JJ Abrams tecla com os fãs na ponte da Enterprise

Esta vai ficar na memória dos fãs. Na noite de ontem, o diretor e produtor J.J. Abrams, juntamente com o elenco e a equipe que estão produzindo o próximo filme de Jornada nas Estrelas, participaram de um bate-papo on-line, via TrekMovie.com, com os fãs da franquia. Além das respostas interessantes, os trekkers foram brindados com a primeira espiada na nova ponte de comando da USS Enterprise. Ou pelo menos num pedacinho dela…

Participaram, além de Abrams, o produtor-executivo Bryan Burk, o escritor Roberto Orci, o supervisor de efeitos visuais Roger Guyett, o produtor-executivo Jeffrey Chernov e o gerente de unidade de produção David Witz. Do elenco, apareceram John Cho (Sulu), Karl Urban (McCoy), Zoe Saldana (Uhura), Anton Yelchin (Chekov), Chris Pine (Kirk) e Zachary Quinto (Spock). Eles foram escrevendo suas respostas entre as tomadas, durante um dia de filmagens na ponte da Enterprise!

Aliás, foi um dia muito especial: as últimas cenas na ponte, que coincidem com o final do filme (para otimizar a produção, os filmes costumam ser rodados fora de ordem, facilitando a logística de cenários e locações). Confira logo abaixo uma transcrição do bate-papo.

Bronson: Quanto você sente o peso da responsabilidade que vem ao carregar a tocha da franquia de Jornada nas Estrelas?

Abrams: É engraçado que você tenha colocado deste modo — carregar a tocha — porque é exatamente como a gente sente. Jornada significa muito para muita gente, e eu aprecio totalmente essa responsabilidade. Mas eu nunca me senti sobrecarregado por esse fardo. Bem ao contrário. Os fãs têm sido parte da inspiração. Essa experiência tem se mostrado, desde o início, uma oportunidade realmente incrível. Estamos apenas na metade da fotografia principal, mas a tocha está queimando com brilho e estamos correndo com vigor!

Marian Ciobanu: Quando veremos clipes mais detalhados do novo filme…?

Burk: A não ser que algo seja roubado de nosso escritório, estamos trabalhando em nosso primeiro trailer neste momento, que esperamos colocar nos cinemas no começo até o meio do verão [no hemisfério Norte].

Josh: Qual foi o maior desafio que você enfrentou ao decidir cuidar de Jornada?

Abrams: Esta pode não ser uma resposta justa, mas houve dois maiores desafios: o primeiro foi pegar essa visão do futuro. O fato de que a maior parte da tecnologia que usamos hoje no cotidiano foi modelada com base na — e é na verdade mais avançada que a — série original fez com que fosse difícil encontrar um meio de tornar o mundo do nosos filme muito mais avançado do que onde estamos agora, e ainda assim consistente com a série original.

O outro desafio foi, obviamente, escalar o elenco. Como diabos iríamos encontrar atores que pudessem suceder aquele memorável elenco original? Era difícil em teoria e mais ainda na prática. Não poderíamos ter — e não teríamos — iniciado a produção com um elenco que não FUNCIONASSE.

Com os esforços incríveis de April Webster e Alyssa Weisberg (nossas diretoras de elenco), nós de algum modo conseguimos. Esse elenco é muito talentoso, esperto demais, engraçado e dedicado a habitar completamente esses papéis. Vocês verão. Kirk ESTÁ VIVO. Spock está AQUI, neste momento. Posso vê-lo. Uhura e Magro e Chekov e Sulu e Scotty estão NA PONTE e estão maravilhosos.

Em resumo, UAU.

The Vulcanista: Pergunta para alguém do elenco — qual foi seu melhor momento no set até agora? Melhor brincadeira do set? (As respostas devem vir sem spoilers, claro!)

Quinto (Spock): Sem dúvida a primeira vez que Leonard e eu estávamos ambos com nossos figurinos, ao mesmo tempo, para o teste de figurinos.

Erehwonnz: Escrever o filme trouxe alguma nova perceção sobre Jornada, suas histórias ou as pessoas que trabalharam nelas para trazê-las à tona?

Orci: Escrever esse filme com meu parceiro de colegial Alex Kurtzman me lembrou de quão solidamente construído o paradigma para Jornada realmente era. Nosso trabalho era apenas fazer a lição de casa. Nós não apenas nos voltamos para nossos episódios e livros e filmes favoritos, mas também lemos teses de graduação sobre o significado de Jornada nas Estrelas. Foi como voltar à escola de Jornada, e nos fez apreciar Jornada ainda mais, o que eu achava que não era possível.

Orci: Só para estabelecer o cenário, o início dos trabalhos hoje foi às 13h. Então o JJ está neste momento preparando a primeira tomada na ponte da Enterprise — acompanhe com a gente…

Charles Trotter: Vocês têm uma data marcada para finalizar as filmagens?

Abrams: Atualmente o cronograma marca o fim das dilmagens para o começo de abril. O que significa que estaremos filmando até setembro. Brincadeira. Espero. Não, brincadeira mesmo.

RoobyDoo: Sr. Abrams, quão importante é o humor na sua visão de Jornada? E que tipo de humor você gosta mais?

Abrams: Tenho medo de responder a essa pergunta, porque Os Que Nos Odeiam vão pensar que estou olhando para Jornada como uma comédia. Não estou. Mas humor é imensamente importante. Humor e humanidade caminham lado a lado — esse é o tom do roteiro (parabéns, Kurtzman/Orci), e os atores trazem essa inteligência e humor, e o meu trabalho é só manter a coisa REAL. Muito dramático, mas também com RISADAS. Sem comédia (meu episódio favorito da série original tinha grande humor), a audiência encontra seus próprios momentos para rir. E num mundo de humanos e alienígenas, isso pode ser desastroso. Então a resposta curta é? É muito importante.

Mawazitus: Para Roberto Orci: Sério, quantas vezes você teve de se beliscar para ter certeza de que não estava sonhando? Um trekker de carteirinha tendo a oportunidade de adicionar à mitologia. Deve ser incrível. Quantas páginas de idéias você já tem para as sequências?

Orci: Sem brincadeira. Acho que falo por muitos de nós quando digo que nos beliscamos todos os dias, e ainda assim não funciona. Eu pediria a Quinto ou Nimoy para me beliscar, mas eu acho que isso ia tornar tudo ainda mais surreal…

Gibnerd: Pergunta aleatória de roteiro… qual é a décima palavra na décima página do roteiro?

Burk: “…e…”

Questions for Burk and Lindelof: Em seus papéis de produtores, como vocês estão documentando o processo de criação do filme?

Burk: Desde o começo houve uma equipe de DVD de bastidores capturando todas as fases de pré-produção e produção. Houve conversa de ter também livros, mas isso dependerá do interesse por eles.

EuroTrashTrekker: O teaser do filme era muito focado nos Estados Unidos, com sons do programa espacial americano (e nenhum de ninguém mais). Jornada muitas vezes pareceu americana demais. Como vocês vão garantir que Jornada seja um filme global que tenha apelo na Europa, Ásia, América Latina etc?

Burk: Houve versões diferentes do teaser no mundo todo para lidar exatamente com isso.

Michael (the real one in Texas, by way of Afghanistan): Sou grande fã seu, mas também do seu amigo e suposto amuleto, Greg Grunberg. Você pode nos dizer se ele vai aparecer no filme, e se sim que tal uma dica do papel dele?

Abrams: Estou pê da vida com o Grunberg. Era para o cara estar no filme — tinha um ÓTIMO PAPEL –, mas teve de sair fora por causa de uma PORCARIA DE FILME QUE ELE ESTÁ FAZENDO.

Certo, estou meio que brincando e apenas desapontado: Grunny IRIA aparecer no filme, e ESTÁ fazendo outro filme, por isso não pode estar no nosso — mas seu filme não é uma porcaria, é divertido, e ele está produzindo e co-escrevendo, e o colaborador de longa data Larry Trilling está escrevendo com ele e dirigindo, então eu desejo a eles o melhor. Embora eu odeie Greg agora. Quem sabe, talvez ele acabe fazendo um pingo.

Yammer: Você pegaram algo dos livros? Meu filme de Jornada de sonho seria uma adaptação de Diane Duane, de cujos romances combinavam ficção científica hard com elaborações vívidas dos personagens clássicos, e eram tão bem escritos que você pode ler em público sem sentir vergonha.

Orci: Fomos absolutamente inspirados pelos livros. Mencionamos antes como amamos “Prime Directive” e muitos outros como um grande exemplo do que a série original tinha em seu melhor.

Battletrek: Quantas tomadas de efeitos visuais o filme terá?

Guyett: Estamos esperando umas 1.000.

Lawrence Boucher: Houve algum momento em particular em que a filmagem pegou você despreparado e fez você recuar e dizer “uau” ou simplesmente fez pensar “que legal isso”?

Chris Pine (Kirk): Para mim, ainda me dá arrepio toda vez que eu me sento “NA” cadeira, e toda vez que eu digo quem eu sou no filme.

Mike J. Hafezi: Meu professor de inglês, Sr. Zimmerman, não gosta de Jornada e não quer que esse filme aconteça. O que você diria a ele?

Orci: Por favor, diga ao Sr. Zimmerman que haverá um monte de inglês falado no filme.

Daniel Broadway: Roger Guyett — Primeiro, deixe-me dizer, sou fã do seu trabalho. Sou um artista de efeitos visuais (compositor) aspirante. Estava me perguntando que tipos de software vocês estarão usando para a animação em 3D, mas também para a composição. Eu sei que vocês têm muitas ferramentas da casa também.

Guyett: Estaremos usando muitos softwares diferentes, muitas ferramentas criadas pela ILM, mas também usaremos Maya, Renderman e Shake (o software de composição). Boa sorte com sua carreira em efeitos visuais!

Captain April: A ILM está fazendo os efeitos do filme. Será tudo CGI ou eles construíram um modelo físico da nova Enterprise? E quando veremos uma foto da Enterprise finalizada?

Abrams: Eu tive a felicidade de trabalhar com a ILM em “Missão: Impossível III”. Roger Guyette e Sherri Hanson são gênios com quem tive o prazer de trabalhar também. A ILM sempre foi a melhor — mas em anos recentes eles se tornaram — incrivelmente — ainda melhores, criando o virtual fotorrealista.

Tendo dito isso, minha meta é fazer Jornada REAL — ou seja, não pode parecer tosco, não pode parecer enganação, não pode parecer que tela verde foi usada em tudo. Claro, isso é Jornada nas Estrelas. Estamos usando todas cartas na manga. Mas, SEMPRE QUE PODEMOS, estamos filmando em cenários — ou construídos em palcos ou expandindo em locações que escolhemos. Isso é importante. Isso significa que o filme não terá aquela sensação de “atores fingindo num vazio verde ou azul e então colocados num cenário de espaçonave” que me deixa louco. Uma das nossas designers de talento recentemente comentou on-line como filmamos num cenário de tela verde e que chato foi aqui, já que podíamos ter construído algo incrível. E ela tinha razão — para aquela cena, que durará talvez 30 segundos na tela, construímos apenas peças e estávamos cercados de verde. Mas essa foi a exceção. Não podemos construir TUDO, e precisamos fazer este filme dentro do orçamento (em parte porque é o dinheiro que temos, e em parte porque eu quero que o estúdio veja Jornada como viável!). A Enterprise será uma mistura do físico e do virtual. Uma foto aparecerá em breve!

Jon1701: Várias boas perguntas até agora, mas eu não acho que a pergunta-chave tenha sido respondida. AS PORTAS VÃO FAZER SWOOSH QUANDO ABREM?

Abrams: Rapaz… e como!

Raffie: Existe algo que eu possa dizer à minha namorada para convencê-la a ver um filme comigo cujo título é “Jornada nas Estrelas”? Se houver, isso seria de muita ajuda.

Abrams: Primeiro de tudo, estou aliviado por você ter uma namorada. Em segundo lugar, esse filme não está sendo feito só para os trekkers — isso não quer dizer que não estamos dando aos convertidos o que eles querem –, mas também estamos fazendo um filme para pessoas (homens E mulheres) que nunca viram Jornada antes, em nenhuma encarnação.

O que finalmente me fez dirigir e não só produzir Jornada foi a reação da minha mulher, Katie. Ela amou os personagens. Ela confirmou minhas profundas suspeitas de que eu deveria dirigir este filme. A história é dramática e engraçada e emocional e romântica e cheia de aventura. Eu sei que tenho um viés — mas eu acho que as pessoas vão amar essa experiência. Para alguns, talvez, APESAR de se chamar “Jornada nas Estrelas”. Quem sabe? Talvez sua namorada veja o filme e se torne fã da série.

Segunda parte do bate-papo

Lawrence Boucher: Houve algum momento em particular em que a filmagem pegou você despreparado e fez você recuar e dizer “uau” ou simplesmente fez pensar “que legal isso”?

John Cho (Sulu): Foi andar na ponte da Enterprise pela primeira vez. Foi como experimentar algo do meu passado, que foi incrível, enquanto a via totalmente reformada e atualizada. Foi uma experiência única.

Anton Yelchin (Chekov): Para mim, foi extraordinário passar meu último dia de filmagem na Enterprise. Caiu a ficha de quão épico era… E SERÁ.

Karl Urban (McCoy): Para mim, o momento “uau” foi ouvir a voz de Nimoy, e vê-lo como sr. Spock pela primeira vez em anos, e ver isso ao vivo.

Zoe Saldana (Uhura): Meu momento “uau” foi passar tempo com Nichelle Nichols quando ela visitou o estúdio e saber que estávamos filmando no mesmo lugar em que a série original era filmada, nos anos 60.

Darryl: Eu tenho uma tatuagem da Enterprise. Terei de mudá-la agora?

Abrams: Qual delas? Enterprise A, B, C, D ou E?

ensign joe: Pergunta para todo mundo — se houvesse uma coisa que vocês gostariam que os fãs parassem de reclamar, qual seria?

Orci: reclamar significa que você ainda se importa… então não queremos que você pare nunca de reclamar.

starbase63: Por favor acabem com a discussão que começou desde a exibição do teaser, que mostra a Enterprise sendo construída no solo (alguém parece ter levado uma foto de brincadeira a sério). Embora não seja oficial, já se fala desde “The Making of Star Trek” e aparece listado na “Star Trek Encyclopedia” de Mike Okuda e na Biblioteca do Startrek.com que a nave foi montada em órbita. Até mesmo na série Enterprise, ambientada 85 anos da original, vemos naves sendo construídas em órbita. Nós veremos a 1701 concluída na Doca Orbital San Francisco, ou essa idéia foi jogada fora? Afinal, durânio será tão duro em órbita quanto na Terra…

Orci: Sem revelar nada, nada no teaser impede uma montagem final no espaço.

