontade atuando nesta proposta com viés muito mais cômico do que dramático. Nimoy mantém o nível de suas boas atuações e usa com muita eficiência as oportunidades que roteiro lhe fornece para fazer rir, sem sair de seu personagem e fazendo um perfeito contraponto a Shatner, que oferece uma atuação leve, porém segura e sincronizada com o contexto do segmento, contribuindo de forma decisiva para o seu sucesso.

Os atores convidados também merecem destaque, começando pelo simpático Cyrano Jones (Stanley Adams), um cidadão que acaba por causar um grande problema ao retirar os pingos de seu habitat natural, como disse Spock, e, com isso, transformar essas adoráveis criaturas em uma praga.

William Campbell, que interpreta Koloth, o segundo klingon a aparecer em Jornada nas Estrelas, diferente de sua primeira participação como Trelane em “The Squire of Ghotos”, tem pouco espaço aqui, o que é uma pena, mas é sempre um prazer assistir qualquer intervenção do ator ainda que mínima.  E, diferente do belicoso Korn, de Errand of Mercy”, Campbell traz um klingon mais sagaz e irônico, o que, mesmo em doses homeopáticas, ajuda a dar um perfil mais interessantes ao klingons, que mais tarde se tornariam uma música de uma só nota em TNG.

“The Trouble with Tribbles” é um segmento cujo todo é maior que a soma de suas partes sem dúvida alguma, juntando uma história simples e bem-humorada, uma ótima escalação de elenco convidado, boas participações do elenco regular e altíssimas doses do melhor bom humor produzido pela Série Clássica e, graças e esses motivos, se converteu em um segmento atemporal e obrigatório para quem pretende conhecer esta série em todas as suas facetas.

Avaliação

Citações

 “I have never questioned the orders or the intelligence of any representative of the Federation, until now.”
(Eu nunca questionei as ordens ou a inteligência de nenhum representante da Federação, até agora.)
Kirk

“Captain Kirk, there’s been no formal declaration of hostilities between our two respective governments, so naturally our relationship will be a peaceful one.”
(“Capitão Kirk, não existe nenhuma declaração formal de hostilidades entre nossos respectivos governos, então naturalmente nosso relacionamento será pacífico.”)
Koloth

“A most curious creature, Captain. Its trilling seems to have a tranquilizing effect on the human nervous system. Fortunately, of course, I am… immune to its effect.”
(“Uma criatura curiosa, capitão. Seu tremor parece ter um efeito tranquilizante no sistema nervoso humano. Afortunadamente, é claro, eu sou imune a este efeito.”)
Spock

Trivia

  • O segmento introduz algumas informações da mitologia de Jornada, tais como a batalha de Donatu V, travada entre Federação e klingons, e a revelação da existência do tratado de paz de Orgânia, possivelmemte imposto pelo organianos a partir dos incidentes de “Errand of Mercy”. Tal postulado nunca foi muito bem esclarecido além dos fatos mostrados aqui, que parecem apontar para um desdobramento dos fatos posteriores aos eventos daquele episódio, mas isto fica no terreno das especulações, que, com o passar dos anos, foram canonizadas pela mitologia da Série Clássica.
  • Os “pingos” fizeram tanto sucesso que se tornaram itens de venda pelo correio ou em convenções. Esses itens eram confeccionados em pequena escala, mas posteriormente uma empresa adquiriu os direitos, lançando uma variada linha das criaturinhas. Os produtos incluíam chaveiros, adesivos, broches e camisetas.
  • George Takei não aparece neste episódio, pois, durante grande parte da segunda temporada, ele estava trabalhando nas filmagens de The Green Berets (Os Boinas Verdes). Por esse motivo, muitas cenas escritas para Takei foram transferidas para Walter Koenig.
  • Whit Bissell (Lurry) é também conhecido pelo seu papel como General Heywood Kirk em Time Tunnel. O ator viria a falecer aos 87 anos em 5 de março de 1996, vítima do mal de Parkinson
  • William Campbell interpretou o inesquecível Trelane em “The Squire of Gothos”. Seu personagem, o klingon Koloth, deveria ser recorrente, mas o ator não estava disponível quando requisitado, sendo substituído, assim como o personagem. Campbell retornaria a Jornada nas Estrelas em Deep Space Nine, no episódio “Blood Oath”,ainda como Koloth.
  • Stanley Adams coescreveu a história de “The Mark of Gideon”, episódio da terceira temporada da Série Clássica. Em 1977, Adams suicidou-se aos 62 anos.
  • Michael Pataki (Korax, o klingon que chama a Enterprise de lata de lixo) retornaria a Jornada nas Estrelas no episódio “Too Short A Season”. de TNG, como o governador Karnas.
  • David L. Ross interpreta pela sexta vez o tenente Galloway. O ator voltaria ao papel em mais dois episódios da Série Clássica, incluindo “Turnabout Intruder”, o que faz deste o red shirt de maior longevidade do seriado.
  • Este episódio foi indicado ao prêmio Hugo em 1968.
  • Os pingos voltariam a Jornada nas Estrelas mais vezes. Na Série Animada, em “More Tribbles, More Troubles” e em Deep Space Nine, no  novo clássico, “Trials and Tribble-ations”, que foi ao ar em 1996, em comemoração ao trigésimo aniversário da primeira transmissão de Jornada nas Estrelas. A tripulação da Defiant é transportada para o passado, em meio aos eventos de “The Trouble With Tribbles”, e precisam impedir um plano de Arne Darvin para vingar-se de Kirk e alterar a história.
  • Eles são citados em Enterprise (The Breach”), No Short Trek, “The Trouble with Edward”, em Star Trek Discovery.
  • Charlie Brill retornaria a seu personagem, Arne Darvin, no episódio de Deep Space NineTrials and Tribble-ations”.
  • David Gerrold participa de “Trials and Tribble-ations” fazendo uma ponta como oficial de segurança a bordo da Enterprise.
  • A vida imita a arte e Jornada nas Estrelas, que apresenta o primeiro grão transgênico da televisão, o quadrotritical.
  • A citada série The Munsters (Os Monstros), que competia com outro clássico, foi exibida em terras tupiniquins pela extinta TV Tupi e também pela TVS (atual SBT) e narrava o cotidiano de família de monstros e suas dificuldades em se relacionar com o mundo “normal”.
  • Em 2003, um gene da mosca-das-frutas drosófila foi batizado como “tribbles”, em homenagem aos “pingos”. O gene, que se reproduz alucinadamente, é uma pista para um novo tratamento contra diabetes tipo 2, a forma da doença que afeta principalmente idosos e pessoas acima do peso. O gene participa da regulagem do ciclo celular. As células de moscas nas quais a ação desse gene é acentuada se reproduzem de modo descontrolado, assim como os “pingos”.

Ficha Técnica

História de David Gerrold
Dirigido por David Gerrold

Exibido em 29 de dezembro de 1967

Título em português: “Problemas aos Pingos” (AIC-SP), “Problemas aos Pingos” (VTI-Rio)

Elenco

William Shatner como James T. Kirk
Leonard Nimoy como Spock
DeForest Kelley como Leonard McCoy
James Doohan como Montgomery Scott
Nichelle Nichols como Nyota Uhura
Walter Koenig como Pavel Chekov
Majel Barrett como Christine Chapel

Elenco convidado

William Schallert como Nilz Baris
William Campbell como Koloth
Stanley Adams como Cyrano Jones
Whit Bissell como Lurry
Michael Pataki como Korax
Ed Reimers como almiranteFitzpatrick
Charlie Brill como Arne Darvin

Revisitando

Enquete

Edição de Carlos Henrique B Santos
Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio