Easter eggs e referências de “No Small Parts”

ATENÇÃO: ESTE ARTIGO CONTÉM SPOILERS!

O episódio final de Lower Decks, “No Small Parts”, tem referências a cada um dos nove episódios anteriores da temporada, demonstrando como, apesar de ser episódico, cada episódio foi construído para, no último, nos levar a este grande e emocionante final. Essas são as referências e easter eggs que encontramos no episódio, tanto internas quanto das outras séries e filmes.

No início do 10º episódio  “No Small Parts”, a capitão Freeman e o comandante Ranson estão em Beta III. Como eles mesmos citam, este planeta foi visitado pela tripulação original da Enterprise no episódio “The Return of the Archons”, da Série Clássica. Beta III é um planeta onde a população agia como zumbis, obedecendo à vontade de seu governante invisível, Landru, uma máquina antiga, construída e programada pelo verdadeiro Landru 6.000 anos antes de morrer. A capitão Freeman diz a Landru para ficar quieto ou ela vai paradoxá-lo a destruir a si mesmo, que é efetivamente como Kirk e Spock derrotaram Landru no episódio da Série Clássica citado.

Um habitante de Beta III cita a hora vermelha, que, no episódio citado, marcava o início do Festival em Beta III, durante a governança de Landru, que encorajava as pessoas a enlouquecerem uma vez por dia e que começava às seis da tarde.

Ransom vês em seu padd a imagem de Kirk e Spock da Série Animada. Esta é a primeira vez que representações exatas de uma série animada com personagens de Star Trek aparecem em outra série animada de Star Trek.

Ransom cita que é difícil visitar planetas da era TOS, uma brincadeira com a sigla de The Original Series, como a Série Clássica é conhecida, que ele fala que significa “Those Old Scientists” (aqueles velhos cientistas), e cita Spock, o oficial de ciências e Scotty, Montgomery Scott, o engenheiro chefe da USS Enterprise.

A capitão Freeman cita que não quer ser destruída por um gamester de triskelion, uma citação direta do nome de uma episódio da Série Clássica, “The Gamesters of Triskelion“, que são revelados como cérebros falantes, que fazem apostas usando uma moeda conhecida como quatloos.

Mariner compara Ranson a uma mosca em âmbar. No episódio “Where Silence Has Lease”, de A Nova Geração, o capitão Jean-Luc Picard, da USS Enterprise-D, descreveu em seu diário sua situação no vazio como sendo “… como uma mosca presa em âmbar”.

A USS Solvang NCC 12101, destruída pelos pakleds, é uma outra nave da classe Califórnia. Solvang é uma cidade localizada no condado de Santa Bárbara, no estado americano da Califórnia. A USS Solvang NCC-12101 é terceira nave da classe Califórnia destruída nesta temporada.

Os pakleds, que atacaram a Solvang, eram considerados os idiotas da galáxia. No episódio “Samaritan Snare” de A Nova Geração, eles são considerados basicamente patéticos e incapazes de se dar bem por conta própria. A Enterprise envia Geordi LaForge (LeVar Burton) para ajudá-los e os pakleds sequestram Geordi e tentam trocá-lo pela tecnologia da Frota Estelar.

O sistema Kalla, onde a Solvang está, é um sistema planetário em território dos pakled, mostrado no episódio “Firstborn” de A Nova Geração.

A Enterprise chega em Kalla III

A capitão Dayton, da USS Solvang, era a capitã da USS Rubidoux, no sétimo episódio de Lower Decks, “Much Ado About Boimler”. A voz da capitão Dayton é feita por Gillian Vigman, que também faz a voz da Dra. T´Ana.

Para conservar a nova nave Solvang, a capitão exige que todos os tripulantes da ponte fiquem sem as botas, só de meias, com as botas enfileiradas na lateral da ponte.

Tendi é a orientadora de uma nova recruta, a Exocomp (Kether Donohue), uma forma de vida artificial, projetada pelo tyran Doutor Farallon, que ganhou sensciência. Foi mostrada no episódio “The Quality of Life” de A Nova Geração. Esse episódio foi dirigido por Jonathan Frakes. A Exocomp, autodenominada Cesta de Amendoins, é a primeira de sua espécie na Frota Estelar.