Craig: Sr. Abrams. O que fez você escolher o período da série original? Eu li em outros fóruns de Jornada os fãs dizendo que o novo filme deveria ter sido pós-Nêmesis. Você acha que a era do século 24 ou 25 acabou? Eu acho que escolher a série original é legal, embora eu gostasse de A Nova Geração e Deep Space Nine. Não posso esperar para ver como a nova 1701 vai ficar.

Abrams: Alex, Bob, Bryan, Damon e eu sempre quisemos fazer a história Kirk/Spock/tripulação original. Foi isso o que nos atraiu para o projeto. Novos períodos foram explorados numerosas vezes no universo de Jornada. O que queríamos fazer dependia da cronologia da Série Clássica.

PM: Vocês chegaram a discutir o projeto com [o ex produtor de Jornada] Rick Berman? Se sim, como ele se sente com relação ao projeto?

Orci: Nós não falamos com ele, mas temos o mais profundo respeito por todas as versões anteriores e seus criadores nessa grande franquia, e esperamos sinceramente ter o apoio dele quando tudo for revelado.

Scott: Qual é seu filme favorito de Jornada?

David Witz (Gerente de Produção): “Star Trek II: A Ira de Khan”.

AJ: Que categoria da MPAA vocês esperam obter? Planos de merchandising estão sendo planejados para trazer uma audiência mais jovem, como Star Wars?

Chernov: Estamos mirando PG-13. Estamos trabalhando num incrível gancho intergaláctico… mas não posso falar nada ainda.

Zachary Quinto: (para nenhuma questão em particular) Ao vivo do centro da ação. Passo pelo Bob o dia todo — ele esteve na frente do computador por horas falando com todos vocês. Então eu tive que aparecer e gritar, mandando um obrigado gigante para todos os fãs que têm sido tão entusiásticos e apoiadores do que estamos fazendo aqui. A energia no set é empolgante. Realmente. Especialmente hoje. Literalmente filmando a última cena do filme enquanto eu escrevo (claro, nós filmamos fora de ordem — ainda há mais de dois meses de filmagem pela frente). Então estamos perto de terminar toda a nossa fotografia principal na ponte da Enterprise (e Scott Chambliss fez ela ficar viva como nunca). Nós apenas nos despedimos dos outros membros do elenco que ocuparam as estações e os postos durante o calor desta missão. Eu me vejo enfrentando um poço de emoções com a sensação dessa experiência chegar ao fim para alguém — imagine para mim mesmo. Eu ainda tenho um bocado até terminar o filme — mas após tanto tempo separado de minha resposta emocional às coisas — eu imagino que o fim disso vai ser uma avalanche. Mas aí começa uma fase nova e de alguns modos mais empolgante, porque começamos a partilhar e celebrar isso uns com os outros — e com todos vocÊs. E eu sei que é algo que estamos todos esperando com ansiedade. Então, fiquem bem e espero vê-los no Natal. Obrigado novamente. Vida longa. E próspera. Claro.

Rod (Dunedin, Nova Zelândia): Para Karl Urban: Vai fundo, parceiro! Você está longe de ‘Out Of The Blue’ agora, eh? Abraço!

Karl Urban: Parceiro, eu podia assassinar um Spieghts agora, sinto falta do surfe de Dunedin
Abraço,
Seu parceiro,
Karl

OR Coast Trekkie: Para JJ e/ou a equipe: Há pessoas que estão irritadas que as coisas parecem diferentes, e acham que se vocês fizerem as pequenas coisas “erradas” então farão as grandes erradas também, e levar a mensagem “errada” de Jornada. Como vocês reagem a esse tipo de crítica?

Orci: Nós certamente entendemos a preocupação. Eu só posso dizer que nenhuma decisão foi feita sem conhecimento do cânone ou dos detalhes — qualquer coisa que você ache que desvia do cânone terá uma razão inspirada pelo cânone.

E uma mensagem final do elenco e equipe da Enteprise: Obrigado por passarem o dia conosco…
Ponte desliga.

38 Comments on "JJ Abrams tecla com os fãs na ponte da Enterprise"

  1. Segundo o bate papo a equipe vai liderar a Enterprise em algum momento no filme.

    Então imagino que temporalmente o filme deve englobar uns 20-25, desde a contrução da Enterprise em 2245 até ela estar sob o comando de James Kirk em 2264.

    A menos que eles baguncem de vez a cronologia e inventem aventuras da trupe da academia roubando uma nave estelar. (Ai meu Deus!) 🙁

  2. “Houve versões diferentes do teaser no mundo todo para lidar exatamente com isso.” (?!)