Rutherford cita o Dia da Capitão Freeman, uma menção ao Dia do Capitão Picard, mostrado no episódio “The Pegasus” de A Nova Geração. A faixa do Dia do Capitão Picard foi vista no cofre de Picard na Federação, no primeiro episódio de Star Trek: Picard, “Remembrance” e também citada no 5º episódio de Lower Decks, “Cupid´s Errant Arrow”, e pode ser vista aqui.

Mariner cita que Wesley Crusher trabalhou com sua mãe. A Dra. Beverly Crusher era a oficial médica da Enterprise-D em A Nova Geração e Wesley Crusher tornou-se um alferes na mesma nave.

Ranson cita a lista de promoções para a USS Sacramento, que deve ser outra nave da classe Califórnia, pois Sacramento é uma cidade no estado americano da Califórnia.

Mariner fala para o tenente Steven Levy que ele havia dito que Wolf 359 era um trabalho interno. Wolf 359 era a estrela do sistema Wolf, localizado a aproximadamente oito anos-luz do sol. No episódio “The Naked Now” de A Nova Geração, a localização de Wolf 359 foi mostrada em um gráfico representando um mapa estelar, com o sol no centro. Este gráfico foi armazenado no computador da biblioteca USS Enterprise-D. No episódio “The Last Outpost”, também de A Nova Geração, o gráfico foi escaneado pelo Posto Avançado 63. O sistema Wolf 359 foi o local da batalha mais importante entre a Frota Estelar e os Borgs, no episódio “The Best of Both Worlds” de A Nova Geração. Levy cita que Wolf 359 foi um trabalho interno, pois Jean-Luc Picard tinha sido assimilado pelos borgs como Locutus of Borg e comandou a batalha para os borgs.

Locutus of Borg observa a batalha

Levy cita ainda ideias para decorar o Iate do Capitão, já mencionado no 6º episódio de Lower Decks, “Terminal Provocation”, e pode ser visto aqui. Cita ainda que changelings não são reais e que a guerra do Dominion nunca aconteceu. Os changelings eram formas de vida líquidas, que mudavam de forma. Foram os criadores e governantes do Domínio, cujas raças dominadas conheciam como os semimíticos fundadores. Odo, o chefe de segurança de Deep Space Nine, era um changeling. A Guerra do Domínio foi um grande conflito interestelar, que envolveu todas as grandes potências dos Quadrantes Alfa e Gama, organizadas em duas alianças militares opostas: a Aliança da Federação e a Aliança Breen-Dominion. Apareceu inicialmente no episódio “Call to Arms” de Deep Space Nine e em mais 22 episódios desse seriado.

Quando o pedido de socorro da Solvang chega na Cerritos, Ransom fala que a USS Titan também está na área, mas a capitão Freeman diz que a Cerritos vai atender ao chamado. O capitão William T. Riker e a conselheira Deanna Troi foram para a Titan, após seu casamento no filme Star Trek: Nemesis.

Mariner cita que ele não vai conseguir fazer mais nenhuma das suas coisas sorrateiras de Robin Hood. Robin Wood foi explicado no 6º episódio de Lower Decks, “Terminal Provocations”, e a explicação pode ser vista aqui.

Ranson cita que a Cerritos está sendo cortada como um salmão no Dia do Primeiro Contato. O Dia do Primeiro Contato é um feriado celebrado para homenagear tanto o voo de dobra 1 da Fênix, quanto o primeiro contato entre humanos e vulcanos em 5 de abril de 2063 em Bozeman, Montana, visto no filme Star Trek: First Contact. Pelo visto, esse dia é tradicionalmente celebrado com salmão. Este feriado foi celebrado no Short Trek: Children of Mars, no dia em que acorre o ataque dos sintéticos a Utopia Planitia.

“Children of Mars”

Rutherford ativa o Badgey, sua criação no programa do holodeck Rutherford beta 2.5, que apareceu no 6º episódio de Lower Decks, “Terminal Provocations” para codificar um vírus que ataque os computadores dos pakleds. Não ficou claro se é o fim de Badgey na explosão deste episódio, mas é legal que Lower Decks tenha seu próprio vilão holográfico recorrente, com um rancor particular contra um de nossos heróis.

Mariner abre um armário e derruba no chão armas que apareceram dentro de um baú, no primeiro episódio de Lower Decks, e que estão explicadas aqui.

  • Um pingo (tribble), visto, entre outros, no episódio “The Trouble With Tribbles” e outros. Mariner mais tarde diz que ela usa o pingo por razões pessoais.
  • Uma espada de esgrima, referência a Sulu lutando com uma espada no episódio “The Naked Time”. Também faz referência a Mariner dizendo a Boimler que ele poderia se tornar um espadachim, no primeiro episódio de Lower Decks, “Second Contact”.
  • Uma garrafa de bloodwine klingon
  • Um bat´leth Klingon
  • Uma arma jejtaj klingon
  • Garrafas de conhaque sauriano
  • .. um capacete Spock, explicado a seguir.

Billups segura um capacete semelhante ao brinquedo infantil, capacete de Star Trek, lançado em 1976. O brinquedo é descrito na embalagem como um “capacete oficial de Star Trek” e como um “capacete de diversão espacial”. Suas características incluem um emissor de luz piscante, um som sônico pulsante, uma alça para o queixo, antenas telescópicas e uma viseira. Está estampado com SPOCK na frente e tem a insígnia da Frota Estelar nos lados. Não parece corresponder a nada que já foi visto em nenhuma série ou filme de Star Trek. Ethan Peck, que fez Spock em Discovery, brincou com um desses capacetes vintage Spock em dezembro de 2019 em StarTrek.com. O fato de Mariner ter um desses capacetes como contrabando, parece implicar que o capacete Spock é cânone agora.

Ramson usa vários golpes de Kirk Fu, incluindo o soco de mão dupla, conforme explicado no easter eggs do 3º episódio de Lower Decks, “Temporal Edict”, que pode ser visto aqui.

A exocomp Cesto de Amendoim acha muito arriscado levar o vírus até a nave pakled. A primeira exocomp também fugiu de um conduíte de plasma que ia explodir, no episódio “The Quality of Life” de A Nova Geração, então talvez eles sejam covardes naturais.

Quando Peanut Hamper, a Exocomp, diz que não vai ajudar a salvar a nave, Tendi diz :”E as necessidades de muitos?” Isso faz referência ao famoso axioma de Spock em Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan: As necessidades de muitos, superam as necessidades de poucos… ou de um”.

O shuttle usado por Shaxs para ir para a nave pakled é o Sequoia, que os alferes estavam consertando em vários episódios. Como todos os demais shuttles, que tem nomes de parques da Califórnia, este tem o nome do parque nacional Sequoia, uma área florestal em Sierra Nevada, no centro-leste da Califórnia, EUA. Os alferes instalaram feisers antigos nele, a julgar pelo som que fazem quando disparados, bem tipico da Série Clássica.

Shaxs chama Rutherford de bebê urso. No 2º episódio de Lower Decks, “Envoys”, vimos que o pessoal da segurança da Cerritos são os Ursos.

O implante de Rutherford tem os seguintes modos, além do normal:

  • Extremamente otimista
  • Sexy
  • Passivo-agressivo
  • Klingon
  • Espírito natalino
  • Britânico
  • Cowboy
  • Atrevido
  • Estranho
  • Sono
  • Mano
  • Tomada quente

Na hora da explosão, o tenente Shaxs ainda está lutando com um pakled, o que levou Fred Tatasciore, que faz a sua voz, a afirmar, na New York Comic Con, que ele morreu lutando, como sempre quis.