    Aqui no Brasil tinha que ter um versão com uma fala do nosso astronauta brasileiro…

  3. E humor é essencial mesmo. Aliás, se tiver humor pelo menos o filme vai ser mais fiel ao espírito original do que o The Motion Picture…

  4. “O próximo trailer virá até o meio do verão [no hemisfério Norte]”.

    Para quem não sabe o verão no hemisfério norte está situado entre maio e agosto. Acredito que eles devam apresentar o trailer no Comic.con em julho.

  5. Este bate-papo se mostrou muito animador, gostei da idéia do mixto de técnicas de computação e contrução de maquete para a Enterprise, só realmente não entendo porque alguns Xiitas estão reclamando da nave ser montada em terra, bom, é só um teaser, e sinceramente, Abrams tem mais o que fazer da vida, ele tem Lost, Star Trek e outras produções para se preocupar, ele não vai parar para ler um manual “tal” que diz que a Enterprise foi montada em doca espacial. Concordo com o amigo Valter, humor faz parte do espírito da série clássica, muito bom a equipe do filme resgatar isso. E quanto a americanização do teaser… Bom, o trailler americano do filme O QUATRILHO não se preocupou em cortar o tema de Caetano Veloso do fundo musical, este povo se prende a detalher bobos! Vamos relaxar e curtir a expectativa do novo filme que vem aí, A FRANQUIA STAR TREK NÃO PRECISA DE GENTE RECLAMANDO, PRECISA SIM, E MUITO, DE GENTE APOIANDO.

  6. Luiz Castanheira | 26 de janeiro de 2008 at 10:33 pm |

    A consideração de Abrams sobre humor foi muito interessante. Brilhante até.

    Abrams tem o dinheiro para o filme (que eu pessoalmente acho que vai estourar o orçamento), mas sabe que não terá um campanha publicitária a altura (Jornada nunca teve, aliás).

    Abrams sabe que precisa dos fãs, e tudo que ele fez até aqui aponta nesta direção. Nem estou querendo dizer que tudo é cínico e calculado, mas não se enganem… É o trabalho dele.

    Forte Abraço
    Castanha

  7. “Estamos mirando PG-13. Estamos trabalhando num incrível gancho intergaláctico…” Alguém se arrisca a dar palpites?

  8. Castanha tem razão, Abrams precisa (muito) dos fãs, e pelo jeito estará cada vez mais conectado a eles ( como neste bate-papo, como no caso do convite ao produtor de New Voyages, como no caso do novo site viral – Quem mais além dos fãs está interessado em ver uma imagem do corredor da nova Enterprise ? ). Por mais que se queira alcançar também os leigos com o filme, todas estas iniciativas visam os fãs, e acho que cada vez mais estarão presentes. Isso promove o filme, e divulgar periodicamente um detalhe ou outro, provocando a discussão em torno, principalmente aqueles detalhes que possam “ferir” o cânon ( como no caso do Teaser para muitos, não para mim ) aliviam a curiosidade, reduzem o impacto que certas informações poderiam causar, e também fazem dos fãs espécies de cúmplices.

    Um bate-papo direto da ponte ( mostrando parte dela ) com todos os novos atores presentes, durante a filmagem da cena final !!! Quer algo mais emblemático ?? E acaba por deixar os fãs mais acostumados com os novos atores, nos deixar mais acostumados e íntimos, e cúmplices deles. Mais identificados com eles.

    Não sei se concordo totalmente com o “cínico” dito pelo Castanha, mas é por aí, e que é (muito) “calculado”, ora isso é. Trata-se de uma estratégia de marketing, bem preparada por sinal, e é muito legal que esteja sendo assim. E faz parte do jogo. Espero que a estratégia seja bem sucedida e faça do filme um sucesso.

    Pelo jeito muito mais virá por aí.

  9. Quanto ao humor, meu Deus, é essencial para qualquer filme, mesmo os que são focados em dramas e cenas de aventura. Sem o humor o ser humano fica “frio” como várias raças de Jornada, como os Vulcanos (desculpa aí Spock, mas vc tb é meio humano, né!).

    E quanto ao “Orci: Sem revelar nada, nada no teaser impede uma montagem final no espaço.” Penso que talvez só os motores de dobra e alguns itens mais perigosos ou que devam mesmo ser montados no espaço seja adicionados à nave num estaleiro orbitando a Terra.

    Acho que o trailer deva vir com as cópias de Indiana Jones e o Reino da Caveira de Crsital (em 22 de Maio).

  10. Realmente o Trekbrasilis na frente, mostrando este bate-papo estraordinário….Parabens a equipe, e vamos aguardar anciosos pelo trailer de verão e as fotos que JJ nos prometeu!!!!