Quando tudo parece perdido, aparece a USS Titan, nave comandada pelo capitão Willian T. Riker, com Deanna Troi na ponte, cujas vozes são feitas pelos atores convidados Jonathan Frakes e Marina Sirtis, os atores originais dos personagens de A Nova Geração. Após o final da temporada de Star Trek: Picard em março, esta é a segunda vez que o Capitão Riker salva o dia, um momento que certamente adoramos.

Vista pela primeira vez no cânone, a USS Titan tem o mesmo design e registro (NCC-80102) usado no universo estendido de Star Trek. A Titan pertence à classe Luna, naves nomeadas como luas. Essa Titã tem o nome da lua de Saturno. Introduzida na arte de capa da série de livros Star Trek: Titan, da editôra Simon & Schuster, a nave criada pelo artista Sean Tourangeau é uma bela nave e finalmente teve sua primeira aparição na tela em Lower Decks, três anos depois que Eaglemoss trouxe o design da capa de livro para o mundo físico, como parte da coleção oficial de naves estelares.

Livros da coleção Star Trek: Titan

A Titan de Lower Decks e a da coleção da Eaglemoss

A tripulação da Titan usa os uniformes mostrados inicialmente em Star Trek: First Contact, confirmando que a Frota Estelar tem dois estilos de uniformes em uso ao mesmo tempo, algo que já vimos antes em outros seriados de Star Trek.

Na cena da batalha da Titan com os pakleds, a música emocionante é a do seriado A Nova Geração.

Riker diz alerta vermelho duas vezes nas cenas da Titã. Uma vez quando a nave faz sua grande entrada, e novamente quando ele diz: “Ainda estamos em Alerta Vermelho!” Isso faz referência ao hábito de Riker de dizer alerta vermelho muito, muito alto em A Nova Geração.

O primeiro oficial de Riker parece ser a mesma espécie de Linus de Star Trek: Discovery, um sauriano. Bones e Kirk beberam conhaque sauriano na Série Clássica, e um sauriano foi um personagem de fundo proeminente em Star Trek: The Motion Picture.

Mariner diz que Riker ajudou ela com seu contrabando e que ele está cheio de cerveja romulana Embora Lower Decks tenha referenciado whisky romulano em seu primeiro episódio, esta é a primeira referência à cerveja romulana. Em Star Trek: Nemesis, Riker e Troi serviram cerveja romulana em seu casamento.

A capitão Freeman, observando o conserto da Cerritos na base estelar, diz que odeia quando modificam a nave e ela fica parecida com a classe Sovereign. Isso faz referência à ideia de que a Enterprise da Série Clássica parecia muito diferente após sua adaptação em Star Trek: The Motion Picture. A nave Enterprise-E, vista em Star Trek: First Contact, era da classe Sovereign.

O funeral do tenente Shaxs ocorre em um caixão, coberto com a bandeira da Federação, é semelhante ao funeral de Spock em Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan, usando um torpedo coberto com a bandeira da Federação. Parec também com o funeral da tenente Ariam, no episódio “The Red Angel”, de Star Trek: Discovery,

A capitão Freeman menciona em seu discurso que Shaxs está com os profetas agora. De acordo com a crença dos bajorianos, os profetas, também conhecidos como “alienígenas do buraco de minhoca” eram formas de vida não corpóreas que residiam no único buraco de minhoca estável, localizado no sistema bajoriano. Essas formas de vida existiam fora do tempo linear, e eram simultaneamente conscientes do passado, presente e futuro, como visto no episódio “Emissary” de Deep Space Nine.

A capitão Freeman guarda o brico bajoriano de Shaxs, explicado aqui, na estante de seu gabinete, junto com a bandeira da Federação.

Riker diz que Freeman era sua cha´Dich, da mesma forma que Mariner chamou Boimler no primeiro episódio de Lower Decks, explicado aqui.

Na conversa de Rutherford com Tendi no bar, eles citam O Cão (The Dog), o cachorro que Tendi criou no 7º episódio de Lower Decks, “Much Ado About Boimler”, e quando eles roubaram os T-88, os scanners com um faixa roxa, no 5º episódio de Lower Decks, “Cupid´s Errant Arrow”.

No bar, Riker diz a Mariner: “Por que você não me paga uma bebida!”. Mariner responde: “Não usamos mais dinheiro.” Isso faz referência ao fato de que a maioria das pessoas na Federação não usa dinheiro. Kirk diz algo muito semelhante em Star Trek IV: The Voyage Home quando a Dra. Taylor diz: “Não me diga que você não usa dinheiro no século 23”, ao que Kirk responde: “Bem, nós não usamos.”

Os amigos de Boimler na Titan citam que o capitão Riker quer que eles escoltem a comandante Deanna Troi no planeta Tulgana IV, que a Cerritos visitou no 2º episódio Lower Decks, “Envoys”.

Boimler tem em seus aposentos uma foto do comandante Ransom, responsável por indicar sua promoção e transferência para a Titan.

Bomler cita que Tulgana IV tem um bar andoriano, que foi onde ocorreu a luta no 2º episódio de Lower Decks, “Envoys”. Veja os detalhes aqui.

Quando saem do quarto, pode-se ver a placa do efeito Boimler, que ele ganhou no 3º episódio Lower Decks, “Temporal Edict”.

Mariner está em sua cama, mandando mensagens para o Boimler e falando sozinha, quando alguém reclama, e ela responde “Cala a boca, Jen”. Antes, ela afirmou que Billups a chamava de Jen e  fala”Quem aqui se chama Jen?”. Jen é a tripulante andoriana Jennifer, em que Mariner esbarra no 5º episódio de Lower Decks, “Cupid´s Errant Arrow”.

Mariner fala que vai dar Boimler de comida para o Armus, o vilão que matou a chefe de segurança Tasha Iar, no episódio “Skin if Evil”, explicado aqui.

Riker, ao entrar na ponte, pede desculpas pelo atraso, e diz que estava no holodeck vendo a tripulação da primeira Enterprise, Archer e os demais, e cita a frase da música de abertura de Star Trek: Enterprise, Faith of the Heart: “Its been a long road, getting from there to here”. No último episódio de Star Trek: Enterprise, “These Are the Voyages…”, tudo se passa em um programa de holodeck, que recria a missão final da Enterprise NX-01, com a participação de Riker e Deanna.

Riker fala para Deanna que existe uma pequena Risa em Tulgana IV e Deanna pergunta se devia levar o pequeno horga´hn, e Riker responde que vão usar o de sempre. Esse horga´hn, uma pequena estátua que era o símbolo da sexualidade em Risa, foi explicado aqui.

Riker pede a velocidade de dobra em 5, 6, 7, 8., stalando os dedos, como se fosse pedir um jazz. Riker, assim como Jonathan Frakes, sempre foi fã de jazz. No episódio “Second Chances” de A Nova Geração, Troi zomba de Riker por ser incapaz de tocar um certo solo de trombone corretamente, em uma música chamada Nightbird. O interesse de Riker em tocar jazz, especificamente o trombone, começou no episódio “11001001” de A Nova Geração. Mais recentemente, Riker estava ouvindo jazz no episódio “Nepenthe” de Star Trek: Picard, quando Jean-Luc aparece em sua casa.

Estes são os easter eggs e referências que encontramos em “No Small Parts”. Se você encontrou mais algumas, colocque aqui nos comentários.

Star Trek: Lower Decks teve uma das primeiras temporadas mais fortes de qualquer série de Star Trek até agora. Os personagens foram excelentes, os episódios tiveram abordagens interessantes e únicas, e o mais importante, foi muito engraçado. Agora é esperar pela segunda temporada, que já está em produção. Até lá, acompanhe todas as novidades de Lower Decks aqui no Trek Brasilis.

Obs: Meus agradecimentos ao Marcelo Daniel, dos grupos USS Venture NCC 71854 e Carioca Trekker e à Ale Aoki, da NovaFrota, pela ajuda neste post, e à turma do Trek Brasilis, que ajuda sempre que eu preciso.

 

Be the first to comment on "Easter eggs e referências de “No Small Parts”"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*