    Grande abraço a todos e

    Vida Longa e Prospera

    Mario Madeira
    Natal – RN – Brasil

  11. Maria da Conceição G. Simões | 27 de janeiro de 2008 at 3:39 pm |

    O que poderia acontecer, no final de tudo, é termos uma nova série, com esses atores. Não vejo mal algum que eles façam novos episódios substituindo os antigos, porque as personagens é que são importantes; tudo bem, o carisma de cada ator pesa, mas se esses novos intérpretes forem realmente bons, não seria o máximo termos filmes inéditos toda semana sobre a Jornada?
    Eu quero que o tempo voe para poder ir ver esse filme e comprar o DVD!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Também acho que o J.J. está “mimando” os trekkers para garantir o se $$$$$$.Se o filme for realmente bom, tudo vale, é uma troca justa. Vamos esperar.
    Eu gostaria de ter feito uma pergunta, por que o Shatner não está no filme? . Tudo bem, ele “morreu” no ST 7 e talvez eles não quissessem ter mais idas e vindas no tempo, mas será que não houve outro motivo? Embora o ego de Shatner seja maior que toda a Zona Neutra Romulana, a falta dele será sentida.Vida Longa e Próspera para todos.

  12. Esta parte da ponte que dá pra ver está parecendo com a da Galactiva, tem até um Dradis por de trás !

  13. Uma coisa eu digo: se o filme tiver uma história fraca, pelo menos em recursos de computação gráfica não vai ficar devendo nada! Nenhum filme ou telesérie da franquia realizado até aqui teve tantos recursos financeiros e tecnológicos como Star Trek XI tem. “Estaremos usando muitos softwares diferentes, muitas ferramentas criadas pela ILM, mas também usaremos Maya, Renderman e Shake (o software de composição).” Maya é, juntamente com o Softimage XSI, o software padrão das grandes produções cinematográficas em Hollywood, o Renderman é muito utilizado na Pixar para efeitos de iluminação REALISTAS nos cenários virtuais, o Shake é um software de composição poderoso usado em plataforma Mac, assim como o After Effects ou Combustion. Acredito que, se fizeram um ótimo roteiro, jogaram esse roteiro na mão do Abrams, apoiado por uma superequipe, trabalhando com o pessoal de CGI da ILM, então só se pode esperar o melhor longa de todos os tempos na história da franquia JORNADA NAS ESTRELAS, porque, podem esperar, pelo menos a nave Enterprise vai ser tão real como nunca foi antes!

  14. O ruim é ter de esperar até o final do ano, principalmente depois de ler tudo isso. Quem não ficou mais curioso.

    Agora “gancho intergalatico”??????
    As possibilidades:
    1- uma cena em especifico no filme;
    2- um futuro filme;
    3- uma nova serie;
    4- uma mini-serie;
    5- Uma nova serie animada(a mais improvavel)

    Alias sempre me perguntei por nunca fizeram uma mini-série. a ideia seria boa pois eles poderiam explorar o universo de “jornada”, sobre qualquer tema.

    Um abraço a todos.

  15. Eu sei que é marketing, mas o JJ sabe fazer isso muito bem! Pelo menos para mim, ele está transmitindo bastante segurança no trabalho que está realizando e acima de tudo respeito pelo mesmo! Ele sabe da responsabilidade que está carregando e como isso pode manchar ou alavancar a carreira dele. Não está brincando! Então, cada vez mais eu penso que será SIM um grande filme e que não temos nada a temer! Assim espero. =]

    Ponte…um para subir!

  16. "Frank" Hollander | 27 de janeiro de 2008 at 9:42 pm |

    Ok… Agora posso apostar minhas fichas acreditando que a Enterprise terá montagem final numa doca espacial. Se veremos ou não ela ser rebocada para o espaço é algo até – certo ponto – irrelevante. Logo esta parte do canon fica garantida.

    Interessante que ninguém lembrou de comentar sobre Bill.

  17. Francisco Oliveira | 27 de janeiro de 2008 at 11:27 pm |

    Quero parabenizar a equipe do Trekbrasilis,o site está bombando , assim como as novas e boas notícias sobre este universo que tanto amamos …Star Trek !
    A tradução deste chat foi nota 1000 .

    Parabéns e obrigado por seguirem adiante .

  18. Leandro Martins | 27 de janeiro de 2008 at 11:52 pm |

    Obrigado pelo apoio, Francisco. Apenas servimos bem para servirmos sempre. 😀

  19. Luis F. Estrazulas | 28 de janeiro de 2008 at 9:19 am |

    Sou fan da série clássica, desde os anos 70. Tudo o que eu vi e li sobre esse novo filme me agradou muito até agora… mas ainda falta ver a Enterprise inteira, para ver se não fizeram bobagem, eu ouvi rumores que eles iriram modificar totalmente o design da nave… isso sim seria imperdoavel, mas pelo visto no teaser acho que os rumores eram infundados, assim espero.

    Estou a algum tempo sentindo falta de filmes de ficção cientifica, principalmente filmes espaciais. A moda agora é Super Herois (eu gosto de alguns) e filmes de fantasia, tipo dragões, cavaleiros e coisas do genero… eu ate gosto de alguns filmes de magos e monstros, mas poxa vida!!! Cade a boa e velha aventura espacial? Espero realmente que esse novo jornada ajude a preencher essa lacuna, e motive outros estudios a produsirem mais filmes go genero.

    Vida longa e prospera a todos.

    e…

    Que a força esteja con vocês.
    (tambem sou muito fão de Star Wars desde a estréia a trinta anos)

    Luis
    Porto Alegre-RS

  20. Como é um teaser, nada impede de que tudo o que apareceu não esteja no filme, seja uma metáfora ou uma mensagem poética sobre o sacrifício da corrida espacial. De fato, o que chama a atenção não é nem a Enterprise ser montada no chão, inteira ou em pedaços e depois ter suas peças rebocadas ou teletransportadas (sei lá) para órbita. O que chamou mesmo a minha atenção é ver soldadores selando manualmente o casco da nave. Eu acredito que a proposta do teaser seja dar um ar do tipo “é humanamente possível que isto aconteça um dia” ou “é a seqüência natural da odisséia do homem no espaço”.
    Um abraço a todos
    =|8^D

  21. Já estou imaginando o gancho intergaláctico: finalmente, após procurarem a 13ª colônia pela imensa galáxia, finalmente a Battlestar Galactica se encontra (após inumeráveis saltos) no quadrante alpha e, consequentemente, acha a tão desejada Terra. “Oh, deuses de Kobol!” mas… é perseguida não só pelo seu comboio, mas também pelos cylons! Então, numa violenta e sangrenta batalha (com apenas 19.999 sobreviventes) e praticamente derrotada, eis que a frota colonial, liderada pela Galactica, é surpreendida junto com os cylons, pela frota estelar da FEDERAÇÃO DOS PLANETAS UNIDOS e, então, os cylons se debandam! Enquanto isso, os humanos da Terra se confraternizam com os irmãos das 12 colônias distantes. Para frustração de muitos telespectadores, o 5º cylon não é revelado ainda e está infiltrado na Terra, enquanto os outros armam um novo plano, juntando-se aos romulanos, porém… isso é uma outra história !!!

  22. Ricardo,

    Perdoe a minha colocação mas…tem certeza que este seu comentário se encaixa aqui? HeHeH =]

    abs

  23. A única coisa que eu sei é que não importa a classificação etária (PG-13) vou levar minha filha de 9 anos para ver!

    Passei boa parte da minha infância acompanhando o seriado, vi todos os filmes, li os livros, se sou um Trekker, eh… talvez, mas o que me prende à série (tudo) é a inteligência e seriedade com que o público é tratado, pois na mesma época em que foi lançada a série inicial, tudo o que existia era lixo e eles SIM exploraram novos mundos… Onde ninguém jamais esteve!

    Quanto ao Teaser, bem, realmente estranhei o fato da construção em terra, mas lembrem-se é apenas um teaser e tudo ali pode ser alterado. A propósito, foi de arrepiar ver a Enterprise sendo construída, mesmo que por alguns segundos…

    E a idéia de colocar a voz do astronauta brasileiro é piada, não? Se não, vão querer que o Spock crie feijões na Enterprise?!

  24. Luís Henrique Campos Braune | 29 de janeiro de 2008 at 10:19 am |

    É… acho que o Ricardo ironizou fundo no post 22… Que pessimisimo… eu concordo com o Nicodemus, 2 vezes (que aliás, está devendo uma reunião ST, juntamente com o Hugo). Acho que tem tudo para dar certo!

    Live long and prosper! _\V/

  25. Ogro:

    Sim, o negócio do astronauta brasileiro foi piadinha (sem graça talvez).

    Só achei duvidosa a afirmação de que houve versões diferentes do teaser no mundo para lidar com o fato de só terem usado falas históricas de americanos. Imaginei que na Rússia incluíram falas do Yuri Gagarin, sei lá.

    E não se esqueça que o McCoy fazia uns feijões com whisky que eram uma delícia…

    Ricardo:

    Divertida a sua teoria do gancho intergaláctico…
    Como eu disse, humor é essencial (e um pouco de ceticismo é inevitável…)

  26. Excelente, tradução e excelente as colocações!
    Mal posso esperar para ver o trailer e as fotos desse filme. Eu sou fã de Jornada desde criancinha, eu tenho uma coleção de revistas e vi todos os filmes de Jornada feitos para o cinema.
    Em termos de números jornada supera e muito o seu principal concorrente, enquanto jornada nesse ano vai ter o seu 11º filme para o cinema, Star Wars teve apenas 6 filmes, e isso sem contar as séries de Jornada feitas para a televisão. Porisso eu acho que Jornada nas Estrelas supera Star Wars, em números, eu disse em números, não falei de qualidade, que é uma coisa subjetiva.

    Vida longa e próspera para todos os fãs de Jornada.

    São os votos de Jorge Ernesto Couto de Castro, um trekker assumido e com orgulho!

  27. JJ Abrams disse, conforme já comentado, que diferentes versões do Teaser foram veiculadas, se defendendo da “acusação” de estar puxando a brasa apenas para a sardinha dos americanos ( aliás como a introdução de Enterprise já fez anteriormente ).

    Certamente ele não mentiu, mas resta saber de que forma isso foi feito, e se reduziu ou não o “americanismo” da forma adequada.

    Alguém já verificou isso ?

  28. Peço desculpa se pareci irônico, mas não foi este o motivo da brincadeira! Apenas aproveitei esse gancho do “gancho intergaláctico” e resolvi imaginar a idéia, pois gosto dos dois universos, Star Trek e BSG. Como li algum comentário em posts anteriores que o corredor da Enterprise reemaginada é parecido com o da Galactica e também que há um instrumento na ponte de comando que se parece com um dradis (pertencente ao universo BSG), então imaginei que houvesse aqui, também, fãs da outra série e, quanto a ser pessimista sobre o novo filme, jamais! Adorei quando soube que iam fazer uma mega produção sobre jornada, dirigida e produzida por Abrams. No post 13, inclusive, está bem colocado o quanto estou “pessimista”! As opiniões, obviamente, nunca serão iguais e nem as interpretações e é isso que nos torna humanos, entre outras cositas mais…

  29. Este gancho intergalactico será a desculpa de JJ para recriação da série. Alguma coisa acontecerá no passado que “apagará” da linha de tempo tudo o que foi construido em jornada. Acho que veremos algo ao estilo de Devolta Para o Futuro, o Spock velho desaparecendo e nada que possa ser feito para corrigir, nisto, teremos um novo começo de tudo, dando a JJ sua nova interpretação do mundo de Star Trek. Com isto feito, ele não precisa seguir o CANON, apenas reescrever o seu próprio.

    Esperem e vejam !

  30. Luis F. Estrazulas | 30 de janeiro de 2008 at 1:08 pm |

    Concorrente? Não acho que Star Trek e Star Wars sejam concorentes, um é essencialmente, pelomenos até agora, uma exelente série de televisão que tambem obteve muito sucesso no cinema, o outro é uma incrivel saga criada para cinema, e que será, em breve, uma série de TV.

    Eu adoro tanto um quanto o outro.

    Digamos que sou um Jedi treker e vice e verça.

    Mas o papo aqui é sobre Jornada, já disse que estou gostando do novo filme por enquanto.

    Vamos esperar por mais fotos e trailers!

    Abraço a todos

  31. Luis F. Estrazulas | 30 de janeiro de 2008 at 1:13 pm |

    Alex, esse risco existe, veja o que fizeram com a série galactica… A premissa é a mesma, a série até é boa, mas não é Galactica.

    Se mudarem muito o universo criado pelo Gene, vão perder alguns milhões de dolares.

    Mas eu repito, esse risco existe.

  32. Se acontecer o que o Alex descreveu no post 30 o JJ será linxado em praça pública!! Sinceramente não acredito que ele terá a audácia de “apagar”, de certa forma, tudo o que “já aconteceu”. E se ele fizer isso, pra mim ele fracassou! Seria o fim de ST =(

  33. Ele pode emplacar um novo Star Trek que os fãs detestem mas que seja sucesso comercial, como Missão Impossível?

  34. Para mim não seria um fracasso total.

    Não acho que o Abrams irá alterar tudo radicalmente como o Alex descreveu. Mas, acredito que… “alguma coisa” será realmente “alterada” na linha do tempo… Só que, mostrando a nós que o CANON será respeitado “até certo ponto”.

    Vai criar polêmica? Vai!
    Vai criar revolta entre os fãs? Vai!
    Pois, irá criar uma grande”?” em nossas mentes.

    Mas se analisarmos, de certa forma, isso é bom! Dependendo do que vai ser criado agora e depois, deixaria margem para que novas aventuras sejam escritas em cima do que já existe sem muita alteração _ uma revisão em uma nova perspectiva _ ou seja, reinventar só as coisas que os fãs detestaram nestas ultimas décadas no mundo de Star trek, mantendo o que já é maravilhoso e ou, mostrando de uma nova maneira.

    Quem não gostaria de ver isso?!
    Quem??????

    E outra coisa…

    Ele pode emplacar um novo Star Trek que os fãs detestem mas que seja sucesso comercial, como Missão Impossível?

    Pode! Mas saberá da pior maneira que, quando se trata de Star Trek, não se deve ir por esse caminho. Pois, nem todos os fãs da velha geração pensam como eu que sou novo no negócio. Eles são a maioria.

    Augusto.

  35. Corrigindo:

    Eu não queria dizer: “Eles são a maioria”.

    Eu quero realmente dizer: ” Eles (vocês) são a palavra final.

  36. Eu, particularmente, só não quero ver aquele tipo de alteração em que você pensa: “Po…então aquilo que eu assistia nunca aconteceu?”

  37. Depois deste primeiro filme de J.J. Abrams, “se” for do jeito que falei, será quase impossível de não acontecer isso Nicodemos.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*